Tcc espm miolo

Download Tcc espm miolo

Post on 10-Aug-2015

188 views

Category:

Marketing

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ol><li> 1. miolo_teto14.indd 1 21/05/10 07:01 </li><li> 2. miolo_teto14.indd 2 21/05/10 07:01 </li><li> 3. PROJETO DE GRADUAO ESPM Um Teto Para Meu Pas: Brasil Orientador: Fbio Andrade Andr de Freitas Tastaldi 10620197 Fernando Lima Conte 10620293 Fernando Nahat Jardim 10620060 Taciana Kelly Romagnoli Pinto 10620618 So Paulo, 2010 miolo_teto14.indd 3 21/05/10 07:01 </li><li> 4. 4 agradecimentos Tudo comeou em agosto de 2006, uma vontade enorme de estudar, de conhecer pessoas novas, de dar risada da vida, de ser feliz, de encontrar pessoas que realmente fizeram a diferena na minha vida e de aprender coisas que nunca imaginei como seriam. Nestes quatro anos de faculdade, realmente aprendi muita coisa. Agradeo a toda a minha famlia, j que sem ela, nada disso seria possvel, amo vocs demais! Em seguida e, no menos importante agradeo a todos os meus amigos e a todas as pessoas que tive a oportunidade de conhecer e dar muita risada. Aproveito para bater mil palmas para as pessoas que acreditaram no projeto e o tornou uma realidade, essa pra vocs: Thoms (no tenho dvida que ter sucesso na vida, toro muito por voc); Me do Fe Jardim, Berta (obrigado por toda ateno e o carinho que teve pela gente durante esse ano, os jantares e as conversas jamais sero esquecidos); a todos os voluntrios do Teto (obrigado pelo aprendizado, comeamos a fazer algo que acreditamos e quero que saibam que estou longe de querer parar); ao CA4D por todos os momentos inesquecveis que passei l dentro e por todas as pessoas que realmente querem fazer a diferena; aos meus professores da faculdade e os do dia-a-dia que me ensinaram a ser quem eu sou e a lutar pelo o que quero. E caso no tenha citado o seu nome, no fique triste, pois a mensagem e o carinho so iguais para todos. E fao uma reverncia para o Mestre dos Mestres, FabioAndrade, que no somente acreditou no projeto, como acreditou no nosso potencial e nos ensinou muito mais do que imaginvamos. T me explicando? E preciso agradecer a trs pessoas que sempre estiveram comigo neste ano e, por mais que tenhamos discutido e discutido, acabamos dando muita risada juntos. Obrigado Chu e Burns, pelo aprendizado, pela companhia, pelas histrias, pelas risadas, pelas discusses interminveis e obviamente por terem me agentado. Mas, uma coisa que no quer calar: invertemos o CA ou no Bebel? Agradeo tambm a Taci, que se mostrou ser uma pessoa fantstica, com a qual aprendi muito e que quero que continue fazendo parte da minha vida. Estou curioso em saber o que tem guardado pra mim depois da faculdade, mas independente do que acontecer tenho a certeza de que tudo que vivenciei nesses 23 anos de vida no sero esquecidos jamais, quero que saibam que carrego todos vocs comigo, porque s eu sei o bem que vocs me fazem por estarem ao meu lado. Termino o meu texto com uma mensagem simples, honesta e que me ajudou muito a enxergar algumas coisas. Espero que eu consiga contagiar a todos a fazerem algo pelo mundo. Eu levo comigo uma coisa muito sria, que enquanto eu puder fazer algo pela sociedade e pelas pessoas - vou fazer. Acredito que tudo o que tocamos tem soluo, s que precisamos ir alm e comear a enxergar, ouvir e sentir que podemos fazer a diferena. Se quiserem me encontrar daqui a 50 anos para saber como estou, basta me procurar em projetos sociais, inclusive no Teto. Este trabalho pra vocs. Espero que gostem. miolo_teto14.indd 4 21/05/10 07:01 </li><li> 5. agradecimentos 5 Comear a escrever os agradecimentos foi bastante difcil. Chegar aqui uma vitria e tanto! H 4 anos eu nem sabia se conseguiria mesmo entrar na ESPM, e nem imaginava o que estava guardado ali dentro para mim, nos anos seguintes. Estes anos foram incrveis! Participei de tudo que pude e que quis, fiz amizades sensacionais, aprendi demais, e me diverti muuuuito! No posso negar, fazer esse trabalho foi um tanto cansativo e complicado. Foi uma fase difcil: noites dormindo mal, finais de semana na frente do computador, muitas brigas e muito stress, mas sem dvida valeu a pena! Gostaria de agradecer meus pais Thais e Edgard, por tudo, TUDO mesmo! Vocs so incrveis! (Juro que agora tento ficar mais em casa, t?!?! rs...) Gostaria de agradecer tambm minha av por ser sempre uma inspirao e meu av por sua alegria e brilho! Sem todos vocs no teria chegado aqui, tenho certeza!! No poderia ficar de fora, a Carol, minha namorada! Muito obrigado por ter agentado o stress e a ausncia em muitos momentos! Voc muito especial, e te ter ao meu lado me deu muita fora! Thomito e galera do Teto, no preciso nem dizer que sem a vontade e ajuda de vocs ns estaramos perdidos... Tia Berta (me do Ch), muuuito obrigado por alimentar nossas madrugadas, e por nos abrigar durante aqueles looongos dias! Alm disso, com certeza preciso agradecer meu grupo! Ch, Taci e Fezo, muito obrigado pela amizade, companhia, fora e pacincia muitas vezes! tudo nosso! Acabou!! E lgico, um muuuito obrigado, ao Prof. Fbio Andrade, que nos orientou e agentou! Tenho certeza que ns demos muito trabalho! Enfim, foram 4 anos inesquecveis! A saudade j bateu, s de pensar que estou saindo daqui... T a a concluso de tudo, nosso PGE, que parecia sempre to distante, agora acabado na sua mo! Ufa... Obrigado ESPM por todos os momentos! TODOS, bons e ruins, me fizeram ser hoje uma pessoa melhor e maior! Agora sim consigo entender por completo e dizer: Aqui realmente mais legal! Vou correr pro meu travesseiro que eu t com muuuuiiita saudade dele. Estou de volta vida! miolo_teto14.indd 5 21/05/10 07:01 </li><li> 6. 6 agradecimentos Aprendizado, Alegriae Amizade. No poderia comear meu agradecimento sem estes 3 As que marcaram minha trajetria na ESPM. Foram quatro anos de muito esforo, trabalho, dedicao, festas e curtio. Conheci pessoas incrveis que pretendo levar comigo pelo resto da minha vida,junto comos momentos inesquecveis que com elas convivi. Agradeo primeiramente aos meus pais que, investiram tudo o que tinham nos meus estudos, sempre preocupados em me proporcionar o que h de melhor, alm do constante apoio e compreenso. Agradeo tambm aqueles que deram fora e conselhos fundamentais para a tomada das minhas decises, como meu irmo com toda sua sabedoria, minha av com toda sua cautela e preocupao, a Berta pela ateno e incentivo emeu namorado que no agenta mais ouvir a sigla PGE, mas mesmo assim me ouve com toda pacincia e carinho do mundo. Fbio, obrigada pelos ensinamentos. Jamais esquecerei que a maior virtude do homem a lealdade e, que na vida, o que realmente importa a relao que criamos com as pessoas. Obrigada pelo companheirismo e amizade. Voc tem todo meu respeito e admirao. Fernando, muito obrigada por finalmente conseguir instalar meu Office, mesmo que tenha sido no ltimo dia do PGE. Sentirei saudades. A todos que me ajudaram nesta fase difcil, principalmente a minha me e a minha famlia que amo tanto, ao nosso orientador, Fbio Andrade, que sempre esteve disponvel quando precisamos, ao pessoal do Teto, com o auxlio e informaes e ao nosso amigo Thoms que nos ajudou com o trabalho. Obrigado. miolo_teto14.indd 6 21/05/10 07:01 </li><li> 7. "Ns devemos ser a mudana que queremos ver no mundo"(Gandhi) miolo_teto14.indd 7 21/05/10 07:01 </li><li> 8. sumrio executivo O projeto Um Teto para meu Pas nasceu da vontade do sacerdote jesuta Felipe Berros e de jovens universitrios que queriam denunciar a situao de pobreza extrema em que vivem milhares de pessoas. Isso aconteceu em 1997, com o nome Un Techo Para Chile. Hoje, a ONG est presente em 16 pases da Amrica Latina, contando com cerca de 200 mil voluntrios e tendo beneficiado mais de 40 mil famlias. Surgiu com o objetivo de construir em sua primeira fase moradias de emergncia para pessoas que vivem em extrema pobreza, passando na segunda fase a executar planos de habilitao social para finalmente chegar terceira fase, que tem como intuito urbanizar as comunidades onde a organizao atua, reintegrando-as sociedade. Para que o trabalho do Teto - como chamamos muitas vezes a ONG - seja feito da melhor forma possvel: com boa organizao, planejamento e contando cada vez com mais voluntrios, doaes e parcerias deve haver um bom relacionamento com seus stakeholders: fornecedores, governo, universidades, doadores, voluntrios, empresas, imprensa e beneficirios (famlias que recebem as moradias). Nosso PGE no segue o modelo convencional, j que estamos tratando do terceiro setor e da fragilidade de uma ONG, que atua perante a imensa precariedade da situao habitacional brasileira. Para analisar e diagnosticar a atuao do Teto foram utilizadas diversas ferramentas, dentre elas o Diagrama de Ishikawa que permitiu analisar a relao causa-efeito dos problemas da ONG, a Matriz Alvo que ajudou a traar prioridades de atuao no curto, mdio e longo prazo; a Matriz dos 3As que analisa o funcionamento da organizao de acordo com: Ativao, Administrao e Aportes, trs pontos essenciais para seu bom funcionamento. Por fim, temos a anlise por meio das engrenagens (Processo, Matria-Prima e Mo- de-Obra); criada pelo grupo, na qual o Teto visto por meio de um sistema que deve funcionar em harmonia para que a organizao alcance seus objetivos. De modo geral, podemos ver uma organizao consolidada em outros pases, que comea a mostrar sua fora no Brasil, tentando se sobrepor s enormes dificuldades encontradas por conta do imenso nmero de favelas e de famlias vivendo precariamente. Para intensificar seu trabalho e tornar sua marca mais conhecida, a organizao precisa resolver primeiramente seus problemas de estrutura interna. O plano proposto tem durao de dois anos, tendo incio em 2011 e objetiva principalmente ampliar a atuao do Teto com a criao de Centros de Valorizao Comunitria (CVCs) e continuar com o trabalho atual da ONG de forma crescente, aumentando progressivamente o nmero de moradias construdas. Em um primeiro momento, iremos reorganizar internamente o Teto para que sua atuao seja melhor, maior e mais bem estruturada. Criaremos uma diretoria interna responsvel pelos CVCs, iniciando seu trabalho com os PDCs (Planejamento para Desenvolvimento das Comunidades), para que s assim acontea a implantao do primeiro Centro em 2012 e de outros posteriormente. miolo_teto14.indd 8 21/05/10 07:01 </li><li> 9. 1 A ONG Um Teto para meu Pas ................................................................................. 13 1.1 Histrico ...................................................................................... 13 2 Onde o Teto est inserido ..................................................................................... 15 2.1 O terceiro setor ............................................................................. 15 2.2 As associaes, fundaes, ONGs e OSCIPs ............................... 17 3 Atuao do Teto .......................................................................................................... 21 3.1 A causa: o problema habitacional ................................................. 21 3.2 PEPS - Pontos de Entrada e Pontos de Sada das favelas ............. 23 3.3 Como o Teto faz ............................................................................ 25 3.3.1 Estrutura Interna do Teto ..................................................... 36 3.4 Conscientizao ............................................................................ 39 4 os 3 as .................................................................................................................................. 45 4.1 Aportes .......................................................................................... 46 4.2 Administrao ............................................................................... 49 4.3 Ativao............................................................................................................... 50 5 Stakeholders................................................................................................................. 53 5.1 Anlise dos stakeholders ............................................................... 54 5.2 Identificao das necessidades ...................................................... 60 6 congneres .................................................................................................................... 63 6.1 Habitat for humanity ..................................................................... 64 6.2 Moradia e cidadania ...................................................................... 66 ndice 7 Panorama ......................................................................................................................... 71 7.1 Econmico .................................................................................... 71 7.2 Jurdico ......................................................................................... 72 7.3 Cultural ......................................................................................... 74 8 Diagnstico..................................................................................................................... 77 8.1 Fatores crticos de sucesso............................................................. 77 8.2 Anlises das engrenagens.............................................................. 78 8.3 Matriz 3A's.................................................................................... 81 8.4 Matriz alvo..................................................................................... 85 8.5 Concluso ..................................................................................... 90 9 Prognstico................................................................................................................... 93 10 Plano de Ao ............................................................................................................ 97 10.1 Objetivo de marketing ................................................................ 97 10.2 Estratgia de marketing............................................................... 97 10.3 Planejamento estratgico............................................................. 98 10.4 Plano de marketing...................................................................... 98 10.5 Cronograma de aes................................................................. 126 11 viabilidade financeira ...................................................................................... 131 12 Bibliografia............................................................................................................... 135 anexos miolo_teto14.indd 9 21/05/10 07:01 </li><li> 10. miolo_teto14.indd 10 21/05/10 07:01 </li><li> 11. voluntrio O vocbulo voluntrio vem do latim, proveniente do termo voluntas, que corresponde vontade, querer, desejo. Deriva tambm de voluntarius, que significa aquele que age por vontade prpria. A definio da ONU mais abrangente e diz que "o voluntrio o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu esprito cvico, dedica parte do seu tempo s diversas formas de atividades, organizadas ou no, de bem-estar social ou outros campos, sem remunerao alguma. h...</li></ol>