universidade federal de santa catarina- ufsc .evidenciados, o fiscal foi o mais verificado em ambos

Download UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA- UFSC .evidenciados, o fiscal foi o mais verificado em ambos

Post on 19-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA- UFSC

CENTRO SCIO-ECONMICO

DEPARTAMENTO DE CINCIAS CONTBEIS

SIZABELLE COCCO ALVES VON KNOBLAUCH UM ESTUDO ACERCA DA EVIDENCIAO DAS CONTINGNCIAS

NAS MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO DO BRASIL

FLORIANPOLIS SC

2010

SIZABELLE COCCO ALVES VON KNOBLAUCH

UM ESTUDO ACERCA DA EVIDENCIAO DAS CONTINGNCIAS

NAS MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO DO BRASIL

Monografia apresentada ao Curso de Cincias Contbeis da Universidade Federal de Santa Catarina, como requisito para obteno de grau de Bacharel em Cincias Contbeis.

Orientador: Prof. Dr. Jos Alonso Borba

FLORIANPOLIS SC

2010

SIZABELLE COCCO ALVES VON KNOBLAUCH

UM ESTUDO ACERCA DA EVIDENCIAO DAS CONTINGNCIAS NAS MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO DO BRASIL.

Esta monografia foi apresentada no curso de Cincias Contbeis da Universidade Federal de Santa Catarina, obtendo a nota final ____________ atribuda pela banca examinadora constituda pelo professor orientador e membros abaixo mencionados.

Florianpolis, SC, 13 de maio de 2010.

_____________________________________________ Professora Valdirene Gasparetto, Dra.

Coordenadora de Monografias do Departamento de Cincias Contbeis

Professores que compuseram a banca examinadora:

_____________________________________________ Prof. Dr. Jos Alonso Borba (Orientador)

Departamento de Cincias Contbeis, UFSC

_____________________________________________ Prof. Dra. Sandra Rolim Ensslin

Departamento de Cincias Contbeis, UFSC

_____________________________________________ Fabiana Zandonai

Mestranda do Curso de Cincias Contbeis, UFSC

Dedico este trabalho aos dois amores da minha

vida por todo carinho e felicidade que me

proporcionam: meu esposo Carlsbad e minha

filha Yasmin

AGRADECIMENTOS

Em primeiro lugar agradeo a Deus por ter iluminado meu caminho, ajudado

a acreditar na minha capacidade e a perceber que meu destino depende das minhas

escolhas.

Agradeo ao meu esposo Carlsbad, por sempre estar ao meu lado com

muito amor e companheirismo, pela compreenso nos momentos de ausncia e pelo

apoio dado para a concretizao deste objetivo.

Agradeo aos meus pais, Edson e Vicentina pela educao e pelos valores

ensinados que formaram o meu carter. Ao meu irmo Giovanni pelo

companheirismo e admirao.

Aos meus amigos e companheiros de faculdade, Anderson, Mariana, Nicolle

e Raquel, que desde o incio do curso estiveram comigo, auxiliando no meu

aprendizado e facilitando a vida acadmica.

Ao meu orientador, professor Alonso pela pacincia e dedicao, tornando

possvel a realizao deste trabalho.

E, por fim, agradeo a todas as pessoas que contriburam de alguma forma

para que eu pudesse chegar aqui e que fizeram parte desta conquista. Muito

Obrigada!

RESUMO

VON KNOBLAUCH, Sizabelle Cocco Alves. Um estudo acerca da evidenciao das contingncias nas maiores empresas de capital aberto do Brasil. Monografia. Curso de Cincias Contbeis da Universidade Federal de Santa Catarina. Santa Catarina. p.83, 2010. Este trabalho visou esclarecer ao leitor o tema contingncias passivas e ativas, tendo como delimitao e ncleo da pesquisa a forma com que so evidenciadas as contingncias nas cem maiores empresas brasileiras que publicam suas demonstraes financeiras observando o CPC 25 para tal. Uma contingncia caracteriza-se por possuir carter impreciso uma vez que est sujeita a efetivao de um evento futuro que pode ou no ocorrer gerando um ganho ou uma perda. Uma vez identificada a dificuldade da constituio e evidenciao dos passivos e ativos contingentes, este estudo, utilizando procedimento de levantamento, caractersticas qualitativas e quantitativas quanto a abordagem do problema e descrio de como se desenvolveu a anlise dos dados, caracterizou-se por divulgar os conceitos e anlises feitos por diversos autores, bem como evidenciou as normas da contabilidade brasileiras e internacionais no tocante s contingncias passivas e ativas com o intuito de identificar as principais recomendaes feitas com relao ao contedo a ser divulgado pelas empresas. Este trabalho preocupou-se ainda em apontar quais foram os principais tipos de contingncias encontradas nas empresas analisadas e avaliou como estas comprometeriam o Patrimnio Lquido no futuro, caso venham a se concretizar, em cada uma das cem empresas em destaque. Quanto aos resultados obtidos, verificou que das empresas analisadas, apenas duas empresas no possuam provises para contingncias, dezesseis no evidenciaram passivos contingentes e cinqenta e sete no divulgaram ativos contingentes. Dentre os destaques da pesquisa, observou-se que a Petrobrs destacou-se por possuir maior valor de ativo e de passivo contingente, enquanto a Siderurgia Nacional reconheceu maior valor de proviso para contingncias. Verificou-se ainda que cinco empresas destacaram-se por possuir montantes de passivo contingente maior que seus prprios patrimnios lquidos, o que caracteriza uma informao bastante importante para a administrao destas entidades, uma vez que as contingncias podem acarretar em ltima instncia a uma possvel falncia da empresa. Finalmente observou-se que dos tipos de ativos e passivos contingentes evidenciados, o fiscal foi o mais verificado em ambos os casos; as aes cveis tambm foram divulgadas em menor proporo, e os processos trabalhistas e ambientais foram encontrados apenas nas contingncias passivas. Palavras-chave: contingncias passivas, contingncias ativas, provises, ativo e passivo.

LISTA DE QUADROS

Quadro 1: Conceitos de Contingncias .................................................................... 21

Quadro 2: Resumo do tratamento contbil dos passivos contingenciais .................. 32

Quadro 3: Resumo do tratamento contbil dos ativos contingenciais ...................... 34

Quadro 4: Tratamento contbil das contingncias ................................................... 34

Quadro 5: Fluxograma das contingncias ativas ...................................................... 35

Quadro 6: Fluxograma dos passivos contingentes ................................................... 36

Quadro 7: Dados gerais sobre as empresas pesquisadas ....................................... 43

LISTA DE TABELAS

Tabela 1: Relao das exigncias feitas pelo CPC 25 para divulgao das

contingncias..................................................................................................... 41

Tabela 2: Sntese das anlises acerca das provises contingenciais. ..................... 46

Tabela 3: Sntese das anlises acerca das contingencias passivas. ....................... 49

Tabela 4: Sntese das anlises acerca das contingencias ativas. ............................ 51

Tabela 5: Sntese das anlises acerca dos valores das contingncias (reais). ........ 53

Tabela 6: Sntese das anlises acerca dos valores dos passivos contingentes em

relao ao Patrimnio Lquido. .......................................................................... 55

Tabela 7: Sntese das anlises acerca dos valores dos ativos contingentes em

relao ao Patrimnio Lquido. .......................................................................... 56

Tabela 8: Sntese das anlises acerca dos tipos de passivos contingentes. ............ 57

Tabela 9: Sntese das anlises acerca dos tipos de ativos contingentes. ................ 58

Tabela 10: Relao das informaes divulgadas pelas empresas com base no CPC

25 ...................................................................................................................... 68

Tabela 11: Relao dos valores contingenciais provisionados e no provisionados.70

Tabela 12: Relao das Contingncias pelo Patrimnio Lquido. ............................. 72

Tabela 13: Relao dos tipos e valores dos passivos contingentes ......................... 74

Tabela 14: Relao dos tipos e valores dos ativos contingentes ............................. 77

LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS

BP: Balano Patrimonial;

BOVESPA: Bolsa de Valores de So Paulo;

CFC: Conselho Federal de Contabilidade;

CPC: Comit de Pronunciamentos Contbeis;

CVM: Comisso de Valores Mobilirios;

DC: Demonstraes Contbeis;

FASB: Financial Accounting Standards Board (rgo Regulador das Normas da

Contabilidade Norte-Americana);

FIPECAFI: Fundao Instituto de Pesquisas Contbeis, Atuariais e Financeiras;

SFAS: Statements Financial Accounting Standards (Normas da Contabilidade Norte-

Americana);

IBRACON: Instituto dos Auditores Independentes do Brasil;

IAS: Internacional Accounting Standard (Norma Internacional de Contabilidade);

IASB: Internacional Accounting Standards Board ( rgo Regulador das Normas

Internacionais de Contabilidade);

IOB: Informaes Objetivas;

NBC-T: Normas Brasileiras de Contabilidade- Tcnicas;

NE: Notas Explicativas;

NPC: Norma e Procedimento Contbil;

PL: Patrimnio Lquido;

SA: Sociedades Annimas;

SUMRIO

1 INTRODUO ................................................................................... 11 1.1 TEMA E PROBLEMA ...................................................................................... 12 1.2 OBJETIVOS DA PESQUISA ........................................................................... 14

1.2.1