tecido nervoso anatomicamente o sistema nervoso esta dividido em: sistema nervoso central (snc)....

Download Tecido nervoso Anatomicamente o sistema nervoso esta dividido em: sistema nervoso central (SNC). encéfalo e espinal medula sistema nervoso periférico (SNP)

Post on 17-Apr-2015

122 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Tecido nervoso Anatomicamente o sistema nervoso esta dividido em: sistema nervoso central (SNC). encfalo e espinal medula sistema nervoso perifrico (SNP). nervos e gnglios nervosos. No SNC h uma segregao entre os corpos celulares dos neurnios e os seus prolongamentos. Esta segregao origina duas pores distintas, a substncia branca e a substncia cinzenta.
  • Slide 2
  • Substncia cinzeta (mostra essa cor macroscopicamente).. corpos celulares dos neurnios. clulas da glia. prolongamentos de neurnios. Substncia branca (contem muita mielina). prolongamentos de neurnios. clulas da glia.
  • Slide 3
  • Neurnios ou clulas nervosas. corpo celular ou pericrio,. ncleo. prolongamentos. Dendrites. Axnios morfologicamente, os neurnios podem ser classificados como: multipolares - apresentam mais de dois prolongamentos celulares; bipolares - possuem uma dendrite e um axnio; pseudo-unipolares - apresentam prximo ao corpo celular, um prolongamento nico, que se divide em dois, dirigindo-se um ramo para a periferia e outro para o sistema nervoso central.
  • Slide 4
  • Slide 5
  • A grande maioria dos neurnios multipolar. Os neurnios bipolares so encontrados nos gnglios coclear e vestibular, na retina e na mucosa olfactria. Os corpos celulares dos neurnios localizam-se no SNC somente na substncia cinzenta no SNP em gnglios e em alguns rgos sensoriais como a mucosa olfactria
  • Slide 6
  • Os neurnios pseudo-unipolares. na vida embrionria tm a forma de neurnios bipolares. No desenvolvimento os dois prolongamentos acabam por se fundir por um pequeno percurso junto ao pericrio.. Ocorrem nos gnglios espinais.. os dois prolongamentos das clulas pseudo-unipolares so morfologicamente e electrofisiologicamente axnios, mas o prolongamento mais perifrico funciona como dendrite. Neste tipo de neurnio, o estmulo captado pelas dendrites transita directamente para o axnio sem passar pelo corpo celular.
  • Slide 7
  • Corpo celular a parte do neurnio que contm o ncleo e o citoplasma que envolve o ncleo. O ncleo esfrico e tem geralmente um ncleolo. rico em retculo endoplasmtico rugoso. A sua quantidade varia com o tipo e estado funcional dos neurnios, sendo mais abundante nos maiores e nos motores Ao microscpio ptico estas cisternas do retculo endoplasmtico rugoso apresentam manchas basfilas espalhadas pelo citoplasma designados por corpsculos de Nissl. Possui aparelho de Golgi, mitocndrias e neurofilamentos.
  • Slide 8
  • Dendrites Tornam-se mais finos medida que se ramificam, como os galhos de uma rvore. A composio do citoplasma da base das dendrites semelhante do corpo celular porm no apresentam aparelho de Golgi. A grande maioria dos impulsos que chegam a um neurnio so recebidos por pequenas projeces das dendrites designadas por espinhas ou gmulas: - so o primeiro local de processamento dos sinais que chegam aos neurnios. - so estruturas dinmicas, com grande plasticidade morfologica baseada na actina
  • Slide 9
  • Axnios Cada neurnio possui um nico axnio, que no ramifica abundantemente mas que pode originar ramificaes em ngulo recto denominadas colaterais. O tamanho de um axnio bastante varivel (podendo atingir 1 metro, clulas motoras da espinal medula que enervam o p). O axnio nasce de uma estrutura piramidal do corpo celular, denominada cone de implantao. O axnio pobre em organelos, possui pouco retculo endoplasmtico sendo mantido pelo pericrio A poro final de um axnio geralmente muito ramificada e denomina-se por telodendro.
  • Slide 10
  • Slide 11
  • Clulas da glia ou neuroglia Esto presentes no SNC. Existem 4 tipos: oligodendrcitos, astrcitos, clulas ependimrias e clulas da microglia. Na colorao pela Hematoxilina-Eosina as clulas da glia no se evidenciam bem, aparecendo apenas os ncleos. No estudo da sua morfologia necessrio recorrer a mtodos especiais por impregnao de prata ou ouro. Para neurnio ocorrem 10 clulas da glia, mas em virtude do seu tamanho ocupam metade do volume do tecido.
  • Slide 12
  • Oligodendrcitos Produzem as bainhas de mielina que servem de isolantes elctricos para os neurnios do SNC. Tm prolongamentos que se enrolam em volta dos axnios, produzindo a bainha de mielina. Tm prolongamentos que envolvem diversos axnios. As clulas de Schwann tm a mesma funo dos oligodendrcitos, mas no SNP.
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Astrcitos So clulas com uma forma estrelada. Entre as clulas da glia, os astrcitos so as mais numerosas e de maior diversidade funcional. Os astrcitos ligam os neurnios aos capilares sanguneos e pia- mater (camada de tecido conjuntivo que reveste o SNC). Fibrosos - prolongamentos menos numerosos e mais longos, localizam-se na substncia branca, Protoplasmticos - prolongamentos curtos e muito ramificados, encontram-se na substncia cinzenta.
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Funes dos astrcitos: sustentao, participam no controle da composio inica e molecular da matriz extracelular. Podem apresentar prolongamentos, designados ps vasculares, que se expandem sobre os capilares sanguneos. participam na regulao das actividades e na sobrevivncia dos neurnios Os astrcitos comunicam uns com os outros atravs de junes comunicantes formando uma rede que permite trocar informaes a grandes distncias
  • Slide 18
  • clulas ependimrias So clulas epiteliais cilndricas que revestem o crebro e o canal central da espinal medula. Em alguns locais as clulas ependimrias so ciliadas, o que facilita a movimentao cefalorraquidiana.
  • Slide 19
  • Microglia clulas pequenas e alongadas, com prolongamentos curtos e irregulares. So identificadas quando coradas pela hematoxilina-eosina porque os seus ncleos so mais escuros e alongados. clulas fagocitrias, representando o sistema mononuclear fagocitrio no SNC. Participam nos processos inflamatrios e na reparao do SNC. Quando activadas, as clulas da microglia retraem os seus prolongamentos, assumem a forma de macrfagos e tornam-se fagocitrias. Quando ocorre a esclorose mltipla, as bainha de mielina so destrudas, causando distrbios neurolgicos. Os restos de mielina so removidos pela microglia.
  • Slide 20
  • Slide 21
  • Sistema Nervoso Central (SNC) crebro, cerebelo e espinal medula. Quando cortados estas estruturas apresentam regies brancas (substncia branca) e regies cinzentas (substncia cinzenta). Esta diferena de colorao esta relacionada com a distribuio de mielina. A substncia branca constituda por axnios mielinizados, oligodendrcitos e outras clulas da glia, no contm corpos de neurnios. A substncia cinzenta formadas por corpos de neurnios, dendrites, a poro no mielinizada dos axnios e as clulas da glia.
  • Slide 22
  • Cerebelo Na superfcie predomina substncia cinzenta, enquanto a substncia branca predomina nas partes mais centrais. A substncia cinzenta do cerebelo compreende 3 camadas: a camada molecular (mais externa); a camada das clulas de Purkinje (camada central); a camada granulosa (mais interna).
  • Slide 23
  • As clulas de Purkinje so muito grandes, bem visveis e as suas dendrites so muito bem desenvolvidas, assumindo o aspecto de um leque. Estas dendrites ocupam a maior parte da camada molecular. Por essa razo, as clulas da camada molecular esto muitos esparsas. A camada granulosa formada por neurnios muito pequenos (os menores do organismo) e organizados de modo muito compacto.
  • Slide 24
  • Slide 25
  • Espinal medula A substncia branca localiza-se externamente e a substncia cinzenta internamente, com a forma de letra H. O trao horizontal do H apresenta um orifcio revestido por clulas ependimrias.
  • Slide 26
  • Meninges O SNC est contido e protegido na caixa craniana e no canal vertebral, sendo envolvido por membranas de tecido conjuntivo chamadas meninges. As meninges so formadas por 3 camadas, de fora para dentro: dura-mter, aracnide e pia-mter.
  • Slide 27
  • dura-mter A dura-mter a meninge mais externa, constituda por tecido conjuntivo denso contnuo com o peristeo dos ossos da caixa craniana. Entre a dura-mter, que envolve a espinal medula, separada do peristeo das vertebras, pelo espao epidural Entre a dura-mter e aracnide pode ocorrer o espao subdural. As superfcies internas e externas da dura-mter so revestidas por epitlio simples pavimentoso.
  • Slide 28
  • Aracnide A aracnide apresenta duas partes, uma em contacto com a pia- mter, formando o espao subarocnideo, que contm lquido cefalorraquidiano, e outra em contacto com a dura-mter que origina o espao subdural. O espao subarocnideo constitui um colcho hidralico que protege o SNC de traumatismos. A aracnide formada por tecido conjuntivo sem vasos sanguneos e as suas superfcies so revestidas por epitlio simples pavimentoso de origem mesenquimatosa. A aracnide forma, em certos locais, expanses que perfuram a dura-mter e terminam com dilataes fechadas, designadas por vilosidades das aracnides. Estas vilosidades tm a funo de transferir lquido cefaloraquidiano para o sangue.
  • Slide 29
  • pia-mter muito vascularizada e aderente ao tecido nervoso, embora no esteja em contacto directo com clulas ou fibras nervosas. Entre a pia-mter e os elementos nervosos situam-se prolongamentos dos astrcitos, que formam uma camada muito delgada unida fortemente face interna da pia-mter. A superfcie externa da pia-mter revestida por tecido

Recommended

View more >