Tcc Lean Construction na Construção Civil

Download Tcc Lean Construction na Construção Civil

Post on 07-Jan-2016

46 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Lean Construction na Construo Civil

TRANSCRIPT

<ul><li><p>FACULDADE BRASILEIRA </p><p>CURSO DE GRADUAO EM ENGENHARIA CIVIL </p><p>GABRIEL COMARELA BORTOLINI </p><p>MAYKE DIAS SARMENTO </p><p>RENAN DIAS SARMENTO </p><p>THIAGO CARLTTI MAITAM RIZZO </p><p>VICTOR BRUNORO DE FREITAS </p><p>ANLISE DO MODELO DE PRODUO ENXUTA EM UMA EMPRESA DE CONSTRUO CIVIL DA GRANDE </p><p>VITRIA </p><p>VITRIA ES </p><p>2015 </p></li><li><p>2 </p><p>GABRIEL COMARELA BORTOLINI </p><p>MAYKE DIAS SARMENTO </p><p>RENAN DIAS SARMENTO </p><p>THIAGO CARLTTI MAITAM RIZZO </p><p>VICTOR BRUNORO DE FREITAS </p><p>ANLISE DO MODELO DE PRODUO ENXUTA EM UMA EMPRESA DE CONTRUO CIVIL DA GRANDE </p><p>VITRIA </p><p>Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao </p><p>Departamento de Engenharia Civil da MULTIVIX </p><p>Faculdade Brasileira, como requisito parcial para a </p><p>obteno do grau de Bacharel em Engenharia Civil. </p><p>Orientadora: Profa. Me. Poline Fialho </p><p>VITRIA ES </p><p>2015 </p></li><li><p>3 </p><p>RESUMO </p><p>O objetivo do presente trabalho analisar o Modelo de Produo Enxuta em uma </p><p>empresa de construo civil setor edificaes, da regio da Grande Vitria </p><p>Esprito Santo. Para tanto, os pesquisadores empregaram uma pesquisa </p><p>bibliogrfica, levantando assuntos que norteiam os principais estudos acerca do </p><p>lean construction. Assim, conceitos como o da Qualidade, da norma de </p><p>desempenho de edificaes habitacionais e dos servios de reboco e pintura </p><p>foram elucidados, na tentativa de encadear ideias slidas para a construo do </p><p>parmetro avaliativo adotado. No que se refere a metodologia deste Estudo de </p><p>Caso, aps serem realizadas observao emprica e entrevistas com a equipe </p><p>tcnica dos servios de reboco e pintura das duas obras da referida organizao, </p><p>desenvolveram-se mtodos comparativos a partir do confronto da atual situao </p><p>dos servios de reboco e pintura com os conceitos de construo enxuta. Foram </p><p>construdos os fluxogramas dos referidos servios com o intuito de identificar as </p><p>atividades que agregam e as que no agregam valor. A partir das descries </p><p>detalhas obtidas nas entrevistas com os colaboradores da construtora A, foi </p><p>possvel auferir as mdias de conformidade ao modelo lean das atividades de </p><p>reboco e pintura. Dessa forma, os resultados evidenciaram que, apesar da </p><p>empresa executar alguns princpios da construo enxuta, ainda no h um </p><p>alinhamento geral entre a filosofia construtiva da empresa A e o lean </p><p>construction. A partir desta constatao, foram sugeridas algumas melhorias a </p><p>partir das oportunidades, nos mbitos gerencial e operacional das obras civis da </p><p>empresa em estudo. </p><p>Palavras-chave: Construo enxuta. Lean construction. Just in time. </p></li><li><p>4 </p><p>LISTA DE QUADROS </p><p>QUADRO 1 Dados gerais da Pesquisa..........................................................28 </p><p>QUADRO 2 Fluxograma de Atividade do Sistema de Revestimento Completo </p><p>de Argamassa....................................................................................................29 </p><p>QUADRO 3 Fluxograma de Atividade do Sistema de Pintura........................31 </p><p>QUADRO 4 Percentagem de Conformidade Grupo A....................................35 </p><p>QUADRO 5 Percentagem de Conformidade Grupo B....................................36 </p><p>QUADRO 6 Percentagem de Conformidade Grupo C....................................36 </p></li><li><p>5 </p><p>LISTA DE FIGURAS </p><p>FIGURA 1 Aplicao de tinta..........................................................................17 </p><p>FIGURA 2 Lixamento......................................................................................18 </p><p>FIGURA 3 Emassamento...............................................................................18 </p><p>FIGURA 4 Execuo do reboco......................................................................20 </p><p>FIGURA 5 Execuo do emboo....................................................................20 </p><p>FIGURA 6 Localizao da empresa A, Vila Velha ES.................................23 </p></li><li><p>6 </p><p>SUMRIO </p><p>1. INTRODUO ....................................................................................................................... 7 </p><p>1.1 OBJETIVOS ...................................................................................................................... 9 </p><p>1.1.1 O OBJETIVO GERAL .............................................................................................. 9 </p><p>1.1.2 OS OBJETIVOS ESPECFICOS ............................................................................ 9 </p><p>1.2 JUSTIFICATIVA ............................................................................................................... 9 </p><p>1.3 LIMITAES DO TRABALHO .................................................................................... 10 </p><p>2. REFERENCIAL TERICO ................................................................................................. 12 </p><p>2.1 CONCEITOS DE LEAN CONSTRUCTION ............................................................... 12 </p><p>2.2 O QUE QUALIDADE? ............................................................................................... 14 </p><p>2.3 O SISTEMA DE PINTURA ........................................................................................... 15 </p><p>2.4 REVESTIMENTO COMPLETO DE ARGAMASSA .................................................. 19 </p><p>2.5 ABNT NBR 15-575/2013 Edificaes Habitacionais Desempenho ................ 21 </p><p>3. METODOLOGIA .................................................................................................................. 23 </p><p>3.1 APRESENTAO DA EMPRESA .............................................................................. 23 </p><p>3.2 AMOSTRA DA PESQUISA .......................................................................................... 24 </p><p>3.3 MTODO ......................................................................................................................... 25 </p><p>3.4 COLETA DE DADOS .................................................................................................... 26 </p><p>4. APRESENTAO E ANLISE DE DADOS .................................................................. 29 </p><p>4.1 O SISTEMA DE REVESTIMENTO COMPLETO DE ARGAMASSA </p><p>CONSTRUTORA A .............................................................................................................. 30 </p><p>4.2 O SISTEMA DE PINTURA CONSTRUTORA A .................................................... 32 </p><p>4.3 INCONGRUNCIAS E NO CONFORMIDADES AO LC ...................................... 34 </p><p>4.4 RESULTADOS DAS ENTREVISTAS ......................................................................... 36 </p><p>4.5 OPORTUNIDADES DE MELHORIA ........................................................................... 37 </p><p>5. CONCLUSO ....................................................................................................................... 39 </p><p>REFERENCIAS ........................................................................................................................ 40 </p></li><li><p>7 </p><p>1. INTRODUO </p><p>Durante o boom imobilirio iniciado por volta dos anos 2000 no Brasil, muitas </p><p>construtoras impulsionaram seus negcios. Em paralelo, vrias outras surgiram </p><p>e conseguiram prosperar. No mdio prazo, tais caractersticas mercadolgicas </p><p>criaram um cenrio pouco hostil ao amadorismo. Ou seja, diante da relativa </p><p>facilidade de sobrevivncia dinmica do mercado, o esforo para o </p><p>desenvolvimento de novas abordagens gerenciais na construo foi tmido. </p><p>Ao incio da segunda dcada de 2000, o cenrio da construo de edificaes </p><p>residenciais no se encontrava to amistoso, como anteriormente descrito. </p><p>Acompanhando os efeitos da crise imobiliria com epicentro nos EUA (2007), os </p><p>pases do globo sentiram seus efeitos com fortes quedas do volume de negcios </p><p>nacionais, assim como nos ndices de emprego. No que tange o setor imobilirio, </p><p>o qual apresentava ofertas pulsantes de lanamentos em territrio brasileiro, </p><p>algo havia mudado: a concorrncia havia se acirrado de forma substancial. Como </p><p>consequncia, as empresas do ramo passaram a concentrar esforos a fim de </p><p>tornar suas gestes e processos mais eficientes. Ou seja, era preciso produzir </p><p>mais, em menos tempo, de forma inteligente e econmica para enfrentar a </p><p>concorrncia </p><p>Assim, diante das falhas nestes processos de planejamento, gerenciamento e </p><p>execuo na construo civil, um novo conceito denominado construo enxuta </p><p>(ou Lean construction) invadiu o mercado brasileiro. Idealizado na Finlndia por </p><p>Lauri Koskela, esta filosofia construtiva chegou como promessa de soluo dos </p><p>problemas de muitas empresas do ramo. Portanto, este movimento ganhou fora </p><p>a partir da percepo dos construtores que os mtodos convencionais de </p><p>construo se encontravam obsoletos, uma vez que os mesmos apresentavam </p><p>grandes perdas, desperdcios, qualidade insuficiente e funes que no </p><p>agregavam valor suficiente para as organizaes. </p><p>O sucesso obtido pelo sistema lean no setor fabril despertou ento uma viso </p><p>empreendedora no mercado da construo, fazendo com que autores </p><p>buscassem se aprofundar cada vez mais em estudos voltados para rea da </p><p>construo civil, agregando conceitos como o da gesto da qualidade. </p></li><li><p>8 </p><p>O Lean Construction (LC) apresenta uma padronizao em favor dos processos, </p><p>tomando como base conceitos como o just in time e a automao, oriundos do </p><p>movimento Toyota. Entende-se por automao a interferncia humana que </p><p>abrange o aumento da produtividade atravs da separao dos tempos das </p><p>atividades evitando que erros sejam produzidos em srie. A partir disso, a </p><p>filosofia abordada de qualidade para o produto final, visando um menor tempo </p><p>e custo na execuo dos servios, ao passo que atribui maior valor aos </p><p>funcionrios. </p><p>Com a identificao dessas tcnicas ultrapassadas e com o conceito do LC, </p><p>possvel transformar situaes atuais prticas. Como por exemplo: determinados </p><p>servios que antes dependiam de vrios de profissionais diferentes, so agora </p><p>executados por apenas um funcionrio polivalente, preparando-o para mais de </p><p>uma funo. Com esta viso de reengenharia de processos, a empresa adquire </p><p>potencial para ganhar tempo, reduzir custos e valorizar seus funcionrios, j que </p><p>agrega valor a si mesma atribuindo-lhe multifunes. </p><p>Levando em considerao os servios macros das edificaes (fundao, </p><p>estrutura, superestrutura, alvenaria, etc.), este trabalho busca no conceito LC a </p><p>fim de detectar oportunidades de melhoria em gesto, planejamento e execuo </p><p>de servios. Aqui, so abordadas novas tcnicas e ferramentas com alto nvel </p><p>de preciso em uma empresa de construo civil operante na regio da Grande </p><p>Vitria ES. Afinal, entende-se que o produto criado recebido e utilizado pelos </p><p>clientes que so cada vez mais exigentes. </p><p>As caractersticas das aplicaes deste conceito inseridas na construo civil </p><p>sero discutidas posteriormente com maior abrangncia. </p></li><li><p>9 </p><p>1.1 OBJETIVOS </p><p>1.1.1 O OBJETIVO GERAL </p><p> Identificar oportunidades de melhoria de procedimentos nos servios de </p><p>reboco e pintura da construtora A, a partir as incongruncias encontradas </p><p>com o modelo do LC. </p><p>1.1.2 OS OBJETIVOS ESPECFICOS </p><p> Analisar o modelo de construo enxuta de forma comparativa ao modelo </p><p>atual da empresa, considerando os aspectos gerenciais e operacionais; </p><p> Elencar as principais incongruncias encontradas em uma obra com a </p><p>teoria da construo enxuta. </p><p>1.2 JUSTIFICATIVA </p><p>O cenrio econmico brasileiro, juntamente com as caractersticas locais do </p><p>mercado imobilirio da Grande Vitria, tem desafiado as construtoras por novas </p><p>concepes operacionais. Segundo Formoso (2000), foi a partir dos anos 80 que </p><p>se observou no pas uma tendncia de aplicao de ferramentas da Gesto da </p><p>Qualidade Total, quando muitas empresas de construo passaram a adotar e </p><p>desenvolver sistemas de gesto de qualidade para melhorar seus processos </p><p>produtivos. </p><p>Tendo em vista os aumentos de ndices inflacionrios, as despesas e custos </p><p>construtivos passaram a acompanham este movimento. Por outro lado, a grande </p><p>oferta de imveis no mercado local tem gerado presses competitivas, fazendo </p><p>com que as construtoras busquem solues alternativas ao aumento do preo </p><p>de apartamentos. </p><p>Neste mbito, a implantao da filosofia Lean Construction tem gerado ganhos </p><p>de eficincia produtiva e gerencial em obras civis. Assim, este modelo se </p><p>apresenta como uma forte ferramenta de vantagens competitivas, seja pela </p><p>manuteno da lucratividade do negcio ou mesmo para potencializar tais </p><p>resultados financeiros. </p></li><li><p>10 </p><p>Alm do forte motivo mercadolgico, encontram-se ainda as justificativas </p><p>pontuais. Devido ao pleno acesso s informaes da Construtora A, foi possvel </p><p>observar claros indcios de perdas e falhas operacionais-gerenciais como por </p><p>exemplo a ausncia de Procedimentos Operacionais Padro (POPs) </p><p>aumentando a variabilidade do produto acabado; e a espessa camada de </p><p>emboo (reboco) em vrios pontos. </p><p>[...] Do ponto de vista da gesto de processos, existem duas razes para a </p><p>reduo da variabilidade. Primeiro, do ponto de vista do cliente, um produto </p><p>uniforme em geral traz mais satisfao, pois a qualidade do produto efetivamente </p><p>corresponde s especificaes previamente estabelecidas. [] Em segundo </p><p>lugar, a variabilidade tende a aumentar a parcela de atividades que no agregam </p><p>valor e tempo necessrio para executar um produto. [] (FORMOSO, 2000, p.6) </p><p>Ainda, a escolha das etapas de obra reboco e pintura se encontram </p><p>atualmente em execuo, permitindo a observao in loco da atividade. Alm </p><p>disso, representam servios ditos interdependentes e sequenciais no fluxo de </p><p>trabalho em obras. Juntos representam em torno de 5% dos custos orados de </p><p>cada empreendimento dessa empresa, ao passo que demandam significativo </p><p>investimento de tempo. </p><p>Portanto, o conjunto de oportunidades de anlise e melhorias potenciais se </p><p>mostra bastante favorvel realizao deste estudo. </p><p>1.3 LIMITAES DO TRABALHO </p><p>Dentre as principais limitaes percebidas pelos pesquisadores referentes a este </p><p>trabalho, tem-se: </p><p> Os vieses em relao coleta de dados; </p><p> A impossibilidade de generalizao dos resultados ao mercado da </p><p>construo civil setor edificaes, da Grande Vitria; </p><p> A no ocorrncia de aprofundamento no conceito geral do LC. </p></li><li><p>11 </p><p>Quanto coleta de dados, foi percebido pelos pesquisadores certo receio dos </p><p>respondentes ao realizarem avaliaes negativas frente as questes das </p><p>entrevistas, mesmo com todo o esforo de se manter a imparcialidade dos </p><p>respondentes e extrair os dados com maior fidedignidade. Vale ressaltar que um </p><p>dos pesquisadores familiar do diretor da empresa. Isto pode ter gerado </p><p>desconforto e postura defensiva em alguns entrevistados. </p><p>Admite-se tambm a impossibilidade de generalizao dos resultados ao </p><p>mercado da construo civil setor edificaes, da Grande Vitria. Isso se deve </p><p>ao fato de a amostra englobar poucos indivduos, ao passo que existe a suspeita </p><p>de alguns dados no representarem o posicionamento real de alguns </p><p>colaboradores da construtora analisada. </p><p>Por fim, pode-se citar a no ocorrencia de aprofundamento no conceito geral do </p><p>modelo Lean Construction perante a empresa A, visto que os princpios que </p><p>norteiam esta filosofia produtiva se estendem alm dos dois servios analisados </p><p>neste trabalho. </p><p>Para pesquisas futuras, se sugere o aprofundamento em empresas que baseiam </p><p>assumidamente suas atividades no modelo LC, a fim de desvendar as principais </p><p>entropias e dificuldades existentes nos pro...</p></li></ul>

Recommended

View more >