tjpa cargo 27 caderno 25 - cloud object storage .d “fraquezas humanas” (r.11). em língua...

Download TJPA CARGO 27 CADERNO 25 - Cloud Object Storage .D “fraquezas humanas” (R.11). Em língua portuguesa,

Post on 03-Dec-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UnB/CESPE TJPA CADERNO 25 1

    Cargo 27: Atendente Judicirio rea: Administrativa permitida a reproduo apenas para fins didticos, desde que citada a fonte.

    Nas questes de 1 a 40, marque, em cada uma, a nica opocorreta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcaes,use, caso deseje, o rascunho acima e, posteriormente, a folha de respostas, nico documento vlido para a correo das suas provas.

    CONHECIMENTOS BSICOS

    Texto para as questes de 1 a 3

    A primeira notcia que tive do Brasil chegou a um1

    roado no extremo norte do Paran, onde vivia com a famlia

    cultivando caf.

    Pensei, muitas vezes, ao longo destes trinta anos de4

    jornalismo, em abandonar o Brasil. Quis, muitas vezes, deix-

    lo em paz com sua misria, com seu povo triste, humilhado e

    sem futuro. Pensei que poderia viver apenas contemplando7

    sua exuberante beleza natural; mas no consegui abandon-lo,

    no consegui deixar de am-lo. Ao contrrio disso, a cada dia

    que passa me dedico mais e mais construo de seu futuro10

    e de sua dignidade. E persisto! Minha vocao a esperana.

    Elifas Andreato. Sinceramente, Brasil! In: Almanaque

    Brasil de Cultura Popular, abril/2001 (com adaptaes).

    Considerando o desenvolvimento do conjunto das idias do texto,

    assinale a opo correta.

    A Depreende-se da frase primeira notcia que tive do Brasil

    (R.1) que o autor estava fora do Brasil ao receber tal notcia.

    B Depreende-se do uso do termo sublinhado na expresso

    ao longo destes trinta anos de jornalismo (R.4-5) que o

    autor est insatisfeito com a profisso que exerce.

    C Conclui-se da comparao entre sua misria, com seu povo

    triste (R.6) e sua exuberante beleza natural (R.8) que o autor

    reconhece o Brasil como uma terra de contrastes.

    D Conclui-se da continuidade da expresso E persisto! (R.11)

    que o autor desistiu de abandonar o Brasil porque aprendeu a

    conviver com a misria, a tristeza e a humilhao.

    Em cada item a seguir, julgue a correspondncia entre o pronome

    e seu referente no texto.

    I Em deix-lo (R.5-6), o pronome lo refere-se a

    jornalismo (R.5).

    II Na expresso sua exuberante beleza natural (R.8), o

    pronome sua refere-se a Brasil (R.5).

    III Em abandon-lo (R.8), o pronome lo refere-se a Brasil

    (R.5).

    IV Em am-lo (R.9), o pronome lo refere-se a Brasil (R.5).

    V Na expresso de seu futuro e de sua dignidade (R.10-11), os

    pronomes seu e sua referem-se a Brasil (R.5).

    A quantidade de itens certos igual a

    A 1.

    B 2.

    C 3.

    D 4.

    No trecho a cada dia que passa me dedico mais e mais

    construo de seu futuro e de sua dignidade (R.9-11), o sinal

    indicativo de crase marca a associao entre o artigo definido

    exigido pelo substantivo construo e a preposio a, exigida

    por

    A cada dia.

    B passa.

    C me dedico.

    D mais e mais.

  • UnB/CESPE TJPA CADERNO 25 2

    Cargo 27: Atendente Judicirio rea: Administrativa permitida a reproduo apenas para fins didticos, desde que citada a fonte.

    Texto para as questes 4 e 5

    Casa e rua so universos opostos, na concepo dos1brasileiros. A casa o lugar do recato, dos cuidados com osfilhos, do respeito s normas, da honestidade. A rua o lugarda esperteza, do trambique, da folga e da lascvia.4

    Roberto Pompeu de Toledo. A casa e a bola. In: Veja, 22/3/2006 (com adaptaes).

    Provoca-se erro gramatical e, conseqentemente, incoernciatextual, ao se substituir a vrgula pela conjuno e logo aps

    A opostos (R.1).B recato (R.2).C normas (R.3).D esperteza (R.4).

    A palavra lascvia (R.4) significa propenso para

    A a sensualidade exagerada.B o pudor excessivo.C a proteo desmedida.D o controle constante.

    Texto para as questes de 6 a 8

    Os estudiosos podem descobrir que no h evidncia1confivel de grande parte do que se diz ou se escreve sobredeterminado heri ou eles podem escrever com a intenodeliberada de desmitologizar ou desmascarar o heri,4reduzi-lo a seu tamanho humano comum. Ao mesmo tempo,uma e outra histria continuam circulando at que seja horade lhes atribuirmos um novo protagonista. A necessidade de7heris no desaparecer. Podemos dizer que a maturidadepsicolgica marcada no pela rejeio de todos os heris,mas pela capacidade de admir-los sem perder a conscincia10de suas fraquezas humanas.

    Peter Burke. Heris por acidente. In: Folha

    de S. Paulo, 6/3/2005 (com adaptaes).

    Preservam-se a correo gramatical e a coerncia do texto ao sesubstituir

    I no h evidncia confivel (R.1-2) por: h previsoinfundada.

    II se diz ou se escreve (R.2) por: dito ou escrito.III desmitologizar (R.4) por: fantasiar.IV seja hora (R.6) por: chegue o momento. V no pela rejeio (R.9) por: pela aceitao.

    Esto certos apenas os itens

    A I e III.B I e V.C II e III.D II e IV.

    De acordo com o desenvolvimento das idias no texto, o pronome

    lhes (R.7) refere-se a

    A estudiosos (R.1).

    B uma e outra histria (R.6).

    C heris (R.8).

    D fraquezas humanas (R.11).

    Em lngua portuguesa, muitas vezes, a acentuao grfica, alm

    de marcar a slaba tnica do vocbulo, serve tambm para

    distingui-lo de outro vocbulo da lngua. Assinale a opo em que

    a retirada do acento no resulta em outra palavra, de classificao

    gramatical igual ou diferente.

    A evidncia

    B histria

    C desaparecer

    D conscincia

    Texto para as questes 9 e 10

    Apesar de todas as tendncias, a maioria das pessoas1

    ainda precisa de heris, pelo menos durante algum tempo.

    Podemos dizer que eles so psicologicamente necessrios.

    Heris e heronas atuam como modelos ou smbolos de4

    nossas identidades ou de nossos valores culturais. Ver um

    determinado indivduo sob uma luz herica tambm pode ser

    uma expresso de esperana no futuro.7Idem, ibidem.

    As regras gramaticais no seriam respeitadas com a substituio,

    no texto, de

    A precisa (R.2) por: precisam.

    B Podemos (R.3) por: Pode.

    C modelos ou smbolos (R.4) por: modelo ou smbolo.

    D nossas identidades (R.5) por: nossa identidade.

    Prejudica-se a correo gramatical do texto e(ou) sua coerncia,

    ao se eliminar

    A a contrao pelo (R.2).

    B o pronome eles (R.3).

    C o adjetivo determinado (R.6).

    D o artigo uma (R.6).

  • UnB/CESPE TJPA CADERNO 25 3

    Cargo 27: Atendente Judicirio rea: Administrativa permitida a reproduo apenas para fins didticos, desde que citada a fonte.

    Um estudante precisou confeccionar, em papel, a bandeira do

    estado do Par. Para isso, ele desenhou o retngulo ABCD,

    conforme ilustra a figura acima, e traou, em seguida, o segmento

    de reta EF, de modo que o ngulo medisse 120. NessaDEF

    situao, se ele prolongasse o segmento EF para alm do ponto

    F, marcando, no prolongamento, o ponto G, o estudante obteria

    um ngulo de medida igual a AFG

    A 120.

    B 130.

    C 140.

    D 150.

    A extenso do estado do Par, que de 1.248.042 km2,

    corresponde a 16,66% do territrio brasileiro e 26% da

    Amaznia. O estado do Par, cortado pela linha do Equador no

    seu extremo norte, dividido em 143 municpios, onde vivem

    cerca de seis milhes de pessoas.

    Com base no texto acima, assinale a opo correta.

    A O estado do Par tem 1.248.042.000 m2 de extenso.

    B A extenso do estado do Par corresponde a mais de do

    territrio brasileiro.

    C A extenso do estado do Par corresponde a menos de da

    Amaznia.

    D No estado do Par, h exatamente 6 habitantes por km2.

    Flvio ganhou R$ 720,00 de salrio. Desse valor, ele gastou 25%

    pagando dvidas e com alimentao. Nesse caso, o que sobrou

    do salrio de Flvio foi

    A inferior a R$ 180,00.

    B superior a R$ 180,00 e inferior a R$ 230,00.

    C superior a R$ 230,00 e inferior a R$ 280,00.

    D superior a R$ 280,00.

    De acordo com o anncio acima, o total do pagamento a prazo na

    compra da lavadora de roupas supera o valor do pagamento

    vista em

    A exatamente 25% do valor vista.

    B mais de 25% e menos de 30% do valor vista.

    C exatamente 30% do valor vista.

    D mais de 30% do valor vista.

    A

    D

    E

    F

    G

    C

    B

  • UnB/CESPE TJPA CADERNO 25 4

    Cargo 27: Atendente Judicirio rea: Administrativa permitida a reproduo apenas para fins didticos, desde que citada a fonte.

    O mapa do estado do Par ilustrado acima est desenhado na escala1:17.000.000, ou seja, uma distncia de 1 cm no mapa corresponde distncia real, em linha reta, de 17 milhes de centmetros. Aomedir, com a rgua, a distncia no mapa entre Jacareacanga e Belm,um estudante encontrou 6,7 cm. Com base apenas nessasinformaes, correto o estudante concluir que a distncia real, emlinha reta, entre essas duas cidades

    A inferior a 1.000 km.B superior a 1.000 km e inferior a 1.080 km.C superior a 1.080 km e inferior a 1.150 km.D superior a 1.150 km.

    Cludia aplicou R$ 2.000,00 em uma instituio financeira que pagatodo ms a mesma taxa de juros simples (i%). Se, ao final do segundoms, os juros obtidos com os dois meses de aplicao forem iguais aR$ 240,00, ento, pelo regime de capitalizao simples, o montanteque Cludia ter nessa aplicao ao final do quinto ms,considerando-se que no tenham ocorridos depsitos nem retiradas,ser

    A inferior a R$ 2.550,00.B superior a R$ 2.550,00 e inferior a R$ 2.650,00.C superior a R$ 2.650,00 e inferior a R$ 2.750,00.D superior a R$ 2.750,00.

    Alexandre, Jaime e Vtor so empregados de uma empresa e recebem,respectivamente, salrios que so diretamente proporcionais aosnmeros 5, 7 e 9. A soma dos salrios desses 3 empregadoscorresponde a R$ 4.200,00. Nessa situao, aps

Recommended

View more >