toxicologia de cianobactÉrias

Download TOXICOLOGIA DE CIANOBACTÉRIAS

Post on 03-Feb-2017

226 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Vitor Manuel de Oliveira e Vasconcelos

    TOXICOLOGIA DE CIANOBACTRIAS

    Distribuio de cianobactrias txicas e suas toxinas em guas doces portuguesas. Bioacumulao em bivalves

    Porto-1995

  • Vtor Manuel de Oliveira e Vasconcelos

    <

    TOXICOLOGIA DE CIANOBACTRIAS

    Distribuio de cianobactrias txicas e suas toxinas em guas doces portuguesas. Bioacumulao em bivalves

    Dissertao para obteno do grau de Doutor em Ecologia Aplicada apresentada Faculdade

    de Cincias da Universidade do Porto

  • De acordo com o n 2 do Artigo 8 do Decreto-Lei n 388/70, foram utilizados, em parte, resultados contidos nos seguintes trabalhos j publicados ou em publicao, pessoais ou de colaborao:

    VASCONCELOS, V.M., 1993. Toxicity of cyanobacteria of lakes of North and Central Portugal. Ecological implications. Verh.Internat. Verein. Limnol. 25: 694-697

    VASCONCELOS, V.M., 1994. Toxic cyanobacteria (blue-green algae) in Portuguese freshwaters. Arch. Hydrobiol. 130(4):439-451

    VASCONCELOS, V.M., 1994. Ocorrncia de cianobactrias txicas e suas toxinas em massas de gua portuguesas utilizadas para consumo e recreio. Actas do 2o Congresso da gua. Vol. 111:295-301

    VASCONCELOS, V.M., 1994. Toxic cyanobacteria (blue-green algae) in Portuguese freshwaters. In "Detection Methods for Cyanobactenal Toxms", G.A. Codd, T.M. Jefferies, C.W. Keevil e E. Potter (eds.). The Royal Society of Chemistry, Cambridge: 133-135

    VASCONCELOS, V.M., 1995. A eutrofizao de rios ibricos. Propostas para a sua monitorizao. Resumos do Io Congresso Ibrico de Contaminao e Toxicologia Ambiental. Coimbra 5-8 Maro 1995

    VASCONCELOS, V.M.; EVANS, W.R.; CARMICHAEL, WW. & M. NAMIKOSHI, 1993. Isolation of microcystin-LR from a Microcystis (Cyanobacteria) bloom collected in the drinking water reservoir for Porto, Portugal. J. Env. Sci. Health. 28(9): 2081-2094

    VASCONCELOS, V.M., Uptake and depuration of the peptide toxin microcystin-LR in the mussel Mytilus galloprovinciallis. Aquatic Toxicology (em publicao)

    VASCONCELOS, V.M., SIVONEN, K, EVANS, W.R., CARMICHAEL, WW. & NAMIKOSHI, M., Isolation and characterization of microcystins (heptapeptide hepatotoxms) from Portuguese strains of Microcystis aeruginosa Kutz. emed Elekrn. Arch. Hydrobiol. (em publicao)

    VASCONCELOS, V.M., SIVONEN, K, EVANS, W.R., CARMICHAEL, WW. & NAMIKOSHI, M., Hepatotoxic microcystin diversity in cyanobacterial blooms collected in Portuguese freshwaters. (submetido)

    Em todos os trabalhos, o autor responsvel pelo projecto de investigao, tendo participado no isolamento de estirpes de cianobactrias, na avaliao da sua toxicidade, no isolamento e purificao das toxinas, e em todo o trabalho de acumulao e depurao de hepatotoxinas por mexilhes, bem como na interpretao, discusso e redaco dos resultados.

  • AGRADECIMENTOS

    Este trabalho no teria sido possvel sem a colaborao e apoio de inmeras pessoas e instituies, aos quais agradeo:

    Prof. Dr8 M. Leonor Fidalgo, minha orientadora, por todo o apoio e disponibilidade demonstrados ao longo deste trabalho. Agradeo ainda as sugestes e crticas com as quais este trabalho foi tomando forma.

    Ao Prof Dr. Wayne Carmichael, da Wright State University, meu co-orientador, por toda a amizade, apoio e incentivo desde os primeiros momentos de idealizao deste trabalho. A sua disponibilidade e sugestes, quer nos meus perodos de estadia no seu laboratrio, quer durante o restante tempo, foram inexcedveis. Agradeo ainda o seu apoio que sempre me incentivou mesmo em perodos mais difceis.

    Aos Prof. Dr8 M. Helena Galhano e Jorge Eiras, anterior e actual Presidentes da Direco do Instituto de Zoologia "Dr. Augusto Nobre", pelas disponibilidades de utilizao de equipamento e instalaes do IZAN e da Estao de Zoologia Martima onde realizei parte deste trabalho.

    Dr8 Kaarina Sivonen, da Universidade de Helsnquia, pela amizade e empenho que colocou na orientao do meu trabalho aquando da minha visita ao seu laboratrio, no Departamento de Qumica Aplicada e Microbiologia da Universidade de Helsnquia. No posso esquecer a sua disponibilidade constante, o apoio e ensinamentos e o facto de me ter proporcionado condies de trabalho excepcionais. Tal passou, entre outros aspectos, tambm pelo apoio de alguns dos seus colaboradores, dos quais no quero deixar de mencionar o Leo, a Jaana, o Jarkko, o Micce e a Riitta, que me mostraram que tambm se pode estudar a toxicologia de cianobactrias na "Sauna", com uma "Olut", aps o "Vappu".

    Ao Conselho Cientfico da Faculdade de Cincias da Universidade do Porto, atravs da Comisso do Grupo de Zoologia/Antropologia pela possibilidade de concesso de equiparao a bolseiro, que me permitiu realizar parte do trabalho na Finlndia e nos EUA.

    Durante as minhas visitas ao laboratrio do Prof. Wayne Carmichael, no posso deixar de agradecer todo o apoio de alguns tcnicos e estudantes entre os quais o Dr. Bill Evans, que com a sua pacincia inesgotvel nunca se enfureceu com as avarias nos HPLC. Agradeo-lhe ainda o facto de ter realizado as anlises de aminocidos s inmeras amostras que lhe confiei. Tambm quero agradecer ao Tony e ao JiSi, por todo o apoio nas anlises e purificao das toxinas. No posso ainda esquecer a Sandra Azevedo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que visitou este laboratrio nas mesmas ocasies que eu. O seu apoio, crticas e incentivos foram por demais importantes, fazendo que essas estadias fossem sentidas mais em portugus.

    Ao Dr. Michio Namikoshi, na altura na Universidade de Illinois, USA, e agora na Tokyo University of Fisheries, no Japo, quero agradecer as inmeras anlises de FABMS que fez s minhas amostras, bem como todas as sugestes e crticas aos resultados.

  • A Dr3 Filomena O. Arajo, da Direco Geral da Sade quero agradecer o apoio resultante do seu interesse comum pelas cianobactrias que a ambos preocupa. Os seus conhecimentos de Sade Pblica, especialmente na rea da qualidade da gua, tm-me sido de uma enorme utilidade.

    Aos Prof. Dr. Amadeu Soares, da Universidade de Coimbra e Antnio M.F. Rodrigues da Universidade Nova de Lisboa, quero agradecer as oportunidades de "fertilizao cruzada" possvel graas aos projectos conjuntos, que, apesar de me terem dispersado um pouco para longe da minha tese, permitiram confirmar que a Cincia algo de colectivo.

    Dr* Rosrio Norton, da DRARN Norte, agradeo a obteno de algumas amostras de cianobactrias do rio Minho e a possibilidade de colaborarmos, em discusses e trabalhos, na rea da qualidade da gua.

    A Eng3 Margarida Conte de Barros, do INAG, agradeo o interesse demonstrado neste assunto, e a sua preocupao em ajudar a sensibilizar os responsveis pela gua, que o fitoplncton no deve ser esquecido. Agradeo ainda a ideia, o empenho e as criticas, na concretizao da brochura sobre cianobactrias.

    As Dr3 Raquel Branco e Conceio Guimares, do IZAN, agradeo a disponibilizao de algumas amostras de fitoplncton de albufeiras do Douro, que me permitiram o isolamento de algumas das estirpes de Microcystis aeruginosa.

    Aos meus colegas Nuno Ferrand, Paulo Alexandrino, Paulo Clio, Antnio Paulo, T Mrias e David Gonalves, que apesar de leigos em questes de cianobactrias, conseguiram criar um ptimo ambiente de trabalho que ajudou a superar situaes e perodos menos fceis.

    A Piedade, que alm de partilhar o mesmo interesse cientfico por estes organismos letais, leu e criticou este trabalho. Ao Z, que alm de ter colaborado em algumas das "expedies", ficou capaz de distinguir a olho n colnias de Microcystis. Natividade, pela pacincia e amizade com que suporta o meu bom e mau humor e pela leitura crtica deste trabalho. Ao Francisco, por todo o profissionalismo com que executou muitas das figuras deste trabalho, bem como por todo o apoio e amizade.

    A antigos e actuais alunos que colaboraram na colheita, isolamento, cultura e avaliao de toxicidade de cianobactrias quero, tambm, expressar aqui o meu agradecimento e em especial a lvaro Amorim, Teresa Campos, Sandra Oliveira, Vitor Lima, Osrio Matias, Cristina Moutinho, Rosrio Martins e Anabela Pereira.

    Aos funcionrios do Instituto de Zoologia e Estao de Zoologia Martima "Dr. Augusto Nobre", em especial ao Sr. Pedro Correia, por todo o apoio em partes experimentais deste trabalho.

    Agradeo ainda s seguintes Instituies:

    Ao Instituto Nacional de Investigao Cientfica - INIC - por ter financiado a minha deslocao ao XXV Congresso da SIL , Espanha em 1993.

    A Fundao Calouste Gulbenkian pelo apoio s minhas deslocaes para partcipar na Gordon Research Conference - GRC - on Mycotoxins and Phycotoxins, EUA em 1991 e amda para realizar um estgio na Wright State University - WSU, EUA, em 1993.

  • A Junta Nacional de Investigao Cientfica e Tecnolgica - JNICT - por ter financiado um estgio na WSU, EUA em 1991 (INVOTAN) e subsidiado a minha deslocao III European Conference on Ecotoxicology, Suia, 1994.

    Fundao Luso-Americana para o Desenvolvimento - FLAD - por ter financiado a minha deslocao para participar na GRC on Mycotoxins and Phycotoxins, EUA em 1993.

    A European Science Foundation - ESF - por ter financiado o estgio que realizei na Universidade de Helsnquia, Finlndia em 1993.

    minha famlia, em especial aos meus pais e aos tios Jorge e Natlia, que tornaram possvel este

    percurso que me conduziu at aqui. A eles, dedico todo este trabalho.

  • "... Os peixes do rio morreram, as guas do rio ficaram infectadas e os egpcios no as podiam beber. E, em vez de gua, s havia sangue por todo o Egipto..."

    In "Livro do xodo"

    " As albufeiras surgem ligadas civilizao e, como pecado original, levam consigo a tendncia eutrofizao e contaminao ..."

    Ramn Margalef in "Limnologia"

    " No ano 2000, todas as pessoas devem ter acesso a adequado fornecimento d