Técnicas de higienização das mãos AULA TESTE

Download Técnicas de higienização das mãos AULA TESTE

Post on 13-Aug-2015

19 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Tcnicas de higienizao das mos</p> <p> TCNICAS As tcnicas de higienizao das mos podem variar, dependendo do objetivo ao qual se destinam. Podem ser divididas em: Higienizao simples das mos Higienizao anti-sptica das mos Frico de anti-sptico nas mos Anti-sepsia cirrgica ou preparo pr-operatrio das mos</p> <p>A eficcia da higienizao das mos depende da durao e da tcnica empregada.</p> <p>Importante Antes de iniciar qualquer uma das tcnicas, necessrio retirar jias (anis, pulseiras, relgio), pois sob tais objetos podem acumular-se microrganismos.</p> <p>Higienizao simples das mos Finalidade: Remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade e as clulas mortas, retirando a sujidade propcia permanncia e proliferao de microrganismos. Durao do procedimento: 40 a 60 segundos</p> <p> Importante: O uso coletivo de toalhas de tecido contra-indicado, pois estas permanecem midas, favorecendo a proliferao bacteriana. Deve-se evitar gua muito quente ou muito fria na higienizao das mos, a fim de prevenir o ressecamento da pele.</p> <p>HIGIENIZAO ANTI-SPTICA DAS MOS</p> <p> Finalidade Promover a remoo de sujidades e de microrganismos, reduzindo a carga microbiana das mos, com auxlio de um anti-sptico.</p> <p> Durao do procedimento: 40 a 60 segundos</p> <p> Tcnica A tcnica de higienizao anti-sptica igual quela utilizada para higienizao simples das mos, substituindo-se o sabo por um anti-sptico. Exemplo: anti-sptico degermante.</p> <p>FRICO ANTI-SPTICA DAS MOS (COM PREPARAES ALCOLICAS) Finalidade Reduzir a carga microbiana das mos (no h remoo de sujidades). A utilizao de gel alcolico a 70% ou de soluo alcolica a 70% com 1-3% de glicerina pode substituir a higienizao com gua e sabo quando as mos no estiverem visivelmente sujas. Durao do Procedimento: 20 a 30 segundos.</p> <p>Importante Para evitar ressecamento e dermatites, no higienize as mos com gua e sabo imediatamente antes ou depois de usar uma preparao alcolica. Depois de higienizar as mos com preparao alcolica, deixe que elas sequem completamente (sem utilizao de papel-toalha).</p> <p>ANTI-SEPSIA CIRRGICA OU PREPARO PROPERATRIO DAS MOS Finalidade Eliminar a microbiota transitria da pele e reduzir a microbiota residente, alm de proporcionar efeito residual na pele do profissional, diminuindo o risco de infeco.</p> <p> A flora transitria composta por todos os tipos de germes, variando de um indivduo para outro e sendo facilmente transmissveis. Nela existem germes tanto saprfitos quanto patognicos, inclusive os que mais causam infeces hospitalares. A flora residente instala-se mais profundamente, nos folculos pilosos, glndulas sebceas, e por isso so de difcil remoo. Sua remoo por qualquer tipo de tcnica assptica geralmente transitria.</p> <p> As escovas utilizadas no preparo cirrgico das mos devem ser de cerdas macias e descartveis, impregnadas ou no com anti-sptico. Para este procedimento, recomenda-se: Anti-sepsia cirrgica das mos e antebraos com anti-sptico degermante. Durao do Procedimento: de 3 a 5 minutos para a primeira cirurgia e de 2 a 3 minutos para as cirurgias subseqentes.</p> <p> Conceitos: Antissepsia: o conjunto de mtodos empregados para combater os microorganismos patognicos atravs da destruio ou da inativao dos mesmos. Assepsia: o conjunto de medidas que evita o contato de germes com o doente, a ferida operatria, o ambiente e a equipe cirrgica.</p> <p>TCNICA PARA CALAR LUVA ESTRIL</p> <p> O procedimento de calar um par de luvas estril requer tcnica correta, para evitar a contaminao da luva, fato este que pode ocorrer com facilidade, por isso requer muita ateno. As luvas estreis devem ser utilizadas sempre que ocorrer a necessidade de manipulao de reas estreis. Existem vrios procedimentos que exigem a utilizao de luvas estreis, entre eles os procedimentos cirrgicos, aspirao endotraqueal, curativos extensos, que se tornam difceis realizar somente com o material de curativo. Resumindo, em qualquer ocasio que for necessrio o auxlio manual em locais estreis ou em leses, usa-se as luvas esterilizadas</p> <p>1 PASSO: Aps realizar a lavagem correta das mos, abra o pacote de luvas sobre uma superfcie limpa, altura confortvel para sua manipulao.</p> <p>2 PASSO: Observe que existem abas nas dobras internas da embalagem das luvas. Elas existem para facilitar a abertura do papel, sem que ocorra o risco de tocar nas luvas e contaminlas. Ento, segure nas abas abra os dois lados que revestem as luvas, conforme a figura abaixo.</p> <p> As luvas esto dispostas corretamente a sua frente, onde: a luva da mo direita est a sua direita, e a luva da mo esquerda, est a sua esquerda. Isso na maioria dos fabricantes. A maioria das luvas no tem lado anatmico, mas ficam dispostas nesse sentido, devido a dobra existente do polegar.</p> <p>3 PASSO Agora, prepare-se para calar a luva na mo dominante. Com sua mo nodominante, segure a luva pela face interna da luva (que vem dobrada propositalmente). Lembre-se: enquanto voc estiver sem luvas, segure apenas pela face onde a luva ir entrar em contato com sua pele, ou seja, face interna.</p> <p> Agora, introduza os dedos da mo dominante, calmamente, procurando ajustar os dedos internamente. Realize esta etapa da melhor maneira possvel, mas no se preocupe se os dedos ficarem mal posicionados dentro da luva. Continue o procedimento mesmo com os dedos posicionados de forma errada ( muito arriscado tentar arrumar a posio dos dedos, voc pode contamin-la).</p> <p> Aps esta etapa, introduza at que sua mo entre completamente na luva, sempre a segurando pela face interna.</p> <p>4 PASSO Agora que voc colocou a primeira luva estril (na mo dominante), vamos colocar a luva na mo esquerda (no-dominante). Lembre-se, que agora estamos com uma luva estril na mo dominante, no podemos tocar em lugares que no sejam estreis, sejam eles a nossa pele, superfcies ou objetos ao nosso redor. Com a mo dominante (enluvada), segure a outra luva pela face externa (ou seja, por dentro da dobra existente). Esta dobra existente no punho da luva servir de apoio para segurar a luva, sem que ocorra o risco de contaminar a luva, mesmo que imperceptivelmente.</p> <p> Sempre segurando pela dobra do punho da luva, introduza calmamente sua mo esquerda (no-dominante) na luva, semelhante ao realizado na primeira, mas agora, com a cautela de no tocar com a luva na pele da mo esquerda ou em locais no-estreis.</p> <p>5 PASSO</p> <p> Siga esta etapa, at introduzir toda a mo esquerda na luva</p> <p> Agora, havendo a necessidade de posicionar os dedos corretamente, ou at mesmo melhorar o calamento da luva, faa com ambas as luvas, porm evite manipular a luva na regio dos punhos, caso esta no possua mais as dobras de segurana</p>