ufpa 2010 - objetiva

Download UFPA 2010 - objetiva

Post on 24-May-2015

8.373 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. SERVIO PBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARCENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS EDITAL N. 1/20091 FASE 22 de novembro de 2009 NOME DO(A) CANDIDATO(A) N. DE INSCRIO BOLETIM DE QUESTESLEIA COM MUITA ATENO AS INSTRUES SEGUINTES. 1Este BOLETIM DE QUESTES contm 55 questes objetivas, sendo 5 questes de cada uma das seguintes disciplinas: ESLngua Portuguesa, Matemtica, Histria, Geografia, Fsica, Qumica, Biologia, Literatura, Filosofia, Sociologia e a Lngua Literatura,Estrangeira escolhida pelo(a) candidato(a).(a) 2Cada questo objetiva apresenta cinco opes de resposta, identificadas com as letras (A) (B), (C), (D) e (E). Apenas(A),uma responde adequadamente questo questo. 3Esta prova est redigida conforme o Acordo Ortogrfico da Lngua Portuguesa ((1990). 4Confira se, alm deste BOLETIM DE QUESTES, voc recebeu o CARTO RESPOSTA destinado marcao das CARTO-RESPOSTArespostas das questes objetivas. 5Verifique se o seu nome e o nmero de sua inscrio conferem com os dados contidos no CARTOCARTO-RESPOSTA. Emcaso de divergncia, notifique imediatamente o fiscal de sala.otifique 6Aps a conferncia, assine seu nome no espao prprio do CARTO CARTO-RESPOSTA. 7Confira se a prova est completa e sem falhas. Caso exista algum problema, comunique imediatamente ao fiscal de comunique-osala. 8A marcao do CARTO-RESPOSTA deve ser feita com caneta esferogrfica de tinta preta ou azul. RESPOSTA 9No dobre, no amasse, no rasure nem manche o CARTO-RESPOSTA, bem como no faa qualquer registro fora dos eRESPOSTA,locais destinados s respostas. O carto somente poder ser substitudo caso contenha falha de impresso e/ou se osdados nele contidos no corresponderem aos seus. 10 Quando terminar a prova, entregue ao fiscal de sala este BOLETIM DE QUESTES e o CARTO CARTO-RESPOSTA e assine aLISTA DE PRESENA. Sua assinatur deve corresponder quela que consta no seu documento de identificao. . assinatura 11 O tempo disponvel para esta prova de cinco horas, com incio s 8 horas e trmino s 13 horas, observado o horriode Belm/PA. 12 Reserve os 30 minutos finais para marcar seu CARTO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcaes assinaladas noRESPOSTA.BOLETIM DE QUESTES no sero considerados na avaliao.

2. PROCESSO SELETIVO SERIADO 20 1 FASE2010EDITAL N. 1/2009 MARQUE A NICA ALTERNATIVA CORRETA NAS QUESTES DE 1 A 55. ALTERNATIVA LNGUA PORTUGUESA Leia o texto abaixo para responder s questes de 1 a 5.PAU NELES, COMPADRE!01 Vocs, que continuam com viso romntica do homem (atualmente chamado de ser humano 02 como se fosse! por imposio feminista), tirem o cavalinho idiota da chuva. Repito Repito-me: o ser humano 03 um animal invivel. Em bando ento, em grupo, em congresso, em Congresso, na assim dita coletividade, Congresso, 04 a guerra certa, escravizar o irmo tentao irresistvel, o assalto ao mais fraco compulsivo. A milcia 05 protetora cria o milico e feroz. A mais famosa fraternidade ainda a de Caim. 06A generosidade dura apenas se o tempo do primitivismo. At o paleoltico o pitecantropo s 07 podia ser comunista. A carne apodrecia rapidamente (cheirava mal) e reparti reparti-la era inevitvel. No 08 neoltico, quando se inventaram os vasilhames, o comunismo foi pro brejo, imenso, na poca. 09 Deem uma leiturinha na histria, desde os horrores da Mesopotmia ressuscitados hoje, 10 brilhantemente, por Saddam e Bush , passando pela Grcia de sangueiras e traies transformadas em, 11 glria e mito pelo talento homrico, passem pela impertrrita Inglaterra, cuja revoluo industrial se omrico, 12 alicerou no trfico de escravos e no sangue (muito de nosso ouro, via Portugal). E nos Estados Unidos, 13 esse gigante democrtico, como foi? Perguntem a Bfalo Bill e ao general Custer, se no querem 14 perguntar aos mexicanos. Ah, no se esqueam de Hiroshima e Nagasaki. A Espanha, Deus do cu!; as 15 touradas so apenas jogos infantis diante de sua colonizao (Montezuma que o diga) nos quatro ou 16 cinco cantos do mundo. E no vamos esquecer da Inquisio, Santa, alis. A Holanda s no tem diques 17 contra a prpria e permanente cupidez. A Alemanha, pra s falar nos tempos atuais, inventou os campos 18 de concentrao, adotados rapidamente em todo o mundo democrtico. Mas a revelao dos campos de 19 concentrao um fato ps-guerra. Se os alemes tivessem vencido, isso jamais apareceria e vocs iam erra. 20 ficar estarrecidos com os horrores praticados pelos nossos. Na Rssia de sempiterna crueldade, 21 o homem sempre foi o lobo da estepe do homem. Quantas pessoas Stalin matou: dez, vinte, trinta, 22 quarenta milhes? E os tzares? Foram uns quer querubins? 23Dinamarca, os ingleses primitivos que o digam, Etipia, onde h pouco mais de vinte anos os 24 marxistas acabaram com uma das mais antigas aristocracias do mundo, Egito, aquele, dos farafaras, frica 25 do Sul, aquela, do Apartheid. E desam pela AAmrica Central, revejam Incas, Maias, Astecas e constatemaias, 26 que esses povos, quando no estavam sendo violentados pelos europeus, estavam praticando as suas 27 prprias barbaridades diuturnas em forma at de ritual sagrado. De violncia em violncia cheguem ao 28 Brasil, esse osis, ainda residncia do homem cordial, atualmente ptria do bom selvagem, que vende as 29 matas aos madeireiros, explora os companheiros e, de vez em quando, como lazer, violenta uma branbranca 30 distrada. No passado no foi pior apenas por incompetncia s inventou bordunas. Mas pra que 31 servem bordunas? Pra dar bordunadas. 32Aos que acham que a violncia de nosso tempo maior do que jamais foi, devido ao excesso de 33 populao, estou parcialmente de acordo com eles. No s o excesso, a concentrao. Noutro dia fui te 34 andar na Avenida Copacabana e toda a superpopulao estava na rua. 35E s existe um controle populacional infalvel a prosperidade. Portanto temos que acabar com a 36 pobreza, de preferncia eliminando os pobres. Pobre transa demais, gente.erncia(Millr Fernandes, Veja, 2 de setembro de 2009, p.39) , PSS 2010 2PSS 2010 3. PROCESSO SELETIVO SERIADO 20 1 FASE 2010 EDITAL N. 1/2009Questo 1Questo 4Em relao ideia central defendida no texto corretoiaAo expor suas ideias sobre a natureza pouco fraternaafirmar que do ser humano, o autor apresenta um parodoxo em(A) o homem um ser de natureza violenta. (A) Vocs, que continuam com viso romntica dohomem (atualmente chamado de ser humano (B) o homem violento apenas quando est emcomo se fosse! por imposio feminista), tirem o bando.cavalinho idiota da chuva. (linhas 01 e 02) (C) o homem primitivo sempre foi comunista.(B) [...] o comunismo foi pro brejo, imenso, na (D) todas as mulheres tm uma viso romntica do poca. (linha 08) homem.(C) [...] o homem sempre foi o lobo da estepe do (E) Caim foi o modelo de ser humano fraterno.homem. (linha 21)(D) De violncia em violncia cheguem ao Brasil [ [...]atualmente ptria do bom selvagem, que vendeQuesto 2 as matas aos madeireiros, explora oscompanheiros e, de vez em quando, como lazer,O terceiro e o quarto pargrafos (linhas 09 a 31),violenta uma branca distrada. (linhas 27 a 30)seguindo a proposta do autor aos leitores de daremuma leiturinha na histria , apresentamapresentam-se expostos(E)Noutro dia fui andar na Avenida Copacabana eem uma estrutura de segmentos predominantemente toda a superpopulao estava na rua. (linhas 33e 34) (A) narrativos, com passagens descritivas, que , funcionam como argumentos no texto.o (B) dissertativos, com fatos que funcionam como,Questo 5 argumentos no texto.A respeito do aumento da violncia, no trecho (C) narrativos, com passagens descritivas, que , funcionam ora como argumentos, ora como Aos que acham que a violncia de nosso tempo Aos contra-argumentos no texto. maior do que jamais foi, devido ao excesso de (D) narrativos, com passagens descritivas, que no , populao, estou parcialmente de acordo com eles. funcionam como argumentos no texto. No s o excesso, a concentrao. Noutro dia fui andar na Avenida Copacabana e toda a (E) descritivos, com fatos que funcionam como,superpopulao estava na rua. contra-argumentos no texto. E s existe um controle populacional infalvel a prosperidade. Portanto temos que acabar com aosperidade. pobreza, de preferncia eliminando os pobres. PobreQuesto 3transa demais, gente. (linhas 3 a 36)32 No trecho o posicionamento do autor de que A Alemanha, pra s falar nos tempos atuais,(A) a violncia, atualmente, aumentou porque osinventou os campos de concentrao, adotadospobresse concentraramnas ruasderapidamente em todo o mundo democrtico. Mas aCopacabana.revelao dos campos de concentrao um fatops-guerra. Se os alemes tivessem vencido, isso(B) a falta de controle populacional a nicaresponsvel pelo aumento da violncia.jamais apareceria e vocs iam ficar estarrecidosscom os horrores praticados pelos nossos (linhasnossos. (C) s uma populao de homens prsperos evitaria17 a 20), o aumento da populao e consequentemente daviolncia.o elemento coesivo destacado (em negrito) refere-se(D) em todos os tempos, a superpopulao da Av. (A) a um fato ps-guerra.Copacabana prova que no s os pobres, mas osricos tambm, transam demais. (B) ao mundo democrtico.(E) as pessoas esto certas ao afirmarem que a (C) aos horrores praticados pelos nossosnossos.violncia em nosso tempo maior do que jamais (D) revelao dos campos de concentrao.foi, devido concentrao da populao.(E) ao fato de as pessoas ficarem estarrecidas.PSS 2010 3PSS 2010 4. PROCESSO SELETIVO SERIADO 20 1 FASE 2010 EDITAL N. 1/2009 MATEMTICAQuesto 6 Questo 8 A Orquestra Sinfnica do Theatro da Paz (OSTP) O aquecimento global e suas consequ quecimentoconsequncias tm sidocomposta por msicos de quatro naipes de objeto de preocupao de grande parte da humanidade.instrumentos distintos: cordas, sopro de metais, sopro de conhecimento da comunidade cientfica que umde madeiras e percusso. Ela conta com 27 msicosdos fatores que contribuem efetivamente para ode cordas, 11 de metais, 8 de madeiras e 4 deeaquecimento a emisso de gs carbnico (CO2)percusso. No caso de se desejar ampliar a orquestra,devido queima de combustvel fssil. O grfico abaixo eim