trabalho ava slide share

15
PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLITICAS SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLITICAS EDUCACIONAIS EDUCACIONAIS DIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL DIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL

Upload: rosana-florenca

Post on 11-Aug-2015

104 views

Category:

Documents


0 download

TRANSCRIPT

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDEPREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDESECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃOSECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLITICAS SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLITICAS EDUCACIONAISEDUCACIONAIS

DIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONALDIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL

PESQUISA: PRINCÍPIO PESQUISA: PRINCÍPIO CIENTÍFICO E CIENTÍFICO E EDUCATIVOEDUCATIVO

http://3.bp.blogspot.com/_8bfVZgTOvZE/TCfdWwDCQYI/AAAAAAAAATg/gMmlfAWozxg/s320/crianca+no+computador_thumb%5B1%5D.jpg

QUESTÃO QUESTÃO CURRICULARCURRICULAR

• Bastaria trazer à cena a pesquisa como princípio científico, para demarcar o absurdo que é o mero ensinar e o mero aprender.

• Entende-se como simples repassador de conhecimento alheio.

• Não deixa sequer tempo para pensar em qualidade formal e mérito acadêmico conquistado.

• Não detém qualidade formal mínima, no sentido de ter aprendido bem a sua matéria.

• A Universidade está marcada fortemente por essa dupla precariedade, o que lhe transmite imagem insistente de conservadorismo por não estar fecundada pela pesquisa.

• Basta colocar a necessidade de elaboração própria, para tornar-se imprescindível o acesso a livros, tempo para discutir e escrever, condição econômica de auto-sustentação razoável.

• O importante é compreender que sem pesquisa não há ensino. A ausência de pesquisa degrada o ensino a patamares típicos da reprodução imitativa.

EM TERMOS IDEAIS, PODEMOS COLOCAR EM TERMOS IDEAIS, PODEMOS COLOCAR PARA O PROFESSOR EXIGENCIAS TAISPARA O PROFESSOR EXIGENCIAS TAIS::

• Exigência de pesquisa;• Possuir domínio teórico;• Possuir habilidade de manuseio de

dados empíricos;• Versatilidade metodológica;• Experiência prática;• Criar espaços alternativos de

compreensão e intervenção;

• Ser capaz de estabelecer atitude de diálogo com a realidade;

• Ser construtor de conhecimento novo e agente de mudança na sociedade.

A QUESTÃO DA A QUESTÃO DA AVALIAÇÃOAVALIAÇÃO

• Avaliar é pesquisar, se bem compreendido.

• Forma mais fecunda e conveniente de avaliar é motivar a produção cientifica em ambiente próprio, com liberdade acadêmica na qual o estudante possa enfrentar o desafio de crescer por si.

EDUCAÇÃO, PESQUISA E EDUCAÇÃO, PESQUISA E EMANCIPAÇÃOEMANCIPAÇÃO

• Pesquisa faz parte da noção de vida criativa em qualquer tempo e me qualquer lugar.

• O conceito de pesquisa é fundamental porque está na raiz da consciência crítica questionadora.

• Sobretudo atitude política emancipatória de construção do sujeito social competente e organizado.

LIMITAÇÕES DO APENAS LIMITAÇÕES DO APENAS ENSINARENSINAR

• O professor vale pelo que instrui - a criança precisa também literalmente aprender – mas sobretudo pelo que motiva a emancipação social, técnica e politicamente. Assim, a crítica aqui formulada volta-se contra o “mero ensinar” que, no devido lugar é instrumento necessário. Instruir bem é arte, mesmo menor. Mas é diferente o instruído domesticado de quem se instruir para se construir e reconstruir.

LIMITAÇÕES DO APENAS LIMITAÇÕES DO APENAS APRENDERAPRENDER

• Em boa parte, o desafio da qualidade política está em fomentar a iniciativa do aluno, sobre tudo aquela organizada. Não qualquer iniciativa, porque não é assim que de repente, tudo cabe na escola, levando a prejudicar a qualidade formal. Mas aquela iniciativa que decorre e fecunda o espaço escolar nele e fora dele. O “mero aprender” estiola o desafio técnico e político da educação, matando a expectativa preventiva, emancipatória, redistributiva e equalizadora, cabível em sujeitos sociais que aprendem a aprender.

VAZIOS DA ESCOLA VAZIOS DA ESCOLA FORMALFORMAL

• Reivindicar a pesquisa na escola formal significa, por coerência, refazer, algo da autocrítica.

• A escola precisa assumir papel de espaço cultural comunitário, no qual seja possível discutir efetivar interesses comunitários relativos à educação.

• Precisa constituir-se patrimônio do professor público, porque além de palco da realidade profissional, a escola é, através de suas mãos, lugar estratégico da formação da cidadania popular.

REFERÊNCIAREFERÊNCIA

Demo, Pedro, Pesquisa princípio científico e educativo. 12 ed. São Paulo: Cortez 2006.