tratamento das aguas

Download Tratamento Das Aguas

Post on 18-Feb-2018

219 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    1/13

    1

    Saneamento II

    ENGENHARIA CIVIL

    Saneamento II

    Profa. Simone Fiori

    Semestre: 2013-1

    CAPTULO 2 -

    QUALIDADE ETRATAMENTODAS GUAS

    2

    3

    TRATAMENTOS DA GUA PARA ABASTECIMENTO PBLICO:

    TRATAMENTO DA GUA

    Saneamento II

    O objetivo fundamental dos Sistemas de Abastecimento de gua fornecer guas s necessidades do homem que vive nas reas urbanas,

    em quantidade e qualidade adequada s suas necessidades.

    4

    TRATAMENTO DA GUA

    Tratamento da gua para abastecimento pblico -CONCEPO

    gu as Superf ic iai s gu as Subter rneas

    Norm as da ABNT:

    NBR 12216/92 Proj eto de estaes de tratament o de gua paraabastecimento pbli co; NBR 12211 Estud o de concepo de sistemas pblic os de abastecimento de gua Procedimento;

    NBR 12212 Projeto de poo para captao de gua subt errnea.

    NBR 12213 Projeto de sistem as de captao de gua de superfcie para abastecimento pblico Procedimento.

    NBR 12214 Projeto de sistem a de bombeamento de gua para abastecimento pbl ico.

    NBR 12215 Adutor as em sistemas de distribui o de guas. NBR 12217 Proje to de reservatrio de distribuio de gua para abastecimento pblico.

    NBR 12218 Proje to de rede de distribuio de gua para abastecimento pbli co.

    5

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    Exemplo de Estao de abastecimento de guas superficiais:

    6

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    2/13

    7

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    Exemplo de Estao de abastecimento de guas Subterrneas:

    8

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    Estao de Tratamento de gua - ETA

    A fun o da ETA for necer co mu nid ade, gua de bo a quali dadedo ponto de vist a fsico, qumico e biolgico.

    Manancial Hdrico

    Manancial Hdrico

    Boa QualidadeClorao preventivae eventualmentefluoretao

    No atendeos padres

    Tratamento avanadode Qualidade

    9

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    Fonte: NBR 12216

    11

    Saneamento II

    Exemplo de ETA (Estao de Tratamento de gua):

    12

    ESTAO DE TRATAMENTO DE GUA

    De acordo com a NBR 12216 a rea mnima reservada aETA deve ser necessria para permitir:

    - A sua implantao; ampliaes futuras; e a construo detodas as obras indispensveis ao seu funcionamento, tais

    como: portaria;

    estaes elevatrias e cabine de fora;

    reservatrios e canalizaes;

    reas e edifcios para armazenamento e laboratrio;

    oficinas de manuteno;

    ptios para estacionamento; descarga e manobra de veculos;

    e vias de transito de veculos e pedestres.

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    3/13

    13

    Tambm, a ETA deve ser projetada levando-se em con ta,entre outros f atores,

    a disposio da tubulaes;

    a topografia natural do terreno;

    as descargas de fundo;

    e o recebimento de produtos qumicos...

    Saneamento II

    ESTAO DE TRATAMENTO DE GUA

    14

    Estao Tpica de Tratamento de gua

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    15

    Exemplo de ETA:

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    16

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    17

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    (Jar Test ou Teste de Jarros)

    DETERMINAO DAS DOSAGENS IDEAIS

    A determinao das dosagens timas para t ratamentoda gua podem ser determinadas atravs de teste em

    laboratrio denominado JAR TEST

    18

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    4/13

    19

    Saneamento II

    ESTAO DE TRATAMENTO DA GUA

    1. AeraoFinalidade: introduo de O2 para a remoo dos gases dissolvidos emexcesso nas guas (como CO2 e H2S).

    A operao geralmente aplicada em guas que no seu estado naturalno tenham contato direto com o ar, como por exemplo, guas do lenolfretico ou com baixo OD.

    Tipos:

    Aeradores de queda (cascata);

    escadas;

    Aeradores mecanizados (de repuxo,

    de borbulhamento, ar comprimido)...

    ETA Etapas:

    20

    TRATAMENTO DA GUA

    21

    TRATAMENTO DA GUA

    22

    2. Coagulao/FloculaoFinalidade: realizar a aglomerao das impurezas que se encontram emsuspenso (geralmente em estado coloidal) em agregados que possamser removidos por decantao, flotao ou filtrao.

    Reagentes:

    Coagulantes: Sais de alumnio e ferro comoSulfato de alumnio (Al2SO4);

    Cloreto de alumnio (AlClO3);

    Cloreto frrico (FeCl3)

    Floculantes: (os polmeros floculantes so empregados comoauxiliares da coagulao)

    polmeros de cadeia longa como poliavilamidas;

    polixido de etileno.

    TRATAMENTO DA GUA

    23

    DOSAGENS DE COAGULANTEUSUALMENTE EMPREGADOS NO

    TRATAMENTO DE GUAS DE

    ABASTECIMENTO:

    Sulfato de alumnio (5 mg/l a 100 mg/l) -slido ou lquido

    Cloreto frrico (5 mg/l a 70 mg/l) -lquido

    Sulfato frrico (8 mg/l a 80 mg/l) - lquido

    Coagulantes orgnicos catinicos (1 mg/l a 4 mg/l) slido oulquido

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    2424

    TRATAMENTO DA GUA

    Utilizao do sulfato de alumnio:

    Pode ser fornecido slido ou em soluo, mas a formanormal de aplicao deve ser por via mida, procedendo-separa isso sua dissoluo prvia, em caso de fornecimentosob forma slida;

    Os tanques para a dissoluo de sulfato d e alumniodevem ter as seguintes caractersticas (NBR12216):

    - Volume til mnimo total correspondente ao sulfato necessrio a 12 hde operao;

    - nmero mnimo de 2 tanques;

    - dispositivo de agitao para cada tanque;

    - sada de soluo colocada a 10 cm do fundo do tanque;

    - descarga no fundo com dimetro mnimo de 50 mm; ...

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    5/13

    25

    Saneamento II

    Calha Parshall

    Calha Parshall

    ou Medidor Parshall

    26

    Saneamento II

    Calha Parshall

    Coagulante:ex. Sulfatode alumnio

    Cal

    27

    - Detalhamento e Dimensionamento

    28

    So padronizados nominalmente pela largura daseo estrangulada (W).

    As colunas e n referem-se equao Q = . Hn (com Q em m3/s e H, carga amontante da seo contrada, em m)

    29

    - Dimensionamento:

    30

    Limites deaplicao:

    MedidoresParshall comescoamentolivre.

    Fonte: Azevedo Neto, 1998.

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    6/13

    31

    TRATAMENTO DA GUA

    FLOCULAODefinio: um processo f sico no qu al as partculas coloidais socolocadas em contato umas com as outras, de modo a permi tir o

    aumento do seu tam anho fsico, alterando, desta form a, a suadistri buio granulomtrica

    Partculas Choques Agregao

    Processo Fsico(Transporte)

    Estabilidade do Colide(Coagulao) 3232

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    Floculao

    33

    TRATAMENTO DA GUA

    PROCESSO DE FLOCULAO - FLOCULADORES HIDRULICOS:

    34

    TRATAMENTO DA GUA

    PROCESSO DE FL OCULAO - FLOCULADORES HIDRULICOS:

    35

    PROCESSO DE FLOCULAO - FLOCULADORES HIDRULICOS:

    FloculadorDecantador convencional 12,0 m

    8,4 m

    2,8 m

    Exemplo:

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    36

    TRATAMENTO DA GUA

    PROCESSO DE FL OCULAO - FLOCULADORES HIDRULICOS:

    PROCESSO DEFLOCULAOETA DUARTINA

    (SABESP -SP) -FLOCULADOR DEFLUXOHORIZONTAL

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    7/13

    37

    TRATAMENTO DA GUA

    PROCESSO DE FLOCULAO - FLOCULADORES HIDRULICOS:

    PROCESSO DEFLOCULAOETA RIBEIRO DA ESTIVA(SABESP -SP) -FLOCULADOR DE FLUXOVERTICAL

    38

    Exemplo de floculador com sistema de agitao

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    39

    FLOCULAO

    40

    FLOCULAO

    41

    SISTEMAS DE AGITAO

    42

    SISTEMAS DE AGITAO

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    8/13

    43

    3. Sedimentao Simples (Decantao):Finalidade: separao das partculas slidas agregadas da fase lquida,por ao da gravidade.

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    44

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    b) Estaes com capacidade > 10000 m3/d ia, ou com perodo defuncionamentosuperior a 18h/dia, ou ainda em que os decantadores somecanizados, devem contar pelo menos com duas unidades dedecantao iguais.

    O nmero de decantadores da ETA depende de fatores

    operacionais e econmicos, observando-se o seguinte:a) Estaes com capacidade < 1000 m3/dia, em operao contnua, ouestaes com capacidade de at 10000 m3/dia, com perodo defuncionamento inferior a 18h/dia, podem dispor de apenas uma unidadede decantao, desdeque no-mecanizadas.

    45

    A taxa de aplicao de decantadores determinada em funo davelocidade de sedimentao das partculas que devem ser removidas, e obtida pela equao:

    Q/A = f . VsOnde:

    Q = vazo que passa pela unidade (m3/s);

    A = rea superficial til da zona de decantao (m 2);

    f = fator de rea, adimensional (geralmente adota-se 1 - convencionais);

    Vs = Velocidade de sedimentao (m/s).

    A velocidade de sedimentao, obtida de ensaios de laboratrio (Ensaio

    em tubo longo: Vs = d/t), deve ser multiplicada por um fator K.

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    46

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    47

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    4848

    A eficincia de um decantador est relacionada com a taxa deescoamento superficial, expressa em m3 de gua por m 2 de superfciede decantao por dia.

    Tipos:

    Tipo de sedimentao Taxa (m3/m2.dia)

    Areia 600 a 1200

    Clarificao com coagulao 30 a 60

    Clarificao sem coagulao 5 a 20

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

  • 7/23/2019 Tratamento Das Aguas

    9/13

    49

    Decantador Clssico:

    T = 2 a 2 horas

    Saneamento II

    TRATAMENTO DA GUA

    A remoo hidrulica