um olhar cr­tico- memorial

Download Um Olhar Cr­tico- Memorial

Post on 07-Jul-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 8/18/2019 Um Olhar Crítico- Memorial

    1/21

    Um olhar crítico-refexivo sobre a práxis pedagógica compartilhada entre Coordenação Pedagógica e Educação ísica numa escola aprendente

    Una mirada crítico-refexiva sobre la praxis pedagógica compartida entre

    la Coordinación Pedagógica ! la Educación ísica en una escuela aprendente

    " critical-refective about the pedagogical practice shared bet#een

    Pedagogical Coordination and Ph!sical Education in a school learner

    Pro$% Especialista área Educação ísica pelo CE &'U ()

    *+rasil,

    ilton Ce.ar /odrigues )ene.es

    lu.hinn0hotmail%com%br

    /esumo

  • 8/18/2019 Um Olhar Crítico- Memorial

    2/21

    " organi.ação escolar aprendente vem se constituindo num dos mais interessantes temas de refexão na área de educação% +usca-se1 sobretudo no 2mbito das id3ias1 superar a dis4unção entre as dimens5es 6ue constituem o ser humano e suas organi.aç5es e a infu7ncia advinda do paradigma mecanicista% 8are$a árdua1 6ue em nossa interpretação1 ainda não estreitou a relação teoria-prática% esse sentido1 o intento 3 um 9olhar: sobre a construção de uma proposta pedagógica compartilhada entre Coordenação Pedagógica e Educação ísica 6ue contemple as várias dimens5es da organi.ação escolar no sentido de aprend7ncia compartilhada1 ou se4a1 a sua unidade% &esde há muito tempo se instaurou uma crise de identidade na educação e nos seus estabelecimentos de ensino1 a problemática da organi.ação está entre os temas de discussão dos autores 6ue buscam refetir e propor uma mudança1 trans$ormação na organi.ação escolar não limitada aos princípios de um paradigma tecnicista

    e mecanicista% "s discuss5es envolvendo essa temática ense4am umcon4unto de perspectivas teóricas 6ue ob4etivam restabelecer a relação entre organi.ação e aprend7ncia% Entende-se desta $orma1 6ue a emerg7ncia do tema apresenta-se como proposta para a superação da visão mecanicista $ragmentadora do princípio da unidade da organi.ação escolar% ; movimento1 neste sentido1 passa a ser refetido numa visão 6ue considera as complexidades e o todo como dimens5es indissociáveis constituintes da unidade complexa% o sentido de contribuir com novos rumos nesta temática1 este trabalho tem o ob4etivo de apresentar um olhar crítico- refexivo sobre a práxis pedagógica compartilhada entre Coordenação Pedagógica e Educação ísica numa escola aprendente% este estudo

    prop5e-se a elaboração de refex5es na construção de pontes 6uepossibilitem a comunicação entre as várias áreas do conhecimento1 permitindo-nos uma visão complexa 6ue se prop5e a compreender a relação entre o todo e as partes 6ue constituem uma organi.ação escolar aprendente sem a pretensão de esgotar o entendimento das partes% " construção teórica 6ue empreende-se neste estudo explora o re$erido tema%

    ela imbuí-se do dese4o de 6ue1 atrav3s dessa relação1 se estabeleça um canal de diálogo 6ue auxilie no desenvolvimento de práticas e refex5es 6ue nos condu.am < concreti.ação de uma proposta educativa signi=cativa e trans$ormadora%

    Unitermos> Escola aprendente% Coordenação Pedagógica% Educação ísica%

    "bstract

  • 8/18/2019 Um Olhar Crítico- Memorial

    3/21

    8he school organi.ation learner is becoming one o$ the most interesting topics o$ discussion in education% "im1 especiall! in the realm o$ ideas1 overcoming the dis4unction bet#een the dimensions that constitute the human being and their organi.ations and the infuence stemming $rom the mechanistic paradigm% "rduous tas?1 #hich in our interpretation1 has not

    narro#ed the relation bet#een theor! and practice% @n this sense1 the intentis a Aloo?A about building a pedagogical shared Pedagogical Coordination and Ph!sical Education that addresses the various dimensions o$ school organi.ation in the sense o$ shared aprend7ncia1 or !our drive% (ince it has long been established an identit! crisis in education and in their schools1 issues o$ #or? organi.ation is among the topics o$ discussion that the authors see? to refect and propose a change1 change in school organi.ation is not limited to the principles o$ a paradigm technicist and mechanistic% 8he discussions surrounding this topic teach a set o$ theoretical perspectives that aim to restore the relationship bet#een organi.ation and aprend7ncia% @t is understood this #a!1 the emergence o$ the theme is presented as a proposal $or overcoming the $ragmenting mechanistic vie# o$ the principle o$ unit! o$ the school organi.ation% 8he movement in this sense becomes refected a vie# that sees all the complexities and dimensions as inseparable constituents o$ the complex unit% @n order to contribute to ne# directions in this issue1 this paper aims to present a critical and refective about the pedagogical practice shared bet#een Pedagogical Coordination and Ph!sical Education in a school learner% 8his stud! proposes the development o$ ideas in the construction o$ bridges that allo# communication bet#een the various areas o$ ?no#ledge1 allo#ing us a complex vision that aims to understand the relationship bet#een the #hole and the parts that ma?e up a school organi.ation #ithout learner intend to exhaust the understanding o$ the parties% 8he theoretical construct that engages in this stud! that explores the theme% @mbue it is the desire that1 through this relationship1 to establish a communication channel to assist in the development o$ practices and refections that #ill lead us to achieving a signi=cant and trans$ormative educational proposal

    Be!#ords> (chool learner% Pedagogical Coordination% Ph!sical Education%

    E &eportes%com1 /evista &igital% +uenos "ires1 " o D 1 F D D1 "gosto de GHDG% http>''###%e$deportes%com

    D ' D

    D% @ntrodução

  • 8/18/2019 Um Olhar Crítico- Memorial

    4/21

    D%D% Iusti=cativa e import2ncia do estudo

    " escola 6ue possa aprender tornou-se cada ve. mais evidente naJltima d3cada% Com e$eito1 claro está 6ue escolas podem ser recriadas1 vitali.adas e renovadas de $orma sustentável1 não por decreto ou ordem1 tampouco por =scali.ação1 mas pela adoção de uma proposta de orientação aprendente% @sso signi=ca envolver todos do sistema escolar em expressar suas aspiraç5es1 construir sua consci7ncia e desenvolver capacidade 4untos% Em uma escola 6ue aprende pessoas 6ue tradicionalmente não con=am umas nas outras1 ou se4a1 pais e pro$essores1 educadores e empresários locais1 administradores e sindicalistas1 pessoas de dentro e de $ora dos muros da escola1 estudantes e adultos assim1 reconhecem sua parte no $uturo do sistema escolar e as coisas 6ue podem aprender uns com os

    outros%

    a abordagem da 9organi.ação aprendente: < educação 3 mais do 6ue apenas um imperativo de trabalhar e conversar 4untos% Esta abordagem repercute bem entre os educadores1 isto por causa da premissa sub4acente da aprendi.agem organi.acional de 6ue pessoas podem con4ugar suas aspiraç5es com melhor desempenho em longo pra.o% &esta $orma1 os resultados dos es$orços da organi.ação aprendente incluem de maneira mais importante1 descobertas de ensinantes e aprendentes% 8anto 6ue leva os 6ue a ela aderirem a compartilhar do 6ue há de mais humano no homem1 a capacidade de refetir% Com e$eito1 logo vem a pergunta> como isto 3 reali.adoK "ssim se delineia um desa=o práxico 6ue a escola aprendente então1 gera> o desa=o de colocar-se diante de $erramentas pedagógicas da educação1 investigando de e sobre a instituição de modo 6ue se mant3m a depend7ncia descritiva1 mas como base sobre a 6ual se interpreta%

    &esta maneira1 assim con=rmando 6ue a dupla vertente de pensamento e de ação1 bem como a =nalidade conscienti.adora e dial3tica da investigação sobre o con4unto dos $enLmenos educativos con$erem <

    investigação uma intencionalidade da etimologia> a interpretação e a crítica%Portanto1 numa atitude crítico-refexiva 6ue viabili.e a converg7ncia entre o refetir e o agir conscientes de $orma compartilhada de escola aprendente numa proposta como $orma de estudar as práticas pedagógicas% E assim acreditar 6ue um pensamento crítico-refexivo1 mediante o resultado de um olhar 6uali=cado pela experi7ncia direta do terreno1 in$ormado e refetido provoca a visibilidade das complexidades das mudanças e aprend7ncia%

    este contexto de aprend7ncia tendo como $ulcro o seu lócus como organi.ação aprendente chega-se ao seguinte 6uestionamento> Como uma

    práxis pedagógica compartilhada entre Coordenador Pedagógico e Pro$essorde Educação ísica contribui no contexto dMuma escola 6ue aprendeK

  • 8/18/2019 Um Olhar Crítico- Memorial

    5/21

    ;b4etiva-se1 portanto1 situar e apontar atrav3s de um relato tendo como instrumentos de análise e refex5es1 assim tornando visíveis os caminhos percorridos pelo Coordenador Pedagógico e pelo Pro$essor de Educação

    ísica mediante uma práxis pedagógica compartilhada num contexto escolar aprendente sob um 9olhar: crítico-refexivo%

    &e $ato1 neste ob4etivo proposto de educação1 sobretudo por recusar 6ual6uer possibilidade de arran4o de nature.a experimental1 e por1 ao inv3s1 estudar os su4eitos nos seus ambientes naturais1 pode constituir-se numa $erramenta poderosíssima para a compreensão desses intensos e complexos diálogos intersub4etivos 6ue são as práticas pedagógicas%

    Um diálogo intersub4etivo1 o 6ue decorre entre os atores 6ue povoam um contexto escolar1 e narrado 9de dentro:1 como se $osse por algu3m 6ue se torna tamb3m ator para $alar como um deles% "ssim1 o trabalho de campo