topicos em literatura

Download Topicos em literatura

Post on 30-Jun-2015

86 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. LITERATURA Professora: Valeria Nunes O que Literatura? Gneros literrios Texto literrio x no-literrio Estilos

2. LITERATURA A ARTE DA LINGUAGEM ESCRITA, QUE EXPLORA TODAS AS POTENCIALIDADES DE COMUNICAO E EXPRESSO E CAPAZ DE TRANSPOR LIMITES DE TEMPO E ESPAO. 3. DIFERENAS ENTRE UM TEXTO LITERRIO E UM NO-LITERRIO: TEXTO LITERRIO:TEXTO LITERRIO: nfase na expresso; linguagem conotativa (figurada); linguagem mais pessoal, emotiva; recriao da realidade; ambigidade recurso criativo. 4. Texto 1: Uma nuvem colossal em forma de cogumelo sobre a cidade japonesa de Hiroxima assinala a morte de 80 mil de seus habitantes vtimas do primeiro ataque nuclear do mundo, em 6 de agosto de 1945. O lanamento da bomba, uma das duas nicas do arsenal americano, foi feito para forar os japoneses rendio. Como no houve resposta imediata, os americanos lanaram outro artefato remanescente sobre Nagasaqui e os russos empreenderam a prometida invaso Manchria. Uma semana depois, o governo japons concordou com os termos da rendio e a capitulao formal foi assinada em 2 de setembro. (A sombra dos ditadores, Histria dos ditadores, 1993, p.88) 5. Texto 2 A ROSA DE HIROXIMA (Vincius de Moraes) Pensem nas crianas Mudas telepticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas como rosas clidas 6. mas oh no se esqueam Da rosa, da rosa Da rosa de Hiroxima A rosa hereditria A rosa radioativa Estpida e invlida A rosa com cirrose A anti-rosa atmica Sem cor sem perfume Sem rosa sem nada. 7. CLASSIFICAO DAS ESTROFES: DSTICOSDSTICOS = 2 versos Ex. Cano do exlio (Jos Paulo Paes) Um dia segui viagem Sem olhar sobre o meu ombro No vi terras de passagem No vi glrias nem escombros. Guardei no fundo da mala Um raminho de alecrim. (...) 8. TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3 versos Ex. Os Lrios (Henriqueta Lisboa) Certa madrugada fria Irei de cabelos soltos Ver como nascem os lrios. Quero saber como crescem Simples e belos perfeitos! Ao abandono dos campos. (...) 9. QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos Ex. Infinito presente (Helena Kolody) No movimento veloz De nossa viagem, Embala-nos a iluso Da fuga do tempo. Poeira esparsa no vento, Apenas passamos ns. O tempo mar que se alarga Num infinito presente. 10. OITAVASOITAVAS = 8 versos Ex. Os Lusadas (Canto primeiro) - Cames As armas e os bares assinalados Que, da Ocidental praia Lusitana, Por mares nunca dantes navegados Passaram ainda alm da Taprobana, Em perigos e guerras esforados Mais do que prometia a fora humana, E entre gente remota edificaram Novo reino, que tanto sublimaram. 11. CLASSIFICAO DAS ESTROFES: DSTICOSDSTICOS = 2 versos TERCETOSTERCETOS = estrofes com 3 versos QUARTETOSQUARTETOS = 4 versos OITAVASOITAVAS = 8 versos DCIMASDCIMAS = 10 versos 12. 1. RIMAS: coincidncia de sons (total ou parcial) entre palavras no final ou no meio dos versos. Classificao das rimas:Classificao das rimas: Quanto categoria gramatical: POBRESPOBRES: as palavras que rimam pertencem mesma classe gramatical. Exemplo: .........situado (adjetivo) .........cresce (verbo) ..........parece (verbo) ........quebrado (adjetivo) RICAS: as palavras que rimam pertencem a classes gramaticais distintas. Exemplo: .............arde (verbo) .............distante (advrbio) ..............diamante (substantivo) ..............tarde (substantivo) 13. Quanto disposio ao longo do poema: ALTERNADAS ou CRUZADAS: Incendeia A Corao B Passeia A Paixo B PARALELAS ou EMPARELHADAS Aniquilar A Olhar A Montanhas B Entranhas B INTERPOLADAS ou OPOSTAS Espelho A Disfarce B Disfarar-se B Conselho? A VERSOS BRANCOSVERSOS BRANCOS soso os que no apresentamos que no apresentam rimarima 14. 1. MTRICA: o nmero de slabas poticas do verso. Na contagem das slabas mtricas (escanso), observam-se, geralmente, as seguintes normas: A leitura de um verso deve ser caracterizada pelo ritmo; Faz-se a contagem de slabas at a slaba tnica da ltima palavra; Acomodar as slabas seguindo a entonao. Eliso = supresso de sons ou a sinalefa = acomodao de vrios sons a uma nica slaba mtrica). 15. Exemplos: Ouviram do Ipiranga as margens plcidas Ou vi ram do I pi ran ga as mar gens pl ci das = 14 slabas gramaticais Ou vi ram doI pi ran gaAs mar gens pl = 10 slabas poticas 16. De um povo herico o brado retumbante De um po vo he ri co o - bra do re tum ban te = 14 sil. gramaticais Deum po vohe ri coo- bra do re tum ban = 10 sil. Poticas TAIS VERSOS SO DECASSILBICOS = 10 VERSOSTAIS VERSOS SO DECASSILBICOS = 10 VERSOS 17. A) _______(__slabas) E agora, Jos? A festa acabou, A luz apagou, O povo sumiu. (...) B) __________(___ slabas) Como so belos os dias Do despontar da existncia (...) C) __________(___ slabas) Tu choraste em presena da morte? Na presena de estranhos choraste? (...) 18. D) __________(___ slabas) Olhai! O sol descamba...A tarde harmoniosa Envolve luminosa a Grcia em frouxo vu, Na estrada ao som da vaga, ao suspirar do vento, De um marco poeirento um velho ento se ergueu. 19. RITMORITMO: a musicalidade implcita ou explcita no poema. A Banda (Chico Buarque) Estava toa na vida, O meu amor me chamou, Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor. (...) 20. GNERO DRAMTICO: textos para serem representados no palco. TRAGDIATRAGDIA: fato trgico que provoca reao de medo ou compaixo. Ex. dipo Rei, de Sfocles. COMDIACOMDIA: satirizao dos costumes sociais. Ex. O Rei da Vela, de Oswald de Andrade. DRAMADRAMA: envolve a tragdia e a comdia. Ex. Eles no usam black-tie, de G. Guarnieri. FARSAFARSA: pequena pea que critica a sociedade e seus costumes. Ex. A Farsa de Ins Pereira, de Gil Vicente. AUTOAUTO: pea breve, de tema religioso ou profano, de aspecto moralista. Ex. Auto da Barca da Glria, de Gil Vicente. 21. Gnero Dramtico O Pagador de Promessas - Dias Gomes ...Padre Na porta? Por que ele no entrava? No catlico? Z do Burro Tendo uma alma to boa, Nicolau no pode deixar de ser catlico. Mas no por isso que ele no entra na igreja. porque o vigrio no deixa. (Com grande tristeza) Nicolau teve o azar de nascer burro, de quatro patas. Padre Burro?! Ento esse... que voc chama de Nicolau, um burro?! Um animal?! Z do Burro Meu burro, sim senhor. Padre E foi por ele, por um burro, que fez essa promessa?... O Gnero Dramtico tem funo apelativa e desde a antiguidade clssica, teve grande importncia, pois, tanto em suas origens gregas e latinas como medievais, esteve sempre associado problemtica religiosa e seus rituais. 22. Gnero pico A palavra pico vem do grego pos narrativa, recitao (ao/espao/tempo) - tem funo referencial ou informativa As Epopias exaltam heris e contam os grandes feitos dos povos. Eneida, de Virglio Homero e Virglio Os Lusadas 23. Gnero pico Os Lusadas - Lus de Cames ... Vereis amor da ptria, no movido De prmio vil, mas alto e qusi eterno; Que no prmio vil ser conhecido Por um prego do ninho meu paterno. Ouvi: vereis o nome engrandecido Daqueles de quem sois senhor superno, E julgareis qual mais excelente, Se ser do mundo Rei, se de tal gente.... 24. ESCOLAS LITERRIAS: (OU ESTILOS DE POCA) Quinhentismo (1500 1601) Barroco (1601 1768) Arcadismo (1768 1836) Romantismo (1836 1881) Realismo/Naturalismo/Parnasianismo ( 1881 1922) Simbolismo (1893 1922) Pr-modernismo (1902 1922) 1 gerao. Modernista (1922 1930) 2 gerao. Modernista (1930 1945) 3 gerao. Modernista (1945 1960) Literatura contempornea (1960 at nossos dias)