therezita maria peixoto patury galvƒo castro a .2016-01-24  dst doen§as sexualmente...

Download THEREZITA MARIA PEIXOTO PATURY GALVƒO CASTRO A .2016-01-24  DST Doen§as sexualmente ... A multiplica§£o

Post on 06-Dec-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    THEREZITA MARIA PEIXOTO PATURY GALVO CASTRO

    A FREQNCIA DO PAPILOMAVRUS HUMANO (HPV) NA

    MUCOSA ORAL DE MULHERES PORTADORAS DE HPV GENITAL

    CONFIRMADO PELA PCR

    Tese apresentada ao curso de Ps- Graduao

    da Faculdade de Cincia Mdicas da Santa

    Casa de So Paulo para obteno do ttulo de

    Doutora em Medicina.

    rea de concentrao: Otorrinolaringologia

    Orientador: Prof. Dr. Ivo Bussoloti Filho

    SO PAULO

    2007

  • Livros Grtis

    http://www.livrosgratis.com.br

    Milhares de livros grtis para download.

  • 2

    Dedico este trabalho

    Aos meus pais,

    ALOYSIO E MARIA AMLIA,

    Por me proporcionarem a formao intelectual,

    moral e tica; pelo incentivo constante para atingir

    este objetivo to sonhado, que agora se concretiza.

    .

    Ao meu esposo e filha,

    LUIZ GONZAGA E MARIA THEREZA,

    por estarem presentes em todos os momentos

    da minha luta na vida acadmica-profissional,

    pela compreenso e pacincia, para tornar

    possvel a realizao deste objetivo.

    Aos meus irmos,

    ALOYSIO JOS, MARIA AMLIA E ALOYSIO FILIPE.

    Pela cooperao na realizao desta pesquisa

  • 3

    O homem erudito um descobridor de fatos que j existem,

    mas o homem sbio um criador de valores

    que no existem, e que ele faz existir.

    Albert Einstein

    Nada pode impedi-lo quando voc estabelece um objetivo.

    Ningum pode impedi-lo, a no ser voc mesmo.

    Eu acredito nisso.

    Sidney Sheldon

    Valeu a pena? Tudo vale a pena,

    se a alma no pequena.

    Fernando Pessoa

  • 4

    AGRADECIMENTOS

    Ao Prof. Dr. Ivo Bussoloti Filho, meu orientador, Prof. Adjunto do Departamento de

    Otorrinolaringologia da Faculdade de Cincias Mdicas da santa Casa de So Paulo, pelo

    incentivo e orientao na realizao desta tese; minha admirao e respeito como profissional

    e como ser humano.

    Ao meu pai, Aloysio Amrico Galvo, Prof. Titular do Departamento de Letras Clssicas e

    Vernculas da UFAL, Juiz de Direito e, atualmente, Vice Presidente da Academia Alagoana

    de Letras, minha admirao e gratido pelo incentivo e apoio na correo da tese.

    Aos colegas do Laboratrio de Biologia Molecular da Universidade Federal de Alagoas, o

    prof. Dr. Ccero Eduardo Ramalho Neto, coordenador deste laboratrio e o ps-graduando

    Velber Nascimento Xavier, pela colaborao na realizao dos resultados da PCR deste

    trabalho.

    s colegas do setor de Ginecologia do Posto Ambulatorial Mdico Salgadinho (PAM-

    Salgadinho) SUS Macei (AL), Dra. Zeneide W. de Melo Bertoldo e Dra. Vnia Morais

    da Silva, pelo incentivo e intensa ajuda na realizao deste trabalho.

    Profa. Luiza Daura Fragoso de Barros, chefe do Departamento de Ginecologia da

    Universidade Federal de Alagoas, minha gratido pela amizade e ajuda na elaborao deste

    trabalho.

  • 5

    Profa. Dra. Marta M. V. de Araujo do Departamento de Ginecologia da UFAL, pelo apoio a

    esta tese.

    Ao Mrcio Jos de Moraes Lopes, professor de computao, pelo auxlio recebido na

    elaborao dos grficos e anlise estatstica empregada neste trabalho.

    colega Sandra Doria Xavier , Mestra em Otorrinolaringologia pela Faculdade de Cincias

    Mdicas da Santa Casa de So Paulo, pela sua ajuda na realizao deste trabalho

    Aos colegas Profa. Dra. Ana Cristina K. Camargo, Prof. Dr. Arthur Guilherme L. de B. Sousa

    Augusto, Profa. Dra. Bianca Maria Liquidato e Profa. Dra. Heloisa Juliana Z. R. Costa, pela

    importante colaborao atravs das crticas em minha aula de qualificao.

    Snia Alves, secretria da ps-graduao, que sempre me auxiliou com grande eficincia e

    simpatia.

    A todos que, por meio de participao direta ou indireta, constante ou espordica,

    contriburam para a realizao deste trabalho.

  • 6

    ABREVIATURAS

    CCE Carcinoma de clulas escamosas

    CH Captura hbrida

    DB Dot blot

    DST Doenas sexualmente transmissveis

    DNA cido desoxirribonuclico

    GP5+/GP6+ Primers consensus ou gerais

    HPV Papilomavrus humano

    HIS Hibridizao in situ

    MY09/MY11 Primers consensus ou gerais

    PAM Posto de Assistncia Mdica

    PCR Reao de polimerase em cadeia

    pRB Gene supressor do tumor ( gene do retinoblastoma )

    p53 Gene supressor do tumor

    RNA cido ribonuclico

    SB Hibridizao Southen blot

    SUS Sistema nico de Sade

    UFAL Universidade Federal de Alagoas

  • 7

    SUMRIO

    1. INTRODUO ....................................................................................................................1

    1.1. Consideraes gerais sobre o papilomavrus humano ...................................................1

    1.2. Patognese da infeco pelo HPV...................................................................................2

    1.3. Mtodos de diagnstico do HPV.....................................................................................3

    1.3.1. Exame clnico, colposcpico, citolgico e bipsia.................................................3

    1.3.2. Mtodos de biologia molecular...............................................................................5

    1.4. O HPV na regio genital..................................................................................................7

    1.5. O HPV na cavidade oral...................................................................................................8

    1.6. Reviso da literatura.......................................................................................................12

    2. OBJETIVO ..........................................................................................................................18

    3. CASUSTICA E MTODO ..............................................................................................19

    3.1. Casustica.......................................................................................................................19

    3.1.1. Critrios de incluso.................................................................................................19

    3.1.2. Critrios de excluso............................................................................................... 19

    3.2. Aspectos ticos.....................................

View more >