treinamento tv lg

Click here to load reader

Post on 29-Oct-2015

242 views

Category:

Documents

52 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Suporte Tcnico LG.

    TREINAMENTO DE

    TELEVISORES

    LINHA 2007

  • 2

    CONTEUDO

    SEO 1 Power ON e Varredura Como o Micro pode ligar o Televiso 3 Circuito Horizontal 3 CI Faz tudo 4 Sada Horizontal 4 Fly Back 4 Bobina Defletora 4 Capacitor de Largura 4

    SEO 2 Bsicos do Horizontal e Vertical Estrutura bsica do circuito horizontal 4 Curiosidades e Reflexo 5 Processamento dos sinais Horizontal Vertical 5 Processamento do sinal de vdeo 7 Limitador de Brilho Automtico ( ABL ) 7 Tubo de Imagem e circuitos de Trama 8 Bobina defletora horizontal (BDH) 9 Bobina defletora Vertical (BDV) 9

    SEO 3 Diagrama em Blocos e Circuito Diagrama em blocos 10 Esquema eltrico da fonte 11 Fonte ST-BY analise 12 Fonte Principal analise 13

    SEO 4 Procedimentos e Reparos Procedimento para uma boa anlise 14 Sada Vertical 15 Defeitos comuns 16 Defeitos do Vertical 16 Defeitos da Proteo 16 Fonte (+B ) Ligando e Desligando 16 Circuito Pincushion 17 Controle EW 17 Modo fcil de Teste 17 Circuito de Proteo 18 Vista Geral do Micro 20

    SEAO 5 Dicas e Ajuda. Dicas de Defeito 21 Cdigos de alguns Micros de TV 22 Tabela RP29CC90 23 Tabela RP29FA30A 24 Tabela 29FS4RLG 25

  • 3

    COMO O MICRO PODE LIGAR O TELEVISOR Como j explicado, o micro tem um pino para ligar o TV, chamado "power". Tal pino deve mudar sua tenso de 0 para 5 ou de 5 para 0 para o TV ligar, conforme o tipo de micro indicado abaixo:

    Micro de 5 V direto - Este tipo mais usado nos TVs que possuem um rel. Quando o TV est em "stand by", o pino "power" fica em 0 V. Quando apertamos a tecla liga, o pino vai para 5 V.

    Micro de coletor aberto - Tem um transistor dentro, que mantm o pino "power" em 5 V quando o TV est em "stand by". Quando apertamos o liga, o transistor interno conduz, aterra a tenso e o pino "power" vai para 0 V. Veja abaixo estes dois tipos de micro:

    Resumindo, alguns micros ligam o TV com 5 V, outros com 0 V. Observe que nos micros de coletor aberto (ligam o TV com 0 V), h um resistor do pino "power" para a linha de +B.

    CIRCUITO HORIZONTAL DO TELEVISOR O circuito de deflexo horizontal tem duas funes principais: movimentar o feixe eletrnico da esquerda para

    a direita na tela e produzir alta tenso (MAT) para o tubo acender. Este circuito tem trs componentes principais fceis de achar na placa do televisor: 1 Fly-back (transformador de sada horizontal), de onde sai

    o cabo de MAT para o tubo, 2 Sada horizontal, transistor grande ao lado do fly-back, 3 CI faz tudo, CI grande com muitos componentes em volta. Veja abaixo o princpio de funcionamento do

    horizontal:

  • 4

    CI faz tudo - Gera um sinal de 15.750 Hz da seguinte forma: Dentro dele h um oscilador de 503 KHz controlado pelo cristal ligado no pino. O sinal de 503 kHz produzido neste oscilador, passa por um divisor interno por 32Khz, resultando numa freqncia de cerca de 15.750 Hz que sai no pino 27 do CI. Pr - Recebe o sinal de 15.750 Hz do CI, amplifica e o envia para o sada horizontal. Driver - um pequeno transformador usado para levar o sinal do pr ao sada horizontal e bloquear o +B do coletor do pr base do sada horizontal.

    Sada horizontal - Como j dito um transistor de potncia perto do Fly-Back. Recebe o sinal do pr na sua base e chaveia (conduz e corta) 15.750 vezes por segundo. Desta forma aparecem pulsos de 15.750 Hz e com tenso de 1.000 V no seu coletor. Estes pulsos so aplicados no Fly-Back e no yoke ao mesmo tempo. Observe como tem um diodo dentro do sada horizontal. Tal diodo recebe o nome de diodo de proteo, amortecedor ou damper. Ele conduz para o terra os pulsos negativos de retorno do Fly-Back com duas finalidades: evitar a queima do transistor e fornecer parte da corrente para o yoke. Fly-back - Recebe os pulsos do sada horizontal e produz uma alta tenso de 25.000 V (MAT) que ser aplicada no tubo para ele atrair os eltrons do canho at a tela e esta acender. O Fly-Back tambm produz outras tenses tais como: foco (7.000 V) com ajuste para controlar a nitidez da imagem; screen (400 V) com ajuste para controlar o brilho da trama; tenses para as fontes de Fly-Back e para acender o filamento do tubo (cerca de 6 VAC). O filamento do tubo funciona com tenso contnua ou alternada. Como o Fly-Back funciona com C.A. de alta freqncia (15.750 Hz), seu ncleo de ferrite.

    Bobina defletora (BDH ou yoke) e capacitor de acoplamento - A BDH recebe os pulsos do coletor do sada horizontal, os quais faro circular uma corrente dente de serra de 15.750 Hz pelos enrolamentos. Assim ser criado o campo magntico que movimentar os eltrons da esquerda para a direita na tela. A BDH so as bobinas de dentro do yoke. O capacitor de acoplamento de polister de valor alto (0,22 a 0,82 F) e de tenso entre 200 e 400 V ligado em srie com a BDH. Tem como funo bloquear o +B de 100 V do coletor do sada horizontal, impedindo-o de ir para o terra.

    Capacitor de largura - um capacitor de polister ligado do coletor da sada para o terra. Controla a largura (tamanho horizontal) da imagem. Este capacitor tem baixo valor (2,2 a 10 nF), porm tenso de trabalho de 1.600 ou 2.000 V). Quando este capacitor est com valor muito reduzido pode queimar o sada horizontal ou aumentar demais o MAT a ponto de trincar o pescoo do tubo em alguns casos. O televisor pode ter vrios capacitores de largura.

    ESTRUTURA BSICA DO CIRCUITO HORIZONTAL Veja na ilustrao abaixo a seqncia das etapas que compem o circuito horizontal dos televisores. claro que a fonte de alimentao pode usar outros componentes.

  • 5

    CURIOSIDADE E REFLEXO

    Notem que ao receber o sinal vindo do micro o capacito C404 tem um intervalo de tempo Pois no momento que o mesmo recebe o sinal, ele se comporta como um curto, deixando. passar o sinal e aps o intervalo o mesmo se descarrega atravs do diodo.

    Conforme a figura a baixo o resistor R407 mantm o pulso na base do transistor mais baixo no intuito do mesmo no chavear bruscamente, evitando assim seu superaquecimento

    Processamento dos sinais horizontal e vertical Para o traado da imagem o feixe de eltrons imprime os pontos na tela movimentando-se da esquerda para a direita e ao mesmo tempo de alto a baixo. O movimento do feixe realizado devido influncia magntica das bobinas de deflexo horizontal e vertical. Para que as bobinas defletoras movimentem o feixe de forma adequada necessrio que as mesmas sejam excitadas por sinais eltricos especficos. Observe a figura abaixo:

  • 6

    Os sinais responsveis pela deflexo horizontal e vertical so gerados pelo CI oscilador. O sinal de 31Khz utilizado para excitar a bobina de deflexo horizontal e o flyback.O sinal de 31KHz levado a base do transistor T1 que utilizado para excitar o primrio do transformador driver, o secundrio deste transformador excitar o transistor T2 que responsvel pelo acionamento do flyback e bobina defletora horizontal.Normalmente no secundrio do flyback so geradas as tenses de foco, screen, alta tenso e ABL que sero utilizadas para o funcionamento do cinescpio e controle automtico de brilho (ABL).

    O sinal de 70Hz para deflexo vertical encaminhado para o CI de sada vertical, na sada desse CI teremos o sinal com amplitude suficiente para excitar a defletora vertical.

    Os sinais de sincronismo horizontal e vertical so utilizados para estabilizar (sincronizar) a imagem na tela. Observe a figura abaixo e veja os problemas causados pela falta de sincronismo.

    Sinal para controlado da deflexo horizontal

    31KHz 70HZ

    H OUT Sada Horizontal

    Sada Vertical

    V CUT

    Transistor da Sada Horizontal

    Transformado Driver

    Transistor Driver

    Fly Back Alta tenso Foco Screen ABL

    Defletora Horizontal

    Defletora Vertical Amplificador de sada vertical

    VCC

    Sinal para Controle de Deflexo Vertical

  • 7

    Processamento do sinal do vdeo:

    Como havia dito anteriormente o feixe de eltrons que imprime a imagem no cinescpio.

    COMO ACONTECE

    Para que uma imagem seja formada, necessrio o controle sobre o feixe de eltrons, determinando a intensidade do mesmo em cada ponto na tela.

    A funo do sinal de vdeo exatamente essa: Controlar a intensidade do feixe em cada ponto na tela do cinescpio, ou seja, o sinal de vdeo quem "diz" ao feixe a imagem que o mesmo dever imprimir na tela.

    Observe a figura acima:

    Os sinais de RGB (vdeo) gerados no Micro sero entregues ao monitor para serem processados. A primeira etapa ser o CI processador de vdeo cuja finalidade principal controlar o contraste da imagem, ou seja, a intensidade do sinal de vdeo. A etapa seguinte (amplificador de vdeo) ser responsvel pela amplificao do sinal de vdeo a nveis suficientes para o funcionamento do cinescpio. Em seguida os sinais de RGB sero aplicados aos ctodos do cinescpio controlando a intensidade de feixe em cada ponto na tela caracterizando uma imagem.

    LIMITADOR DE BRILHO AUTOMTICO (ABL) um circuito que comea no enrolamento de MAT do Fly-Back e vai at o pino do Micro que faz o controle de brilho e contraste. Tem a funo de impedir que o brilho e o contraste da imagem ultrapassem um limite para no desgastar o tubo rapidamente. Veja abaixo o circuito:

  • 8

    Em condies normais, a tenso no pino ABL alta e no interfere no pino de controle de contraste do faz tudo. Quando o brilho ou o contraste tendem a aumentar, a tenso no pino do ABL do fly-back diminui e tambm a tenso no pino do controle de contraste no faz tudo. Da o televisor ajusta o