trf 2010 simulado comentado

Download trf 2010 simulado comentado

Post on 10-Dec-2015

228 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Questões da prova de trf comentado

TRANSCRIPT

  • ESTRUTURA DA PROVA OFICIAL E DESTE SIMULADO

    Outras informaes:

    Houve 92.884 candidatos inscritos para o concurso de cadastro de reserva do Tribunal Regional Federal da 4 Regio (PR / SC / RS).

    Voc pode consultar os inscritos por cargo no site do Curso Slon.

    Para conhecer seu local de prova, consulte e imprima o quanto antes o carto informativo a partir do site da organizadora FCC ou do site do Curso Slon.

    A prova oficial ser aplicada para os cargos de nvel mdio na manh do do-mingo de 11 de abril (portes abertos das 07h30 s 08h00). Os candidatos a cargos de nvel superior devem apresentar-se tarde (entre 14h00 e 14h30).

    Leve documento oficial de identificao e caneta TINTA PRETA.

    Curso Slon Concursos www.CursoSolon.com.br

    Aulas & Apostilas

  • Simulado Tcnico TRF Curso Slon Concursos

    Aulas e Apostilas 2 www.cursosolon.com.br

    ATENO: Para assegurar que este simulado esteja no nvel da prova do concurso oficial, algumas questes a seguir foram adaptadas de provas anteriores aplicadas pela FCC, a

    mesma organizadora do atual concurso TRF 4 Regio.

    CONHECIMENTOS ESPECIFICOS:

    (30 questes x peso 2 = 60 pontos)

    LNGUA PORTUGUESA: Professoras Cidinha e Eliane

    Ateno: As questes de nmeros 11 a 20 referem-se ao texto que segue:

    A amizade

    Uma amizade verdadeira possui to grandes vantagens que mal posso descrev-las. Para comear, em que pode consistir uma vida vivvel que no encontre descanso na afeio partilhada com um amigo? Que h de mais agra-dvel que ter algum a quem se ousa contar tudo como a si mesmo? De que seria feita a graa to intensa de nos-sos sucessos, sem um ser para se alegrar com eles tanto quanto ns? E em relao a nossos reveses, seriam mais difceis de suportar sem essa pessoa, para quem eles so ainda mais penosos que para ns mesmos.

    Os outros privilgios da vida a que as pessoas aspiram s existem em funo de uma nica forma de utilizao: as riquezas, para serem gastas; o poder, para ser corteja-do; as honrarias, para suscitarem os elogios; os prazeres, para deles se obter satisfao; a sade, para no termos de padecer a dor e podermos contar com os recursos de nosso corpo.

    Quanto amizade, ela contm uma srie de possibilida-des. Em qualquer direo a que a gente se volte, ela est l, prestativa, jamais excluda de alguma situao, jamais importuna, jamais embaraosa. Por isso, como diz o dita-do, nem a gua nem o fogo nos so mais prestimosos que a amizade. E aqui no se trata da amizade comum ou medocre (que, no entanto, proporciona alguma satis-fao e utilidade), mas da verdadeira, da perfeita, qual venho me referindo. Pois a amizade torna mais maravi-lhosos os favores da vida, e mais leves, porque comuni-cados e partilhados, seus golpes mais duros.

    (Adaptado de Ccero, filsofo e jurista romano)

    01) Ao tratar da amizade verdadeira, Ccero d um peso especial ao fato de que ela:

    a) um privilgio desfrutado de uma forma nica e ex-clusiva.

    b) intensifica nossas conquistas e ameniza nossos infor-tnios.

    c) abre caminho para o exerccio de um poder que todos desejamos.

    d) produz honrarias que todos os amigos podem compar-tilhar.

    e) A fasta os padecimentos morais e multiplica as alegri-as.

    02) Atente para as seguintes afirmaes:

    I. A expresso nossos reveses (1o pargrafo) em-pregada com sentido equivalente ao de golpes mais duros (3o pargrafo).

    II. Em vez de podermos contar (2o pargrafo), o em-prego da forma pudermos contar seria mais adequado construo da frase.

    III. Os termos comunicados e partilhados (3o pargra-fo) referem-se ao termo anterior favores.

    Em relao ao texto, est correto SOMENTE o que se afirma em:

    a) I.

    b) II.

    c) III.

    d) I e II.

    e) II e III.

    03) H um deslize na concordncia verbal da seguinte frase:

    a) Aos golpes mais duros da vida responde uma amizade verdadeira com palavras e gestos de solidariedade.

    b) Nunca havero de nos faltar, quando contamos com amigos verdadeiros, a fora justa das palavras certas.

    c) Assim como ningum vive sem o prstimo da gua, no se superam os infortnios sem o apoio de um a-migo verdadeiro.

    d) Os sofrimentos que pesam sobre algum havero de ser mais leves com a companhia solidria de um ami-go leal.

    e) Importa, acima de todas as coisas, poder contar com a lealdade e os bons prstimos que nos oferece a ami-zade verdadeira.

    04) Transpondo-se para a voz ativa a frase Nossos reveses podem ser consolados pela palavra amiga, a forma verbal resultante ser:

    a) ter consolado.

    b) ho de consolar-se.

    c) poderiam consolar.

    d) pode consolar.

    e) haver de consolar.

  • Simulado Tcnico TRF Curso Slon Concursos

    Aulas e Apostilas 3 www.cursosolon.com.br

    05) Est inteiramente adequada a pontuao da se-guinte frase:

    a) Quem cuida da sade, conta com os recursos do corpo, j quem cultiva uma amizade, conta com o con-forto moral.

    b) No que me diz respeito, no me interessam os amigos de ocasio: prezo apenas os verdadeiros, os que me apoiam incondicionalmente.

    c) De que pode vale, gozarmos um momento de felicida-de, se no dispomos de algum, a quem possamos estend-la?

    d) Confio sempre num amigo; pois minha confiana nele, certamente ser retribuda com sua confiana em mim.

    e) So essas enfim, minhas razes para louvar a amiza-de: diga-me voc agora quais as suas?

    06) Transpondo-se para a voz passiva a frase qual livro gostaria de levar para sua ilha deserta, empre-gar-se- a forma verbal.

    a) fosse levado.

    b) tivesse sido levado.

    c) teria levado.

    d) levaria.

    e) tinha levado.

    07) As normas de concordncia esto inteiramente respeitadas na frase:

    a) Muitos julgam imprescindveis que se consulte os es-pecialistas para que se avalie com preciso os livros de uma velha biblioteca.

    b) Qualquer um dos que entram desprevenidos numa velha biblioteca podem se defrontar com surpresas de que jamais se esquecer.

    c) Mesmo que hajam passado cem anos, as fotos revelam instantneos de um presente perdido, no qual no se contava com os efeitos do tempo.

    d) Nada do que se l nos grandes livros, mesmo quando extinta a poca em que foram escritos, parecem enve-lhecidos para quem os compreende.

    e) L esto, como se fosse hoje, a imagem das jovens e sorridentes senhorinhas daqueles tempos, inteiramen-te alheias ao passar do tempo.

    08) Diante das fotos antigas, olhamos as fotos para captar dessas fotos a magia do tempo que repousa nessas fotos. Evitam-se as abusivas repeties da

    frase acima substituindo-se os elementos sublinha-dos por, respectivamente:

    a) olhamo-lhes - capt-las - lhes repousa

    b) as olhamos - captar-lhes - nelas repousa

    c) olhamo-las - as captar - repousa nas mesmas

    d) olhamo-las - captar-lhes - nelas repousa

    e) olhamo-as - lhes captar - lhes repousa

    09) O verbo indicado entre parnteses adotar, obri-gatoriamente, uma forma no plural, ao se flexionar na seguinte frase:

    a) grande maioria dos livros de uma biblioteca ...... (caber) um destino dos mais melanclicos.

    b) comum que livros antigos, na perspectiva de um herdeiro pouco afeito s letras, ...... (representar) mais um incmodo do que uma ddiva.

    c) ....... (costumar) haver muitas surpresas para quem se prope a vasculhar uma antiga biblioteca.

    d) Pouca gente, tendo o compromisso de avaliar uma biblioteca, ...... (saber) separar com rigor os livros vali-osos dos que no o so.

    e) ....... (ocorrer) a muitos imaginar que uma velha biblio-teca valer mais pela quantidade do que pela qualida-de dos livros.

    10. 10) Observe o texto abaixo, no qual alguns sinais de pontuao foram omitidos:

    O Secretrio da Receita Federal [ 1 ] afirmou [ 2 ] aps receber os integrantes da subcomisso do Senado encarregada de aprofundar as investigaes da CPI do Poder Judicirio [ 3 ] que qualquer CPI ''ajuda mui-to'' o trabalho da Receita Federal. ''As CPIs tm reali-zado um trabalho de parceria com a Receita. Pelo seu trabalho investigativo e seu poder de quebrar sigilos bancrio e fiscal de pessoas envolvidas em investiga-o [ 4 ] as CPIs trazem informaes valiosas [ 5 ] Receita para fins fiscais'' [ 6 ] disse o secretrio. (Folha de S. Paulo, 18/08/2000 p. A6, com adaptaes)

    Agora assinale a opo em que as vrgulas esto bem empregadas nas lacunas respectivas.

    1 2 3 4 5 6

    a) , , , ,

    b) , , , ,

    c) , , , ,

    d) , , ,

    e) , , , , , ,

  • Simulado Tcnico TRF Curso Slon Concursos

    Aulas e Apostilas 4 www.cursosolon.com.br

    MATEMTICA: Professores Pacfico e Fernando

    11) Para a = 0,666..., b = 0,3 e c = 2, determine o valor numrico da expresso:

    (a.b + c-2

    ) : b.

    a) 2/3

    b) 3/2

    c) 4/3

    d) 5/2

    e) 2/5

    12) Para pintar 4/9 de uma parede em um dia e1/6 da mesma parede em um segundo dia, um pintor gastou 11 litros de tinta. Quantas latas ele gastar para pintar a parede toda, se uma lata contm 6 litros de tinta.

    a) 18 latas

    b) 10 latas

    c) 6 latas

    d) 5 latas

    e) 3 latas

    13) Certo dia, um tcnico judicirio observou que o triplo do nmero x, de documentos por ele arquiva-dos, excedia de 12 unidades a tera parte do nmero y, de documentos que havia protocolado. Se a razo entre x e y, nessa ordem, 1/5 , ento x + y igual a:

    a) 45

    b) 63

    c) 54

    d) 58

    e) 65

    14) Um lquido depositado em um balde perdeu, por evaporao, 3% do seu volume, restando 19,4 litros. Da podemos afirmar corretamente que:

    a) O balde possua mais de 20 litros;

    b) O balde possua menos de 19,8 litros;

    c) O volume do balde era de exatamente 21 litros;

Recommended

View more >