trabalho de medicina nuclear(av2)

Download Trabalho de Medicina Nuclear(AV2)

Post on 04-Jul-2015

247 views

Category:

Documents

29 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Cintilografia do aparelho gnito-urinrio gnito-

Funes RenaisRegulao do volume de gua do organismo; Controle do balano eletroltico; Regulao do equilbrio cido-base; Conservao de nutrientes; Excreo de resduos metablicos; Regulao de hemodinmica renal e sistmica; Participao na produo das hemcias; Participao na regulao do metabolismo sseo de clcio e fsforo.

7.1. Introduo 1950-1968 I-131-OIH (ortoiodohipurato), estudos com gamaprobe 1970-1986 Tc-99m-DTPA/DMSA, estudos em gama-cmara 1986 Tc-99m-MAG3 7.2. Fisiologia renal A fisiologia renal consiste em dois mecanismos: filtrao passiva atravs do glomrulo e a secreo tubular ativa Escolha do radiofrmaco depende de suas propriedades de captao 1. captao por filtrao glomerular 2. captao por secreo tubular 3. manuteno no tbulo renal por um perodo maior

7.3. Aplicaes clnicas Insuficincia renal aguda e crnica Anormalidades vasculares Hipertenso renovascular Uropatias obstrutivas Refluxo vesico-ureteral Pielonefrite Trauma renal Avaliao de transplante renal Anomalias congnitas Epididimite e toro testicular

7.4. Radiofrmacos 99mTc-DTPA (cido dietilenotriaminopentactico) Molcula quelante que se liga ao Tc-99m. Meia-vida biolgica de 2h. Mecanismo de captao 100% atravs de filtrao glomerular. til na avaliao do fluxo sanguneo pr-renal, funo renal e integridade do sistema ps-renal. 99mTc-DMSA (cido dimercaptosucinico) Mecanismo de captao 40 a 50% se fixa no crtex tubular renal por um perodo prolongado (6h). Atinge 70% de concentrao renal 24h aps a injeo. Excreo muito lenta. til na avaliao de funo renal, cicatriz renal e infeco renal. 99mTc-MAG3 (mercaptoacetiltriglicina) Se liga a protenas. Extrao de 1 passagem maior do que a com DTPA. Mecanismo de captao 100% tubular. H excreo tubular. til na avaliao de funo renal.

99mTc-EC (etilenodicestena) Equivalente ao MAG3. 131I-OIH (ortoiodohipurato) Utilizado por anos at o aparecimento do Tc-99m. O hipurato deve ser mantido a 4C e protegido da luz. H necessidade de soluo saturada de potssio iodado ou soluo de lugol para evitar a captao de radioiodo no marcado pela tireide. Meia-vida biolgica de 1h. Mecanismo de captao 80% tubular e 20% glomerular.

7.5. Mtodos de investigao renal A avaliao do sistema genito-urinrio se d atravs de 4 mtodos principais: Perfuso renal Imagem funcional (Renograma) Quantificao renal Imagem esttica 7.5.1. Perfuso renal Exame dinmico realizado durante o primeiro minuto aps injeo i.v. de 5mCi de 99mTc-DTPA, EC ou MAG3. Injeo em bolus (fluxo) brao garroteado, injeta volume at 1mL, solta garrote e injeta soro fisiolgico. A perfuso corresponde fase vascular, representando visualmente o fluxo artico e renal. As contagens obtidas so ento transformadas em curvas atividade x tempo.

7.5.2. Renograma A imagem funcional obtida atravs de 29 imagens de 1min cada. Assim, possvel avaliar a quantidade de material que chega a cada rim. O renograma ou estudo renal dinmico a resultante de mltiplos fenmenos fisiolgicos e se divide em 3 fases: 1- Subida abrupta da atividade durante um curto espao de tempo corresponde a chegada do material nos rins. 2- Aumento contnuo, porm menos rpido. Se deve retirada do radiofrmaco da circulao por filtrao glomerular ou secreo tubular. O material eliminado junto com a urina. O pico mximo, em indivduos normais, se d entre 3 e 5min. A partir de ento h queda acentuada da captao. 3- Na ausncia de obstruo do trato urinrio e fluxo urinrio adequado h queda acentuada e prolongada.

7.5.3. Quantificao renal Clculo da taxa de filtrao glomerular quando utilizado o DTPA, essencialmente filtrado pelos rins, ou clculo do fluxo plasmtico renal efetivo quando utilizado o MAG3, secretado 80% pelos tbulos renais. 7.5.4. Imagem esttica Para a imagem esttica utiliza-se o DMSA. Em incidncia anterior pode-se avaliar anomalias congnitas, como rim em ferradura, cicatrizes renais resultantes de refluxo vesico-ureteral ou infeco. Atualmente, utiliza-se tambm o MAG3.

Cintilografia renal normal com 99mTc-DTPA

Cintilografia renal e curva atividade/tempo com 131I-OIH.

Cintilografia renal com 99mTc-MAG3

Cintilografia com 99mTc-DTPA normal Tc-

Cintilografia renal com 99mTc-DMSA

7.6. Provas funcionais renais 1-Teste do Captopril til na avaliao de hipertenso renovascular. Padro-ouro arteriografia (invasiva, cara, no detecta anormalidade fisiolgica). O captopril um inibidor da Enzima conversora de angiotensina (ECA) e utilizado no tratamento da hipertenso essencial. H bloqueio da ao da renina (angiotensinogniopangiotensina1). O teste consiste na administrao oral de 50mg de captopril 1h antes do estudo renal dinmico. Se a hipertenso for de origem renovascular no haver vasoconstrio e a filtrao glomerular diminuir. A curva no renograma mostrar um alargamento do pico e um aumento do tempo parenquimatoso. Necessidade de um estudo basal.

2- Estudo com diurtico til na avaliao de paciente com dilatao do trato urinrio alto, podendo confirmar hidronefrose e obstruo, bem como sua repercusso sobre a funo renal. Administrao intravenosa de diurtico (furosemida-lasix) 15min aps o inicio do renograma (3 fase). Quando a dilatao ocorre em funo de uma obstruo a resposta ao diurtico inexistente ou pouco acentuada. Quando ocorre dilatao sem obstruo das vias excretoras, o aumento da quantidade de urina acarreta uma rpida eliminao do radiofrmaco, traduzida por uma modificao brusca na curva.

Cintilografia renal teste do captopril positivo

Com captopril

Sem captopril

Cintilografia renal estenose bilateral art renal

Com captopril

Sem captopril

Cintilografia renal obstruo

Sem diurtico

Com Diurtico

Cintilografia renal hidronefrose no-obstrutiva

7.7. Transplante renal Cintilografia renal doador Cintilografia renal ps-Tx Rejeio, NTA, Toxicidade medicamentosa Cintilografia para avaliao de complicaes cirrgicas vazamento urinrio, hematoma, infeco, obstruo, estenose. 7.8. Pielonefrite e refluxo vsico-ureteral

Cintilografia com 99mTcDMSA em criana de 3 anos com pielonefrite aguda

Refluxo vsico-ureteral: Existem dois mtodos: cistografia isotpica direta e indireta Direta cateterizao vesical para introduo do radiofrmaco via soro fisiolgico. Imagens seqenciais de intervalos de 10seg. Esttica aps mico. Mais sensvel que a uretrocistografia e cistografia isotpica indireta. Indireta Vantagem de demonstrar RVU em condies fisiolgicas, sem cateterizao. Imagens pr, durante e ps mico. 7.9. Cintilografia Escrotal Diagnstico diferencial entre toro testicular e epididimite, como causa de dor aguda. Fluxo sanguneo testicular, imagens seqenciais de 2seg durante 60seg aps iv de 99mTcO4- (pertecnetato de sdio). Epididimite acentuado aporte sanguneo para hemibolsa afetada.

Cistografia isotpica direta Refluxo vesicoureteral

Cintilografia com 99mTcDMSA demonstrando seqela de pielonefrite

Cistografia isotpica indireta com 99mTcDTPA mostrando RVU bilateral

Cintilografia escrotal

Cintilografia com 99mTcO - Na em 4 paciente com toro testicular

Cintilografia com Na99mTcO4- em paciente com epididimite em hemibolsa direita

Cintilografia com 99mTc-DMSA - Pielonefrite

Cintilografia com 99mTcDTPA em paciente transplantado renal com necrose tubular aguda

Cintilografia basal com 99mTc-DTPA de paciente com suspeita de hipertenso renovascular

Cintilografia com captopril com 99mTc-DTPA

Cintilografia com 99mTc-MAG3 mostrando escape urinrio do rim esquerdo

Cintilografia com 99mTc-DMSA mostrando rim em ferradura

Cintilografia com 99mTc-DTPA mostrando rim plvico