unicentro 2010 objetiva

Download UNICENTRO 2010 objetiva

Post on 18-Dec-2014

5.945 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. INSTRUES Voc est recebendo do fiscal um Caderno de Questes com 03 (trs) temas de redaes e 30 (trinta) questes que compem a prova objetiva. Voc receber, tambm, a Folha de Respostas personalizada para transcrever as respostas da prova objetiva e verso definitiva da redao. ATENO 1- Confira seu nome, nmero de inscrio e assine no local indicado na capa. 2- Aguarde autorizao para abrir o caderno de provas. 3- A interpretao das questes parte do processo de avaliao, no sendo permitidas perguntas aos Fiscais. 4- Este caderno de provas contm questes objetivas, conforme o quadro abaixo, com 5 (cinco) alternativas cada uma, indicadas com as letras A, B, C, D e E, alm da Prova de Redao , que sero respondidas por todos os candidatos ao Concurso Vestibular. Prova de Lngua e Literatura 1 parte: Prova de Redao 2 parte: Lngua Portuguesa 01 15 questes Literatura 01 05 questes Lngua Estrangeira Moderna 01 10 questes de Ingls e 01 10 questes de Espanhol. 5- Responda somente s questes da lngua estrangeira escolhida no ato da inscrio. 6- Ao receber a folha de respostas, examine-a e verifique se os dados nela impressos correspondem aos seus. Caso haja alguma irregularidade, comunique-a imediatamente ao Fiscal.. 7- Transcreva para a folha de respostas o resultado que julgar correto em cada questo, preenchendo o crculo correspondente com caneta esferogrfica de tinta preta ou azul-escuro e assine no local apropriado. 8- Na folha de respostas, a marcao de mais de uma alternativa em uma mesma questo, bem como rasuras e preenchimento alm dos limites do crculo destinado para cada marcao anulam a questo. de sua inteira responsabilidade a transcrio de suas respostas. 9- No haver substituio, em hiptese alguma da folha de respostas. 10- No sero permitidas consultas, emprstimos e comunicao entre os candidatos, tampouco o uso de livros, apontamentos e equipamentos, eletrnicos ou no, inclusive relgios. O no cumprimento dessas exigncias implicar a excluso do candidato deste Processo Seletivo. 11- Ao concluir a prova, permanea em seu lugar e comunique ao Fiscal. Aguarde autorizao para devolver, em separado, a folha definitiva da redao, o caderno de provas e a folha de respostas, devidamente assinados. 12- Esta prova ter, no mximo, 4 horas de durao, incluindo o tempo destinado transcrio de suas respostas e elaborao da redao.
  • 2. REDAO 1- Para elaborar sua redao voc deve escolher um tema entre os trs apresentados. 2- Utilize o espao reservado ao rascunho para elaborar a sua redao. 3- Use somente caneta esferogrfica de tinta preta ou azul, ao transcrever o seu texto na folha de redao definitiva, e observe as instrues constantes neste caderno. 4- Confira os dados constantes no cabealho da folha de redao e assine-a no espao reservado para tal fim. 5- Considere que seu texto ser corrigido, observando-se os seguintes critrios: I- Ttulo II- Tema III- Coerncia IV- Tipologia textual V- Emprego da norma padro VI- Coeso. 6- Tero nota zero as redaes que: a) fugirem ao tema proposto no comando escolhido; b) no desenvolverem o tipo de texto proposto no comando escolhido; c) apresentarem acentuao desestruturao e/ou divagao (informaes soltas e desarticuladas) no desenvolvimento do tema e/ou se apresentarem com mais de 22 linhas ou com menos de 17 linhas. Sero desconsideradas as cpias do texto de comando; d) apresentarem qualquer identificao alm do texto, ou s suas margens, mesmo que seja a lpis; e) forem consideradas ilegveis ou desenvolvidas em forma de desenhos, nmeros, versos, espaamento excessivo entre letras, palavras e pargrafos, bem como desenvolvidas em cdigos alheios lngua portuguesa escrita; f) forem desenvolvidas a lpis ou a tinta em cor diferente de preta ou azul. 7- O ttulo do texto no pode estar includo no limite de linhas.
  • 3. REDAO RASCUNHO TEMA 1: Tetraplgico australiano ganha direito de morrer Paciente ganhou na Justia direito de recusar tratamento que o mantm vivo. Um australiano que ficou tetraplgico depois de ser atropelado por um carro ganhou, nesta sexta-feira, o direito de recusar tratamento e morrer em Perth, na Austrlia. A Suprema Corte do Oeste da Austrlia decidiu a favor de Christian Rossiter, de 49 anos, que pediu que fosse retirado o tubo que o alimenta, hidrata e o mantm vivo na Casa de Sade Brightwater. Em uma declarao lida na corte por sua advogada, Rossiter disse: "No consigo realizar nenhuma funo bsica. No consigo assoar meu nariz. No consigo secar as lgrimas dos meus olhos". Ele teria descrito sua situao como um "inferno em vida". A casa de sade consultou a Justia sobre as consequncias de suspender o tratamento, depois do pedido de Rossiter, que mantm suas faculdades mentais. A advogada do paciente argumentou que no h qualquer lei, ou precedente, que permita casa de sade ignorar o pedido de Rossiter. A deciso do juiz Wayne Martin, de que o paciente tem direito a recusar tratamento mdico, isenta a casa de sade de qualquer responsabilidade. Na Austrlia, ajudar algum a morrer crime e pode ser punido com priso perptua. A expectativa de que Rossiter morra dentro de uma ou duas semanas depois de retirado o tubo. Ele poder decidir recusar o tratamento quando quiser e tambm poder mudar de ideia a qualquer momento. Segundo a mdia local, Scott Blackwell - presidente de uma ONG sobre tratamentos paliativos no fim da vida na regio, (Palliative Care WA) - disse que a deciso foi "s e razovel". Segundo Blackwell teria dito imprensa, "este tipo de morte no envolve muita dor ou estresse, e o paciente morre lentamente, depois de entrar em coma". "As pessoas acham que uma pssima maneira de morrer, mas ela no envolve muito sofrimento, desde que as medidas paliativas apropriadas estejam em vigor para mant-lo confortvel", disse Blackwell. Disponvel em . Acesso em 20 ag 2009. Com base na leitura do texto e em outras de seu conhecimento, redija um texto dissertativo no qual voc exponha sua opinio a respeito do direito de morrer. TEMA 2: SP probe cigarros em ambientes fechados de uso coletivo No dia 7 de agosto, o Estado de So Paulo dar um importante passo em defesa da sade pblica. Com a entrada em vigor da nova legislao antifumo, fica proibido fumar em ambientes fechados de uso coletivo como bares, restaurantes, casas noturnas e outros estabelecimentos comerciais. Mesmo os fumdromos em ambientes de trabalho e as reas reservadas para fumantes em restaurantes ficam proibidas. A nova legislao estabelece ambientes 100% livres do tabaco. A medida acompanha uma tendncia internacional de restrio ao fumo, j adotada em cidades como Nova York, Londres, Paris e Buenos Aires. Inmeros estudos realizados comprovaram os males do cigarro no apenas para quem fuma, mas tambm para aqueles que se vem expostos fumaa do cigarro. principalmente a sade do fumante passivo que a nova lei busca proteger. Segundo dados da OMS (Organizao Mundial de Sade), o fumo passivo a terceira maior causa de mortes evitveis no mundo. A nova lei restringe, mas no probe o ato de fumar. O cigarro continua autorizado dentro das residncias, das vias pblicas e em reas ao ar livre. Estdios de futebol tambm esto liberados, assim como quartos de hotis e pousadas, desde que estejam ocupados por hspedes. A responsabilidade por garantir que os ambientes estejam livres de tabaco ser dos proprietrios dos estabelecimentos. Os fumantes no sero alvo da fiscalizao. Para evitar punies, os responsveis pelos estabelecimentos devem adotar algumas medidas. Entre elas, a fixao de cartazes alertando sobre a proibio, e a retirada dos cinzeiros das mesas de bares e restaurantes como forma de desestimular que cigarros sejam acesos. Devem, tambm, orientar seus clientes sobre a nova lei e pedir para que no fumem. Caso algum se recuse a apagar o cigarro, a presena da polcia poder ser solicitada. Em caso de desrespeito lei, o estabelecimento receber multa, que ser dobrada em caso de reincidncia. Se o estabelecimento for flagrado uma terceira vez, ser interditado por 48 horas. E, em caso de nova reincidncia, a interdio ser de 30 dias. Ao proibir que se fume em ambientes fechados de uso coletivo, a lei antifumo estabelece uma mudana de comportamento com reflexos diretos na sade pblica. Mudana que ser estimulada por campanhas educativas e fiscalizada pelo poder pblico. E que ter na colaborao da populao uma de suas principais armas. Disponvel em . Acesso em 20 ag 2009.
  • 4. Com base na leitura do texto e em outras de seu conhecimento, redija um texto dissertativo no qual voc exponha sua opinio