trabalho unopar

Click here to load reader

Post on 10-Feb-2016

44 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

jgj

TRANSCRIPT

ABNT - UNOPAR - Completo

PAGE

SUMRIO31 INTRODUO

2 Justificativa52.1 Mtodo52.3 Fundamentao Terica62.4 Bacias Hidrogficas 62.5 Poluio Hidrica: causas e consequncias7

3 Caracteristicas do Canal de Medeiros 83.1 Canal de Medeiros e seus problemas ambientais 84 CONCLUSO10

11REFERNCIAS

12ANEXOS

12ANEXO A Ttulo do anexo

1 INTRODUO

As mudanas climticas do planeta, a diminuio da camada de oznio, a emisso excessiva de CO2 na atmosfera e o aquecimento global so, entre outros, os problemas ambientais globais que tm mantido repercusses nacional, regional e local, nos ltimos anos. Estes temas esto em evidncia nos dias de hoje, pois atingem, direta ou indiretamente, a qualidade de vida e a sade ambiental dos seres vivos. Apesar de todos esses problemas apresentarem influncia mundial, essas mudanas possuem a sua origem em um determinado contexto local, e neste caso, atingindo diretamente a municipalidade, que a partir desta evidncia, passa a adequar a sua forma de gerenciar o espao com base no desenvolvimento scio-ambiental sustentvel.

O Municpio de Rio das Ostras no foge a esta realidade global e, por causa disso, apresenta conflitos locais de extrema relevncia no contexto nacional, uma vez que o Municpio se caracteriza como um dos municpios de maior crescimento econmico do pas, motivado pela indstria do petrleo e gs. No caso do Municpio de Rio das Ostras, este crescimento tem sua causa pautada, de certa maneira, no recebimento dos royalties do petrleo na gesto municipal. Esta receita est cada vez mais visvel na administrao pblica, atravs da execuo de obras de implantao de sistemas de abastecimento de gua, de esgotamento sanitrio, de drenagem pluvial, na pavimentao e manuteno de ruas, na construo de pontes, escolas, hospitais; na reformulao de praas, canteiros, etc.

Em Rio das Ostras, conforme o prprio nome do municpio diz, a ocupao urbana se deu, historicamente, em torno de um recurso hdrico o rio das Ostras, que mesmo sem estar na competncia administrativa do municpio, passa a ser o contexto bsico para implantao de aes administrativas. De uma forma geral, a definio do contexto estadual ou federal das competncias administrativas dos rios tem causado uma certa imparcialidade das administraes municipais nas limitaes do uso do solo das bacias hidrogrficas. O rio em si no dessa competncia, porm o municpio que licencia as atividades poluidoras ao seu redor, sejam elas de baixo ou mdio impacto.

Objetivo deste trabalho realizar uma anlise hdrica do Canal de Medeiros localizado no bairro recanto do municpio de Rio das Ostras-RJ. Com o intuito de identificar as principais fontes de poluio e os danos causados pela mesma. 2 JustificativaO Municpio de Rio das Ostras nas duas ltimas dcadas tem apresentado uma caracterstica marcante no que tange ao crescimento demogrfico. Os dados referentes quantidade de alunos matriculados e ao atendimento pblico de sade indicam que a taxa de crescimento populacional tem se mantido acima da mdia das cidades do Estado do Rio Janeiro.

As polticas sociais de uso e ocupao do solo, que se aplicam hoje no Municpio, encontram os parmetros ambientais como impeditivos naturais e jurdicos ao atual cenrio de expanso. Efetivos impactos, tais como: a impermeabilizao do solo, as invases das margens do rio, a ocupao desordenada, tm se mostrado cada vez mais evidentes na regio.

O bairro recanto em Rio das Ostras uma comunidade carente que vem crescendo de forma exponencial. Grande parte das construes esto em inconformidade com as leis civis e ambientais. O bairro dispe de um canal a qual a populao utiliza para despejo de esgoto e lixo.

Devido esta situao, a rea ambiental desta regio encontra-se em estado de degradao, ocasionando srios riscos de sade a populao que ali reside e extinguindo espcies de animais. Por essa questo, o tema Analise Hdrica do canal de Medeiros foi escolhida. 2.1 Mtodo

A linha de raciocnio para este estudo teve um enfoque holstico, como define Bohrer (2000), propondo, de uma forma geral, que a natureza seja estudada e avaliada de modo integrado, onde os diversos componentes ou atributos so vistos no como parte de um sistema, porm interagindo entre si atravs de processos que atuam em diferentes escalas de tempo e espao.

A anlise scio-ambiental do Canal de Medeiros localizada no municpio de Rio das Ostras foi realizada atravs de um levantamento bibliogrfico sobre o tema, utilizando bibliografias referentes a poluio hdricas e componentes que ocasionam a poluio. Foi realizado uma visita tcnica onde foi possvel observar a regio e os tipos de poluentes que esto presentes naquele local. Como complementaes foram adquiridas em campo, como por exemplo o levantamento fotogrfico e a checagem de dados secundrios. 2.2Fundamentao Terica O amplo e consistente desenvolvimento da cincia e da tecnologia no deixa dvidas de que qualquer estudo resulta de um enriquecido uso adequado de perspectivas e teorias de ensino e aprendizagemTal verdade inconteste esbarra na dinmica dos tempos atuais, que nos colocam contra a parede em relao abordagem da fundamentao terica e nos fazem pesquisar no apenas no que temos disponvel bibliograficamente, mas tambm nas novidades cientficas que fazem parte do processo de ensino-aprendizagem propriamente dito. Desta forma, tratamos a seguir de uma reviso de literatura acerca dos temas que entendemos de elevada relevncia na implementao deste estudo. 2.2 Bacia Hidrogrfica

Conforme Faria (2010) a bacia hidrogrfica usualmente definida como a rea na qual ocorre a captao de gua para um rio principal e seus afluentes devido s suas caractersticas geogrficas e topogrficas (p.1). Uma bacia hidrogrfica de acordo com Neghetini (2000) uma unidade fisiogrfica, limitada por divisores topogrficos, que recolhe a precipitao, age como um reservatrio de gua e sedimentos, defluindo-os em uma seo fluvial nica, denominada exutrio. Os divisores topogrficos ou divisores de gua so as cristas das elevaes do terreno que separam a drenagem da precipitao entre duas bacias adjacentes.

Segundo Villela e Mattos (1975), a bacia hidrogrfica pode ser entendida como uma rea onde a precipitao coletada e conduzida para seu sistema de drenagem natural isto , uma rea composta de um sistema de drenagem natural onde o movimento de gua superficial inclui todos os usos da gua e do solo existentes na localidade. As bacias hidrogrficas caracterizam-se pelas suas caractersticas fisiogrficas, clima, tipo de solo, geologia, geomorfologia, cobertura vegetal, tipo de ocupao, regime pluviomtrico e fluviomtrico, e disponibilidade hdrica.

2.5- Poluio Hdrica: Causa e ConsequnciasA qualidade da gua tem sido alterada em diferentes escalas nas ltimas dcadas. Fator este, desencadeado pela complexidade dos usos mltiplos da gua pelo homem, os quais acarretaram em degradao ambiental significativa e diminuio considervel na disponibilidade de gua de qualidade, produzindo inmeros problemas ao seu aproveitamento. .

Segundo Pereira (2004) a gua pode ter sua qualidade afetada pelas mais diversas atividades do homem, sejam elas domsticas, comerciais ou industriais. Cada uma dessas atividades gera poluentes caractersticos que tm uma determinada implicao na qualidade do corpo receptor.

A poluio de acorde com Pereira (ibid) pode ter origem qumica, fsica ou biolgica, sendo que em geral a adio de um tipo destes poluentes altera tambm as outras caractersticas da gua. Desta forma, o conhecimento das interaes entre estas interaes de extrema importncia para que se possa lidar da melhor forma possvel com as fontes de poluio.

As fontes de poluio da gua conforme Tucci (1998) decorre da adio de substncias ou de formas de energia que, diretamente ou indiretamente, alteram as caractersticas fsicas e qumicas do corpo dgua de uma maneira tal, que prejudique a utilizao das suas guas para usos benficos. Torna-se importante ressaltar a existncia dos seguintes tipos de fontes de poluio atmosfricas, pontuais, difusas e mistas.

Conforme Santos (2002) existem atividades humanas que potencializam a poluio dos sistemas hdricos em geral, como por exemplo, o derramamento de esgoto domstico que corresponde a gua utilizada para higiene pessoal, o depsito de lixo que possuem resduos slidos de atividades domsticas, hospitalares e agrcolas, as industrias que apresentam uma grande variao tanto na sua composio como na sua vazo, refletindo seus processos de produo e entre outras atividades poluidoras. 3. Caracterstica do Canal de Medeiros

Rio das ostras ummunicpiobrasileirodoestadodoRio de Janeiro. Localiza-se naRegio dos Lagos, a 2231'37" de latitudesule 4156'42" delongitudeoeste, a umaaltitudede 4metros. Suapopulaoaferida de acordo com IBGE(2010) foi de 105.757 habitantes.

Dotado de belaspraias, tem recebido altos investimentosaplicveis em infra-estrutura provenientes dosroyalties concedidos pelaPetrobrasna rea em questo.

O bairro recanto possui um grande contingente de pessoas, situado ao litoral do municpios com caractersticas ridas e ressecadas. Grande parte das ruas no possuem pavimentao e nem calamento. Nesta localidade existe um rio que corta a avenida Rio branco. Este rio a qual designado como canal de Medeiros um afluente da bacia hidrogrfica do Rio So Joo que passa pelo bairro do Recanto.

O canal de Medeiros um afluente que est poludo devido ao do homem, que ao decorrer dos anos vem despejando esgoto diretamente no leito do rio, alm de depositar lixos e diversos detritos poluentes.

2.3 Canal de Medeiros e seus problemas ambientais

A Poluio do Canal de Medeiros tem prejudicado a qualidade de vida de quem vive nas proximidadesdo canal. Peixes mortos, sacolas plsticas, pneus, lixos dos mais variados tipos e at mesmo a parte de um sof, so apenas alguma das coisas que podem se