trabalho - contabilidade financeira

Download Trabalho - Contabilidade Financeira

Post on 11-Aug-2015

10 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Trabalho de Contabilidade Financeira

Questes Captulo 3

1. Compreender o efeito da depreciao sobre os fluxos de caixa da empresa, o valor deprecivel de um ativo, sua vida til e os mtodos de depreciao para fins ficais. RESP.: Nesta questo o intuito foi apresentar de que forma a depreciao lanada no fluxo de caixa, a depreciao lanada no final com sinal positivo, como se fosse uma entrada de caixa. Veja um exemplo de fluxo de caixa. FLUXO DE CAIXA SIMPLIFICADO ANO X (em R$) Saldo inicial (+) receita vendas (-) custo dos produtos (-) despesas (+) depreciao Saldo final 10.000,00 80.000,00 (40.000,00) (30.000,00) 20.000,00 40.000,00

Para melhor compreenso, suponha que uma empresa fabricante de alimentos adquira uma nova mquina para embalar seus produtos por R$ 100.000,00. Toda mquina tem uma vida til e deixa de ser utilizada aps um tempo, seja por desgaste pelo uso, ou por se tornar tecnologicamente obsoleta. A depreciao pode ser vista como uma forma de distribuir o custo da mquina ao longo de uma vida til pr-determinada. Obviamente, quando se compra uma mquina, no se tem certeza do perodo de tempo durante o qual ser usada. Ela pode quebrar aps 2 anos de uso ou pode ser usada durante 30 anos ou mais. A Legislao Tributria determina a vida til a ser considerada para efeito de depreciao para os diversos tipos de bens (ativos). Mquinas de produo normalmente tm vida til estipulada entre 5 e 10 anos. Vamos considerar no exemplo em questo que a vida til seja de 5 anos.

Isso significa que a empresa poder lanar a cada ano uma despesa de R$ 20.000,00 a ttulo de depreciao (R$ 100.000,00 em 5 anos = R$ 20.000,00 por ano). Este o sistema de depreciao linear, o mais comumente utilizado. H outros sistemas em que o valor da despesa de depreciao no constante ao longo da vida til. A empresa, portanto, lanar durante 5 anos uma despesa de R$ 20.000,00. Porm, a depreciao uma despesa chamada no-desembolsvel, porque a quantia referente no sai do caixa da empresa. Em nosso exemplo, a empresa pagou o valor da mquina no momento da compra (ela pode ter feito um financiamento, nesse caso o valor da mquina entra como dvida da empresa). Vamos supor que o ano X acima seja o terceiro ano de utilizao da mquina. A depreciao desse ano - no valor de R$ 20.000,00 - no saiu do caixa da empresa, mas sim saiu do caixa no momento da compra da mquina. (A depreciao lanada no grupo custo dos produtos ou no grupo despesas). Esse valor ento devolvido no fluxo de caixa, compensando a sada que no foi concreta. As empresas apuram o lucro todo ano (atravs da DRE - Demonstrao do Resultado do Exerccio), e esse lucro apurado, entre outras funes, serve como base para o clculo do IR e outros tributos, e tambm para a distribuio de lucros/dividendos para scio acionistas. Um dos principais efeitos da depreciao diminuir o lucro apurado, fazendo com que a empresa pague menos tributos e distribua menos dividendos, com relao ao que faria se no houvesse a despesa de depreciao. DRE SIMPLIFICADA ANO X (em R$) Receita vendas 80.000,00 (-) custo dos produtos vendidos (40.000,00) (-) despesas diversas (10.000,00) (-) despesa depreciao (20.000,00) Lucro apurado 10.000,00 Receita vendas 80.000,00

A tabela acima mostra a DRE simplificada da empresa em questo, onde possvel ver que dentro das despesas de R$ 30.000,00 (mostradas no fluxo de caixa mais acima) h a despesa de depreciao no valor de R$20.000,00. Do ponto de vista gerencial, o fluxo de caixa tem uma importncia maior para as empresas, porque ele que mostra efetivamente a situao financeira, se vai faltar dinheiro em determinado perodo e se ser necessrio um emprstimo de capital de

giro, por exemplo. O que o fluxo de caixa faz, basicamente, pegar a DRE e somar as despesas no desembolsveis, porque como vimos, nessas despesas o valor referente no gasto. Por exemplo, no ano 5 a empresa lanar R$ 20.000,00 como despesa de depreciao. Esse dinheiro sair do caixa da empresa? No, a depreciao serve para distribuir o valor gasto no momento da compra ao longo da vida til, por isso o fluxo de caixa "devolve" esse valor como se fosse entrada de caixa. A despesa de depreciao, que entra na DRE com sinal negativo, sai no fluxo de caixa com sinal positivo.

2. Discutir a demonstrao de fluxos de caixa, o fluxo de caixa operacional e o fluxo de caixa livre da empresa. RESP.: A Demonstrao do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatrio obrigatrio pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto ou com patrimnio lquido superior a R$ 2.000.000,00 (dois milhes de reais). Esta obrigatoriedade vigora desde 01.01.2008, por fora da Lei 11.638/2007, e desta forma torna-se mais um importante relatrio para a tomada de decises gerenciais. A Deliberao CVM 547/2008 aprovou o Pronunciamento Tcnico CPC 03, que trata da Demonstrao do Fluxo de Caixa. De forma condensada, esta demonstrao indica a origem de todo o dinheiro que entrou no caixa em determinado perodo e, ainda, o Resultado do Fluxo Financeiro. Assim como a Demonstrao de Resultados de Exerccios, a DFC uma demonstrao dinmica e tambm est contida no balano patrimonial. A Demonstrao do Fluxo de Caixa ir indicar quais foram s sadas e entradas de dinheiro no caixa durante o perodo e o resultado desse fluxo. A apresentao do Relatrio de Fluxo de Caixa seguem as tendncias internacionais, o fluxo de caixa pode ser incorporado s demonstraes contbeis tradicionalmente publicadas pelas empresas. Basicamente, o relatrio de fluxo de caixa deve ser segmentado em trs grandes reas:

Atividades Operacionais: As Atividades Operacionais so explicadas pelas receitas e gastos decorrentes da industrializao, comercializao ou prestao de servios da empresa. Estas atividades tm ligao com o capital circulante lquido da empresa. Atividades de Investimento: As Atividades de Investimento so os gastos efetuados no Realizvel a Longo Prazo, em Investimentos, no Imobilizado ou no Intangvel, bem como as entradas por venda dos ativos registrados nos referidos subgrupos de contas.

Atividades de Financiamento: As Atividades de Financiamento so os recursos obtidos do Passivo No Circulante e do Patrimnio Lquido. Devem ser includos aqui os emprstimos e financiamentos de curto prazo. As sadas correspondem amortizao destas dvidas e os valores pagos aos acionistas a ttulo de dividendos, distribuio de lucros.

O fluxo de caixa livre utiliza o fluxo de caixa operacional, ou seja, o fluxo proveniente das operaes da empresa aps os impostos sem considerar a estrutura de financiamento da empresa (emprstimos). o total de dinheiro disponvel na empresa aps considerar os investimentos (ativos permanentes) e necessidades de capital de giro, assumindo que no existe pagamento de juros (despesas financeiras). Deve ser adicionando tambm as despesas que no geram sadas de caixa, por exemplo, a depreciao e a amortizao. O fluxo de caixa livre pode ser calculado da seguinte forma:

3. Compreender o processo de planejamento financeiro, incluindo os planos financeiros de longo prazo (estratgicos) e os planos financeiros de curto prazo (operacionais). RESP.: O processo de planejamento financeiro decorre da necessidade da empresa em crescer, de forma ordenada, tendo em vista a implantao e a adequao de padres, princpios, mtodos, tcnicas e procedimentos racionais, prticos e competitivos no tempo. O sistema oramentrio global consiste em: planejar todas as atividades a serem desenvolvidas para que possam ser cumpridas; projetar a obteno de todos os recursos necessrios, dentro de determinado prazo, para fazer

o planejamento acontecer na empresa; controlar as etapas medida que so executadas; e avaliar periodicamente os valores realizados com os valores planejados. O planejamento financeiro tem como finalidade agregar os vrios planos divisionais da empresa em um todo, para assim estabelecer metas concretas e medir o sucesso para o alcance dessas metas na empresa. Portanto, o resultado do processo de planejamento financeiro e um conjunto de projetos na forma de demonstraes financeiras projetadas e oramentos. Dessa forma quanto mais longe for a projeo menos detalhado ser o plano financeiro, causando assim um resultado de planejamento no muito consistente. O planejamento financeiro e uma parte fundamental da administrao financeira, e atravs deste que so tomadas as decises das necessidades de caixa de uma empresa. O planejamento financeiro auxilia e analisa o ciclo operacional. Dessa forma o administrador financeiro pode conseguir manter baixos os custos de financiamentos e evitar elevados estoques e excesso de capacidade produtiva. Com um adequado plano financeiro o administrador pode conduzir as melhores decises mesmo com as mudanas na atividade econmica. Planejamento financeiro e um processo de projees das necessidades de caixa, de controle de custos, fixao de metas de vendas futuras e lucros, da deciso da melhor alocao de recursos escassos e do desenvolvimento de estratgias alternativas para evitar possveis problemas caso os planos existentes no funcionem. um trabalho que envolve uma serie de decises futuras, para ter maior eficcia precisa estar embasado em informaes confiveis. As informaes de que se vale o administrador financeiro esto normalmente contidas em relatrios e demonstrativos contbeis, e quanto mais exatas forem as informaes apuradas, mais acertadas sero as decises tomadas.

Quatro etapas principais compem o planejamento: 1. 2. 3. 4. Estabelecimento dos objetivos a alcanar; Tomada de decises a respeito das aes futuras; Elaborao de planos: e Ao.

O planejamento, portanto, comea com a determinao dos objetivos e posteriormente detalha os planos necessrios para atingi-los da melhor forma possvel. Planejar definir os objetivos e escolher antecipadamente o melhor curso

de ao para alcan-los. O planejamento define onde se pretende chegar, o que deve ser feito, quando, como e em que sequncia. De acordo com seu grau de amplitude, o planeja

View more