sustentveis - .uma das caracter­sticas do prmio jovem cientista © a proposi§£o...

Download SUSTENTVEIS - .Uma das caracter­sticas do Prmio Jovem Cientista © a proposi§£o de temas atuais

Post on 18-Nov-2018

218 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CIDADES SUSTENTVEISLIVRETO DE RESULTADOS

  • CIDADES SUSTENTVEISLIVRETO DE RESULTADOS

    XXV PRmio joVem cientista

  • Conselho naCional de desenvolvimento CientfiCo e teCnolgiCo (CnPq)PresidenteGlaucius Oliva

    DiretoresManoel Barral NettoPaulo Sergio Lacerda BeiroGuilherme Sales Soares de Azevedo MeloErnesto Costa de Paula

    Servio de PrmiosRita de Cssia da Silva

    gerdauDiretor-Presidente (CEO) Andr B. Gerdau Johannpeter

    Presidente do Conselho do Instituto GerdauKlaus Gerdau Johannpeter

    Vice-Presidente do Instituto Gerdau Beatriz Gerdau Johannpeter

    Diretor do Instituto GerdauJos Paulo Soares Martins

    gePresidente e CEO GE Amrica Latina Reinaldo Garcia

    Lder do Centro de Pesquisas da GE BrasilKenneth Herd

    Diretor de Marketing GE Amrica LatinaMarcos Leal

    Gerente de Relaes Pblicas Governamentais da GE BrasilIeda Passos

    fundao roberto marinhoPresidenteJos Roberto Marinho

    Secretrio-GeralHugo Barreto

    Superintendente ExecutivoNelson Savioli

    Gerente de Meio AmbienteAndrea Margit

    Coordenadora de ProjetosMarcia Pinto

  • SUMRIOLIVRETO DE RESULTADOS

    Introduo 4

    Resultados da categoria Graduado 6

    Resultados da categoria Estudante do Ensino Superior 16

    Resultados da categoria Estudante do Ensino Mdio 26

    Resultados da categoria Mrito Institucional 34

    Resultado da categoria Meno Honrosa 40

    Parceiros 44

    Temas do Prmio Jovem Cientista 50

  • INTRODUO

  • 5InTRODuO

    Estimular a pesquisa cientfica no pas e valorizar estudantes e pesquisadores

    que no medem esforos para transformar suas ideias em solues para

    os desafios brasileiros. Esses so os principais objetivos do Prmio Jovem

    Cientista, que nesta edio comemora 30 anos. Institudo em 1981, o prmio

    resultado da parceria entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico

    e Tecnolgico (CNPq), a Fundao Roberto Marinho, a Gerdau e a GE.

    Uma das caractersticas do Prmio Jovem Cientista a proposio de temas

    atuais e de interesse direto da populao. No ano em que a humanidade

    atingiu a marca de 7 bilhes de habitantes, dos quais 50% vivem nas cidades,

    a escolha do tema Cidades Sustentveis no poderia ser mais oportuna.

    Especialmente no Brasil, que no curto perodo de 50 anos passou a ser um

    pas urbano, com 84% dos seus quase 191 milhes de habitantes morando

    em cidades.

    A resposta ao tema foi um novo recorde de inscries: foram 2.321 trabalhos

    de jovens que aceitaram o desafio de propor solues capazes de transformar

    seus ambientes. Desses, 1.967 chegaram de estudantes do ensino mdio e 354

    de graduados e estudantes do ensino superior.

    O Prmio Jovem Cientista agracia os trs melhores trabalhos e os professores

    que atuaram como orientadores nas categorias Graduado, Estudante do

    Ensino Superior e Estudante do Ensino Mdio. Recebem o Mrito Institucional

    as duas instituies uma universidade e uma escola de ensino mdio que

    inscreverem o maior nmero de pesquisas com mrito cientfico. O prmio

    tambm confere Meno Honrosa a um pesquisador com ttulo de doutor, com

    ampla experincia e capacidade de formao de pesquisadores e produo

    cientfica no tema da edio.

    A premiao feita pela presidente da Repblica e rene, na cerimnia,

    autoridades governamentais nas reas de Cincia e Tecnologia, alm de

    respeitados nomes da Cincia brasileira. Os vencedores tambm recebem

    bolsas do CNPq como estmulo para a continuidade de suas pesquisas e

    contribuio para o desenvolvimento do Pas.

  • RESULTADO DA CATEGORIA

    GRaDUaDo

  • 1 lugarUENDE APARECIDA FIGUEIREDO GOMESuniversidade Federal de Minas Gerais (uFMG)

    2 lugarKARIN REGINA DE CASAS CASTRO MARINSuniversidade de So Paulo (uSP)

    3 lugarALEJANDRA MARA GMEZ JIMNEZuniversidade de Braslia (unB)

  • lIvRETO DE RESUlTADOS XXv PRMIO JOvEM CIENTISTA8

    Uende Aparecida Figueiredo Gomes

    Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Belo Horizonte | MG

    Intervenes de Saneamento Bsico em reas de Vilas e Favelas: Um Estudo Comparativo de Duas Experincias na Regio Metropolitana de Belo Horizonte

    Pesquisadora da UFMG analisa intervenes de saneamento bsico em reas de vulnerabilidade social

    Em pesquisa sobre o acesso ao saneamento bsico, o Instituto Brasileiro de

    Geografia e Estatstica (IBGE) apontou que quase metade dos municpios

    brasileiros (44,8%) no tinha rede coletora de esgoto em 2008. Na regio

    Norte, por exemplo, 96,5% das cidades no dispem do servio. Pensando em

    desenvolver projetos que promovam a ampliao do acesso aos sistemas de

    abastecimento de gua e esgotamento sanitrio, a pesquisadora Uende Gomes,

    de 29 anos, props uma avaliao comparativa de intervenes de saneamento

    bsico em trs reas de vilas e favelas, em Minas Gerais. O trabalho lhe rendeu

    o 1 lugar na categoria Graduado do XXv Prmio Jovem Cientista.

    1LUGAR

  • 9CATEGORIA GRADuADO

    Os locais escolhidos para a pesquisa de Uende foram a vila Nossa Senhora

    de Ftima, em Belo Horizonte, e as vilas Ip Amarelo e Nova Esperana, em

    Contagem. Para avaliar como as intervenes se desenvolvem nessas reas,

    ela realizou uma anlise comparativa de aes. As categorias avaliadas

    foram: participao social, intersetorialidade articulao entre sujeitos de

    setores sociais diversos para enfrentar problemas complexos , adequao

    tarifria altos custos podem levar usurios a buscar fontes de gua

    inseguras e disposio inadequada dos esgotos e regularizao fundiria

    as reas excludas do acesso aos servios concentram-se nas periferias e so

    caracterizadas pela ocupao irregular.

    A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas, observao de campo e

    anlise de documentos e levou em considerao o contexto social e econmico

    no qual as intervenes se desenvolvem, bem como as opinies, crenas e

    significados que os processos envolvidos representam para os tcnicos e para

    a populao beneficiada.

    Uende contou com a ajuda das lideranas comunitrias dessas reas para

    realizar o trabalho de campo, participar das reunies e visitar os locais onde as

    intervenes estavam ocorrendo. Com as informaes obtidas, ela identificou

    as pessoas que, posteriormente, foram entrevistadas 11 moradores e 7

    tcnicos envolvidos nas intervenes.

    Ao final da pesquisa, Uende concluiu que a estrutura da sociedade brasileira,

    com seu elevado grau de desinformao e altos ndices de desigualdade

    social, tem reflexo nas concepes de intervenes em saneamento bsico.

    Ela acredita que a maior contribuio de seu trabalho para a construo de

    uma cidade sustentvel consiste na gerao de conhecimentos originais sobre

    intervenes de saneamento bsico em reas de vulnerabilidade social, onde

    excluso, informalidade e pobreza constituem fatores que dificultam ainda

    mais o acesso dessas populaes a servios to essenciais para a vida humana.

  • lIvRETO DE RESUlTADOS XXv PRMIO JOvEM CIENTISTA10

    A pesquisa capaz de contribuir nesse sentido porque foi sensvel aos

    aspectos subjetivos que determinam as crenas, opinies e valores de tcnicos

    e populaes beneficiadas, em contraposio aos trabalhos tradicionalmente

    desenvolvidos nesta rea, que so marcadamente tecnicistas, ou seja,

    entendem que a concepo das intervenes requer meramente uma viso

    da infraestrutura fsica, explica.

    + PARA SABER MAISUende Aparecida Figueiredo Gomesuendefigueiredo@yahoo.com.br(31) 3831-2311 / (31) 8885-32311

    Lo Heller (orientador)heller@pq.cnpq.br / heller@desa.ufmg.br(31) 3409-1958 / (31) 9174-8072

  • 11CATEGORIA GRADuADO

    Karin Regina de Casas Castro Marins

    Universidade de So Paulo (USP) So Paulo | SP

    Ferramenta Computacional para Planejamento de Cidades Limpas e Energeticamente Eficientes

    Ferramenta computacional possibilita planejamento urbano sustentvel a partir da identificao de melhores nveis de eficincia energtica

    A baixa qualidade do ar nas grandes metrpoles e suas consequncias para

    a sade da populao, predominantemente urbana, levaram Karin Marins,

    de 33 anos, a desenvolver uma ferramenta computacional para suporte ao

    planejamento energtico e ambiental dessas reas. Com a integrao de

    estratgias e solues urbansticas, arquitetnicas, de mobilidade e gerao

    distribuda de energia, tendo por base princpios de sustentabilidade, a

    ferramenta auxilia no desenvolvimento de planos diretores em projetos

    relacionados implementao das polticas de mudanas climticas, bem

    como em projetos de eficincia energtica em edificaes e transporte urbano.

    O trabalho rendeu pesquisadora da Escola Politcnica da Universidade de

    So Paulo o 2 lugar na categoria Graduado do XXv Prmio Jovem Cientista.

    O desenvolvimento e a aferio da ferramenta estruturada a partir

    do uso de planilhas eletrnicas de Excel partiram da elaborao de

    2LUGAR

  • lIvRETO DE RESUlTADOS XXv PRMIO JOvEM CIENTISTA12

    um embasamento terico referencial, abrangendo o aprofundamento

    terico em questes relativas ao uso e gerao de energia em reas

    urbanas (edifcios e transportes), climatologia, morfologia e mobilidade

    urbanas, alm de emisses de poluentes. Esse estudo permitiu identificar

    e correlacionar condicionantes urbanos que impactam na forma e na

    quantidade de energia consumida nas cidades.

    Em seguida, foram selecionadas estratgias, variveis, parmetros e

    indicadores, e definido um detalhado conjunto de procedimentos de clculo