srie: aves - ibb.unesp. esse rpido manual contendo dicas para observao de aves, ... esse guia...

Download Srie: Aves - ibb.unesp.  esse rpido manual contendo dicas para observao de aves, ... Esse Guia apresenta as aves por Ordem, Famlia, o nome

Post on 02-Apr-2018

218 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Projeto de Extenso Universitria

    UNESP- PROEX

    Srie: Aves

    Coordenao Silvia Mitiko Nishida e Virginia Sanches Uieda

    Botucatu

    2011

  • 2

    Apresentao do Guia

    O Jardim Botnico do Instituto de Biocincias (JB) local de visitao pblica e um laboratrio a cu aberto para as atividades prticas das disciplinas de Comportamento Animal e Zoologia de Vertebrados do curso de Cincias Biolgicas do Instituto de Biocincias do campus de Botucatu. As Professoras Silvia Mitiko Nishida e Virginia Sanches Uieda, respectivamente, responsveis por aquelas disciplinas articulam atividades de ensino de graduao e de extenso universitria, tendo o JB como palco, seja presencialmente atravs de visitas didticas, ou atravs de um site educativo do IB, Que bichos moram no JB do IB?. O Guia sobre as aves do JB um dos produtos do projeto e tem apoio das Pr-Reitorias de Extenso Universitria (PROEX) e de Graduao da Unesp (PROGRAD) e do programa Cincia na Unesp, que fornecem bolsas aos estagirios, alunos do curso de Cincias Biolgicas.

    As fotos reunidas nesse Guia foram tiradas pela equipe do projeto e esto disponveis no nosso site http://www.ibb.unesp.br/Museu_Escola/Ensino_Fundamental/Animais_JD_Botanico/index.htm. A autoria de cada foto est assegurada pela indicao nominal dos seus autores: Flavio Kulaif Ubaid; Cristianetibrio Checon; Marlia Monteiro Quinalha); Kaio Csar Chaboli Alevi e Silvia Mitiko Nishida. Agradecemos imensamente a colaborao dos demais autores que nos permitiram reproduzir as fotos e completar a obra: Joo Pompeu, Ciro Albano, Hans Hillewaert, Juan J. Culasso, Frederico Ovinha, Cesar Medolago, Gustavo Magnago, Criatiano Dalla Rosa, DARIO SANCHES; .

    Autores do Guia de Aves Marlia Monteiro Quinalha

    Rodrigo Santiago Oliveira Carvalho Stephan George Ramos

    Cristiane Tibrio Checon Flavio Kulaif Ubaid

    Virginia Sanches Uieda Silvia Mitiko Nishida

    http://www.ibb.unesp.br/instituicao/jardimbotanico/principal.php

  • 3

    O Jardim Botnico do IB O Jardim Botnico do Instituto de Biocincias (JB) fica no

    cmpus da Unesp de Botucatu, no distrito de Rubio Jnior e tem uma rea de 184.860m. O JB faz parte da Rede Brasileira de Jardins Botnicos. Para saber mais acesse: http://www.ibb.unesp.br/instituicao/jardimbotanico/principal.php

    No JB h fragmentos de floresta estacional semidecidual e

    vrios exemplares de plantas exticas (no so originrias do nosso bioma). Durante as nossas observaes, registramos (2010 2011) a ocorrncia de 150 espcies (pertencendo a 19 Ordens e 43 Famlias). Abaixo um mapa esquemtico mostrando a trilha que utilizamos para fazer esse Guia de Aves do JB (adaptao do mapa do JB). Os nmeros indicam pontos de escuta e de observao.

    http://www.ibb.unesp.br/instituicao/jardimbotanico/principal.php

  • 4

    DICAS PARA OBSERVAR AVES A prtica da observao de aves uma atividade muito

    relaxante e reveladora, e pode ser praticada por qualquer pessoa, de qualquer idade. Ao contrrio do que muitos pensam, no necessrio ser bilogo ou estudante para observ-las. Basta estar disposto!

    Alm do prazer da atividade de observao em si, os observadores de aves so responsveis por grandes contribuies adquiridas sobre a avifauna de diversos locais, pois geralmente realizam registros fotogrficos, de vdeo e gravaes das vozes das aves. No raramente, importantes informaes sobre distribuio geogrfica e comportamento so divulgadas por observadores de aves amadores.

    Com esse rpido manual contendo dicas para observao de aves, pretendemos divulgar algumas tcnicas de observao de aves, indicando equipamentos adequados, locais propcios para observao e tcnicas para uma identificao segura das espcies.

    Qual o melhor perodo do dia para observar aves?

    possvel observar aves em qualquer hora do dia, at

    mesmo a noite. No entanto, em alguns horrios as aves esto mais ativas, o que aumenta a chance de observar mais espcies. O melhor horrio para a observao de aves pela manh, entre 6 e 10h, e no final da tarde, entre 15 e 18h. Mas o mais importante conhecer a biologia de cada espcie que se pretende observar, levantando informaes antes da observao, em livros ou at mesmo na internet, em sites especializados no assunto. Para a observao de aves noturnas, o perodo mais indicado no incio do crepsculo at s 21h. Dias chuvosos ou nublados interferem pouco na atividade das aves, mas ventos fortes podem inibir a atividade da maioria das espcies.

  • 5

    Quais equipamentos so necessrios para observar aves? Na verdade no existe um equipamento indispensvel para

    observar aves. Voc pode simplesmente sair para uma caminhada e observar as aves a olho nu, sem o auxlio de qualquer equipamento.

    No entanto, nossa capacidade de observao limitada e a utilizao de alguns equipamentos torna a prtica da observao mais produtiva e interessante. Dentre os equipamentos mais eficientes esto os binculos, devido ao seu tamanho, praticidade e facilidade de operao. Para observadores iniciantes, so indicados binculos com medidas 8x42. Binculos com distncia focal mnima abaixo dos dois metros tm a vantagem adicional de focar insetos como borboletas e liblulas alm de aves.

    Dicas para consultar o Guia de Aves do JB

    Esse Guia no pretende ser completo; tem a simples

    pretenso de proporcionar ao visitante uma lista fotogrfica de aves que aqui ocorrem com alguns dados biolgicos e um Guia de Cantos.

    A produo impressa deste Guia est articulada ao projeto Que bichos moram no JB? disponibilizado no site (http://www.ibb.unesp.br/Museu_Escola/Ensino_Fundamental/Animais_JD_Botanico/). L voc encontrar muito mais informaes sobre a biologia geral das aves e vrias dicas de leituras adicionais que podero completar a sua curiosidade.

    Esse Guia apresenta as aves por Ordem, Famlia, o nome cientfico e o nome popular mais comumente adotado. Seguimos a nomenclatura da Sociedade Brasileira de Ornitologia (SBRO, 2011). Para cada espcie so feitas referncias sobre itens de alimentao que a ave mais come ou prefere; qual o sistema de acasalamento (monogmico, polignico ou polindrico), a forma de cuidado da prole (biparental, maternal ou paternal), a forma do forma do ninho, a postura (nmero de ovos). H indicaes de tamanho das aves (comprimento) e o dimorfismo sexual, ou seja, o quanto macho e a fmea diferem na aparncia. H indicao sobre a sua ocorrncia no JB: Res = residente (vive e se reproduz na rea); Vis = visitante ( avistada poucas vezes) e Saz = sazonal (s avistada em determinada

  • 6

    poca do ano). Em relao a facilidade de observao, classificamos as aves em: Rara (muito difcil de observ-la ou ouvi-la) ou Comum (fcil de observ-la ou ouvi-la).

    Quanto vocalizao os respectivos cantos podem ser ouvidos no CD Guia de vozes das aves do JB que acompanha o Guia.

    Finalmente, a nossa mensagem: conhecer para valorizar, respeitar e conservar.

  • 7

    Ordem: Anseriformes

    Essa Ordem possui duas Famlias: Anatidae (patos, gansos e marrecos) e Anhimidae. Os anseriformes esto muito bem adaptados vida aqutica possuindo dedos dos ps interligados por membranas de forma a funcionarem como um par de remos.

    A plumagem espessa e impermevel. A cobertura de penas protege os animais do frio e evitam que se encharquem graas abundante secreo de substncia gordurosa produzida pela glndula uropigial que cuidadosamente espalhada nas penas com o bico, o que tambm facilita a flutuao.

    No JB encontramos apenas um representante dos anatdeos: o

    pato-do-mato. Uma caracterstica que chama a ateno dos patos a presena

    de carnculas ou salincias carnudas e avermelhadas, mais evidente nos machos. Produzem sons parecidos a assopros!

    Os patos comem razes, sementes e folhas de plantas aquticas.

    Quando esto procura de alimento, nadam com a cabea e o pescoo dentro da gua. Possuem bicos fortes, cuja ponta achatada apresenta uma parte mais dura em forma de garra; apresentam lamelas que servem como filtro durante a alimentao.

    O macho acasala-se com vrias fmeas e ela incuba e cuida

    sozinha da prole (8 a 16 ovos por ninhada). Elas chamam menos ateno do que os machos que so bem maiores. Mas h espcies cujo dimorfismo no nada aparente (como os cisnes).

    Ah, voc sabia que o Pato Donald na verdade no um pato, mas

    sim, um marreco?

    http://www.wikiaves.com.br/foto.php?f=33203&t=s&s=33&p=12

  • 8

    Pato-do-mato Cairina moschata

    Ordem: Anseriformes Famlia: Anatidae

    SILVIA MITIKO NISHIDA

    Tamanho Dimorfismo sexual 82 cm Ausente

    No JB a ave ... e a ocorrncia ... Res Vis Saz Rara Comum

    Vocalizao: o pato-do-mato no vocaliza. Em Portugal conhecido como pato-mudo!

    O pato-do-mato vive em pequenos

    grupos e o macho maior do que a

    fmea. Foi domesticado pelos

    ndios e na regio Norte

    integrante da culinria tpica (pato-

    no-tucupi).

    Alimenta-se de plantas aquticas e

    se reproduz entre maro a outubro.

    O macho acasala-se com mais de

    uma fmea (polignico) e o cuidado

    da prole exclusivamente materno.

    O ninho feito no interior de

    troncos de rvores altas bem como

    cadas.

    Postura: 10 a 12 ovos.

  • 9

    Ordem: Galliformes

    Essa Ordem possui duas famlias: Cracidae que rene os

    jacus e Odontophoridae que rene os urus. No JB ocorre apenas uma

    nica representante dos cracdeos, a jacupemba.

    Os galiformes, de um modo geral, so corpulentos

    (lembram as galinhas), se alimentam no solo, principalmente

    procura de gros. Geralmente so as fmeas que constroem os

    ninhos, incubam os ovos e cuidam da prole e o dimorfismo sexual

    bastante