slide rhanny

Download Slide rhanny

Post on 01-Nov-2014

1.740 views

Category:

Art & Photos

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

dom pedro I...SLIDE DE HISTORIA- GRUPO 4-2M5

TRANSCRIPT

  • 1. O Imprio de D. Pedro I
    • QUEM FOI D. PEDRO I;
    • AS RAZES DO DIA DO FICO;
    • AS RAZES DA IDEPENDNCIA;
    • O GOVERNO DE D.PEDRO I;
    • OPOSITORES DE D. PEDRO;
    • RENNCIA DA IDEPENDNCIA;
  • 2. D. Pedro de Alcntara nasceu em Queluz, Portugal, em 12 de outubro de 1798 sendo filho de D. Joo VI de Portugal, rei de Portugal, Brasil e Algarves e Dona Carlota Joaquina de Bourbon, infanta da Espanha .. Era o quarto filho, e segundo varo de seus pais, e no era esperado que um dia viesse a ascender ao trono. curiosidade D. Pedro tem dezoito nomes
  • 3. Nome completo de D. Pedro I Pedro de Alcntara Francisco Antnio Joo Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim Jos Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragana e Bourbon
  • 4. Em Portugal conhecido como O Rei-Soldado , por combater o irmo D. Miguel na Guerra Civil de 1832-34 ou O Rei-Imperador . tambm conhecido, de ambos os lados do oceano Atlntico, como O Libertador Libertador do Brasil do domnio portugus e Libertador de Portugal do governo absolutista. Tornou-se herdeiro depois da morte do seu irmo mais velho, Francisco de Bragana (1795 - 1801). CURIOSIDADES
  • 5. D. Pedro I era de temperamento, era um impulsivo. Volvel at os extremos, era capaz dos maiores egosmos e das mais largas generosidades. Tudo nele era incompleto: mal educado, mal guiado, mal aconselhado, faltou-lhe sempre o senso da medida. Mas, como todas as naturezas espontneas, tinha um fundo de grande bondade. Herdou do velho Rei seu pai a liberalidade []. Tinha, da me, sobretudo, a impetuosidade. Foi essa impetuosidade, aliada ao seu estabanado cavalheirismo, que o levou a libertar dois povos. Um punhado, largo, de boas qualidades: bravura, honestidade, desprendimento pessoal, idealismo. E um acentuado desejo de bem fazer o que o no impedia de ser, muita vez, injusto e agressivo at com os seus melhores amigos.
  • 6. Em 1807, D. Joo VI, preocupado com os acontecimentos na Europa, realizou um plano de enviar o seu filho mais velho para o Brasil e assim impedir que a mais valiosa colnia portuguesa pudesse sofrer o mesmo destino das colnias espanholas.
  • 7. No Brasil, D. Pedro viveu no Palcio da Quinta Boa Vista em So Cristvo junto com seu pai e D. Miguel, mas tambm residiu na Fazenda de Santa Cruz e no Pao Imperial.
  • 8. D. Pedro I e a Escravido
  • 9. D. Pedro I no acreditava em diferenas raciais e muito menos em uma presumvel inferioridade do negro como era comum poca e perduraria at o final da II Guerra Mundial. "Eu sei que o meu sangue da mesma cor que o dos negros". Disse D. Pedro I curiosidades O monarca acreditava que a melhor maneira de eliminar a escravido seria de uma maneira gradual em conjunto com a imigrao de trabalhadores europeus para substituir a mo de obra que viria a faltar.
  • 10. A escravido no se resumia somente a negros, e havia casos de brancos escravos tambm. Pessoas humildes compravam com seus poucos recursos escravos que pudessem trabalhar por elas. A escravido no era utilizada por apenas ricos aristocratas como popularmente se imaginava. Pessoas humildes compravam com seus poucos recursos escravos que pudessem trabalhar por elas.
  • 11. D. Pedro tambm escreveu diversas poesias: Meu amor, meu grande amor, Sem ti no quero viver Tua imagem a meiga flor Que eu vivo a bem-querer O prncipe sabia tocar instrumentos musicais como: piano, flauta, fagote, trombone, violino, clarinete, violo, lundu e cravo.
  • 12. Foto de D. Pedro I
  • 13. Casamento com Leopoldina de Habsburgo
  • 14. Em 1818, quando tinha 19 anos, casa-se com a Arquiduquesa Dona Leopoldina, filha do Imperador Francisco I da ustria, e de sua segunda esposa, Maria Teresa de Bourbon, Princesa das Duas Siclias, de um ramo dos Bourbons franceses. D. Maria da Glria (1819), Rainha de Portugal como Dona Maria II, e D. Pedro de Alcntara(1825), so os filhos com Leopoldina. Curiosidade
  • 15. D. Pedro era muito garanho... Vivo desde 11 de dezembro de 1826, em agosto de 1829 contrai segundas npcias por procurao com Amlia de Beauharnais, Princesa da Baviera, Duquesa de Leuchtenberg, neta da Imperatriz Josefina da Frana, esposa repudiada de Napoleo Bonaparte. AMLIA NAPOLEO BONAPARTE
  • 16. O Movimento da Independncia do Brasil A Revoluo no Porto e o retorno da famlia real
  • 17. Em maro de 1816, com a morte de Dona Maria I, a Louca e a elevao de seu pai a Rei de Portugal, recebeu o ttulo de Prncipe Real e Herdeiro do Trono (o irmo mais velho, Antnio Prncipe da Beira, falecera em 1801). Irrompe ento a revoluo constitucionalista de 1820, exigindo a restituio do Pacto Colonial e o retorno da Famlia Real ao reino.
  • 18. Em 1821D.Joo VI decide retornar metrpole depois de cerca de treze anos no Rio de Janeiro. Em Portugal, as Cortes Gerais e Extraordinrias da Nao Portuguesa j iniciavam a elaborao da Constituio do reino. Mas esta deciso rgia foi mal recebida no Brasil.
  • 19. Ao voltar a Portugal, D. Joo VI deixa seu filho D. Pedro I como Prncipe Regente do Brasil. Os direitos concedidos ao Brasil, entretanto, foram sendo rescindidos pelas cortes. D. Pedro I ento alinha-se ao descontentamento brasileiro provocado pelas medidas portuguesas.
  • 20. O Dia do Fico
  • 21. O Dia do Fico iniciou no dia 9 de janeiro de 1822 quando o ento prncipe regente D. Pedro de Alcntara foi contra as ordens das Cortes Portuguesas que exigiam sua volta a Lisboa, ficando no Brasil.
  • 22. Por volta de 1821, quando as Cortes Gerais e Extraordinrias da Nao Portuguesa mostraram a idia de transformar o Brasil de novo numa colnia, os liberais radicais se uniram ao Partido Brasileiro tentando manter a autoridade do Brasil.
  • 23. As Cortes mandaram uma nova deciso enviada para o prncipe regente D. Pedro de Alcntara. Uma das exigncias era seu retorno imediato a Portugal .
  • 24. A presena de D. Pedro no Brasil dificultava as pretenses das Cortes de recolonizar o Brasil. Por isso, sob o pretexto de que o prncipe deveria completar seus estudos na Europa, as Cortes insistiam no retorno de D. Pedro a Portugal.
  • 25. Aps ter recebido um abaixo-assinado com centenas de assinaturas (conhecido como Petio do Fico), que pedia que ele permanecesse no Brasil, o regente recusou-se a embarcar para a Europa e, em 9 de janeiro de 1822, pronunciou, em um episdio que ficou conhecido como Dia do Fico, a frase histrica:
  • 26. "Se para o bem de todos e felicidade geral da Nao, estou pronto! Digam ao povo que fico".
  • 27. As razes da Independncia
  • 28. A Independncia do Brasil foi processo que culminou com a emancipao poltica desse pas do reino de Portugal no sculo XIX.
  • 29. A partir de 15 de Julho de 1799, o Prncipe do Brasil, D. Joo, tornou-se Prncipe Regente de Portugal. Os acontecimentos na Europa, onde Napoleo Bonaparte se afirmava, sucederam-se com velocidade crescente.
  • 30. Desde 1801 que se considerava a idia da transferncia da Corte Portuguesa para o Brasil. As faces no governo portugus, entretanto, se dividiam:
  • 31. *A faco anglofilia, partidria de uma poltica de preservao do Imprio Colonial Portugus e do prprio Reino, atravs do mar, apoiados na antiga aliana Luso-Britnica; e *A faco francfila, que considerava que a neutralidade s poderia ser obtida atravs de uma poltica de aproximao com a Frana.