teses institucionais mpsp

Download Teses Institucionais MPSP

Post on 08-Jul-2015

240 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ndice das Ementas das Teses de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais Ordem numrica

Setor de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais

NDICE DAS EMENTAS DAS TESESDO SETOR DE RECURSOS EXTRAORDINRIOS E ESPECIAIS CRIMINAIS

EM ORDEM NUMRICA Tese 001RU PRESO FALTA DE REQUISIO NULIDADE RELATIVA A no requisio de ru preso, para acompanhar ato da instruo, constitui nulidade sanvel, cujo reconhecimento depende de oportuna alegao.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 002CRIME CONTINUADO ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR ESTUPRO INADMISSIBILIDADE inadmissvel a continuidade delitiva entre atentado violento ao pudor e estupro, eis que se trata de crimes de espcies distintas.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30) Cancelada na R.O.M. de 10/06/2010, conforme Aviso n 436/2010, publicado no D.O.E. de 23/06/2010, p. 43. Redao determinada na reunio de 02/02/2006

Tese 003CRIMES CONTRA OS COSTUMES MISERABILIDADE COMPROVAO MEIO IDNEO ATESTADO DE POBREZA DISPENSABILIDADE A miserabilidade pode ser reconhecida desde que comprovada por qualquer meio idneo. O atestado de pobreza prescindvel.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 004CRIMES CONTRA OS COSTUMES MISERABILIDADE ASSISTENTE DE ACUSAO O estado de miserabilidade do representante legal da ofendida no desfigurado, por si s, ante a nomeao de advogado como assistente do Ministrio Pblico, desde que tenha este atuao comprovadamente gratuita.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 005CRIMES CONTRA OS COSTUMES CONCUBINO AUMENTO DE PENA A concubino da me da vtima considerado padrasto para fins do artigo 226, II, do Cdigo Penal.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30) Redao alterada na R.O.M. de 04 de novembro de 2004 e publicada no D.O.E., 26/11/2004, p. 25. Cancelada na R.O.M. de 02/02/2006, conforme Aviso n 122/2006-PGJ, publicado no D.O.E. de 17/03/2007, p. 80.

Restabelecida na R.O.M. de 06/04/2006, conforme Aviso n 448/2006-PGJ, publicado no D.O.E. de 15/09/2006, p 45.Organizao: Perseu Gentil Negro

1

ndice das Ementas das Teses de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais Ordem numrica

Setor de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais

Tese 006FURTO PRIVILEGIADO PEQUENO VALOR AUSNCIA DE PREJUZO O fato de a vtima haver recuperado a res no se equipara a pequeno valor, para os fins do pargrafo 2 do artigo 155, do Cdigo Penal.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 007RECURSO EXCLUSIVO DA ACUSAO REFORMATIO IN MELIUS INADMISSIBILIDADE inadmissvel melhorar a situao do ru em recurso exclusivo do Ministrio Pblico.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30) Cancelada na R.O.M. de 11/08/2005, conforme Aviso n 450/05-PGJ, publicado no D.O.E. de 20/08/2005, p. 39.

Tese 008FURTO PRIVILEGIADO QUALIFICADO INADMISSIBILIDADE O privilgio do pargrafo 2 do artigo 155 do Cdigo Penal inaplicvel s hipteses de furtos qualificados previstas no pargrafo 4 do mesmo preceito.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30) Cancelada na R.O.M. de 02/06/2011, conforme Aviso n 316/2011-PGJ, publicado no D.O.E. de 15/06/2011, p. 137.

Tese 009PRESCRIO INTERRUPO SENTENA CONDENATRIA RECORRVEL OU ACRDO CONDENATRIO A sentena condenatria recorrvel interrompe a prescrio. O acrdo condenatrio, quando o acusado foi absolvido em primeiro grau, causa interruptiva da prescrio, pois substitui a sentena.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 010FALSO TESTEMUNHO ADVOGADO PARTICIPAO (INDUZIMENTO OU INSTIGAO) POSSIBILIDADE possvel a participao de advogado, por induzimento ou instigao, no crime de falso testemunho.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 011REPRESENTAO AO PENAL PBLICA CONDICIONADA FORMA A representao do ofendido ou de seu representante legal no exige formalidade.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 012CRIME CONTINUADO ROUBO E LATROCNIO INADMISSIBILIDADE O roubo e o latrocnio atingem bens jurdicos diversos. Impossvel o reconhecimento da continuidade delitiva.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Organizao: Perseu Gentil Negro

2

ndice das Ementas das Teses de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais Ordem numrica

Setor de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais

Tese 013PENA AUMENTO CONCURSO DE CRIMES Ocorrendo crimes com causa de aumento de pena, em concurso formal ou crime continuado, o acrscimo correspondente deve incidir sobre a pena j aumentada por outra causa e no sobre a pena-base fixada.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 014REPRESENTAO AO PENAL PBLICA CONDICIONADA VRIOS AUTORES Feita a representao, o Ministrio Pblico tem legitimidade para agir contra todos os implicados, mesmo quando no nomeados na mesma.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 015MANDADO DE SEGURANA LEGITIMIDADE DO MINISTRIO PBLICO O Ministrio Pblico tem legitimidade para impetrar mandado de segurana em matria criminal.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Cancelada na Reunio do dia 06 de agosto de 2009, pois a Tese foi elaborada antes da promulgao da Constituio Federal de 1988, sendo que o recurso cabvel da deciso denegatria de mandado de segurana o ordinrio constitucional. Aviso n 470/2009-PGJ, publicado no D.O.E. de 12/08/2009, p. 77.

Tese 016ROUBO EXTORSO ARMA DE BRINQUEDO CAUSA DE AUMENTO DE PENA O uso de arma de brinquedo constitui causa de aumento de pena no roubo ou na extorso.(D.O.E., 11/10/2000, p. 25) Cancelada na R.O.M. de 05/09/2002, conforme Aviso n 597/2002-PGJ, publicado no D.O.E. de 06/09/2002, p. 35.

Tese 017REVISO CRIMINAL INTERPRETAO CONTROVERTIDA NOS TRIBUNAIS INADMISSIBILIDADE AUSNCIA DE ERRO JUDICIRIO Inadmissvel reviso criminal, se a sentena condenatria estiver fundamentada em texto expresso de lei penal de interpretao controvertida nos Tribunais, porque ausente o erro judicirio.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 018EXTORSO CONSUMAO CRIME FORMAL A consumao no depende da obteno da vantagem indevida.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Organizao: Perseu Gentil Negro

3

ndice das Ementas das Teses de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais Ordem numrica

Setor de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais

Tese 019DENNCIA REQUISITOS LEGAIS PREENCHIDOS HABEAS CORPUS TRANCAMENTO ARGIO DE FALTA DE JUSTA CAUSA EXAME APROFUNDADO DE PROVAS INADMISSIBILIDADE Preenchendo a denncia os requisitos legais, incabvel o trancamento da ao penal em sede de habeas corpus, quando demandar exame aprofundado das provas.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 020CITAO EDITAL COMARCAS ONDE NO H IMPRENSA OFICIAL A publicao, pela imprensa, de citao por edital somente exigvel nas comarcas onde haja imprensa oficial.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 021CURADOR RU MENOR AUSNCIA DE NOMEAO NULIDADE RELATIVA No se declara a nulidade de interrogatrio judicial de ru menor de 21 anos, realizado sem a presena de curador, se do ato no tiver resultado prejuzo para a defesa.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30) Cancelada na R.O.M. de 02/02/2006, conforme Aviso n 135/2006-PGJ., publicado no D.O.E. de 24/03/2006, p. 31.

Tese 022JRI MOTIVO FTIL EMOO Possvel o reconhecimento da qualificadora do motivo ftil e a atenuante genrica da emoo. Impossvel, no entanto, a coexistncia do motivo ftil com a causa de diminuio da pena pela violenta emoo.(D.O.E., 12/06/2003, p. 30)

Tese 023REVELIA PRISO POSTERIOR DESCONHECIMENTO PELO JUIZ FALTA DE RECONHECIMENTO NULIDADE NO OCORRNCIA A priso do ru, posterior decretao da revelia e desconhecida pelo Juiz, no justifica a nulidade do processo por no ter sido requisitado para os atos da instruo.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Tese 024CRIMES FALIMENTARES PRESCRIO INTERRUPO Nos crimes falimentares aplicam-se as causas interruptivas da prescrio, previstas no Cdigo Penal (Smula 592 do Supremo Tribunal Federal).(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Tese 025ENTORPECENTES USO PEQUENA QUANTIDADE Para configurao do crime previsto no artigo 16, da Lei 6.368/76, irrelevante a quantidade da substncia entorpecente apreendida.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Organizao: Perseu Gentil Negro

4

ndice das Ementas das Teses de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais Ordem numrica

Setor de Recursos Extraordinrios e Especiais Criminais

Tese 026CITAO RU PRESO REQUISIO A requisio do ru preso, feita nos moldes do artigo 360 do Cdigo de Processo Penal, supre a citao por mandado quando o acusado comparece e no demonstrada, depois, a existncia de prejuzo.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31) Cancelada na R.O.M. de 04/03/2004, conforme Aviso n 116/2004-PGJ, publicado no D.O.E. de 18/03/2004, p. 26.

Tese 027MINISTRIO PBLICO PRAZO FLUNCIA INCIO CINCIA PESSOAL E INEQUVOCA O prazo para o Ministrio Pblico comea a fluir a partir da cincia pessoal e inequvoca do seu representante e no desde o simples ingresso dos autos em servio administrativo da Instituio.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Tese 028CRIMES FALIMENTARES PENA ACESSRIA INTERDIO PARA O EXERCCIO DO COMRCIO SUBSISTNCIA A pena de interdio para o exerccio do comrcio pode ser imposta na sentena, se motivada. A reforma do Cdigo Penal de 1984 no revogou o artigo 195 da Lei de Falncias.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31) Cancelada na reunio de 08/11/2007, conforme Aviso n 718/2007, publicado no D.O.E. de 28/11/2007, p. 70/71

Tese 029ROUBO AMEAA PORTE DE ARMA SIMULAO DE ARMA A simulao do uso de arma configura a ameaa caracterizadora do roubo.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Tese 030PENA LIMITE MXIMO TEMPO DE CUMPRIMENTO OUTROS BENEFCIOS NO ABRANGIDOS O limite estabelecido no artigo 75 do Cdigo Penal, refere-se ao tempo mximo de cumprimento da pena, no se aplicando a outros benefcios.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Tese 031EFEITO DA CONDENAO PERDA DE CARGO, FUNO PBLICA OU MANDATO ELETIVO ADMISSIBILIDADE DECLARAO NA SENTENA A perda de cargo, funo pblica ou mandato eletivo efeito da condenao, mas precisa ser expressamente declarada na sentena.(D.O.E., 12/06/2003, p. 31)

Organizao: Perseu Gentil Ne