universidade do estado da bahia – ?· minha turma composta com as etnias pataxó hã hã hãe e...

Download UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – ?· minha turma composta com as etnias Pataxó Hã Hã Hãe e Tupinambá.…

Post on 16-Oct-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB

    DEPARTAMENTO DE CINCIAS HUMANAS DCHT /CAMPUS I PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM POLTICAS PBLICAS, GESTO DO

    CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL PGDR

    VALUZA MARIA SARAIVA

    SABERES INDGENAS: ensino fundamental na Bahia

    Salvador 2009

  • VALUZA MARIA SARAIVA

    SABERES INDGENAS: ensino fundamental na Bahia

    Dissertao apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Polticas Pblicas, Gesto do Conhecimento e Desenvolvimento Regional PGDR, da Universidade do Estado da Bahia, como requisito para a obteno do ttulo de mestre, tendo como orientadora a Dra. Leliana Santos de Sousa.

    Salvador 2009

  • FICHA CATALOGRFICA

    Sistema de Bibliotecas da UNEB

    VALUZA MARIA SARAIVA

    Saraiva, Valuza Maria

    Saberes indgenas : ensino fundamental na Bahia / Valuza Maria Saraiva . Salvador, 2011.

    139f.

    Orientadora: Prof. Dr. Leliana Santos de Sousa.

    Dissertao (Mestrado) Universidade do Estado da Bahia. Departamento de Cincias

    Humanas. Campus I. 2011.

    Contm referncias, apndices e anexos.

    1. ndios - Educao - Bahia . 2. Ensino fundamental - Bahia. 3. Educao bilnge - Bahia.

    4. Administrao pblica - Bahia. 5. Multiculturalismo - Bahia. I. Sousa, Leliana Santos de.

    II. Universidade do Estado da Bahia, Departamento de Cincias Humanas.

    CDD: 371.9798142

  • SABERES INDGENAS: Ensino Fundamental da Bahia

    Dissertao apresentada ao PDGR, da Universidade do Estado da

    Bahia, como requisito para a obteno do ttulo de Mestre em Polticas

    Pblicas, Gesto do Conhecimento e Desenvolvimento Regional.

    Orientadora: Leliana Santos de Sousa

    Aprovada em 19 de abril de 2011

    BANCA EXAMINADORA

    Professor Dr. Alberto F. de C. Olivier Universidade Federal da Bahia - UFBA

    Professor Dr. Laerton de Andrade Lima Universidade do Estado da Bahia UNEB

    Professora Doutora Leliana Santos de Sousa

    Orientadora Universidade do Estado da Bahia UNEB

  • DEDICATRIA

    Aos meus protetores espirituais que me guiam, iluminam e cuidam da minha trajetria terrena.

    Aos meus ancestrais que deixaram para mim as heranas do corpo e da alma.

    s turmas do Magistrio Indgena, especialmente minha turma composta com as etnias Patax H H He e Tupinamb.

    Ao papai e a mame, pela forma cuidadosa de abenoar a minha vida.

    Ao meu Lorinho (Rodrigo) que sempre sorriu junto comigo perante qualquer avano conseguido.

    A Katharine, minha princesa que sempre sonhou junto com os meus projetos.

    Roberto, pelo apoio e credibilidade, mesmo com as minhas ausncias.

  • AGRADECIMENTOS

    A toda a minha famlia (irmos e irms, cunhados e cunhadas, sobrinhos e sobrinhas) que sempre me d a mo nos momentos de tristezas e de muitas alegrias.

    A famlia do meu companheiro que hoje tambm consiste numa grande tribo reservada para mim.

    Aos povos indgenas da Bahia: Atikum, Funi e Kariri Xoc, Kaimb, Kantarur, Kiriri, Kiriri Barra, Pankarar, Pankaru, Patax, Patax H H He, Tupinamb, Tux, Tumbalal e Xucuru-Kariri pela certeza de que essa memria precisa ser escrita.

    Aos povos Kiriri que primeiro me acolheram como formadora.

    Aos Patax que, juntos, estudamos a necessidade da legislao para afirmao tnico e cultural.

    Aos Pankaru, os quais me confiaram formao continuada da sua primeira professora indgena.

    Suzana Martins que primeiro apostou e lutou para firmar o meu trabalho com os povos indgenas da Bahia.

    Coordenao Indgena da SEC, especialmente Vanda Canudos, Rosilene Tux e toda a equipe pela forma leve e aguerrida de lidar com as adversidades da mquina pblica e sempre me impulsionam a acreditar que o desejo de mudar a pitada para resoluo dos problemas.

    A UNEB, especialmente ao mestrado em Polticas Pblicas, Gesto do Conhecimento e Desenvolvimento Regional pela lisura ao me aprovar nas vagas externas, sem precisar nenhum tipo de relao prvia para acreditar no resultado do meu trabalho.

    A minha orientadora Leliana Sousa pelo profundo conhecimento, fora, leveza, forma de lidar com a pessoa humana e capacidade de apontar caminhos com sabedoria.

    A todos os meus professores e professoras do mestrado, pelo o que me proporcionaram aprender.

    Aos professores Alberto Olivier e Laerton Lima pela experincia, acolhimento e nvel conhecimento que me fizeram ascender o olhar sobre o meu prprio trabalho a partir da qualificao.

  • A toda a turma do mestrado por todos os vexames e alegrias que compartilhamos. Agradeo queles os quais formamos uma aldeia de propsitos: Arlindo, Carla (que nos deixou para ter Miguel), Emiliana, Grazzi, Jaque, Josa e Srgio.

    A todos os lugares em que trabalhei e aprendi a melhor ver, enxergar e reconhecer todas as pessoas, independente da sua religio, raa/etnia, condio econmica ou lugar de moradia: Centro de Arte e Educao Alternativa, Centro de Educao e Cultura Popular (CECUP), Escola Estadual Professora Maria Anita, Programa Gestar e Ncleo de Acompanhamento Educacional (NAE).

    Secretaria Estadual da Educao, especialmente a SUPAV por meio da CGD/ CAD e Gabinete, por me apoiar desde o incio, sorrindo, vibrando e acreditando que eu podia discutir gesto de forma diferenciada.

    A todas as mulheres do Escola 10 (Adriana, Carla, Dyone, Eni, Lucia, Valdirene, Vnia) pela fora nos momentos que me ausentei e pela alegria de nos ver a cada dia de vida.

    s minhas amigas irms representadas aqui por Cristiana Ferreira, Gedalva da Paz, Ivone Meireles, Jandira Domingas e Rute Moura pelos choros, sorrisos e aprendizados em vrios percursos.

    A todos os meus afilhados e afilhadas, pela pacincia de ter uma dinda que vive entre a correria e o sono da vida.

    Aos meus primos, primas, tios e tias aqui representados pela nica tia que adentrou o curso universitrio, Givanira (tia do lado materno) e Z Gordo (tio do lado paterno) pelo carinho e orgulho da formao acadmica de sua famlia.

    Edite e Joo Marciano pela fora no incio do processo.

    Graa, pelo carinho em lidar com os meus momentos de aperreios.

  • Grande Esprito cuja voz ouo nos ventos e cujo alimento d a vida a todo o mundo, ouve-me! (...) Faz-me pronto, faz-me pronta para chegar a ti com as mos limpas e o olhar firme a fim de que, quando a vida apagar, como se apaga o poente, meu esprito possa estar contigo sem se envergonhar.

    Trecho de Orao Tupinamb

  • RESUMO

    O objetivo nesta dissertao apresentar conhecimentos indgenas em variadas categorias, podendo servir como referencial para incluso de contedos para o ensino fundamental da Rede Estadual da Bahia, tendo como base a escuta e crena educacional de indgenas e no-indgenas. Consideram-se como aspectos tericos importantes os estudos produzidos em educao, educao escolar indgena e literatura que trata dessas temticas. Apresenta uma discusso sobre a presena dos indgenas ocupando cargos pblicos no Estado da Bahia e os possveis entraves e possibilidades para que esses cargos viabilizem a efetivao de polticas e defenda a gesto de conhecimentos que favoream o melhor desenvolvimento da educao escolar indgena. Diz tambm das formas de permitir e at exigir por fora da Lei 11.645/2008, que os no-ndios institucionalizem nos seus currculos a histria e cultura indgena nas unidades escolares brasileiras, sendo referendado o texto basicamente em dados dos povos indgenas da Bahia. A pesquisa qualitativa, o mtodo de abordagem o hipottico-dedutivo e o mtodo de procedimento o etnogrfico por se preocupar com a cultura, considerar atores sociais com participao ativa e necessidade de observao dos grupos de indgenas e no indgenas no mbito escolar. Os caminhos utilizados foram escuta aos professores indgenas, estudantes da rede estadual (no-ndios) e pesquisa em todas as escolas da rede estadual sobre estratgias de efetivao dos contedos indgenas. Por fim, so propostas temticas para estudo dos povos indgenas nas escolas estaduais da Bahia. Com isso, pretende-se contribuir para ampliar o olhar com relao importncia s heranas dos nossos ancestrais e as formas de resistncia e luta dos povos indgenas que sobreviveram e sobrevivem a tantas possibilidades de extino, mas que resistem de forma soberana aos impulsos e abalos da contemporaneidade.

    Palavras-chave: Lei 11.645/2008. Cargos Pblicos para Indgenas. Educao Escolar Indgena. Saberes Indgenas para no ndios.

  • RESUMEN

    El objetivo de esta tesis es presentar los conocimientos indgenas em diversas categorias, que sirve de referencia para La inclusin de contenidos para asistir a La escuela primaria Estado de Bahia, sobre La base de escuchar y creer La educacin de los indgenas y no indgenas. Considerados como estudios tericos han producido en la educacin, la educacin indgena y la literatura que aborda estas cuestiones. Presenta una discusin acerca de la presencia de indgenas que ocupan cargos pblicos en el Estado de Baha y las posibles barreras y las posibilidades de estas posiciones permiten la ejecucin de las polticas de gestin del conocimiento y abogar para promover el mejor desarrollo de la educacin indgena. Tambin habla de las formas de permitir e incluso exigir, dentro de la Ley 11.645/2008 que los no indgenas en sus programas de institucionalizar la historia y la cultura indgenas en las escuelas en Brasil, despus de haber sido defendido principalmente en los datos de texto de los pueblos indgenas de Baha. La investigacin es cualitativa, el mtodo del enfoque hipottico-deductivo y el mtodo etnogrfico de procedimiento de la preocupacin por la cultura, teng