tiro de to

Download Tiro de to

Post on 29-May-2018

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 8/9/2019 Tiro de to

    1/95

    9

    FUNDAO FACULDADE DE DIREITO DA BAHIACURSO DE ESPECIALIZAO EM CINCIAS CRIMINAIS

    FERNANDO AFONSO CARDOSO BORGES

    O TIRO DE COMPROMETIMENTO (DO SNIPER) NOGERENCIAMENTO DE CRISES:UMA ANLISE JURDICA EM FACE DO DIREITO PENAL BRASILEIRO.

    Salvador2009

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    2/95

    10

    FERNANDO AFONSO CARDOSO BORGES

    O TIRO DE COMPROMETIMENTO (DO SNIPER) NOGERENCIAMENTO DE CRISES:

    UMA ANLISE JURDICA EM FACE DO DIREITO PENAL BRASILEIRO.

    Monografia apresentada ao Curso de Especializaoem Cincias Criminais da Fundao Faculdade deDireito da UFBA, como requisito parcial paraobteno do ttulo de Especialista em CinciasCriminais.

    Orientador: Prof. Inocncio de Carvalho Santana(UEFS) Promotor de Justia do Estado da Bahia.

    Salvador2009

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    3/95

    11

    A

    Minha esposa, pelo carinho e apoio dispensado ao longo do perodo acadmico;

    Meus pais e famlia, pela confiana depositada em mim; e

    Colegas policiais militares, que sonham uma corporao mais independente, sria e

    profissional.

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    4/95

    12

    justo que o que justo seja seguido;

    necessrio que o que o mais forte seja seguido.

    A justia sem a fora impotente;

    A fora sem a justia tirnica.

    A justia sem fora contradita, porque sempre existem pessoas ms.

    A fora sem a justia acusada.

    preciso, pois, colocar juntas a justia e a fora e, para isso,

    Fazer com que aquilo que justo seja forte ou que o que forte seja justo.

    Blaise Pascal (1623-1662).

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    5/95

    13

    RESUMO

    BORGES, Fernando Afonso Cardoso. O tiro de comprometimento (do sniper) nogerenciamento de crises: uma anlise jurdica em face do Direito Penal Brasileiro. 95fl. 2009. Monografia de Concluso do Curso de Especializao em CinciasCriminais, Fundao Faculdade de Direito da Bahia - UFBA, Salvador-BA, 2009.

    A pesquisa, do tipo bibliogrfica, tem por fim analisar juridicamente, em sede de

    Direito Penal, os resultados hipotticos possveis da utilizao do Tiro deComprometimento (realizado pelo atirador de elite sniper) durante oGerenciamento de Crise, a partir do estudo de institutos penais relevantes ao tema,tais como: as excludentes da legtima defesa de terceiros e do estrito cumprimentodo dever legal, o erro na execuo, e a obedincia hierrquica. Isto, semdesconsiderar o quanto estabelecido em doutrina policial disciplinadora dogerenciamento de eventos crticos e da utilizao do disparo de preciso realizadopor atirador de elite componente de grupos especiais da polcia. A escolha dotema se deu em face da relevncia e necessidade de anlise jurdica acerca do tirode comprometimento, como alternativa ttica e extrema na soluo de um eventocrtico, ou seja, aquele em que existe risco de vida para pessoas tomadas comorefns. Em doutrina policial so poucos os trabalhos escritos em que se discute afundamentao jurdica deste uso de fora letal, bem como o tratamento a serdispensado aos resultados que possam advir do seu uso. Para tanto, a pesquisafora iniciada a partir da demonstrao da necessidade da fora policial para oEstado e a sociedade, atravs de uma fundamentao sociojurdica, destacandoalguns princpios que norteiam a atividade policial e sua localizao no poder depolcia administrativa. Expe o entendimento doutrinrio sobre os aspectos penaisrelevantes ao tema, tratados em captulo prprio. Da pesquisa conclui-se de comodeve ser tratado penalmente cada hiptese de desdobramento do tiro de precisorealizado pelo sniper. Neste contexto, se procurou demonstrar, no ordenamento

    jurdico e na jurisprudncia, os fundamentos legais que asseguram esta modalidadede soluo para os casos especficos de risco real ou iminente para a vida dosenvolvidos neste tipo de ocorrncia, com posicionamento particular a respeito dautilizao da fora letal (medida interventiva) pelos rgos policiais especializadosno Gerenciamento de Crises.

    Palavras-Chave: Gerenciamento de Crises. Tiro de Comprometimento. Atirador deElite (Sniper). Aspectos Penais.

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    6/95

    14

    LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

    CF/88 Constituio Federal de 1988.

    COE - Companhia de Operaes Especiais.

    CP Cdigo Penal.

    CPM Cdigo Penal Militar.

    CPP Cdigo Processo Penal.

    CPPM Cdigo de Processo Penal Militar.

    FBI - Federal Bureau Investigation.

    GATE Grupo de Aes Tticas Especiais.

    PMBA - Polcia Militar do Estado da Bahia.

    STF Supremo Tribunal Federal.

    STJ Superior Tribunal de Justia.

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    7/95

    15

    SUMRIO

    1. INTRODUO ......................................................................................... 09

    2. ESTADO E FORA POLICIAL ............................................................... 13

    2.1. NECESSIDADE SOCIAL DE SEGURANA E SUA PREVISOCONSTITUCIONAL ................................................................................. 16

    2.2.FORA POLICIAL E OS PRINC PIOS JUR DICOS INERENTES SUAATIVIDADE ............................................................................................. 18

    2.2.1. Princpio da dignidade da pessoa humana ............................................. 192.2.2. Princpio da legalidade ............................................................................ 21

    2.2.3. Princpio da proporcionalidade ................................................................ 23

    2.2.4. Princpio do uso adequado e progressivo da fora ................................. 24

    2.3. ATIVIDADE POLICIAL E PODER DE POLCIA ...................................... 26

    2.3.1. Conceito, fundamentos e caractersticas do poder de polcia ................. 27

    2.3.2. Atividade policial como forma de atuao do poder de polcia ............... 29

    3. DOUTRINA POLICIAL: DO GERENCIAMENTO DE CRISES E DOTIRO DE COMPROMETIMENTO DO SNIPER ....................................... 32

    3.1DO GERENCIAMENTO DE CRISES: DEFINIES,CARACTERSTICAS E ELEMENTOS OPERACIONAIS ........................ 33

    3.1.1. Crise ou evento crtico e suas caractersticas ......................................... 33

    3.1.2. Gerenciamento de crises: conceito e objetivos ....................................... 34

    3.1.3. Teatro de Operaes ............................................................................... 34

    3.1.4. Comandante do Teatro de Operaes .................................................... 35

    3.1.5. Negociador ............................................................................................... 363.1.6. Grupo ttico ............................................................................................. 37

    3.2. DO TIRO DE COMPROMETIMENTO DO SNIPER................................ 39

    3.2.1. Do Sniper................................................................................................. 40

    4.DOS ASPECTOS PENAIS QUE ENVOLVEM O TIRO DECOMPROMETIMENTO ........................................................................... 42

    4.1. DO CONCEITO DE CRIME ..................................................................... 42

    4.2. DO ESTRITO CUMPRIMENTO DO DEVER LEGAL ............................... 45

    4.2.1. Do conflito aparente de deveres jurdicos ................................................ 48

    4.3. DA EXCLUDENTE DE ILICITUDE DA LEG TIMA DEFESA (DE 51

    www.conteudojuridico.com.br

    Publique sua monografia no Contedo Jurdico. Envie para o editorial@conteudojuridico.com.br

  • 8/9/2019 Tiro de to

    8/95

    16

    TERCEIROS) ............................................................................................

    4.3.1. Dos bens suscetveis de defesa ............................................................... 53

    4.3.2. Requisitos legais para reconhecimento da legtima defesa..................... 54

    4.3.3. Do excesso doloso e culposo .................................................................. 594.4. DOS EFEITOS CIVIS DAS EXCLUDENTES DE ILICITUDE ................... 61

    4.5. DO ERRO NA EXECUO ...................................................................... 62

    4.6. DA OBEDI NCIA HIER RQUICA E DA RESPONSABILIDADE PENALDO TIRO DE COMPROMETIMENTO ...................................................... 67

    5. ANLISE DOS CASOS HIPOTTICOS DE UTILIZAO DO TIRO DECOMPROMETIMENTO EM FACE DO DIREITO PENAL BRASILEIRO 71

    5.1. DISPARO AUTORIZADO QUE ATINGE APENAS O CAUSADOR DACRISE ....................................................................................................... 71

    5.2. DISPARO AUTORIZADO DIRIGIDO AO CAUSADOR DA CRISE, MASQUE ATINGE APENAS O REFM ........................................................... 73

    5.3. DISPARO AUTORIZADO DIRIGIDO AO CAUSADOR DA CRISE, QUEATINGE O CAUSADOR E O REFM ...................................................... 74

    5.4 DISPARO OCORRIDO EM MOMENT