Um olhar para_as_altas_habilidades

Download Um olhar para_as_altas_habilidades

Post on 22-Nov-2014

6.940 views

Category:

Education

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um_Olhar_Para_As_Altas_habilidades

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Um olhar para as altas habilidades construindo caminhos </li> <li> 2. Governador do Estado de So Paulo Jos Serra Vice-Governador Alberto Goldman Secretria da Educao Maria Helena Guimares de Castro Secretria-Adjunta Iara Gloria Areias Prado Chefe de Gabinete Fernando Padula Coordenadora de Estudos e Normas Pedaggicas Valria de Souza Diretora do Centro de Apoio Pedaggico Especializado Maria Elizabete da Costa Presidente da Fundao para o Desenvolvimento da Educao Fbio Bonini Simes de Lima Secretaria da Educao do Estado de So Paulo Praa da Repblica, 53 01045-903 Centro So Paulo SP Telefone: (11) 3218-2000 www.educacao.sp.gov.br </li> <li> 3. Um olhar para as altas habilidades construindo caminhos Christina menna barreto Cupertino organizadora So Paulo, 2008 </li> <li> 4. esta publicao foi editada para atender aos objetivos do programa de Formao Continuada de educadores desenvolvido pelo Centro de apoio pedaggico especializado Cape. sua reproduo total ou parcial requer prvia autorizao da secretaria da educao do estado de so paulo. Catalogao na Fonte: Centro de Referncia em Educao Mario Covas S239o So Paulo (Estado) Secretaria da Educao. Um olhar para as altas habilidades: construindo caminhos/Secretaria da Educao, CENP/CAPE; organizao, Christina Menna Barreto Cupertino. So Paulo : FDE, 2008. 87 p. : il. Inclui bibliografia. Publicao que integra o Programa de Formao Continuada de Educadores, no Projeto Um olhar para as altas habilidades/superdotao, desenvolvido pelo Centro de Apoio Pedaggico Especializado - CAPE. 1. Educao especial 2. Pessoas com altas habilidades 3. Superdotados I. Cupertino, Christina Menna Barreto. II. Centro de Apoio Pedaggico Especializado (CAPE). III. Ttulo. CDU: 376.545 Rua Pensilvnia, 115 Brooklin/SP CEP: 04564-000 cape@edunet.sp.gov.br </li> <li> 5. Carta da SeCretria O modo como a sociedade tem olhado a superdotao tem sido sempre numa perspecti- va de privilgio e, invariavelmente, associando-a exclusivamente competncia acadmica. Desse ponto de vista, alunos com essas caractersticas dispensariam qualquer tipo especfico de atendimento. Esta leitura tem gerado situaes de segregao e/ou evaso escolar, inclusive com o encaminhamento desses alunos para os servios voltados deficincia cognitiva ou pro- blemas comportamentais. Os Parmetros Curriculares Nacionais, ao enfatizar a necessidade de respeito diversidade, fazem-no para evidenciar que as polticas pblicas tm de se opor fron- talmente quelas posturas. Nesse contexto, em relao aos alunos que apresentam altas ha- bilidades/superdotao, o respeito diversidade deve se concretizar em medidas que levem em conta no s suas capacidades intelectuais, mas tambm os seus interesses e motivaes. Nesse prisma, a Secretaria de Educao do Estado de So Paulo, por meio do Centro de Apoio Pedaggico Especializado CAPE , vem desenvolvendo aes com vistas capacita- o de profissionais sobre o tema altas habilidades/superdotao, desde 2002. Em 2005, estas iniciativas ganharam fora com a implantao do Ncleo de Atividades de Altas Habilidades/ Superdotao (NAAH/S), proposto pelo MEC e redimensionado de acordo com as peculiarida- des deste Estado. Dessa forma, a formao continuada dos profissionais da rede estadual foi intensificada, tanto de forma centralizada quanto descentralizada, oferecendo subsdios e re- cursos que propiciassem o suporte e a orientao para o atendimento daqueles alunos, como, por exemplo, o enriquecimento curricular. O fruto desse intenso trabalho materializa-se nesta publicao, que tem o intuito de dis- seminar as experincias de sucesso apontando os primeiros resultados do Projeto Um olhar para as altas habilidades/superdotao, cujo maior objetivo a garantia de uma educao de qualidade para os alunos que apresentam altas habilidades/superdotao matriculados na rede paulista de ensino. Um grande abrao e bom trabalho! maria helena Guimares de Castro secretria da educao do estado de so paulo </li> <li> 6. apreSentao Esta publicao tem como objetivo oferecer informaes, exemplos, dvidas e suges- tes sobre como implantar atividades para a identificao e o atendimento de alunos com altas habilidades, considerando as especificidades do Estado de So Paulo, e o tamanho de sua rede pblica estadual. Ela o resultado do trabalho de capacitao desenvolvido no CAPE, a partir de uma posio deliberada com relao sistemtica de implantao do atendimento s Pessoas com Altas Habilidades (PAH) no Estado de So Paulo. Essa posio vem obedecendo op- o por capacitar, inicialmente, os profissionais das muitas Diretorias do Estado, no senti- do de multiplicar, em suas regies, as aes necessrias identificao e ao atendimento, nas prprias comunidades, dos alunos com altas habilidades. Essa deciso permitiu dar a partida a um processo que vem indicando direcionamentos posteriores, que levam em conta as dimenses do estado e a variedade de comunidades a serem atendidas, favore- cendo a formao continuada do professor. O plano de ao para implantao do projeto baseou-se na realizao de Orientaes Tcnicas Centralizadas, dirigidas s equipes das Diretorias de Ensino que, por sua vez, re- passaram as orientaes recebidas em encontros regionais com pblico-alvo a ser definido de acordo com a demanda de cada regio. O pano de fundo desse plano de ao foi dar subsdios aos participantes para que, alm de adquirir conhecimento sobre o tema, viven- ciassem nos encontros situaes concretas trazidas por eles, a partir de seus contextos de origem, de forma que adquirissem autonomia para tomar as decises necessrias em suas regies. A inteno foi promover intensa discusso de casos, abordando e debatendo a maior variedade possvel de opes e alternativas, enfatizando a pertinncia de aes compatveis com os recursos e possibilidades de cada comunidade ou rea de atendimen- to, favorecendo o estabelecimento de redes. com essa mesma inteno que foi idealizada essa publicao: a de dar a ver esse movimento, e de ampli-lo, mostrando a riqueza e a variedade de situaes trazidas e dis- cutidas, de modo que permita que o professor-leitor as aproveite nas situaes de seu co- </li> <li> 7. tidiano. Considerando que enfim e felizmente j existe material bibliogrfico extenso e atual sobre o tema, no a inteno aqui repetir, exaustivamente e no mesmo formato, tpicos que podem ser encontrados em outras publicaes. Pretendemos, ao invs disso, direcionar o leitor para elas, e para muitas outras fontes de conhecimento e reflexo, tal como foi feito nos relatos de situaes concretas e do que podemos chamar de dvidas mais freqentes, que vm sendo apresentadas e discutidas pelos participantes desse processo de instituio de um novo olhar para as altas habilidades, desde que comeou. As respostas a essas dvidas e a apresentao dos exemplos trazidos para a capacitao tm a inteno de concretizar experincias vividas dentro da caleidoscpica variedade de situaes e contextos existentes na rede estadual de ensino, permitindo ao leitor fazer as passagens necessrias para sua prpria situao ou contexto. Mais que frmulas e recei- tas, o relato que se segue sugere o estabelecimento de analogias, uma vez que Educao e relaes humanas no so passveis de ser entendidas e postas em prtica atravs de frmulas prontas. </li> <li> 8. Sumrio por que eSSe aSSunto, agora? 10 por que a eduCao eSpeCial doS talentoS neCeSSria? 13 para que dizer que algum tem altaS habilidadeS? 14 o que So aS altaS habilidadeS? 15 Como Se moStra a aSSinCronia CaraCterStiCa daS altaS habilidadeS? 20 quo alta tem que Ser a habilidade? 22 que reCurSoS exiStem para identifiCar aS peSSoaS Com altaS habilidadeS? 24 o que intelignCia? 27 o que medem oS teSteS de intelignCia? 28 exiStem outraS formaS de definir a intelignCia? 30 quaiS So aS CaraCterStiCaS de uma peSSoa Com altaS habilidadeS? 34 quem pode fazer a identifiCao? 38 h riSCoS neSSa identifiCao? 40 que CuidadoS So neCeSSrioS na identifiCao e no enCaminhamento da peSSoa Com altaS habilidadeS? 42 o que fazer Com o aluno que tem altaS habilidadeS? 44 quaiS So aS melhoreS formaS de atender S peSSoaS Com altaS habilidadeS? 46 o que So oS agrupamentoS? 48 o que aCelerao? 50 o que enriqueCimento? 52 </li> <li> 9. h outraS maneiraS de atender S neCeSSidadeS daS peSSoaS Com altaS habilidadeS? 54 o que poSSVel fazer fora do enquadramento CurriCular? 56 o que diSSo J exiSte? 58 o que ViVel deSenVolVer? 62 quaiS aS prinCipaiS difiCuldadeS enContradaS hoJe em dia para implantar SerVioS para alunoS Com altaS habilidadeS? 64 o que diz a legiSlao Sobre o que Se pode fazer Com o aluno Com altaS habilidadeS? 66 qual a Situao atual da legiSlao braSileira? * 68 Como podem Ser eStruturadaS aS atiVidadeS para alunoS Com altaS habilidadeS? 70 o profeSSor de um aluno Com altaS habilidadeS tambm tem que ter aS meSmaS habilidadeS? 78 Como lidar Com oS limiteS no CaSo doS alunoS Com altaS habilidadeS? 80 refernCiaS bibliogrfiCaS 86 linKS 87 * resposta elaborada por denise roCha belFort arantes entenda oS ConeS curiosidade recado exemplo pesquisa sugesto recente Felipe Briane dos Santos, 3a srie do EM EE Profo Plnio Berardo Diretoria de Ensino Regio de Sertozinho </li> <li> 10. um olhar para aS altaS habilidadeS: ConStruindo CaminhoS 9 </li> <li> 11. um olhar para aS altaS habilidadeS: ConStruindo CaminhoS por qUe esse assUnto, aGora? O interesse pelo tema das altas habilidades no uma coisa nova. Nem no Brasil, nem no mundo. No entanto, em 1998, entre ns ainda se podia perguntar: sUperdotao: a diFerena invisvel? Diferentemente da maioria dos pases do mundo, a superdotao no Brasil predominantemente ignorada, quando se trata da prtica educacional. rgos encarregados do...</li></ul>