um estudo sobre a desonera†ƒo da folha de madalena c³rdova...  um estudo sobre...

Download UM ESTUDO SOBRE A DESONERA‡ƒO DA FOLHA DE Madalena C³rdova...  UM ESTUDO SOBRE A DESONERA‡ƒO

Post on 01-Jan-2019

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC

CURSO DE CINCIAS CONTBEIS

MARIA MADALENA CRDOVA GOULART

UM ESTUDO SOBRE A DESONERAO DA FOLHA DE PAGAMENTO COM BASE NA LEI N 12.546/2011

CRICIMA 2012

2

MARIA MADALENA CRDOVA GOULART

UM ESTUDO SOBRE A DESONERAO DA FOLHA DE PAGAMENTO COM BASE NA LEI N 12.546/2011

Trabalho de Concluso do Curso, apresentado para obteno do grau de Bacharel no curso de Cincias Contbeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.

Orientador: Prof. Andr Corra Bianchini Ges

CRICIMA 2012

3

MARIA MADALENA CRDOVA GOULART

UM ESTUDO SOBRE A DESONERAO DA FOLHA DE

PAGAMENTO COM BASE NA LEI N 12.546/2011

Trabalho de Concluso de Curso, aprovado pela banca Examinadora para obteno de grau de grau de Bacharel no curso de Cincias Contbeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, com linha de pesquisa em Contabilidade Tributria.

CRICIMA, 17 DE DEZEMBRO DE 2012.

BANCA EXAMINADORA

Andr Corra Bianchini Ges, Professor Esp., Orientador

Adilson Pagani, Professor Mestre, Examinador

Tiago Stock, Professor Especialista, Examinador

4

AGRADECIMENTOS

Agradeo primeiramente a Deus que o Autor da minha vida, o meu

refgio, o meu socorro e o meu bem maior.

Agradeo ao meu esposo,Rodrigo Goulart, por seu amor, compreenso,

apoio e confiana depositados. Ao meu filho Benjamin, que me faz sorrir todos os

dias e com seus gestos me mostra o que essencial.

Agradeo a minha me, Ana Maria Crdova pela constante lio de vida e

exemplo de perseverana. Aos meus irmos que esto sempre dispostos a ajudar.

Meus sinceros agradecimentos a todos os professores, principalmente ao

meu orientador, professor Andr C. B. Ges por sua dedicao e compreenso e por

compartilhar o seu conhecimento.

Aos amigos pela compreenso e palavras de encorajamento.

A todos que direta ou indiretamente me ajudaram a seguir em frente a

acreditar que tudo vale a pena.

5

Enquanto houver neste pas um s homem sem trabalho, sem po, sem teto e sem letras, toda a prosperidade ser falsa.Tancredo Neves

6

RESUMO

GOULART, Maria Madalena Crdova. Um estudo sobre a desonerao da folha de pagamento com base na Lei n 12.546/2011. 2012. Xx p. Orientador: Prof. Dr. Andr de Goes. Trabalho de Concluso do Curso de Cincias Contbeis. Universidade do Extremo Sul Catarinense UNESC. Cricima SC.

O estudo a seguir faz uma incurso acerca do sistema previdencirio brasileiro, inclusive sua razes, objetivos e benefcios; estabelecendo seus princpios j previstos na Constituio Federal de 1988.Ressalta os contribuintes que financiam a seguridade social, como empregados e empregadores, conforme alquotas definidas em lei. O custeio da Previdncia Social gera benefcios aos seus contribuintes, para que no fiquem desamparados quando no puder mais exercer suas atividades com vigor.Com essa base conceitual pode-se adentrar ao assunto que tema deste trabalho. Ser examinada a questo da Lei 12.546/2011 que se faz uma proposta basicamente contraditria, ou seja, reduzir o valor da contribuio previdenciria de alguns seguimentos para com isso alcanara economia pela reduo dos custos trabalhistas, ao mesmo tempo no reduzir os benefcios e garantias constitucionais dos empregados. Esse um dos objetivos estabelecidos pelo governo, a fim de incentivar a contratao de mo de obra pela CLT, maior investimento das empresas da sua atividade, com a viso de aumentar o PIB brasileiro, alavancando a economia do pas. Para tanto o trabalho se situa num seguimento que possui muita mo de obra e ao mesmo tempo um faturamento alto, como o transporte de cargas. Assim entende-se que mesmo direcionado a um nico seguimento, pode dar a base contbil para diversas empresas avaliarem os benefcios da nova lei.

Palavras-Chave: Previdncia Social, Contribuies P revidencirias e Lei 12.546/2011.

7

LISTA DE ILUSTRAES

Figura 1: Smbolo da Previdncia Social. .................................................................. 17

Figura 2: Organograma do Ministrio da Previdncia Social. ................................... 25

Figura 3: Caminho Transal. ..................................................................................... 48

Figura 4: Matriz Transal em Morro da Fumaa - SC. ................................................ 49

Figura 5: Filial de Joinville-SC. .................................................................................. 50

Figura 6: Filial de Palhoa-SC. .................................................................................. 50

Figura 7: Filial de Guarulhos-SC. .............................................................................. 50

Figura 8: Filial de Colombo - PR. .............................................................................. 50

Figura 10: Filial de Bento Gonalves-RS. ................................................................. 50

Figura 9: Filial de Cachoeirinha-RS. .......................................................................... 50

8

LISTAS DE TABELAS

Tabela 1: Principais acontecimentos sobre a Seguridade Social. ............................. 24

Tabela 2: Perodo de Carncia dos Benefcios Previdencirios. ............................... 28

Tabela 3: Contribuio de Empregados, domsticos e trabalhador avulso. .............. 29

Tabela 4: Contribuio de contribuintes individuais e facultativos. ............................ 30

Tabela 5: Atividades da Lei 12.546/11 (Converso da MP 540/11). ......................... 42

Tabela 6: Atividades da alterao MP 563/12. .......................................................... 43

Tabela 7: Clculo da Contribuio Previdenciria - Servios. ................................... 44

Tabela 8: Clculo da Contribuio Previdenciria - Indstrias. ................................. 45

Tabela 9: Dados da Folha de Pagamento Transal. ................................................... 52

Tabela 10: Dados de Empregados e Contribuintes Transal. ..................................... 52

Tabela 11: Clculo CPP Lucro Presumido. ............................................................... 53

Tabela 12: Clculo CPP sobre o faturamento. .......................................................... 54

9

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

Art. Artigo

BFC Benefcio de Prestao Continuada

CF ConstituioFederal

CLT Consolidao das Leis do Trabalho

CODAC - Coordenadoria-Geral de Arrecadao e Cobrana

COFINS Contribuio para o Financiamento da Seguridade Social

CTN Cdigo Tributrio Nacional

CPP Contribuio Previdenciria Patronal

CSLL Contribuio Social sobre o Lucro Lquido

DARF Documento de Arrecadao da Receita Federal

DOU Dirio Oficial da Unio

FAP Fator Acidentrio de Preveno

FGTS Fundo de Garantia por Tempo de servio

GFIP - Guia de Recolhimento do FGTS e Informaes a Previdncia

IBPT Instituto Brasileiro de Planejamento Tributrio

ICMS Imposto sobre Circulao de Mercadorias e Servios de Transporte e Comunicao

INSS Instituto Nacional de Seguridade Social

IPI Imposto sobre Produtos Industrializados

IR Imposto de Renda

IRPJ Imposto de Renda Pessoa Jurdica

LALUR Livro de Apurao do Lucro Real

LC Lei Complementar

MP Medida Provisria

MPAS Ministrio da Previdncia e Assistncia Social

PASEP Programa de Formao do Patrimnio do Servidor Pblico

PIB Produto Interno Bruto

PIS Programa de Integrao Social

PLV Projeto de Lei de Converso

10

PS Previdncia Social

RAT Risco Acidente de Trabalho

RIR Regulamento do Imposto de Renda

ROCSS Regulamento da Organizao e Custeio da Seguridade Social

SEFIP Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informaes a Previdncia Social

SRF Secretaria da receita Federal

TI Tecnologia e Informao

TIC Tecnologia, Informao e Comunicao

TIPI Tabela do IPI

11

SUMRIO

1 INTRODUO ................................................................................................... 13

1.1 Tema e Problema ............................... ............................................................... 13

1.2 Objetivo Geral ................................ ................................................................... 14

1.3 Objetivos Especficos ......................... .............................................................. 14

1.4 Justificativa ................................. ...................................................................... 14

1.5 Metodologia ................................... .................................................................... 15

2 FUNDAMENTAO TERICA ........................... .............................................. 17

2.1 Previdncia Social ............................ ................................................................. 17

2.1.1 Conceito sobre Previdncia Social ........... .................................................... 18

2.1.2 Princpios Constitucionais .................. .......................................................... 19

2.1.3 Evoluo Histrica da Previdncia Social no B rasil ................................... 21

2.1.4 Composio da Previdncia Social ............ .....