tribunal constitucional sistemas jurídicos comparados 1º ano 2º semestre professor jorge carvalho

Download TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Sistemas Jurídicos Comparados 1º ano 2º semestre Professor Jorge Carvalho

Post on 18-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Sistemas Jurdicos Comparados 1 ano 2 semestre Professor Jorge Carvalho
  • Slide 2
  • I. A questo II. O instituto dos "assentos" e algumas vicissitudes da sua histria III. A controvrsia doutrinal sobre a caracterizao jurdico-dogmtica dos assentos IV. O instituto dos assentos e a sua validade jurdico- constitucional V. A questo da constitucionalidade da norma do artigo 2 do Cdigo Civil VI. A deciso Declarao de voto
  • Slide 3
  • a) o rgo emitente um tribunal colectivo (STJ) reunido em pleno; b) ponderao e deciso jurdica de um caso concreto, (o que determinou uma anterior deciso conflituante); c) vem a prescrever uma norma jurdica (assento) destinada no j soluo daquele caso concreto mas a uma aplicao geral e futura. (Castanheira Neves)
  • Slide 4
  • Aco de despejo interposta no 5 Juzo Cvel da comarca do Porto A r absolvida, com base no assento do Supremo Tribunal de Justia de 3 de Julho de 1984 A autora recorre da deciso, suscitando a inconstitucionalidade do assento
  • Slide 5
  • Os assentos enquanto: mera expresso de jurisdictio? Ou dimenses inequvocas de legislatio?
  • Slide 6
  • "se limitam sem grande novidade, a escolher uma de vrias interpretaes judiciais da lei possveis e praticadas j, e a imp-la como interpretao autntica da mesma lei" Barbosa de Melo (seria) preciso considerar o Supremo Tribunal que a profere como rgo legislativo". Marcello Caetano
  • Slide 7
  • LeisAssentos Acto de livre vontade, mediante a competncia Liberdade constitutiva Juridicamente obrigatrios Ruptura, continuidade (comuns/excepcionais) Integrao no sistema Intralegais, devendo corresponder lei Sobre todas as matrias Incidncia Sobre todas as matrias Figura principal Margem de aco Subordinados lei Auto-reversibilidade Alteraes definitividade
  • Slide 8
  • uma norma jurdica com eficcia erga omnes, em termos de, quanto a ela, ser possvel o accionamento do processo de fiscalizao abstracta sucessiva de constitucionalidade Acrdos TC ns 8/87 e 359/91, Dirio da Repblica, I srie o valor de "quaisquer outras normas do sistema", revestidas de carcter imperativo e fora obrigatria geral Artigo 2, Cdigo Civil de 1966
  • Slide 9
  • (Assentos) Nos casos declarados na lei, podem os tribunais fixar, por meio de assentos, doutrina com fora obrigatria geral. obrigatoriedade jurdica geral e no apenas uma obrigatoriedade reconduzida a todos os tribunais.
  • Slide 10
  • A Constituio de 1976 no fazia qualquer referncia explcita ao instituto dos assentos. Proposta: O Supremo Tribunal de Justia o rgo mximo da hierarquia dos tribunais judiciais e tm competncia para proceder uniformizao da jurisprudncia cf. Art 210 n.1 So publicados no DR "as decises dos tribunais a que a Constituio ou a lei confiram fora obrigatria geral cf. Art 119 1 g)
  • Slide 11
  • Artigo 115 (112) (Actos normativos) 1 - So actos legislativos as leis, os decretos-leis e os decretos legislativos regionais. () 5 - Nenhuma lei pode criar outras categorias de actos legislativos ou conferir a actos de outra natureza o poder de, com eficcia externa, interpretar, integrar, modificar, suspender ou revogar qualquer dos seus preceitos.
  • Slide 12
  • Haveria coliso constitucional da norma do artigo 2 do Cdigo Civil? Artigo 112 n. 1 e 5 CRP Artigo 2 C. C. 1966
  • Slide 13
  • a eficcia jurdica universal atribuda doutrina dos assentos;atributos anmalos Carcter de imutabilidade Unidade do direito Segurana jurdicaobjectivo dos assentos
  • Slide 14
  • Eficcia interna dos assentos: plano da mera eficcia jurisdicional; simples "jurisprudncia qualificada". inconstitucional o ltimo segmento da norma do artigo 2 do Cdigo Civil.
  • Slide 15
  • a) Julgar inconstitucional a norma do artigo 2 do Cdigo Civil na parte em que atribui aos tribunais competncia para fixar doutrina com fora obrigatria geral, por violao do disposto no artigo 115 (112), n 5, da Constituio; b) No conceder, apesar da concluso antecedente, provimento ao recurso, na medida em que, no caso concreto, a doutrina do Assento de 4 de Julho de 1984, apenas foi aplicada por tribunais judiciais, no cabendo no respectivo processo recurso para o Supremo Tribunal de Justia.
  • Slide 16
  • Fim!