sites.usp.· especificamente sobre o romanceiro da inconfidência elaboramos para o cned, frança

Download sites.usp.· Especificamente sobre O Romanceiro da Inconfidência elaboramos para o CNED, França

Post on 23-Dec-2018

221 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

O viver em colniacultura e sociedade no Brasil colonial

U N I V E R S I D A D E DE S O PAUL OJacques Marcov itch re ito rAdo lfo Jo s Melph i v ic e - r e i t o r

I N S T I T U T O DE E S T U D O S B R A S I L E I R O SMur i l lo Marx d ire to rYdda Dias Lima vice-diretora

Av. Prof. M e l lo Moraes. Trav. 8. n. 140Cidade Universitria "Armando de Sal les Oliveira"05508-900 - So Paulo. SP - BrasilTelefones: (01 1)818.3227 - 818.3199

e.mail: difusao@ieb.usp.br

mailto:difusao@ieb.usp.br

VOLUME 1

Cec l i a de Lara J oac i Pere i ra Furtado M a r co An tn io S i l ve i r a Ronald Po l i to

coordenao Jo a c i Pere i ra Furtado

O viver emcu ltura e so c ie d ad e no

colniaB ra s il co lon ia l

c a d e r n o s do i e bc u r s o s & c o n f e r n c i a s

C a de r nos do IEB

M a r t a R o s s e t t i B a t i s t a

ed i t o ra

J o a c i P e r e i r a F u r t a d o

M a r i a C e c l i a F e r r a z de C a s t r o C a r d o s o

M a r i a N e u m a B a r r e t o C a v a l c a n t e

comisso ed i t o r i a l

M a y r a L a u d a n n a

supe rv i so de a r t e e produo g rf ica

0 viver em colnia: cultura e sociedade no Brasil colonial

Coordenao: Joac i Perei ra Furtado

Superviso editorial : Mar i a Neuma Barreto Cavalcante

Reviso dos originais: El izabeth Ziani

Capa, projeto grf ico e edi torao eletrnica: Roberto Yokota

i lus traes: montagem sobre aquare las de Thomas Ender (sc. XIX)

1 9 9 9

Introduo

A s publicaes constituem uma das formas privilegiadas pelo Institu- Z J to de Estudos Brasileiros, desde seu incio, para divulgar as pesquisas

e os acervos da Instituio. J nos primeiros anos de sua existncia nasciam, de um lado, a Revista (1966), de carter interdisciplinar e at hoje atuante e, de outro, as chamadas publicaes avulsas (1965, editando pesquisas, catlogos e monografias de interesse para vrios campos da cultura brasileira.

Numa primeira fase, de produo editorial crescente (em 1972 o IEB lanou 8 livros), as publicaes avulsas de formato padronizado, foram editadas com recursos da prpria Instituio. Nas fases seguintes, entre pocas de maior ou menor dificuldade, apareceram catlogos de exposies, folders e informativos, enquanto os livros passaram a ser editados no s pelo IEB, mas tambm em parcerias e coedies, ou contando com patrocnios culturais. Assim, o Instituto tem hoje, em seu ativo, meia centena de ttulos, vrios dos quais pioneiros, ou transformados com o tempo em manuais de referncia para algumas reas de estudos brasileiros.

Entretanto, toda uma produo institucional permanece represada, nas gavetas, nos projetos ou no desejo do corpo funcional da Instituio, sem possibilidade de chegar aos estudiosos. A partir desta constatao, e de ampla discusso e levantamento realizados, em 1997. com as reas docente e tcnica, buscamos formas e meios para dar vazo a estes trabalhos, atravs de edies pouco dispendiosas, geis e continuadas. Donde a idia dos Cadernos do IEB, padronizados e organizados por sries temticas, conforme as necessidades mais prementes do Instituto.

Ficou clara, desde logo, pelo nmero de obras planejadas, a definio de dois tipos de demanda mais constantes, sugerindo as sries Instrumentos de Pesquisa e Cursos & Conferncias Se o IEB j editou alguns catlogos e ndices importantes, muitas obras de acesso aos acervos, por exemplo, ainda permanecem de consulta restrita, no local. Por outro lado, a publicao de cursos, conferncias e depoimentos alguns hoje histricos , apesar de planos e projetos, no havia ainda encontrado meios para sua concretizao. Assim, concentramos o trabalho na normatizao e preparo dessas duas sries.

Instrumentos de pesquisa tem por objetivo editar catlogos, ndices, bibliografias, resultantes de pesquisas e das tcnicas de organizao e classificao dos documentos desenvolvidos no IEB, visando difundir o conhecimento de fontes importantes para a investigao dos estudos brasileiros.

Cursos &C Conferncias por outro lado, destina-se a divulgar os Cursos de Difuso, as conferncias, mesas-redondas e palestras promovidos pelo IEB, contribuindo para os estudos de temas especficos de histria e cultura brasileiras, examinados sob tica interdisciplinar por reconhecidos especialistas de vrias reas.

Os primeiros volumes dessa srie a serem preparados renem textos dos cursos de difuso realizados nos ltimos anos no IEB. Os da srie Instrumentos de Pesquisa publicam catlogos de segmentos dos acervos do Arquivo e da Coleo de Artes Visuais, interessando sobretudo s reas de educao, msica e arte popular.

A definio das sries, o estabelecimento dos padres, a organizao e preparo para a edio, foram realizados pela Comisso composta pelo historiador Joaci Pereira Furtado, constante colaborador do IEB na organizao dos Cursos de Difuso; a arquivista Maria Ceclia Ferraz de Castro Cardoso cuja participao foi importante no estabelecimento dos padres dos Instrumentos de Pesquisa propostos, a maioria de sua rea, o Arquivo-IEB; e a supervisora editorial Maria Neuma Barreto Cavalcante, fundamental na definio, padronizao e preparo das publicaes. Durante 1997 e incio de 1998, reunimo-nos, discutimos, convergimos e divergimos, at chegarmos definio e preparo dos primeiros nmeros. Roberto Yokota, aderindo ao projeto, desenvolveu o projeto grfico padro, que pudesse ser reprodutvel nos demais nmeros de cada srie. Com a presente edio, os leitores podem atestar a dedicao e o empenho dessa Comisso, qual expresso meus agradecimentos.

O projeto s pde transformar-se em realidade graas determinao do Diretor, professor Dr. Murillo Marx, em dar prosseguimento aos trabalhos e edio desses volumes. A ele, expresso minha gratido pela extrema gentileza do honroso convite para apresentar os Cadernos do IEB.

Marta Rossetti Batista

Sumrio

Joaci Pereira Furtado Apresentao ........................................... 11

Ceclia de Lara Poesia, mito e realidade: O Romanceiroda Inconfidncia de Ceclia Meireles ..13

A co l n ia dos espelhos: h is t r ia e Joaci Pereira Furtado b ra s il id a d e em le itu ra s d as C a r ta s

chilenas .....................................................46

M arco Antnio C u ltu ra e c iv iliz a o nas M in a sSilveira setecentistas ............................................... 71

Ronald Polito Tradio e m odern idade na obra deToms Antnio Gonzaga ..................... 96

sobre os autores 103

Apresentao

A reflexo sobre aspectos da vida, da cultura e da apropriao J potica e historiogrfica do passado colonial do Brasil moti-

vou o curso de difuso cultural O viver em colnia: cultura e sociedade no Brasil colonial realizado pelo Instituto de Estudos Brasileiros de 22 a 26 de maio de 1995. Por motivos os mais variados, nem todas as conferncias apresentadas naquela ocasio puderam ser reunidas neste volume da srie Cursos & C on ferncias dos Cadernos do IEB. Das nove que constavam do programa do curso, quatro esto reproduzidas aqui. Uma quinta e outras quatro, pertencentes a diferentes eventos que guardam alguma afinidade com a presente publicao e que dificilmente encontrariam outra oportunidde para chegar ao leitor, sero publicadas no segundo volume deste nmero.

Assim, fiel interdisciplinaridade que pauta suas atividades, o IEB oferece aqui mais uma ampla e multifacetada abordagem de um objeto no menos caleidoscpico: o viver em colnia conforme as palavras de Lus de Santos Vilhena ele mesmo um colono que tambm escreveu sobre esse viver. Da msica historiografia da literatura, passando pela questo indgena e por conflitos de paradigmas culturais, esta publicao espera contribuir, com estudos inovadores e polmicos, para o debate acerca de um passado talvez nem to distante de ns.

Joaci Pereira Furtado

o v i v e r em c o l n i a

Poesia, mito e realidade: O Romanceiro da Inconfidncia

de Cecilia Meireles *

Ceei li a de L ara

IE B / U SP

M matria que se faz poesia no Romanceiro da Inconfidncia con- Z J juga o valor documental e a criao artstica, que se associam

de modo sutil: muito pode escapar a quem no seja detentor das informaes trazidas para o interior do poema, fazendo parte de sua urdidura. A transposio para o plano potico se d no mbito da imaginao, criando um universo de dimenso am pla, independente de tempo e espao. inevitvel evocar a problemtica complexa relativa presena de dados da realidade, na criao: objeto de permanente reflexo, no campo da Teoria Literria e da Sociologia da Literatura, formulada, de modo simples e exato, pelo poeta Ferreira Gullar em ensaio publicado em jornal:

A poesia, a arte, um tipo de realizao intelectual que se situa entre a experincia direta do mundo e a ao conceituai abstrata: o artista rejeita a experincia imediata do real, na medida em que a transforma em linguagem, mas tambm rejeita a sua transformao em conceito abstrato porque deseja preserv-la como vivncia individual e afetiva.1

Por isso, para captar o extrato documental da obra, ainda que seja fruto de pesquisa, no passado, como o caso, o leitor ter que assestar o olhar conforme o ngulo da criao potica, passando pela construo fo rm al-o que implica na capacidade de conviver com os procedimentos poticos e utilizar um instru-

' Este ensaio se fundamenta em pesquisas e estudos pessoais, sobre a obra de C. Meireles, que realiza

mos para palestras, concursos, em vrios momentos, no decorrer do tempo. Especificamente sobre O Romanceiro da Inconfidncia elaboramos para o C N E D , Frana Ensino Distncia um curso para0 C A P ES (Concurso para professores de Portugus na Frana),