universidade estadual de campinas ... de baden powell - foi de inestimأ،vel valia para meu...

Download UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS ... de Baden Powell - foi de inestimأ،vel valia para meu trabalho

Post on 29-Jul-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

    INSTITUTO DE ARTES

    Mestrado em Música

    ENTRE A IMANÊNCIA E A REPRESENTAÇÃO

    Maestro Branco e a Banda Savana

    Pós-modernismo, identidade e música popular no Brasil

    RUI MANUEL SÉNICO CARVALHO

    CAMPINAS, 2003

  • 2

  • 3

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

    INSTITUTO DE ARTES

    Mestrado em Música

    ENTRE A IMANÊNCIA E A REPRESENTAÇÃO

    Maestro Branco e a Banda Savana

    Pós-modernismo, identidade e música popular no Brasil

    RUI MANUEL SÉNICO CARVALHO

    Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado em Música do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas, como requisito parcial para a obtenção do grau de Mestre em Música, sob a orientação do Prof. Dr. Antônio Rafael Carvalho dos Santos e co-orientação do Prof. Dr. José Roberto Zan.

    CAMPINAS, 2003

  • 4

  • 5

    FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAMP

    Carvalho, Rui Manuel Sénico. C253e Entre a imanência e a representação : Maestro Branco e a Banda Savana : pós-modernismo, identidade e música popular no Brasil / Rui Manuel Sénico Carvalho. – Campinas, SP : [s.n.], 2003. Orientadores : Antônio Rafael Carvalho dos Santos e José Roberto Zan. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes.

    1. Banda Savana. 2. Música popular. 3. Arranjo (Música). 4.Problemas brasileiros. 5. Estética. I. Santos, Antônio Rafael dos. II. Zan, José Roberto.III. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Artes. IV. Título.

  • 6

  • 7

    AGRADECIMENTOS Ao terminar um trabalho acadêmico, no âmbito de um Mestrado, não poderia deixar de

    pensar naqueles que, de uma forma ou de outra, contribuíram para a consecução desta

    dissertação. Para tanto gostaria de agradecer em primeiro lugar aos mestres que me

    educaram desde o primário - ainda em Portugal - passando pela Universidade de Lund na

    Suécia e depois, já no Brasil, pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul, pelo

    Conservatório Dr. Carlos de Campos em Tatuí e – finalmente - pela UNICAMP. Assim

    agradeço à D. Dalila, onde quer que ela se encontre, minha professora no primário. Natural

    de Angola. Ensinou-me as primeiras letras. Ao Professor Luiz da Ponte Lima Barreto, nos

    anos 60 integrante do Teatro Experimental de Cascais – TEC - meu professor de Português

    no Liceu D. João de Castro, em Almada, que me apresentou à obra de Pessoa via Ricardo

    Reis, incutindo em mim o gosto pela poesia, pelo Teatro e pelo palco. Ao Prof. Dr.

    Johnatan Friedman, da faculdade de Antropologia Social na Universidade de Lund, Suécia,

    que me iniciou nos estudos antropológicos. Ao Prof. Javier Calviño, meu mestre de

    Percussão em São Caetano do Sul e Tatuí, que me ensinou a necessidade da disciplina

    interior para me tornar músico e sob cuja orientação me formei pelo Conservatório

    Dramático Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. Ao Prof. Dr. José Roberto Zan, que ao

    me aceitar como aluno especial nas disciplinas Arte e Sociedade e Tópicos Especiais em

    Música Popular, me fez redescobrir o prazer da atividade acadêmica. A sua co-orientação

    neste mestrado aconteceu de maneira muito natural. Uma palavra especial de

    agradecimento endereçada ao meu orientador, Prof. Dr. Rafael dos Santos por quem já

    sentia profundo apreço como instrumentista, compositor e arranjador. Pude agora vivenciar

    diretamente sua enorme capacidade como docente. Sua orientação, objetiva e concisa,

  • 8

    permitiu que a dissertação ganhasse direcionamento sem que jamais se perdesse o fio da

    meada.

    Uma palavra de profundo agradecimento a todos os que me ofertaram seus depoimentos

    para a realização da pesquisa. Além dos citados nos textos de apoio de que fiz uso, quero

    agradecer aos que se dispuseram a me conceder entrevistas, os meus “colegas da carteirinha

    azul”, como dizia Elis. Assim: Naylor Azevedo “Proveta”, Walmir Gil, Nahor Gomes,

    Amador Longhini Jr. e Magno Bissoli. Todos eles músicos de respeito, que muito

    reverencio e cuja carreira artística tenho acompanhado desde longa data, sempre com muita

    admiração. Em seguida agradecer ao Prof. Nelson Caiado, Mestre em Música pela UFRJ,

    titular da cadeira de violão da Universidade do Estado do Amazonas, cuja pesquisa de

    campo presente em sua brilhante tese de mestrado - Samba, Música Instrumental e o violão

    de Baden Powell - foi de inestimável valia para meu trabalho. Foi também o Prof. Nelson

    Caiado que me facultou o acesso à tese de mestrado da Profª. Mônica Leme, “Os Feitiços

    Indecentes da Cultura Popular na Música Industrial Brasileira”, texto do qual fiz uso

    como fonte de pesquisa na minha dissertação e a quem agradeço e parabenizo pela

    excelência de sua pesquisa. Ao Prof. Dr. Dilmar Miranda, cuja tese de doutoramento me fez

    vislumbrar outras perspectivas. Tempo de Festa x Tempo do Trabalho – Transgressão e

    Carnavalização na belle époque tropical, é um instigante trabalho. De grande fôlego e

    erudição, ampara parte da pesquisa que realizei para a presente dissertação. Quero

    agradecer também ao Prof. Dr. Claudiney Carrasco, por suas críticas e sugestões,

    elaboradas quando do meu Exame de Qualificação, anterior à defesa da dissertação. Tive o

    prazer de, durante um semestre, ser aluno do Prof. Claudiney Carrasco na disciplina “A

    Formação da Poética Musical no Cinema” onde a sua docência foi exercida com extrema

    criatividade, bom humor e extraordinária competência.

  • 9

    Quero agradecer muito profundamente ao Maestro Branco. Primeiro pela música que nos

    oferta. Depois pela incomensurável paciência para comigo. E finalmente, pelo exemplo em

    que se constitui, como homem, como artista, enfim como o ser humano, pleno de

    generosidade e beleza interior que se expressam na sua música e nas atitudes que na vida

    toma para com os seus semelhantes. Conviver com ele durante estes três anos foi uma

    experiência que muito me marcou e que me acompanhará para todo o sempre. Guardo para

    com Branco um profundo sentimento de gratidão, apenas comparável à admiração que por

    ele sinto como músico, na acepção mais abrangente da palavra.

    Gostaria também de manifestar o meu agradecimento à CAPES pela bolsa que me foi

    concedida para cursar o Mestrado em Música.

    A todos os funcionários da secretaria de Pós-Graduação do Curso de Música, pelo apoio

    sempre presente quando necessário.

    Por fim, resta-me apenas dizer que nada teria sido possível sem o conforto, carinho e amor

    de minha mulher Angela e de meus filhos, Lygia e Henrique.

  • 10

  • 11

    RESUMO

    A presente dissertação, Entre a Imanência e a Representação - Maestro Branco e a Banda

    Savana – pós-modernismo, identidade e música popular no Brasil, aborda a música para

    big band escrita por José Roberto Branco e gravada pela Banda Savana, num período que

    se situa entre o final da década de 80 e o início da década de 90.A análise abrange três

    campos. No primeiro, de cunho histórico, discorremos sobre a “construção da

    nacionalidade no Brasil” e de como esse processo influenciará Branco. Em seguida,

    analisamos três arranjos de Branco gravados pela Banda Savana, enfocando aspectos

    técnicos inerentes à linguagem musical, mais particularmente ao arranjo para big band.

    Finalmente, discutimos questões de cunho antropológico-cultural, ao situarmos a busca pela

    identidade como fator primordial para o desenvolvimento do processo criativo em Branco.

    Concluindo, aventamos a hipótese de que o Brasil, desde o seu nascimento carrega as

    sementes da pós-modernidade.

  • 12

    ABSTRACT

    This dissertation, Between Immanency and Representation - Maestro Branco and Banda

    Savana - post – modernism, identity and popular music in Brazil, approaches the music

    written for big band by José Roberto Branco and recorded by Banda Savana towards late

    80's and early 90's. The analysis includes three different fields. First, is an historical

    analysis of "the construction of nationality in Brazil" and how Branco was influenced by

    this process. This is followed by an analysis of three different arrangements written by

    Branco and recorded by Savana, focusing musical aspects, particularly those related to big

    band writing. Finally, we discuss anthropological and cultural issues as primordial

    influences on Branco's creative process and as part of his s

Recommended

View more >