so sebastio - oportunidade de colocar em prtica uma ... quatro pontos de iluminao trabalhos de...

Download SO SEBASTIO -   oportunidade de colocar em prtica uma ... quatro pontos de iluminao Trabalhos de jardinagem ... III - cpia da notificao de

Post on 13-Feb-2018

214 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • BOLETIM OFICIAL DO MUNICPIO

    SO SEBASTIOLei N 2247/2013 - Ano 02 - Edio n 083 - 20 de novembro de 2013 - Prefeitura de So Sebastio/SP - DISTRIBUIO GRATUITA

    Mutiro de limpeza no canteiro de acesso praia das Cigarras

    www.saosebastiao.sp.gov.br

    Os temas principais sero: controle social, violncia, preveno e corresponsabilidade.

    Pg. 8

    Parceria entre pescadores e Transpetro vai reciclar

    leo usado em embarcaes

    Pg. 2

    Moradores da Costa Norte recebem orientao sobre

    destinao final do lixo

    Pg. 7

    Conferncia Municipal de Sade acontecer entre os dias 22 e 23

    So Sebastio est na II Taa Vanguarda de Basquete

    Pg. 6

    Coral Municipal se classifica na fase regional do Mapa Cultural Paulista

    Pg. 6

    O projeto Destino So Sebastio est no ar

    Pg. 8

    Pg. 2

    Foto: SEADRE

    Foto: SEADRE

  • BOLETIM OFICIAL DO MUNICPIO

    SO SEBASTIOLei N 2247/2013 - Ano 02 - Edio n 083 - 20 de novembro de 2013 - Prefeitura de So Sebastio/SP - DISTRIBUIO GRATUITA

    2

    E x p e d i e n t eO Boletim Oficial de So Sebastio produzido pela Secretaria de Governo/Departamento de Comunicao.

    Jornalista Responsvel: Igor Veltman (MTB 6218)

    Diretor de Comunicao: Jos Amrico Cmera

    Editores: Williams C. de Sousa, Renata Fernanda, Vera Mariano e Pedro Monte-Mr

    Reportagens: Josiane Carvalho, Valria Borges, Claudio Henrique Santana, Nayara Martins, Ricardo Faustino, Cristiane Castro, Damares Oliveira e Geraldo de Buta.

    Fotos: Luciano Vieira, Munir El Hage, Halsey Madeira e Arnaldo Klajn

    Diagramao: Digenes Martins

    Estagirios: Rebeca Ingrid, Felipe Riela, Marcus Vincius e Carolina Audacio

    Veculo de Imprensa Oficial

    Autorizado pela Lei n 2247/13

    www.saosebast iao.sp.gov.br

    Mais uma ao indita em todo o Litoral Norte vai possibilitar a reciclagem de cerca de 600 litros de leo por ms usados em barcos de pescadores, graas a uma parceria entre a Colnia de Pesca Z-14, localizada no bairro So Francisco regio central, e a Transpetro com apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente por meio da Diretoria de Pesca. Representantes da Estatal, pescadores e o secretrio de Meio Ambiente participaram de uma reunio para a assinatura do convnio. O investimento de R$ 124 mil.

    O intuito da parceria garantir aquisio e instalao de bombas em cerca de 60 embarcaes de grande porte filiadas a colnia para a retirada correta do leo do motor utilizado nas embarcaes para que sejam encaminhadas de maneira correta ao processo de reciclagem. Todo o material recolhido, cerca de 600 litros mensais, ter

    Parceria entre pescadores e Transpetro vai reciclar leo usado em embarcaes

    Representantes da prefeitura, da Colnia e Pesca Z-14 e da Transpetro durante a assinatura do convnio

    Parceria conta com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente por meio da Diretoria de Pesca

    destinao correta e ser vendido para empresas especializadas na reciclagem deste material que, se no descartado de maneira tcnica, pode gerar danos ambientais.

    Na avaliao do secretrio de Meio Ambiente esta ao fundamental para a conservao dos oceanos. Esta ser uma

    excelente oportunidade de colocar em prtica uma situao que antes no sabamos com torn-la possvel. O leo do motor um resduo que se lanado diretamente no mar ocasiona um grau de poluio extremamente devastador. Hoje, com esta parceria temos a conscincia de que conseguimos

    efetivamente dizer que estamos ajudando a conservar os oceanos, disse.

    O secretrio disse ainda que este projeto ter vrios desdobramentos e todos muito importantes. Com este tipo de iniciativa conseguimos efetivamente dizer que estamos ajudando a conservar os oceanos do contrrio este resduo seria lanado de uma forma totalmente clandestina. Desta foram alm de retir-lo para que possa novamente se transformar em derivado e ter outros usos, estamos evitando uma poluio tremenda da pior qualidade, um projeto, uma iniciativa que tem vrios desdobramentos e todos eles muito importantes, enfatiza.

    Para o diretor tesoureiro da Z-14, Julio Cerpa a iniciativa ir ajudar bastante os pescadores a aumentar ainda mais a importncia da conscincia ambiental. Para ns isto ser muito bom tanto pelo fato de no estarmos degradando o meio ambiente como pela comercializao do leo usado que ajudar bastante a colnia e os pescadores. Alm do mais, estamos muito a frente de muitas cidades demonstrando que ns temos a conscincia de que o melhor a ser feito no prejudicar o oceano que trabalhamos e vivemos, disse.

    Mutiro de limpeza no canteiro de acesso praia das Cigarras

    Uma grande operao de limpeza e manuteno foi feita na paia das Cigarras, na Costa Norte do municpio durante dois dias. O servio envolveu a Seadre (Secretaria de Administraes Regionais).

    Na ao, as guias do canteiro central de acesso praia foram pintadas e os jardins ao redor, cuidados. Alm disso o local recebeu quatro pontos de iluminao pblica feitos pela equipe da Regional Costa Norte que abrange quatro bairros: Jaragu, Canto do Mar, Enseada e Cigarras envolvendo cerca de 14 mil habitantes em uma rea de 49km onde h grande densidade demogrfica.

    Regio recebeu tambm quatro pontos de iluminao

    Trabalhos de jardinagem foram executados, entre outras aes da Regional

    Foto: SEADRE

    Foto: Luciano Vieira

  • BOLETIM OFICIAL DO MUNICPIO

    SO SEBASTIOLei N 2247/2013 - Ano 02 - Edio n 083 - 20 de novembro de 2013 - Prefeitura de So Sebastio/SP - DISTRIBUIO GRATUITA

    3

    Dispe sobre o Programa de Assistncia Tcnica Gratuita para Produo de Moradia Popular destinado a Famlias de Baixa Renda.

    ERNANE BILOTTE PRIMAZZI, Prefeito de So Sebastio, Estncia Balneria do Estado de So Paulo, no uso de suas atribuies legais, faz saber que a Cmara municipal aprovou e ele sanciona e promulga a seguinte Lei:

    Artigo 1. - Fica institudo no Municpio o Programa de Assistncia Tcnica Profissional Gratuita para a Produo de Moradia Popular destinado a Famlias de Baixa Renda.

    Pargrafo nico A assistncia tcnica profissional consiste nos servios de engenharia e arquitetura para construo, reforma, ampliao, regularizao e conservao de unidades habitacionais, e regularizao fundiria sustentvel, obedecidos os requisitos urbansticos, nos termos da Lei Federal n 11.888/2008.

    Artigo 2. - O programa tem como objetivo:I - resgatar a cidadania e moradia digna populao de baixa renda;II- adequar s moradias populares s condies mnimas de habitabilidade

    e conforto;III- garantir segurana estrutural na execuo de edificaes, mediante

    acompanhamento tcnico profissional;IV- evitar ocupaes em rea de risco geotcnico e ambientalmente

    fragilizadas;V - promover o desenvolvimento urbano de acordo com a legislao

    municipal vigente;VI- adotar procedimentos para regularizao fundiria de imveis pblicos

    e privados de interesse social.Artigo 3. - O direito assistncia tcnica profissional ser concedido

    01 (uma) nica vez s famlias com renda mensal de at 03 (trs) salrios mnimos, e poder ser pleiteado por:

    I - titular de domnio, posseiro ou cessionrio de direitos;II - associaes de luta por moradia popular inscritas em programas de

    habitao oficiais.Artigo 4. - O beneficirio dever ser proprietrio ou possuidor de um nico

    imvel para moradia prpria, no Municpio, com rea mnima de acordo com o zoneamento definido pela legislao municipal.

    Pargrafo nico O critrio descrito no pargrafo anterior tambm dever ser observado no caso de produo de unidades condominiais.

    Artigo 5. - O Executivo poder prestar assistncia tcnica por meio de convnio com entidades ou associaes de classe, e com associaes voltadas produo de moradia popular sem fins lucrativos que manifestarem interesse na execuo das atividades previstas nesta Lei.

    1. Os interessados devero fornecer ao Executivo uma lista dos profissionais classificados de acordo com os critrios das entidades para que o Executivo possa direcionar os pleitos formulados pelos beneficiados.

    2. As associaes profissionais ou comunitrias encaminharo Secretaria Municipal de Habitao, a cada 06 (seis) meses, uma lista de interessados pela ordem de preferncia.

    Artigo 6. - So requisitos especficos para firmar o convnio:I - apresentar estatutos ou contrato social, devidamente registrado

    comprovando os objetivos sociais da entidade, especificamente a prestao de assessoria tcnica em questes relativas habitao de interesse social;

    II - apresentar ata de eleio da ltima Diretoria;III- declarao de funcionamento regular h pelo menos 03 (trs) anos;IV- relao do quadro de associados e suas qualificaes profissionais, que

    garantam o desenvolvimento dos projetos e programas previstos nesta Lei.Pargrafo nico No caso de associaes de luta por moradia popular

    inseridas em programas de habitao oficiais, alm dos documentos acima referidos, tambm dever ser anexado documento que demonstre a habilitao ou seleo em programa habitacional oficial.

    Artigo 7. - O requerimento de assistncia tcnica profissional ser instrudo por formulrio-padro a ser disponibilizado pela Secretaria de Obras, que providenciar os seguintes encaminhamentos:

    I - abertura do processo administrativo;II - instruo dos autos com documento de identidade e CPF do

    beneficirio, cpia da matrcula ou transcrio do imvel acompanhados de termos de cesso ou contratos que comprovem a sucesso dominial, ou documento que comprove a posse;

    III - cpia da notificao de lanamento de IPTU do exerccio do requerimento;

    IV - relatrio social elaborado pela Diretoria de Habitao/Secretaria de Habitao;

    V - parecer conclusivo sobre a concesso do benefcio exarado pelo Diretor de Habitao.

    Artigo 8. - O Programa consiste na prestao dos seguintes servios:I - elaborao, execuo e apresentao para aprovao do

View more