suetÔnio revelado: o texto narrativo biogrÁfico e a

Download SUETÔNIO REVELADO: O TEXTO NARRATIVO BIOGRÁFICO E A

Post on 14-Feb-2017

215 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UFRJ

    SUETNIO REVELADO: O TEXTO NARRATIVO BIOGRFICO E A

    CULTURA POLTICA EM AS VIDAS DOS DOZE CSARES

    Aldo Eustquio Assir Sobral

    Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Letras Clssicas (Culturas da Antiguidade Clssica), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte dos requisitos necessrios obteno do ttulo de Doutor em Letras Clssicas (Culturas da Antiguidade Clssica)

    Orientador: Professor Doutor Carlos

    Antnio Kalil Tannus

    Rio de Janeiro Abril de 2007

  • 2

    Sobral, Aldo Eustquio Assir.

    Suetnio revelado: o texto narrativo biogrfico e a cultura poltica em As Vidas dos Doze Csares / Sobral

    Aldo Eustquio Assir. Rio de Janeiro, 2007. xi, 260 f.: il. Tese (Doutorado em Letras Clssicas) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras,

    2007. Orientador: Prof. Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus

    1. Imprio Romano. 2. Historiografia Romana. 3. Lngua e Literatura Latina. Teses. I. Tannus, Carlos Antnio Kalil (Orient.). II.

    Universidade Federal do Rio de Janeiro. Faculdade de Letras. III. Ttulo.

  • 3

    SUETNIO REVELADO: O TEXTO NARRATIVO BIOGRFICO E A CULTURA POLTICA EM AS VIDAS DOS DOZE CSARES

    Aldo Eustquio Assir Sobral

    Orientador: Professor Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus

    Tese de Doutorado submetida ao Programa de Ps-Graduao em Letras Clssicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ, como parte dos requisitos necessrios para a obteno do ttulo de Doutor em Letras Clssicas.

    Aprovada por:

    ____________________________________________________________ Presidente, Professor Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus, UFRJ _____________________________________________________________ Professora Doutora Alice da Silva Cunha, PPGLC UFRJ _____________________________________________________________ Professora Doutora Vanda Santos Falseth, PPGLC UFRJ ______________________________________________________________ Professor Doutor Miguel Barbosa do Rosrio, UNESA ______________________________________________________________ Professora Doutora Vera Lcia Montenegro Vieira, UNIVERCIDADE

    Rio de Janeiro Abril de 2007

  • 4

    SUETNIO REVELADO: O TEXTO NARRATIVO BIOGRFICO E A

    CULTURA POLTICA EM AS VIDAS DOS DOZE CSARES

    Aldo Eustquio Assir Sobral

    Orientador: Prof. Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus

    Resumo da Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Letras Clssicas (Culturas da Antiguidade Clssica), da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, como parte dos requisitos necessrios obteno do ttulo de Doutor em Letras Clssicas (Culturas da Antiguidade Clssica).

    Esta Tese compreende uma anlise da obra As Vidas dos Doze Csares, de Caius

    Tranquillus Suetonius, sob a tica da cultura poltica no regime autocrata dos imperadores romanos, tendo como objetivo especfico a narrativa da morte dos imperadores Tibrio, Calgula, Nero, Galba, Vitlio e Domiciano.

    Palavras-chaves: Suetnio; A Vida dos Doze Csares; Cultura Poltica e Poder;

    Biografia Imperial.

    Rio de Janeiro Abril de 2007

  • 5

    SUETNIO REVELADO: O TEXTO NARRATIVO BIOGRFICO E A

    CULTURA POLTICA EM AS VIDAS DOS DOZE CSARES

    Aldo Eustquio Assir Sobral

    Orientador: Prof. Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus

    Resum da Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Letras Clssicas (Culturas da Antigidade Clssica), da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, como parte dos requisitos necessrios obteno do ttulo de Doutor em Letras Clssicas (Culturas da Antigidade Clssica).

    Cette thse comprend une analyse de loeuvre Les Vies ds Douze Csars de Caius

    Tranquillus Suetonius sous loptique de la culture politique du rgime autocrate des empereurs romains ayant pour but la narrative de la mort des empereurs Tibre, Caligula, Nron, Galba, Vitelius et Domitien.

    Mots - Cls: Sutone; Vie des Douze Csars; La Culture Politique e et le Pouvoir; La

    Biographie Impriale.

    Rio de Janeiro Abril de 2007

  • 6

    Agradecimentos especiais Embora este espao no comporte a

    medida dos meus agradecimentos especiais, pelo fato de que estes so eternos, registro aqui o nome de dois excelentes profissionais e guardies da cultura clssica greco-romana. Meu orientador, Professor Doutor Carlos Antnio Kalil Tannus, a quem agradeo toda a assistncia acadmica, atravs da orientao segura e competente, advinda de sua grande erudio clssica e ao professor Doutor Henrique Fortuna Cairus, cujo profissionalismo, apoio e presena intelectual foram de inestimvel valor para a concluso deste trabalho.

    professora Helena Mollo que me

    acompanhou na pesquisa com grande interesse e viso crtica; sua colaborao foi decisiva para o desenvolvimento da minha pesquisa.

    Aos colegas do Departamento de Letras

    do ICHS UFOP pelo incentivo e pela compreenso das minhas ausncias a compromissos de ordem tcnico administrativa.

    Aos meus alunos de lngua grega e

    lngua latina dos cursos de Letras e Histria do ICHS Mariana.

    A todos os amigos funcionrios do

    ICHS, pelo incentivo e apoio.

  • 7

    Homenagem especial Dedico este trabalho querida mame,

    amiga e companheira de todos os tempos! A querida Hilda (Boneca) pela

    dedicao, pela ateno e disponibilidade.

  • 8

    SMARIO

    1. INTRODUO 09

    2. SUETNIO E O GNERO BIOGRFICO NA ANTIGUIDADE GRECO-ROMANA

    18

    3. OS CRTICOS DE AS VIDAS DE SUETNIO 25

    4. SUETNIO E OS DOZE CSARES A ORIGINALIDADE DA NARRATIVA BIOGRAFICA

    30

    5. SUETNIO E O AUTOCRATISMO 38

    6. A NARRATIVA DA MORTE DOS DOZE CSARES 49

    6.1. A MORTE DE TIBRIO 58

    6.2. A MORTE DE CALGULA 67

    6.3. A MORTE DE NERO 73 6.4. A MORTE DE GALBA 81 6.5. A MORTE DE VITLIO 90 6.6. A MORTE DE DOMICIANO 100

    7. CONCLUSO 107 8. BIBLIOGRAFIA 112

  • 9

    1. INTRODUO

    Caius Suetonius Tranquillus nasceu por volta dos anos 69/70 e morreu entre os anos

    140/150; estudioso de retrica e advogado, foi sobretudo um erudito, e professor de

    gramtica.

    A proteo de Plinio lhe valeu a abertura para o caminho das letras, e, por

    recomendao deste, obteve do imperador Trajano o ius trium liberorum e o tribunado

    militar. poca de Adriano desempenhou o cargo de magister epistularum (secretrio

    particular) mas tendo entrado na intimidade da Corte, logo caiu em desgraa por ter atrado as

    atenes da imperatriz Sabina.

    De sua produo literria apenas uma parte chegou at ns, mas sua obra prima DE

    UITA CAESARUM, objeto do nosso trabalho, foi conservada quase que por inteiro, faltando

    apenas o comeo da vida de Caio Jlio Csar.

    A produo crtico-bibliogrfica disponvel sobre a vida e obra de Suetnio no nos

    permite afirmar qual teria sido, exatamente, o envolvimento poltico do autor frente aos fatos

    que tenha vivenciado como participante do governo imperial.

    Muitas questes so colocadas pelos crticos em razo da origem humilde do autor

    (fundamentados em Plnio, o qual faz aluses sua modesta situao financeira). Dentre tais

    questes, podemos citar aquela que diz respeito sua proximidade com Plnio e a influncia

    que este tenha exercido sobre o bigrafo, e, ainda, a atuao intelectual, e, obviamente social

    aristocrtica, como membro do crculo deste erudito.

    O que se constata historicamente que Suetnio elaborou as Vidas do Doze Csares

    a partir das fontes retiradas do meio palaciano ali ele buscou e registrou o conjunto de

    acontecimentos do Imprio, os quais passa a descrever minuciosa e detalhadamente. Quanto a

    este tema, convm registrar, aqui, a influncia desta sociedade aristocrtica sobre o trabalho

    biogrfico de Suetnio. Como ponto de partida, preciso situar as coincidncias entre Tcito,

  • 10

    tambm historiador, alm de cnsul, e, de certa forma, bigrafo, como Suetnio, cuja origem

    est na ordem dos cavaleiros.

    Apesar de a crtica ter construdo um abismo entre a produo historiogrfico-literria

    de Tcito e a de Suetnio, os dois autores possuem em comum algumas idias em relao aos

    imperadores e ao senado romano. Isto se explica pelo fato de que ambos (conquanto no haja

    registro historiogrfico sobre um relacionamento intelectual entre eles) conviveram por algum

    tempo na mesma sociedade e participaram do mesmo crculo literrio intelectual comandado

    por Plnio.

    Em relao s fontes, esboaremos um pequeno histrico com o objetivo de localizar

    Suetnio no contexto de sua obra As Vidas, nosso interesse precpuo. Ao descobrir o

    filo da volumosa fonte documental, como secretrio ab epistulis latinis, e, nesta condio,

    fazia parte do concilium principis (o que lhe proporcionava influncia administrativa e

    poltica em primeira mo), responsvel pela correspondncia latina do imprio, Suetnio

    busca o conjunto de informaes destas fontes e ir transcrever nas biografias parte

    significativa destas mesmas fontes, como estas referncias que registraremos a seguir:

    Na biografia de Augusto:

    - mencionam os atos do senado que Caio Letrio...

    - refere Cordo Cremcio que nenhum senador era, ento ...

    - para selar seus diplomas, editos e cartas, servia-se primeiramente de uma

    esfinge; depois, de uma imagem de Alexandre o Grande; finalmente, da sua prpria

    efgie gravada por Discrido. Foi com este ltimo sinete que