tribuna 71

Download Tribuna 71

Post on 22-Mar-2016

240 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Tribuna do Pará

TRANSCRIPT

  • A CIDADE EsportE sEgurAnA FLAsH

    Balano da PM e do Comando de Policiamento da Capital mostra que em 2010 ocorreram 66 crimes de assalto com refns na Regio Metropolitana de Belm, enquanto em 2009 foram

    registrados 53. O nmero de assaltos a nibus tambm su-biu quase 30%, totalizando 1.227 casos. O bairro que mais registrou ocorrncias foi o Guam, seguido do Jurunas.

    AssALto Com rEFm tEmAumEnto DE 25% Em 2010

    pAgInA 9

    Belm22 a 28 de janeiro de 2011

    Ano II - Edio 71

    brInCAntEs DA EsCoLA DE sAmbA xoD DA nEgA FAzEm os LtImos EnsAIos nA quADrA DA AgrEmIAo

    sAnDrInHA bArbIE, umA

    bonECAflash, 16.

    Brincantes da escola Xod da Nega j confec-cionam as fantasias para o desfile oficial da Prefeitura de Belm, na reta final dos preparativos para a apre-sentao. flash, 11.

    escolas dolargada parao carnaval

    Vice-presidente da Escola de Samba Deixa Falar, Maurcio Tavares, diz que s com a ajuda da prefei-tura no d para cobrir as despesas. flash, 11.

    carnavalescos cobram ajudado estado

    Corredores se preparam para a competio, no dia 30 deste ms, que encerra as festi-vidades pelos 395 anos de be-lm, promovida pela prefeitu-ra. na foto, o atleta sebastio de oliveira. esporte, 3.

    CorrIDA DEDE 10km pELoAnIvErsrIoDE bELmUm campanha com o slo-

    gan Faa a sua parte, ou a vtima pode ser voc objeti-va conscientizar a populao a prevenir a proliferao do mosquito transmissor da doen-a, evitando jogar lixo na rua.

    prEFEIturAmobILIzA toDos ContrAA DEnguE

    pAgInA 5

    Governador Simo Jatene anunciou corte de gastos para economizar de 20% a 30% nas despesas com energia eltrica, combustvel e telefonia visando garantir o pagamento de cerca de R$ 700 milhes em dvidas.

    govErno DoEstADo ApErtAo CInto pArAContEr gAsto

    pAgInA 7

    Braz de Aguiar:

    Revistaria da Braz

    Banca Equatorial

    Banca da Silvana

    Banca do Raimundo

    Banca da Sheila

    Banca do Fbio

    Presidente Vargas:

    Banca do Alvino Praa da Repblica

    Governador Jos Malcher:

    Revistaria do Renato - Y.Yamada Plaza

    Rua dos Tamoios:

    Banca Santo Antnio - Batista Campos

    pontos de venda

    b-boys so AsEs

    DA strEEtDAnCEflash, 12.

  • A C I D A D E 2 belm, 22 a 28 de janeiro de 2011

    Durante uma ao de orienta-o aos cerca de 400 vendedores da feira da 25 de Setembro, o De-partamento de Vigilncia Sanit-ria de Belm (Devisa) apreendeu vrios isopores, bacias plsticas, 10 quilos de mexilhes e trs quilos de

    camares descascados. Os alimen-tos foram inutilizados e os isopores foram quebrados por estarem im-prprios para uso. A ao, que faz parte do projeto Amigos da Feira e vai passar pelas principais feiras da capital, quase acaba em tumulto.

    devisa faz operao em feira de belm

    apreenses

    Belenenses que moram em reas centrais da cidade agora so incomodados com os ba-rulhos frequentes dos avies que passam bem prximos dos prdios, indo e vindo ao

    Aeroporto Internacional de Belm.

    O motivo que, desde s-bado passado, a maior pista do aeroporto, responsvel por 97% do f luxo de aeronaves,

    est passando por manuten-o e recapeamento, e o trfe-go passou a ocorrer exclusiva-mente na pista menor e cuja rota passa pelos bairros de So Brs, Umarizal e Nazar.

    avies tomam nova rota aps reforma de pista

    aeroporto

    na redao

    FALAprEsIDEntEconsulta na rua

    No bairro da guas Brancas, em Ananindeua, na Rua 2 de Junho, os moradores pedem socorro, pois no local no h um posto de sade onde as pessoas possam fazer um tratamento adequado. Existe no local um Posto da Famlia localizado na Rua 2 de junho na travessa 2 de fevereiro, funciona em uma casa que hoje foi re-formada para camuflar e dar a ideia de posto, porm no local no h estrutura. Os pacientes esperam pelas consultas do lado de fo-ra. Na rua, so colocados dois bancos para que as pessoas possam ter um pouco de conforto e aguardar para que possam receber atendimento mdico.

    Crianas, gestantes e idosos ficam aguardando no sol ou na chuva por uma consulta na rua porque no Posto da Famlia no comporta a todos. Dentro do local existem trs salas uma onde o mdico consulta; outra para fazer a marcao das consultas e outra para pesar as gestantes e uma farmcia com medicamento vencido. Inclusive, no ano passado, o atual mdico do posto, dr. Joo Bosco, fez uma denncia para a Secretaria de Sade infor-mando sobre as dificuldades do local. Funcionrios da secretaria chegaram a vir ao local, foram levados vrios medicamentos vencidos e at agora nenhuma resposta se haver a construo de novo posto.

    Segundo o dr. Joo Bosco, a populao deve fazer a sua parte e se mobilizar para que haja um local digno para as consultas. O mdico afirma que Posto da Famlia no local de consulta, mas ele faz porque no tem outro jeito.

    A demanda de pacientes no local muito grande e para tentar solucionar, alm do mdico realizar as consultas, h tambm uma enfermeir que prescreve medicamentos para as pessoas. Entre os seus pacientes esto crianas, idosos e gestantes, o que se torna um risco para a populao, pois enfermeira no mdico. Porm, esta prtica comum aqui no bairro. J vieram vrias enfermeiras que realizavam o mesmo trabalho.

    No bairro h um centro comunitrio que poderia servir como posto, porm ele nunca existiu. No local, h apenas uma constru-o velha e cheia de mato localizada na Rua da Asdetran, na 2 de Junho. No Bairro da guas Brancas existem dois locais que pode-riam ser construdos um Centro de Sade: uma praa abandona-da com uma quadra de esportes, que funciona como quadra para os alunos da escola Andr Avelino. O local est tomado por lixo. O outro local seria o suposto centro comunitrio que nunca existiu, que se encontra totalmente abandonado. Peo, em nome dos mo-radores, que haja uma soluo para estes problemas srios que acontecem em Ananindeua, onde a sade no levada a srio.

    dborA lcIo

    ananindeua

    cartasdoleitor

    trIbunADopArA@gmAIL.Com

    A modalidade de assalto com refm, as saidinhas e os seques-tros relmpagos so tipos de crime caractersticos da modernidade. Coisa que no se via h alguns anos, mas revelam que o mundo do crime acompanha a evoluo tecnolgica e, cada vez mais, cria engenhosidades a servio do mal.

    Isso sem falar nos crimes pela internet, que ainda carecem de le-gislao especfica no pas, ainda en-quadrados pelo Cdigo de Processo Penal. Diante do crescimento desse tipo de crime, cabe populao tam-bm criar mecanismos de proteo, bem como polcia agir na defesa do cidado investindo no trabalho de inteligncia. Alis, esta a pala-

    vra-chave para combater o crime, seja ele organizado, ou no. Pouco se pode fazer para remediar o que remediado est, diz o velho adgio popular, e pblico e notrio que a prpria populao s coloca tran-ca na porta depois de arrombada. Portanto, o trabalho de preveno, mapeamento de ocorrncias, es-cuta telefnica e infiltrao de po-liciais nas quadrilhas que pode prevenir assaltos antes que sejam cometidos e conseguir evitar que vidas humanas sejam perdidas pela ao dos bandidos.

    Se no Par os crimes de assal-to com refns vm aumentando, tem-se que checar a causa. Se os bandidos esto realmente inves-

    tindo nesse tipo de crime, ou se apelam ao refm porque a polcia tem conseguido chegar quase que instantaneamente ao local do cri-me, no restando outra opo aos bandidos se no fazer refns para garantir que no sero mortos.

    De qualquer forma, cabe populao redobrar os cuidados quando sacar dinheiro, evitar por-tar grandes quantias, andar por lo-cais suspeitos, enfim. A inseguran-a est por toda parte, no apenas uma sensao, mas uma realidade que assusta cada vez mais, em to-dos os lugares. Todos ns, infeliz-mente, somos vtimas em poten-cial. E, no esqueamos da regra nmero 1: no reagir jamais!

    A InsEgurAnA nossA DECADA DIA quE sE moDErnIzA

    Tribuna do Par uma publicao semanaleditado por SGP Comunicaes e Servios Ltda.CnPJ: 10955840/0001 - 61diretor Geral: Gustavo Bentodiretor Administrativo: Leandro Rocha

    Edio: Clo SoaresGerente comercial: Rubia Campos (91) 8218 2003Endereo: Trav. Lomas Valentina, n 1502 Marco CeP: 66.087-440Fale com a gente: (91) 3276 2308

    E-mail da redao: tribunadopara@gmail.com

    Twitter: www.twitter.com/tribunapara

    blog: www.tribuna-do-para.blogspot.com

    Fotos: Luciana Gonalves

    cidadeemfoco - http://www.flickr.com/photos/fernandosette/

  • A C I D A D E 3belm, 22 a 28 de janeiro de 2011

    Os cemitrios de Santa Izabel e So Jorge iniciaram segunda etapa do processo de recadas-tramento de sepulturas. Alm da informatizao dos dados, o recadastramento tem como

    principal objetivo garantir aos concessionrios e seus herdei-ros o direito legal da utilizao do lote nos cemitrios. O aten-dimento no cemitrio de Santa Izabel feito das 7h s 12h. J

    no cemitrio de So Jorge, ocor-re pela manh, das 8h s 12h, e tambm pela tarde das 14h s 17h. Em ambos, o concession-rio ou familiar deve est munido do documentos.

    cemitrios do incio 2 etapa de recadastramento

    sepulturas

    A constante falta de gua tem atormentado os moradores dos conjuntos Beija-flor e Cohab, em Marituba, que tambm reclamam do abandono. Segundo eles, a gua no local fraca e fedorenta. Contam ainda que j passaram semanas

    sem abaste- ci-mento, tendo que carregar baldes de s-tios vizinhos. Quando a gua volta, o tormento continua: ela vem suja.

    moradores reclamam da falta de gua

    conjuntos

    FALAprEsIDEntEbancada

    O secretrio municipal de Sade, Srgio Pi-mentel, disse que est s esperando as bancadas paraenses assumirem, em 1 de fevereiro, na Ale-pa e no Congresso, que ele vai comear uma mo-bilizao para que o financiamento da sade seja tripartite como manda a Constituio. Ao gover-no federal, vai pedir aos deputados maior press