slam lx n6 v2

Download SLAM LX N6 V2

Post on 28-Mar-2016

228 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Magazine 'work in progress' dedicado às noites de Poetry Slam que o Musicbox organiza mensalmente. SLAM LX Nº6 / 6ª edição no dia 22 de Março de 2012

TRANSCRIPT

  • DIOGO DORYLARA FRANCOSRGIO AMARAL

    LUIS PEDRO MARTINSSRGIO COUTINHOMRIO TROVADOR

    NUNO GERALDES BARBA AFONSO MATA

    FINAL:LARA FRANCO

    vsLUIS PEDRO MARTINS

    VENCEDOR Poetry Slam /

    SLAM LX N5

    LUIS PEDRO MARTINS

    JURI: NUNO MIGUEL GUEDES

    MARTA ELIASANDR GAGO

    2 ELEMENTOS DO PBLICO

    PRMIOS: BERTRAND EDITORA,

    QUETZAL, PERGAMINHO, 101 NOITES,TRANSFORMADORES/ MUSICBOX, AVENIDA DE

    POEMAS, JAMESON

  • Type to enter text

    SLAM LX N 6 / Programa22 de Maro, sex 22h

    22h30 - Apresentao pelo McFilipe Homem Fonseca

    22h40 - Convidado Pedro Vieira aka Irmo Lcia

    22h50 - Vdeo 22h55 - Performance de Poesia Sonora e Visual pelo convidado Mrcio-Andr

    (Brasil)

    23h10 - Intervalo

    23h20 - Poetry Slam8 concorrentes3 eliminatrias

    1 finalista00h30 - Entrega de prmios

    00h45 - Open Mic01h00 - Fim

  • LUIS PEDRO MARTINS- 1 PRMIO -

    LARA FRANCO-finalista-

  • PEDRO VIEIRA aka IRMO LCIA

  • ALICE #6 - entrevista de Maria Joo Freitas a Pedro Vieira

    Nunca tive gosto por trabalhos demorados. E isto no acontece s na ilustrao, tudo o que me demore muito tempo seguido perturba-me, preciso de produzir coisas que tenham um resultado quase imediato e o meu registo na ilustrao esse.....Como nasceu o Irmo Lcia? Irmo Lcia comeou por ser um endereo de e-mail do yahoo. A ideia surgiu-me na altura em que o Papa Joo Paulo II esteve em Portugal, se no me engano em 2000, para revelar o terceiro segredo de Ftima, segredos esses que so sempre revelados posteriori. Foi uma luz que tive nessa ocasio porque estava mesmo imbudo do esprito de Ftima, com aquele entusiasmo de conhecer o terceiro segredo e surgiu-me o nome, que passei a usar como endereo de e-mail. Quando apareceram os blogues, tive o Agridoce, que depois destru involuntariamente. Fui mexer no html porque achei que tinha competncias informticas e ao tentar mudar o aspecto do blogue, arrasei com ele e tive que comear tudo de novo. Foi um fim agridoce. O fim tambm foi agridoce, mas foi a oportunidade do Irmo Lcia aparecer em campo. Pensei: agora vou usar o heternimo do e-mail, vou dar esse nome ao blogue. Isto foi em 2006, e ficou. De tal forma que agora h pessoas que me tratam por Irmo Lcia, que esqueceram o meu nome. No canal Q, h pessoas que me tratam por Lcia, o que cria assim uma estranha ambivalncia na identidade de gnero, mas tudo bem, eu gosto. Faz parte da minha identidade, o blogue colou-se-me pele. No outro dia fomos jogar bola, fizemos um sorteio das equipas e fui apresentado como Pedro Lcia Vieira, portanto ests a ver o tipo de confuso que vai naquelas cabeas. ....Como te tornaste livreiro? Tornei-me livreiro por necessidade. Fiquei desempregado, na altura do Santana sec na Cmara de Lisboa. Como trabalhava num edifcio em Entrecampos, fazia muitas visitas Bulhosa hora de almoo, porque eu sou como aquelas apresentadoras de televiso, adoro livros, desde pequeno. Ento pensei: bem, no tenho profisso, ento tenho que tentar trabalhar em alguma coisa, gostava de trabalhar numa livraria, se calhar era um bom stio e fui l candidatar-me. Fui, escrevi assim uma espcie de carta de apresentao armado em engraadinho e resultou, incrvel. Chamaram-me para uma entrevista e assim foi. Nessa altura trabalhei l um ano e meio. E depois, regressei Bulhosa para vir abrir aqui em Campo de Ourique, com algumas das pessoas que j conhecia da encarnao anterior na Bulhosa. J conhecias o bairro? No, o bairro para mim era totalmente estranho. Gosto do bairro, por ter vida de bairro, passe a redundncia, mas o pblico que atendia aqui no me agradava muito, para ser sincero. Se na altura j tivesses o Professor Jos Cid tinha-te agradado mais. Seguramente, tinha aproveitado muito mais. Alis, uma coisa de que me arrependo do tempo em que trabalhei como livreiro foi no ter feito mais recolha de lapsus linguae. Foi um grande desperdcio ter comeado s nos ltimos meses, porque havia muita matria prima. Os livreiros no ficcionam algumas coisas? No, quase tudo verdade...... Qual que o teu maior defeito? capaz de ser a preguia. E uma pequena virtude? Persistncia, acho eu. Qual o teu signo? Leo. E na astrologia chinesa? Coelho, se no me engano. O que dar um leo com um coelho? Uma refeio. Se um apanhar o outro. A... (continua)

    www.clubalice.com

  • MRCIO-ANDR Escritor, artista sonoro e visual.

  • Autor de quatro livros de poesia e ensaios, colaborou com diversos jornais, entre eles O Globo, Jornal do Brasil, O Estado de Minas; e com revistas brasileiras e internacionais. Seus poemas foram traduzidos para oito idiomas. Integra antologias como Poesia do Mundo, O que poesia?, Todo comeo involuntrio - a poesia brasileira no incio do Sec. 21, Potes Brsiliens daujourdhui, 24 letras por segundo, entre outras. Sua obra, tanto literria como performtica, estudada em diversos pases, como EUA, Finlndia, Brasil e IrO.

    Deu aula de formao avanada em escrita criativa e poesia sonora na Universidade de Coimbra e na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Como tradutor, publicou textos de Ghrasim Luca, Gilles Ivain, Serge Pey, Mathieu Bnzet, Hagiwara Sakutaro e Forrest Gander. Em 2008, recebeu a Bolsa Fundao Biblioteca Nacional, pelo livro de ensaios Potica das Casas e, em 2009, foi poeta residente em Monsanto, Portugal. tambm editor da Confraria do Vento e curador do Cidade aTravessa, evento literrio e performtico que acontece nas cidades de Lisboa, Rio de Janeiro e So Paulo.

    Poeta experimental, com obras na rea da poesia visual e sonora, da instalao e da performance, realizou trabalhos no Reino Unido, Frana, Espanha, Portugal, Ucrnia, Argentina, Peru, alm de diversas cidades pelo Brasil. Apresentou-se em eventos como o Festival Silncio, Balada Literria, Encontros de Interrogao, Encontro Internacional de Poetas de Coimbra, Frum das Letras, March de la Posie e exps em mostras como Tordesilhas, Paradas em movimento, Curta Cinema e A palavra toda.

    Entre suas performances mais recentes, constam Suspensin (Espanha, 2011), Sound Poetry (Portugal, 2011), Multitubetextura (Portugal, Brasil e Peru, 2010), Indivisible: Poem-polyphony for voices, violin, electronic processing, bells and whistles (Reino Unido, Ucrnia, frana, 2009). Por conta de sua Conferncia Potico-Radioativa (2007) na cidade fantasma de Chernobyl, na Ucrnia, tornou-se "o primeiro poeta radioativo do mundo".

  • POETRY SLAMPrmios para o vencedor do torneio!Nesta sesso o Jri ser constitudo por , Nuno Miguel Guedes (Jornalista), Helder Gomes (Jornalista Canal Q) e dois elementos do pblico selecionados aleatoriamente.O slammer vencedor, entre outros prmios, ganhar uma coleco de livros das editoras Bertrand, Quetzal e Contraponto,; ltima paragem Massam de Pedro Vieira (Quetzal)) As Feras de Jamrach de Carol Birch (Bertrand Editora) e No sou um Serial Killer de Dan Wells (Contraponto), da editora 101 Noites; pera do Falhado de JP Simes, From the Edge vrios autores e o audiolivro Um jantar muito original de Fernando Pessoa, e da editora discografica Trandormadores / Musicbox; Vol1 - Dead Combo e Exlio - Quinteto Tati. O Vencedor ganha ainda o direito a estar presente na finalssima do SLAM LX, uma participao no Festival Silncio de 2012, uma participao no programa Clube da Palavra do Canal Q, uma participao no espectculo Avenida de Poemas no cinema Tivoli e ainda um prmio especial Musicbox / Jameson

    Prmios para o vencedor!

  • Uma Mentira Mil Vezes Repetida, Manuel Jorge Marmelo

    O principal mrito de MJM est na forma como consegue manter a sensao de claustrofobia narrativa, sem deixar que o leitor se perca no caos de repeties, incongruncias e "solavancos lgicos". Jos Mrio Siva, Expresso Para escapar ao anonimato de uma vida comum, solido da escrita e ao esquecimento dos futuros leitores, o narrador de Uma Mentira Mil Vezes Repetida inventou uma obra monumental, um autor um judeu hngaro com uma vida aventurosa e uma mirade de personagens e de histrias que narra entusiasticamente a quem ao p dele se senta nos transportes pblicos. Assim vai desfiando as andanas literrias de Marcos Sacatepequez e o seu singular destino, a desgraa do homem-zebra de Polvorosa, o caos postal de Granada, a maldio do marinheiro Albrecht e as memrias do velho Afonso Co, amigo de Cassiano Conscincia, advogado e proprietrio do nico exemplar conhecido de Cidade Conquistada, a obra-prima de Oscar Schidinski. Enquanto o autocarro se aproxima de Cedofeita, ou pra na rua do Bolho, quem o escuta viaja do Belize a Budapeste, passando pelas Honduras, por estncias alpinas, por Toulon ou por Lisboa. Mas se o nosso narrador no encontrou a glria - seno por breves momentos e na mente alheada de quem cumpre uma rotina - talvez tenha encontrado o amor. Ou ser tambm ele inventado?

    Em Destaque!!

    POETRY SLAMPrmios para o vencedor do

    torneio!Nesta sesso o Jri ser constitudo por Nuno Miguel Guedes (Jornalista), Paola d Agostino (escritora e tradutora), Lus Gouveia Monteiro (Jornalista), e dois elementos do pblico selecionados aleatoriamente.O slammer vencedor, entre outros prmios, ganhar uma coleco de livros das editoras Bertrand, Quetzal, Contraponto; Uma Mentira Mil Vezes Repetida, de Manuel

    Jorge Marmelo (Quetzal), O Beco dos Milagres, de Naguib Mahfouz (Contraponto), Contos dos Subrbios, de Shaun Tan

    (Contraponto), Eu e Tu, de Niccol Ammaniti (Bertrand), da editora 101 Noites; pera do Falhado de JP Simes, Onde a

    Terra Acaba / From The Edge, Contos de vrios escritores e Um jantar muito original de Fernando Pessoa, lido por So

    Jos Lapa (Audiolivro) e da editora discografica Trandormadores / Musicbox; Magnetic Poetry dos Social Smokers (Livro +cd+dvd) e 4 Gro dos Couple Coffee (CD).O Vencedor ganha ainda o direito a estar presente na finalssima do SLAM LX, uma participao no Festival Silncio