Transformando Suor Em Ouro

Download Transformando Suor Em Ouro

Post on 17-Dec-2015

40 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Livro sobre a vida do Tcnico da Equipe Brasileira de Vlei.

TRANSCRIPT

<p>Simone</p> <p>Liderana, competncia e obstinao so traos marcantes na carreira de Bernardmho, um profissional corn ambio constante pela vitria uma pessoa extremamente estudiosa, dedicada e apaixonada pelo que faz Essas caractersticas o tornam um dos melhores tcnicos da histria do voleibol mundial </p> <p>CARLOS ARTHLR NUZMAN,</p> <p>PRESIDENTE DO COMIT OLMPICO BRASILEIRO</p> <p>O Bernardinho vitorioso em tudo o que f/, ele nasceu para ganhar, com muito trabalho e atitude NALBERT, JOGADOR DE VLEI DE PRAIA E MEDALHA DE OURO EM ATENAS</p> <p>Falar do Bernardo fcil Meu amigo incondicional desde a dcada de 1970, ele continua sendo um grande lder, ntegro e focado como sempre foi Seus princpios e valores so o reflexo de uma estrutura familiar maravilhosa Fico muito feli7 pelo seu sucesso, porque ele mais do que merecedor de suas conquistas</p> <p>RENAN DAL Zorro, TCNICO DE VLEI DO</p> <p>ClMED E MEDALHA DE PRATA EM Los ANGELES</p> <p> Bernardmho um vencedor por colocar no seu trabalho valores e princpios que tanto apreciamos liderana, determinao, competncia para treinar e motivar equipes e capacidade de levar crescimento pessoal e alegria aos jovens </p> <p>VINCIUS PRIANT, PRESIDENTE DA UNILEVER BRASIL</p> <p>TRANSFORMANDO SUOR EM OURO</p> <p>Bernardinho</p> <p>TRANSFORMANDO SUOR EM OURO</p> <p>3 Edio</p> <p>SEXTANTE</p> <p>Copyright 2006 por Bernardo Rocha de Rezende Todos os direitos reservados</p> <p>preparo de originais Dbora Chaves</p> <p>assistente editorial Alice Dias</p> <p>reviso Srgio Bellmello Soares e Tereza da Rocha</p> <p>projeto grfico e dmgramao Mareia Raed</p> <p>capa Raul Fernandes</p> <p>fotolitos R R Donnelley</p> <p>impresso e acabamento Geogrfica e Editora Ltda</p> <p>CIP-BRASIL CATALOGAO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, R]</p> <p>B444t</p> <p>Bernardinho, 1959-</p> <p>Transformando suor em ouro / Bernardinho Rio de Janeiro Sextante,</p> <p>2006</p> <p>Inclui bibliografia</p> <p>ISBN 85 7542-242-1</p> <p>l Bernardinho, 1959- 2 Jogadores de voleibol Brasil 3 Treinadores de voleibol Brasil 4 Voleibol Brasil Histria 5 Vontade 6 Autodommo</p> <p>7 Excelncia 8 Conduta 9 Sucesso I Ttulo</p> <p>06-2582</p> <p>CDD 927 96325 CDU 929 796 325</p> <p>Todos os direitos reservados, no Brasil, por</p> <p>GMT Editores Ltda</p> <p>Rua Voluntrios da Ptria, 45 - Gr l 404 - Botafogo</p> <p>22270-000 - Rio de Janeiro - RJ</p> <p>Tel (21)2286-9944-Fax (21)2286-9244</p> <p>E-mail atendimento@esextante corn br</p> <p>www sextante corn br</p> <p>meus primeiros treinadores, Condorcet e JVaria ^Angela, minha primeira equipe - T^odrigo, uilherme, Tatrcia e Eduardo e aos grandes reforos Ternanda, ^Bruno e Jlia.</p> <p>Agradecimentos</p> <p>Primeiramente gostaria de agradecer ao jornalista e escritor Joo Mximo, que corn sua experincia e sabedoria me incentivou e orientou durante todo o processo de elaborao do material que ele to brilhantemente transformou em livro. Seus conselhos, oriundos de vasta vivncia jornalstica e em especial esportiva, me foram de grande valia.</p> <p>Meu obrigado muito especial aos editores e novos amigos Marcos e Toms Pereira, que me instigaram e convenceram a relatar estas histrias. Compartilhamos timos momentos no processo de reviso dos textos dividindo experincias mtuas, preocupaes sobre os momentos de sucesso, suas armadilhas e como lidar corn os altos, baixos e, por que no dizer, planos de nossas trajetrias. Eles me fizeram entender que o papel do editor basicamente o de estabelecer prazos, no que demonstraram extrema perseverana para que eu cumprisse os meus, sem muito xito, devo dizer.</p> <p>A toda a equipe da Sextante: Dbora, que j deve conhecer de cor o caminho do nosso centro de treinamento em Saquarema; Ana Paula, que tentava em vo me encontrar Brasil afora e que sempre me recebia corn um largo sorriso em minhas visitas editora; Dona La, senhora do caf, gua e bolachinhas que me alimentavam entre o treino da manh e o da tarde. E ao Dr. Geraldo, patriarca e coach de toda essa intrepida trupe.</p> <p>A tantos amigos que dividiram comigo todas essas experincias, especialmente meus companheiros da gerao de prata, protagonistas de grandes histrias; s meninas da seleo que tanto me ensinaram e proporcionaram; e aos rapazes dessa fantstica equipe, por terem me aceitado, compreendido e nos tornado campees.</p> <p>Aos companheiros da equipe Bernardinho: Z Incio, Tabach, Chico, Hlio, J.P. e Marco, Fiapo, Doe Ney e lvaro, Robertinha e todos os demais que ao longo desses 13 anos ajudaram no processo de construo dessa trajetria.</p> <p>Aos treinadores e professores do Andrews e da PUC, inspiradores no processo de preparao, e aos meus colegas e amigos do colgio e da universidade que me ajudaram a concluir corn xito esse processo.</p> <p>Aos professores, coordenadores, um fantstico grupo de prfissionais dedicados do Centro Rexona-Ades de Voleibol, aos amigos Nando e Dora e equipe que hoje toca corn entusiasmo o Instituto Compartilhar.</p> <p>Aos grandes jornalistas e amigos Lcio de Castro e Joo Pedro Paes Leme, que me convenceram a experimentar esta aventura.</p> <p>A todos os colaboradores da Confederao Brasileira de Voleibol, na figura de seu presidente Ary Graa Filho, e do Comit Olmpico Brasileiro, na pessoa do Dr. Carlos Arthur Nuzman, pelo apoio irrestrito e realizao de nossos projetos.</p> <p>Finalmente, gostaria de agradecer a meu filho Bruno, que compartilhou comigo momentos de reflexo e questionamento, ao me perguntar os porqus que me fazem continuar a busca incessante de respostas; minha ruivinha Julia, por seu carinho nos momentos de desnimo; e minha amada companheira Fernanda, por sua fora permanente, sua sinceridade desconcertante e por tudo o que me proporciona de forma incondicional.</p> <p>Sumrio</p> <p>O descobridor de virtudes 13</p> <p>Apresentao 17</p> <p>Um passeio pela Grcia 19</p> <p>Meus primeiros treinadores 27</p> <p>A gerao de prata 41</p> <p>Uma aventura italiana 57</p> <p>As meninas do Brasil 77</p> <p>As cubanas e ns 97</p> <p>A Roda da Excelncia 109</p> <p>Aos campees, o desconforto 125</p> <p>A ltima barreira 149</p> <p>Em busca do ouro 165</p> <p>A nova Escala de Valores 181</p> <p>Eplogo 205</p> <p>Bibliografia 209</p> <p>ndice de fotos 213</p> <p>O descobridor de virtudes</p> <p>JOO PEDRO PAES LEME</p> <p>Como centenas de milhares de adolescentes na dcada de</p> <p>1980, cresci apaixonado pelo vlei. A gerao de Bernard, Renan, William e Montanaro ensinou a minha gerao a gostar tanto daquele esporte que, em poucos anos, ele se transformou no segundo mais popular do pas. Quando, depois dos jogos do Campeonato Mundial de 1982 ou das Olimpadas de 1984, amos para a rua montar a rede e repetir a atuao dos nossos dolos, no me lembro cie algum que dissesse: Eu sou o Bernardinho. Quase todos queriam representar o papel dos titulars - nossos heris - e no do levantador reserva. Bernardinho</p> <p>no tinha vaga na seleo da minha rua.</p> <p>Poucos poderiam imaginar que ali, no banco de reservas da seleo, atento a tudo, estivesse sendo gerado - no ventre dsss competies e de outras tantas - o maior tcnico da histria do voleibol brasileiro e um dos maiores smbolos de liderana do Brasil. O obscuro jogador reserva da gerao de 1980 tornou-se um craque do esporte no nosso pas. No tem habilidade para realizar os atraentes e s vezes inteis - malabarsmos individuais, mas o grande astro do jogo coletivo.</p> <p>Bernardinho o divisor de guas num pas que precisa aprender a importncia da cooperao, da solidariedade e do trabalho em equipe. Diga que seus jogadores so baixos e</p> <p>13</p> <p>TRANSFORMANDO SUOR EM OURO</p> <p>Bernardinho os far saltar mais alto. Diga que so fracos no bloqueio e ele ir torn-los os melhores do mundo. Diga que a seleo de vlei do Brasil deficiente na defesa e ele far dos seus comandados defensores imbatveis. A essncia dessa transformao a crena numa equao simples que nada tem de matemtica: TRABALHO + TALENTO = SUCESSO. No</p> <p>por acaso o TRABALHO vem antes do TALENTO. Para Bernardinho - economista formado pela PUC do Rio -, a ordem desses fatores altera o produto. Apoiado no seu prprio exemplo como jogador, ele aposta no esforo e na perseverana, na disciplina e na obstinao. Sempre percebi uma lgica elementar na sua mente: melhor lapidar at a exausto o talento mdio (e determinado) do que tentar polir o diamante prguioso que no deseja polimento. Se Thomas Edison, o mago da lmpada, deixou para a posteridade a famosa frase Gnio </p> <p>1% de inspirao e 99% de transpirao, Bernardinho - por mais iluminado que seja - no ousaria contest-lo.</p> <p>Quando vai a empresas, a grandes corporaes ou Escola Superior de Guerra dar suas palestras, a razo dos aplausos frequentes uma s: as lies do Bernardinho se aplicam a qualquer setor da atividade humana. Ele se tornou aos poucos o smbolo da liderana moderna. Democrtico, franco, aberto, mas seguro no momento de decidir. A seleo brasileira de vlei - como exemplo bem-sucedido de gesto de pessoas - deveria servir de referncia para qualquer empresa. As possveis vaidades e os melindres foram substitudos por um enorme senso de solidariedade - uma cumplicidade, no que pode haver de mais positivo na definio desse termo.</p> <p>Vinte anos depois de ser vice-campeo mundial e olmpico no papel de levantador reserva, Bernardinho, agora como tcnico,</p> <p>14</p> <p>O DESCOBRIDOR DE VIRTUDES</p> <p>levou o Brasil ao ttulo nas Olimpadas e no Campeonato Mundial. Fez de um time sem resultados expressivos nos ltimos anos a seleo mais temida no mundo do vlei. Transformou pessoas - uma especialidade sua. Criou uma gerao segur de jogadores determinados, revigorou o nimo de alguns outros e construiu uma equipe de assistentes a quem entregaria ouro em p. Foi nesse refinado processo de garimpagem e lapidao que o Brasil viu surgir a preciosa carreira desse lder.</p> <p>H muitas frases ditas pelo Bernardinho que merecem ser guardadas para reflexo. Certamente neste livro voc ir encontrar vrias delas. Algumas simples, outras complexas, mas todas corn um contedo que resume, em pequenas doses de sabedoria, o segredo de tanto sucesso. A minha preferida No fim das contas, so as pessoas que fazem a diferena. Considero essa frase um achado. Afinal, as instituies no funcionam sozinhas, no se gerem por toque de mgica, nem os cargos tm vida prpria. Equipes, empresas, corporaes ou governos so o resultado do trabalho de um grupo de indivduos. Nesse processo, preciso encontrar o que houver de melhor em cada um deles para tornar slida a instituio; faz-los entender que o esforo coletivo leva vitria, mas o talento individual desorientado tende a fracassar. Assim descobrem-se as grandes vocaes e aperfeioam-se as virtudes. Esse trabalho Bernardinho desempenha como mestre.</p> <p>Hoje, qualquer adolescente que saia de casa para jogar corn os amigos depois de acompanhar as vitrias do vlei brasileiro gostaria de ser treinado pelo Bernardinho. O antigo jogador reserva que no tinha vaga na seleo da minha rua atualmente um dos brasileiros mais cobiados pelas grandes empress do pas. Traduz suas tticas vitoriosas para que funcionem</p> <p>15</p> <p>TRANSFORMANDO SUOR EM OURO</p> <p>no mundo empresarial - afinal, neste mundo atuaria em qualquer posio. A cada competio, ensina tambm aos brasileiros a importncia da cooperao, da solidariedade, do esforo coletivo em busca do objetivo comum. Ensina a importncia dos jogadores reservas e de como podem ser decisivos. Como amigo e f, admiro essa sua alquimia vitoriosa que mistura ingredientes infalveis: tica, respeito, vontade, disposio, disciplina, talento. E se, no fim das contas, so mesmo as pessoas que fazem a diferena, figuras como Bernardinho so fundamentais para a transformao do Brasil.</p> <p>16</p> <p>Apresentao</p> <p>Tudo o que sei que nada sei. SCRATES</p> <p>Quando conquistei a primeira medalha olmpica como treinador de uma seleo brasileira de vlei - o bronze das meninas em 1996 - e comearam a surgir convites para dar palestras em empresas, fiquei curioso: o que ser que executivos e profissionais das mais variadas reas querem ouvir? O que h de comum entre minhas experincias e conquistas no esporte e o dia-a-dia dos negcios?</p> <p>No vlei como na vida valem os mesmos princpios: a necessidade de identificar talentos, de manter as pessoas motivadas, de se comprometer corn o desenvolvimento de cada membro do grupo e, principalmente, de criar um esprito de equipe que torne o desempenho do time muito superior mera soma dos talentos individuais.</p> <p>Os problemas que enfrento como treinador de equipes de vlei de alta performance so basicamente os mesmos que preocupam todas as pessoas no cada vez mais competitivo ambiente profissional: como trilhar os caminhos da vitria, encarar os desafios e presses e, o mais importante, o que fazer para permanecer no topo.</p> <p>Inspirado pela leitura de biografias de lderes histricos</p> <p>17</p> <p>TRANSFORMANDO SUOR EM OURO</p> <p>como Churchill e de grandes esportistas e treinadores como Vince Lombardi, fui amadurecendo um olhar prprio sobre a minha atividade. Isso me levou a formular uma ferramenta de</p> <p>trabalho que chamei de Roda da Excelncia e que um dos principais temas deste livro.</p> <p> ela que norteia a busca permanente da qualidade que aplico no dia-a-dia corn os jogadores para refinar habilidades como trabalho em equipe, perseverana, superao, comprometimento, cumplicidade, disciplina, tica e hbitos positivos de trabalho.</p> <p>Este livro no pretende ser uma autobiografia em que brilham meus melhores momentos como jogador e tcnico. sim uma histria de liderana construda a partir de observaes, teorias e conceitos que assimilei ao longo de minha trajetria ao lado de grandes equipes - e que nos ajudaram a transformar suor em ouro. Desde os tempos em que jogava no infanto-juvenil do Fluminense, como integrante da gerao que conquistou a medalha de prata na Olimpada de Los Angeles, passando por minha iniciao como treinador na Itlia, depois na seleo feminina de vlei, at chegar equipe masculina, onde estou at hoje.</p> <p>A partir dessa coletnea de leituras, vivncias e experincias, espero poder instigar voc ao processo de questionamento, de busca da soluo e de crescimento, na contnua procura de rspostas para os muitos porqus e cornos.</p> <p>Espero tambm que este livro o inspire a abraar a busca da excelncia, uma filosofia de vida que me norteia e me anima desde pequeno. Assim como tento fazer corn os jogadores, gostaria de ajud-lo a sair da sua zona de conforto, a descobrir o seu imenso potencial de contribuio e a encarar cada dia como uma oportunidade de dar o melhor de si mesmo.</p> <p>18</p> <p>Um passeio pela Grcia</p> <p>Sucesso o resultado da prtica constante de fundamentos e</p> <p>aes vencedoras. T\o h nada de milagroso no processo, nem</p> <p>sorte envolvida. ^Amadores aspiram, profissionais trabalham.</p> <p>BILL RUSSEL</p> <p>Atenas, 29 de agosto de 2004. Dentro de mais algumas hors estaremos no Ginsio da Paz e Amizade enfrentando a Itlia pelo ouro olmpico. Qual ser o desfecho dessa jornada que comeou no em nossa estria, h duas semanas, mas h trs anos e meio, quando me tornei treinador desta admirvel seleo brasileira de voleibol? Passei praticamente a noite em claro, os olhos grudados no teto, o pensamento na grande final, corn direito a breves cochilos e nada mais.</p> <p>Levanto-me como se tivesse o peso do m...</p>