tabela de honorarios senge

Download Tabela de Honorarios SENGE

Post on 24-Jul-2015

160 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

TABELA DE REFERNCIA DE HONORRIOS PROFISSIONAIS

Julho/2008

NDICEINTRODUO........................................................................................................................03 FUNDAMENTOS LEGAIS....................................................................................................04 CONDIES BSICAS PARA PRESTAO DE SERVIOS.....................................04 CLASSIFICAO DE CATEGORIAS...............................................................................05 PROFISSIONAL LIBERAL..................................................................................................09 MODALIDADES DE CONTRATAO.............................................................................12 TIPOS DE SERVIOS CONCEITUAO PROPOSTA..................................................13 HONORRIOS PROFISSIONAIS DA ENGENHARIA PELO CRITRIO DO CUSTO GLOBAL.............................................................................................................20 EDIFICAO..........................................................................................................................20 PLANEJAMENTO DE LOTEAMENTOS............................................................................23 PAISAGISMO...........................................................................................................................24 ENGENHARIA ESTRUTURAL............................................................................................29 INTALAO ELTRICAS...................................................................................................38 PROJETOS HIDRULICOS, SANITRIOS E PREVENO DE INCNDIOS........46 FUNDAES E OBRAS DE TERRA...................................................................................47 HONORRIOS PROFISSIONAIS DA ENGENHARIA PELO CRITRIO DA HORA TCNICA..............................................................................................................51 NORMAS GERAIS..................................................................................................................61 CLCULO DA HORA TCNICA.........................................................................................63

2

INTRODUO

Aos amigos Engenheiros da Paraba:

H muito tempo o SENGE-PB vem sendo instado pelos profissionais da rea tecnolgica para que elabore uma tabela de honorrios profissionais para servios tcnicos de Engenharia. Aps intensa pesquisa de mercado junto aos profissionais das diversas modalidades representadas pelo SENGE-PB, conclumos a primeira verso desse trabalho. No se pretende com esse trabalho esgotar todos os aspectos relativos ao tema, mas oferecer aos profissionais um referencial para cobrana de honorrios de servios tcnicos de Engenharia. Participou na elaborao desse trabalho o Engenheiro Civil Armando Marinho, como coordenador. Cremos na importncia do presente trabalho como instrumento referencial nas negociaes de servios de engenharia, como orientador dos profissionais recm-formados e dos profissionais afasta de sua rea especifica de atuao, alm de servir como tambm como referencia para os contratantes de nossos servios. Pretendemos que esta tabela seja revisada permanentemente pelo SENGE-PB a partir da indispensvel contribuio dos nossos profissionais e de acordo naturalmente com as leis de mercado. Agradecemos a todos que participaram da construo deste trabalho em sua primeira verso e esperamos que com ele o SENGE-PB esteja contribuindo para o resgate da nossa dignidade profissional.

Eng. Herculano Marcelino Presidente do SENGE-PB

3

ESTA TABELA UMA REFERNCIA BSICA PARA OS PREOS RELATIVOS PRESERVAO DOS SERVIOS DE PROJETOS DA EXECUO DA OBRA.

1. FUNDAMENTOS LEGAIS1.1. Cdigo Civil, de Processo Civil e Penal Brasileiros; 1.2. Decreto Federal n 23.569/33 (regula o exerccio profissional); 1.3. Lei Federal. 5.194/66 (consolida o exerccio profissional); 1.4. Lei Federal 8.078/90 (Cdigo de Defesa do Consumidor CDC); Dec 2.181/97 (regulamenta o CDC) 1.5. Lei Federal. 8.666/93 (normas p/ licitaes e contratos da Administrao Pblica); 1.6. Lei Federal. 9.610/98 (altera, atualiza e consolida o Direito Autoral); 1.7. Resolues do CONFEA n. 1002/02 e 1004/03 (Cdigo de tica Profissional); n. 218/73 (Atribuies Profissionais); n. 221/74 (direito do autor em vistoriar a execuo); N 1010/2005 (Atribuio de Ttulos profissionais) 1.8. Normas da ABNT - Associao Brasileira de Normas Tcnicas; 1.9. Legislao Estadual e/ou Municipal que regulam a espcie;

2. CONDIES BSICAS PARA PRESTAO DE SERVIOS2.1. Os parmetros aqui adotados objetivam to somente orientar os profissionais na proposta de honorrios para servios. No tem a pretenso de substituir a inarredvel formao de preos, porque num oramento criterioso, o BDI (benefcios e custos indiretos) peculiar do servio ponderado conjuntura econmica, capacidade de produo e administrativa de cada profissional bem como os meios de produo empregados, e principalmente a experincia, capacitao tcnica e artstica de cada profissional. 2.2. obrigatria a apresentao prvia de oramento, conforme dispe o art. 40 do Cdigo de Defesa do Consumidor (CDC) e, no mesmo expediente, mencionar tambm as condies inerentes do trabalho, funo ou ofcio. indispensvel torn-lo uma ORDEM DESERVIO que autoriza a consecuo dos trabalhos. Ainda assim, apesar do direito irrefutvel em receber os honorrios ajustados, o profissional pode ser agastado por litgios. Portanto, para evitar alegaes capciosas e/ou ser acusado de prtica abusiva, os servios devero ter incio aps a anuncia expressa do contratante (art.39, alnea VI do Cdigo de Defesa do Consumidor - CDC); 2.3. A produo de projetos e/ou obras assegura, automaticamente, os Direitos Autorais (art.17 da Lei 5.194/66 e art. 22 da Lei 9.610/98). O profissional deve recolher a Anotao de Responsabilidade Tcnica (ART) de forma a confirmar a titularidade. 2.4. A aquisio do original (projeto), ou de exemplar (obra), no confere ao adquirente quaisquer dos direitos patrimoniais do autor, salvo conveno em contrrio (entre as partes) e os casos previstos na Lei 9.610/98, como tambm, ilcito civil e penal sob pena de ao indenizatria - a utilizao indevida de projetos, esboos e obras plsticas concernentes arquitetura, engenharia, paisagismo, topografia, etc; 2.5. Os direitos patrimoniais perduraro por 70 anos aps o falecimento do autor, e a cesso dos direitos de autor sobre obras futuras abranger, no mximo, o perodo de 5 anos. (art.41 e 51 da Lei 9.610/98); 2.6. O projeto contratado s dever ser executado para os fins e locais indicados. A reproduo do projeto - com o respaldo da Constituio Federal (art. 5. alnea XXVII) e o art.29 da Lei 9.610/98 - depende de autorizao prvia e expressa do autor. Na repetio de projetos e4

obras com o consentimento do autor, a remunerao sugerida ser de 25% (vinte e cinco por cento) do valor atribudo ao projeto original ou do 1 exemplar, corrigido monetariamente; 2.7. O cliente obrigado a dispor previamente os subsdios para o exerccio profissional, sem que o autor do projeto seja onerado com os pr-requisitos indispensveis consecuo do contrato. 2.8. Para qualquer modificao na obra, durante a execuo ou apos concluda a obra, passveis ou no de regularizao, imprescindvel a anuncia do autor do projeto (art. 24, IV e 26 da Lei 9.610/98), porque - ressalvado o erro tcnico - se as mudanas no autorizadas depreciarem a reputao, comprometendo a segurana ou qualidade da obra, ou se tiver que repudiar a autoria, arcar o contratante com indenizao por violao do direito moral e contra a honra do profissional, e, tendo em vista o art. 18 da Lei 5.194/66, as alteraes s podero ser feitas pelo profissional que o tenha elaborado. Portanto, o autor fornecer, s suas expensas, apenas uma cpia dos projetos, desde que na verso oficial da obra;

3. CLASSIFICAO DE CATEGORIAS3.1. Para efeito de remunerao na prestao de servios de projetos, as obras so classificadas em 19 (dezenove) categorias - conforme o grau de complexidade e/ou porte da construo (definidas pela NBR 12721/2006 da ABNT):

Categoria Especificao Descrio____________________________________________________________________________ R1-B Residncia Unifamiliar - Baixo 02 dormitrios, sala, banheiro, cozinha e rea p/ tanque rea real = 58,64 m rea equiv. = 51,94 m ____________________________________________________________________________ R1-N Residncia Unifamiliar - Normal 03 dormitrios, sendo um sute com banheiro, banheiro social, sala, circulao, cozinha, rea de servio com banheiro e varanda (abrigo para automvel) rea real: 106,44 m rea equivalente: 99,47 m. ___________________________________________________________________________ R1-A Residncia Unifamiliar - Alto 04 dormitrios, sendo um sute com banheiro e closet, outro com banheiro, banheiro social, sala de estar, sala de jantar e sala ntima, circulao, cozinha rea de servio completa e varanda (abrigo para automvel) rea real; 224,82 m rea equivalente: 210,4-4 m. ____________________________________________________________________________ PP-4B Prdio Popular Multifamiliar 4 pvts. -Baixo Trreo: Hall de entrada, escada e quatro apartamentos por andar com dois dormitrios, sala, banheiro, cozinha e rea de servio. Na rea externa esto localizados o cmodo de lixo, guarita, central de gs, depsito com banheiro e 16 vagas descobertas5

Tipo (x3) Hall de circulao, escada e quatro apartamentos por andar, com dois dormitrios, sala, banheiro, cozinha e rea de servio rea real: 1.415,07 m rea equivalente: 927,08 m. _____________________________________________________________________________ PP-4N Prdio Popular Multifamiliar 4 pvts. -Normal Garagem Escada, elevadores, 32 vagas de garagem cobertas, cmodo de lixo, depsito e instalao sanitria Pilotis Escada, elevadores, hall de entrada, salo de festas, copa, dois banheiros, central de gs e guarita Tipo (x4) Hall de circulao, escada, elevadores e quatro apartamentos por andar,