sistema tributÁrio nacional e funÇÃo social do .sistema tributÁrio nacional e funÇÃo social

Download SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E FUNÇÃO SOCIAL DO .SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E FUNÇÃO SOCIAL

Post on 08-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • SISTEMA TRIBUTRIO NACIONAL E

    FUNO SOCIAL DO TRIBUTO

    Curso Tributao e Cidadania Fiscal

    Germana Parente Neiva Belchior

    Maio / 2013

  • Qual a relao entre cidadania e tributao?

    Metodologia do Dilogo

  • Existem limites ao Poder Pblico em relao

    tributao?

    Metodologia do Dilogo

  • Art. 1, CF/88 - A Repblica Federativa do Brasil,

    formada pela unio indissolvel dos Estados e

    Municpios e do Distrito Federal, constitui-se em

    Estado Democrtico de Direito e tem como

    fundamentos:

    I - a soberania;

    II - a cidadania;

    III - a dignidade da pessoa humana;

    IV - os valores sociais do trabalho e da livre

    iniciativa;

    V - o pluralismo poltico.

    Princpios Fundamentais

  • -Relao tributria como relao jurdica;

    - Estado (sujeito ativo) e contribuinte (sujeito passivo);

    - O dever fundamental de pagar tributos (cidadania);

    - Direitos e garantias fundamentais do contribuinte como clusulas ptreas (art. 150; art. 60, 4, CF/88)

    Limitaes Constitucionais

    ao Poder de Tributar

  • Direitos e Garantias Fundamentais

    do Contribuinte

    PRINCPIO DA LEGALIDADE TRIBUTRIA (art. 150, I,

    CF/88) COMO PAGAREI?

    exigir ou aumentar tributo sem lei que o estabelea,

    ressalvadas as hipteses previstas na prpria CF.

    PRINCPIO DA ANTERIORIDADE TRIBUTRIA (art. 150,

    III, be c, CF/88) QUANDO PAGAREI?

    Dupla espera: anual e nonagesimal, ressalvadas as

    excees da CF.

    Evitar a surpresa em busca da segurana jurdica.

  • Direitos e Garantias Fundamentais

    do Contribuinte

    PRINCPIO DA ISONOMIA TRIBUTRIA (art. 150, II,

    CF/88) JUSTO?

    Igualdade na lei (formal) e perante a lei (material).

    Capacidade contributiva.

    PRINCPIO DA IRRETROATIVIDADE TRIBUTRIA (art.

    150, III, a, CF/88) E O QUE PASSOU?

    vedado cobrar tributos em relao a fatos geradores

    ocorridos antes do incio da vigncia da lei que os houver

    institudo ou aumentado.

  • Direitos e Garantias Fundamentais

    do Contribuinte

    PRINCPIO DA VEDAO AO CONFISCO (art. 150, IV,

    CF/88)

    proibido utilizar tributo para afetar sobremaneira o

    patrimnio particular.

    PRINCPIO DA NO LIMITAO AO TRFEGO DE

    PESSOAS E BENS (art. 150, V, CF/88)

    vedado estabelecer limitaes ao trfego de pessoas ou

    bens, por meio de tributos interestaduais ou

    intermunicipais, ressalvada a cobrana de pedgio pela

    utilizao de vias conservadas pelo Poder Pblico.

  • Direitos e Garantias Fundamentais

    do Contribuinte

    PRINCPIO DA UNIFORMIDADE GEOGRFICA (art.

    151, I, CF/88)

    vedado Unio instituir tributo que no seja uniforme

    em todo o territrio nacional, mas pode ter incentivos

    fiscais para equilibrar desigualdades socioeconmicas.

  • Direitos e Garantias Fundamentais

    do Contribuinte

    IMUNIDADES TRIBUTRIAS (art. 150, VI, CF/88)

    No incidncia de impostos sobre: (i) templos de qualquer

    culto (finalidades essenciais);

    (ii) livros, jornais, revistas e o papel destinado impresso;

    (iii) patrimnio, renda ou servios dos entes polticos

    (recproca), partidos polticos, entidades sindicais laborais,

    instituies de educao e de assistncia social, sem fins

    lucrativos, atendidos os requisitos da lei.

  • Afinal, o que tributo?

    Metodologia do Dilogo

  • Conceito de Tributo

    Tributo toda prestao pecuniria

    compulsria, em moeda ou cujo valor

    nela se possa exprimir, que no

    constitua sano de ato ilcito,

    instituda em lei e cobrada mediante

    atividade administrativa plenamente

    vinculada. (art. 3, CTN)

  • Desvendando o Conceito

    Toda prestao pecuniria compulsria

    Todo pagamento obrigatrio ao Estado. No se tem opo.

    Em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir

    O pagamento efetuado em dinheiro, mas a lei poder admitir que ele seja feito por meio de algo de valor equivalente moeda, ou nela conversvel.

    Que no constitua sano de ato ilcito

    Tributo no penalidade por infrao, diferentemente da multa.

  • Desvendando o Conceito

    Institudo em lei

    Sem lei que o institua no existe tributo (principio da legalidade)

    Cobrado mediante atividade administrativa plenamente vinculada

    A cobrana deve ser realizada conforme determina a lei, no comportando discricionariedade do administrador pblico.

  • Caractersticas dos Tributos

    so devidos a um

    ente pblico

    (Unio, Estado

    ou Municpio);

    tm fundamento

    jurdico no poder

    soberano do ente

    tributante;

    Sua finalidade

    servir de meio

    para o atendimento

    s necessidades

    financeiras do Estado

    de modo que este

    possa realizar sua

    funo social.

    1 2 3

  • Ser que tributo s serve para encher os cofres

    pblicos?

    Metodologia do Dilogo

  • Funes dos Tributos

    FISCAL

    Arrecadar

    EXTRAFISCAL

    Direcionar

    condutas

    PARAFISCAL

    Delegao da

    capacidade

    tributria

    ativa

    1 2 3

  • Classificao dos Tributos

    .

    VINCULADOS: Exige uma

    contraprestao estatal. Ex. taxas.

    .

    NO VINCULADOS: O Estado no

    precisa oferecer nenhuma

    contraprestao de servios ou obras

    para o contribuinte. Ex. impostos.

  • Competncia para Tributar

    COMPETNCIA COMUM

    Diz respeito aos tributos vinculados, podendo

    ser institudo por qualquer ente federado.

    COMPETNCIA PRIVATIVA

    Trata-se dos tributos no vinculados

    (impostos), cuja competncia especfica de

    um ente tributante, segundo a CF/88.

  • Espcies de Tributos

    TEORIA

    TRIPARTIDA

    (art. 145, CF/88; art.

    5, CTN)

    impostos

    taxas

    contribuies de

    melhoria

    INTERPRETAO

    LITERAL

    TEORIA

    PENTAPARTIDA

    (art. 145; art. 148; art.

    149, CF/88)

    impostos

    taxas

    contribuies de

    melhoria

    emprstimos

    compulsrios

    contribuies sociais

    INTERPRETAO

    SISTEMTICA

  • Impostos

    Direto

    A pessoa que paga

    (contribuinte de fato)

    a mesma que

    recolhe aos cofres

    pblicos

    (contribuinte de

    direito).

    Ex: IR, IPVA, IPTU.

    Indireto

    aquele em que o

    contribuinte de fato

    no o mesmo que

    o de direito. O valor

    est embutido no

    servio ou bem.

    Ex: ICMS, IPI, ISS.

  • Progressivo

    O percentual

    aumenta de acordo

    com a capacidade

    econmica do

    contribuinte, por

    meio de alquotas

    diferenciadas.

    Ex: IR; IPTU.

    Regressivo

    No considera o

    poder aquisitivo nem

    a capacidade

    econmica do

    contribuinte.

    Ex.: ICMS, IPI.

    Impostos

  • Impostos Federais

    Impostos

    da

    Unio

    IPI IMPOSTO SOBRE

    PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS

    IR IMPOSTO DE RENDA

    IE IMPOSTO DE EXPORTAO

    II IMPOSTO DE IMPORTAO

    ITR IMPOSTO TERRITORIAL RURAL

    IOF IMPOSTO SOBRE OPERAES

    FINANCEIRAS

    IGF IMPOSTO SOBRE GRANDES

    FORTUNAS

  • IMPOSTOS

    DOS

    ESTADOS E

    DO DISTRITO

    FEDERAL

    ICMS Imposto sobre Circulao de

    Mercadorias e prestaes de Servio

    de transporte interestadual e

    intermunicipal e de comunicao

    IPVA Imposto sobre a Propriedade de

    Veculos Automotores

    ITCD Imposto sobre Transmisso

    Causa Mortis e Doao de quaisquer

    bens ou direitos

    Impostos Estaduais

  • IMPOSTOS

    DOS

    MUNICPIOS E

    DO DISTRITO

    FEDERAL

    IPTU Imposto sobre a Propriedade

    Predial e Territorial Urbana

    ISS Imposto Sobre Servios

    ITBI - Imposto sobre a Transmisso de

    Bens Inter Vivos

    Impostos Municipais

  • Taxas

    .

    A taxa tem por fato gerador o exerccio

    regular do poder de polcia ou a

    utilizao, efetiva ou potencial, de servio

    pblico especfico e divisvel, prestado ao

    contribuinte ou posto sua disposio.

    (CTN, art. 77).

  • Taxas

    Taxas de fiscalizao:

    decorrem do exerccio do poder de polcia

    pelo ente estatal. Ex: taxa de publicidade,

    taxa de licena para construo; taxa de

    fiscalizao ambiental.

    Taxas de servios:

    tm como fato gerador a utilizao de

    determinados servios pblicos. Ex: taxa de

    emisso de passaporte, taxa de coleta lixo.

  • .

    Contribuio de Melhoria

    instituda para fazer face ao custo de

    obras pblicas de que decorra

    valorizao imobiliria, tendo como

    limite total a despesa realizada e como

    limite individual o valor que da obra

    resultar para cada imvel beneficiado.

    (art. 145, III, CF/88)

  • Contribuio Social

    a fonte de financiamento do sistema de

    seguridade social, responsvel pelos servios

    prestados pelo Estado em decorrncia dos direitos

    sociais presentes no texto constitucional (CF, art.

    194 - 195).

    No conceito de seguridade social esto

    compreendidas as previdncias sociais, a

    assistncia sade e a assistncia social.

    Ex. Previdenciria, PIS, PASEP, COFINS.

  • Contribuies institudas no interesse de

Recommended

View more >