UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - ?· Deus, Lucas Dantas, Manuel Faustino, da Revolta dos Malês, Pacifico…

Download UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - ?· Deus, Lucas Dantas, Manuel Faustino, da Revolta dos Malês, Pacifico…

Post on 30-Nov-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE DE BRASLIA UnB FACULDADE DE DIREITO

    MESTRADO DE DIREITO E ESTADO

    Joo Jorge Santos Rodrigues

    DIREITO E AO AFIRMATIVA:

    As polticas de ao afirmativa para afro - brasileiros.

    Acesso ao ensino superior

    Braslia, DF 2005

    http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.mat.unb.br/~ayala/TCgroup/unb_logo.gif&imgrefurl=http://www.mat.unb.br/~ayala/TCgroup/&h=150&w=297&sz=2&tbnid=NdMSETb3HC8J:&tbnh=56&tbnw=111&hl=pt-BR&start=2&prev=/images%3Fq%3DLogo%2BUnB%26svnum%3D10%26hl%3Dpt-BR%26lr%3D%26sa%3DGhttp://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.mat.unb.br/~ayala/TCgroup/unb_logo.gif&imgrefurl=http://www.mat.unb.br/~ayala/TCgroup/&h=150&w=297&sz=2&tbnid=NdMSETb3HC8J:&tbnh=56&tbnw=111&hl=pt-BR&start=2&prev=/images%3Fq%3DLogo%2BUnB%26svnum%3D10%26hl%3Dpt-BR%26lr%3D%26sa%3DG

  • Joo Jorge Santos Rodrigues

    DIREITO E AO AFIRMATIVA:

    As polticas de ao afirmativa para afro - brasileiros.

    Acesso ao ensino superior

    Dissertao apresentada ao Curso de Mestrado da Faculdade de Direito da Universidade de Braslia, como requisito parcial obteno do ttulo de Mestre em Direito. rea de concentrao: Direito Pblico Estado Constituio Orientadora: Profa. Dra. Alejandra Pascual Universidade de Braslia-UnB

    Braslia, DF 2005

  • Joo Jorge Santos Rodrigues

    DIREITO E AO AFIRMATIVA: As polticas de ao afirmativa para afro - brasileiros.

    Acesso ao ensino superior

    Dissertao apresentada ao Curso de Mestrado da Faculdade de Direito da Universidade de Braslia, como requisito parcial obteno do ttulo de Mestre em Direito. rea de concentrao: Direito Estado e Constituio

    ___________________________________________

    Profa. Dra. Alejandra Pascual UnB Orientadora

    ___________________________________________

    Prof. Dr. Kabenguele Munanga USP/SP

    ___________________________________________

    Prof. Dr. Carlos Alberto Reis de Paula - UnB

    Braslia, 13 de dezembro de 2005.

  • 4

    DEDICATORIA

    Dedicado a Joo Rodrigues da Silva (1907 1978) + Alice dos Santos Silva (1922 2005) + Meus pais, com amor saudades e carinho especial.

    Este trabalho dedicado minha companheira Cris Calacio pelo carinho e compreenso nos momentos sacrificados para escrever estas linhas, aos meus queridos filhos Jorge Ricardo, Marcus NKrumanh, Aquataluxe Filgueira e Linda Rosa, aos meus irmos Rita Maria, Cristina Maria e Jos Antonio, aos meus amigos do Olodum, do movimento negro do Brasil e do mundo, e a todas as pessoas que so contra a opresso e a favor da liberdade e da justia.

  • 5

    In memoriam .

    A meu pai Joo Rodrigues da Silva, a minha me Alice dos Santos Silva, por tudo que me ensinaram para vencer na vida; vocs foram a luz, o caminho, as estrelas na vida, e me deram, enquanto homem e mulher, as bases para conscincia de ser negro, de ser pessoa, de ser gente; o meu muito obrigado por tudo de bom e bonito que herdei destas pessoas lindas e maravilhosas que foram vocs, onde vocs estiverem...

    Joo Rodrigues da Silva - 31/03/1907 - 5/07/1978+ Alice dos Santos Silva - 22/11/1927 28/06/2005+

  • AGRADECIMENTOS

    Desejo agradecer com emoo o carinho o apoio da Profa. Dra. Alejandra Pascual para

    a produo desta dissertao, o apoio da minha coordenadora em todos os momentos e de

    todas as formas um motivo de honra e orgulho para a minha histria. Agradeo com muito

    carinho o apoio dos funcionrios da faculdade de Direito da Unb, dos colegas do mestrado em

    especial a turma de 2003, a professora Loussia Felix que coordenou o mestrado na maior

    parte do perodo dos estudos desta pesquisa, a Mario Nelson pela insistncia em provocar a

    minha continuidade dos estudos. Muito obrigado aos professores da UnB, aos professores de

    portugus, Elisa Riscado e Wandick Antnio, Geany Almeida pelo apoio e carinho, a

    Marcelo Gentil e Mara Felipe e seus filhos baianssimos, aos amigos de Braslia, cidade que

    me recebeu com alegria e jovialidade para que um homem do mar pudesse aqui no cerrado

    sonhar com liberdade e igualdade.

    Obrigado aos pesquisadores negros que me antecederam na busca do conhecimento

    cientfico para produzir a liberdade e alcanar a igualdade. Mesmo consciente das omisses

    que sero cometidas, tenho de citar os nomes de Abdias Nascimento, Joel Rufino, Jacques

    DAdesky, Wania Santana, Luiza Bairros, Walter Silvrio, Pertonilha Beatriz, Carlos Alberto

    Medeiros, Carlos Alberto Reis de Paula, Joaquim Barbosa, Jorge da Silva, Sueli Carneiro,

    Diva Moreira, Hedio Silva, Helio Santos, Maria Aparecida Silva Bento, Carlos Moura, Glria

    Moura, Jurema Werneck, Joel Zito, Muniz Sodr, Nei Lopes, Ivete Sacramento, Miriam

    Cardoso, Ana Clia, Maria Helena Teodoro, Ivair Augusto, Jonatas Conceio, Ftima

    Oliveira, Fernando Conceio, Edna Roland, Deise Benedito, Dalmi Francisco, Nilma Lino.

    No plano internacional meus agradecimentos, a Dauda Dione, LaMar Bunts, Kabenguele

    Munanga, Carlos Moore, Mike Turner, e aos meus heris de sempre, Joseph Ki Zerbo, Cheik

    Anta Diop, Marcus Garvey, Kwame NKrumanh, Mahatma Ghandi, Frantz Fanon, Agostinho

    Neto, Almicar Cabral, Samora Machel, Martim Luther King, Malcom X, Bob Marley e

    Nelson Mandela, inspiradores da luta e dos desafios que superei nesta importante jornada da

    minha vida.

    Um especial agradecimento aos meus antepassados africanos que vieram para o Brasil

    e para a Bahia, Zumbi, Ganga Zumba, Dandara, Aquataluxe, da Revolta dos Bzios, Joo de

    Deus, Lucas Dantas, Manuel Faustino, da Revolta dos Mals, Pacifico Licutan e Luisa

    Mahim, e a trajetria de vida de meus pais Joo Rodrigues da Silva e Alice dos Santos Silva,

    um homem negro letrado, de uma elite negra baiana, uma mulher branca analfabeta do

    candombl, nascidos no interior da Bahia a partir de 1907 e 1927, lutaram contra todos os

  • preconceitos, para colocar um dos seus filhos como pilar da luta negra neste pas. Desta

    forma, posso ento agora usar a tribuna da cincia, a tribuna do Direito e clamar por igualdade

    e liberdade para o meu povo, para a minha gente, os construtores do Brasil, os africanos e

    seus descendentes.

    Como previsto na profecia da Revolta dos Bzios em 1798.

    H de chegar o tempo em que seremos todos iguais, todos os irmos (1798).

    Que o machado de Xang nos inspire na luta pela justia, que a lana de Ogum nos

    defenda da opresso.

    Ax

  • EPIGRAFE

    I have fought against white domination and I have fought

    against black domination.

    I have cherished the idea of a democratic and free society in

    which all persons live together in harmony and equal

    opportunities.

    It is an ideal which I hope at live for and to achieve.

    But, If need be, it is an ideal for I am prepared to die.

    Durante minha vida eu dediquei-me a este esforo para os

    povos africanos. Eu lutei contra a dominao branca e lutei

    contra a dominao negra .

    Eu imaginei a idia de uma sociedade democrtica e livre na

    qual todas as pessoas vivessem juntas em harmonia e em

    oportunidades iguais.

    um ideal que eu espero estar vivo para ver e conseguir.

    Mas, se for necessrio, um ideal para o qual eu estou

    preparado para morrer

    Nelson Mandela

  • RESUMO

    SANTOS RODRIGUES, Joo Jorge. Direito e Ao Afirmativa: polticas de ao afirmativa para afro-brasileiros. BRASLIA: UnB, 2005. 255p. (Dissertao - Mestre)

    O presente estudo tem como objetivo demonstrar a constitucionalidade da poltica de ao afirmativa para o ingresso de afro-brasileiros nas universidades, a partir da leitura constitucional do princpio da igualdade, dos tratados internacionais de direitos humanos e de uma srie de outros dispositivos constitucionais e infraconstitucionais, os quais no s amparam como tambm incentivam a adoo da medida. Tem em vista, a dvida histrica do Estado brasileiro com os negros e da necessidade do urgente engajamento de toda a sociedade na equalizao do problema das relaes raciais no Brasil.

    Palavras chave: Direito Constitucional. Ao Afirmativa. Igualdade. Discriminao

    racial. Racismo. Afro-brasileiros. Educao superior.

    Comit Orientador: Alejandra Pascual - UnB (Orientador).

  • ABSTRACT The present study it has as objective to demonstrate the constitutionality of the politics of affirmative action for the ingression of afro-Brazilians in the universities, from the constitutional reading of the principle of the equality, of the international treated ones to human rights and a series of other devices constitutional and infraconstitutional, which not only support as also they stimulate the adoption of the measure. It has in sight, the historical debt of the Brazilian State with the blacks and of the necessity of the urgent enrollment of all the society in the equalization of the problem of the racial relations in Brazil.

    Words key: Constitutional Right. Affirmative action. Equality. Racial discrimination. Racism. Afro-Brazilian. Superior education. Committee Orientador: Alejandra Pascual - UnB (Orientador).

  • SUMRIO

    INTRODUO .................................................................................................................. 23

    MANIFESTO PELA PAZ (Msica)...................................................................................29

    1. CAPTULO 1....................................................................................................................30

    1.1 Samba Rap (Msica) .............................................................................................. 31

    1.2 Introduo temtica da Discriminao Racial no direito no Brasil................ 32

    1.3 Conceitos e termos metodolgicos......................................................................... 32

    1.3.1 Raa ........................................................................................................... 33

    1.4 Discriminao Racial.............................................................................................. 35

    1.4.1 A discriminao racial direta ou indireta ................................................. 36

    1.5 Racismo.................................................................................................................... 41

    1.6 Formas de violncias na Discriminao Racial.................................................... 43

    1.7 As razes da discriminao racial, o colonialismo e a violncia da reproduo do sistema ................................................................... 45

    1.7.1 A teoria da assimilao na discriminao racial do Brasil Uma outra forma de violncia contra os afro-brasileiros ........................ 47

    1.8 As desigualdades raciais na educao no ensino superior .................................. 53

    2. CAPITULO II...................................................................................................................61

    2.1 Lutar Preciso (Msica).........................................................................................62

    2.2 Breve digresso do direito e as relaes raciais no Brasil................................... 64

    2.2.1 Brasil Colnia............................................................................................ 64

    2.2.2 Brasil Imprio - Discriminao Racial direta - Segregao Racial ......... 68

    2.2.3 A Escravido negra, obstculo codificao do Direito Civil no Brasil..73

    2.2.4 A Abolio gradual e lenta, a reforma sem mudanas.............................. 75

    2.2.5 A Abolio da Escravatura - Destino jurdico dos ex-escravos................ 76

    2.3 A Repblica, os afro-brasileiros e o acesso educao....................................... 79

    2.4 Da Constituio de 1988 aos dias atuais ............................................................... 85

    3. CAPITULO III.................................................................................................................88

    3.1 Evangelizao (Msica)...........................................................................................89

    3.2 Uma evoluo do direito: a reparao e a ao afirmativa..................................... 90

  • 3.3 A Constituio Federal do Brasil e as Aes afirmativas ................................... 96

    3.4 Opinies de juristas e polticos sobre as Aes afirmativas no Brasil ............. 100

    3.5 A implantao das Aes afirmativas de 1995 a 2005 O Protagonismo do movimento negro na construo dos novos Direitos ....... 104

    4. CAPITULO IV...............................................................................................................109

    4.1 Desabafo Olodum (Msica) ................................................................................ 110

    4.2 As Aes afirmativas nas Universidades pblicas do Brasil............................. 111

    4.2.1 O protagonismo negro no acesso educao superior .......................... 111

    4.3 O caso da UnB....................................................................................................... 118

    4.4 Os desdobramentos da ao afirmativa na UnB e o futuro destas polticas nas Universidades..................................................... 127

    5. CONCLUSES............................................................................................................. 133

    6. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS.........................................................................143

    7. ANEXOS E TEXTOS LEGAIS .................................................................................. 152

  • 23

    Esta dissertao expe sobre a Discriminao racial no Brasil e as polticas de ao

    afirmativa para o acesso ao ensino superior no mbito do Direito. A Discriminao racial no

    pas pode ser entendida quando se conhece seu desenvolvimento no plano legal ou jurdico

    em diferentes pocas, e quando se observa a forma pela qual o Direito interagia com a

    sociedade promovendo a desigualdade racial.

    A Discriminao racial e o racismo tiveram um crescimento constante e

    independentemente de regime poltico e de tipo de governo e de governante: Colnia,

    Imprio, Repblica, governadores gerais, imperadores, presidentes, todos mantiveram os

    estoques e os entulhos legislativos e judiciais das diferenas raciais construdos nos

    quinhentos e cinco anos do Brasil.

    Este trabalho discorre sobre as diferentes formas de discriminao legal praticada no

    pas, utilizando o conhecimento da Histria, da Sociologia e da Antropologia, alm das fontes

    primrias e secundrias do Direito, o que consolida nesta dissertao um carter

    interdisciplinar na abordagem do tema pesquisado.

    As fontes primrias utilizadas nesta dissertao foram as leis e normas do Brasil

    Imprio de 1822 a 1888 manuseadas no Centro de Documentao e Memria da Cmara dos

    Deputados Federal do Brasil em Braslia, enquanto as fontes secundrias foram as referncias

    bibliogrficas, stios de internet e entrevistas realizadas em Braslia com professores e

    estudantes da Unb e com personalidades do movimento negro.

    No primeiro captulo, esclarecem-se os termos conceituais, as referncias tericas

    utilizadas, baseadas nas idias de Ronald Dworkin1 sobre a igualdade e as aes afirmativas

    como polticas necessrias para uma sociedade, cuja virtude principal buscar a satisfao

    d...