SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA

Download SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA - SEA

Post on 11-Jan-2017

209 views

Category:

Education

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • II ENCONTRO DE FORMAODE ORIENTADORES DE ESTUDOSE COORDENADORES

    Equipe de Formao - UFRN

    Novembro/2016

  • O que as crianas precisam aprender para que consigam se alfabetizar ler e escrever?Elas precisam:Conhecer e valorizar a cultura escrita - os textos escritos que circulam na sociedade - para que servem, onde esto, como so...Compreender como funciona nosso SISTEMA DE ESCRITA ALFABTICO - se apropriar do Sistema de Escrita Alfabtico Aprender e desenvolver conceitos e procedimentos necessrios leitura (o que ler, o que se l, para que se l, como se l);Aprender a produzir textos escritosDesenvolver a oralidade aprender a produzir textos orais

    O ensino precisa proporcionar tudo isso!E a avaliao parte desse processo.

  • Apropriao do Sistema de Escrita Alfabtico

    O que preciso aprender?

    Como possvel ensinar?

    Como avaliar se a criana est se apropriando do sistema de escrita alfabtico?

    Como o professor pode ajud-la a avanar?

  • Retomar conceitos importantes para compreenso do trabalho do professor alfabetizador com o eixo Apropriao do Sistema de Escrita Alfabtica; Analisar diferentes alternativas didticas para o ensino e aprendizagem do Sistema de Escrita Alfabtica; Elaborar atividades que contribuam para o processo de apropriao do Sistema de Escrita Alfabtica pela criana no Ciclo de Alfabetizao.Objetivos

  • PAUTA 9/11/2016 (Quarta-feira - manh)

    Exposio dialogada - retomada de conceitos importantes;

    2. Anlise de atividades;

    3. Produo e apresentao de atividades de ensino e de avaliao.

  • Retomando:

    A lngua escrita no apenas um cdigo de transcrio da lngua oral.

    A escrita um sistema de representao um modo que os homens inventaram para simbolizar significados e produzir sentidos.

    A escrita uma linguagem um modo de os homens produzirem sentidos, dizerem coisas uns aos outros, registrarem informaes, produzirem TEXTOS escritos.

  • A escrita alfabtica como sistema de representao

    A nossa escrita representa/nota os segmentos sonoros da fala as partes orais das palavras.Sua aprendizagem implica um processo cognitivo e conceitual:

    O que a escrita?O que a escrita representa/nota? As caractersticas dos objetos que a palavra substitui (os significados das palavras) ou a sequncia de partes sonoras da palavra?Como a escrita representa/nota os sons da fala? Colocando letras conforme os pedaos sonoros da palavra que pronunciamos colocando uma letra (no para cada slaba), mas colocando letras para os sons pequenininhos que formam as slabas orais os fonemas.

    *

  • Implicaes na ao mediadora de quem ensina a escrita como uma representao da linguagem.

    Evidncia OU nfase na descoberta, por parte do aprendiz, das ideias que envolvem a natureza do nosso sistema de escrita: sua natureza alfabtica.

    O que a escrita?

    Marcas que no podem ser inventadas, que tm repertrio finito e que so diferentes de nmeros e de outros smbolos.

    O que que as letras notam (isto , o que as letras grafam/registram): a sequncia de partes sonoras da palavra.

    Como as letras criam notaes (ou palavras escritas)?

    Uma letra para cada FONEMA partes de sons pequenininhos que formam as slabas orais as menores unidades de som das palavras.

  • Em outras escritas que no so alfabticas, essa representao diferentePor exemplo, em japons, h sistemas de escrita em que, cada grafema (letras) representa o som de uma slaba inteira. Assim, eles tm, em vez de um alfabeto, silabrios, como podemos ver a seguir:

  • Assim, preciso criar situaes (atividades) em que as crianas possam compreender:Que a escrita uma representao que onde h escritos, algo est sendo dito algo est representado.

    Que a nossa escrita representa os sons das palavras

    Que na nossa escrita essa representao se faz grafando o som de cada fonema.

    Na construo dessas ideias, os aprendizes atravessam fases/perodos em que tm ideias diferentes sobre o que a escrita e como se escreve: as hipteses de escrita, descritas por Emlia Ferreiro e Ana Teberosky.

  • O que so e quais so os nveis de escrita do processo de alfabetizao?

    Ferreiro e Teberosky (1986), em seus estudos, evidenciaram que as crianas no perodo de alfabetizao, buscam entender as escritas sua volta e, se so desafiadas, buscam responder aos desafios que encontram de acordo com hipteses (ideias) por elas formuladas sobre o que a escrita e como se escreve.

    Essas hipteses dependem das situaes que tm para pensar em como se escreve (que criam conflitos cognitivos). Elas podem ser explicitadas em nveis e subnveis:

  • Pr-silbica ideia/hiptese em que o aprendiz NO faz relao da escrita com o som das palavras. Perodo em que a criana produz: 1. Escritas com grafismos primitivos, pseudoletras. De incio, so escritas indiferenciadas sem preocupao com a qualidade dos grafemas podem repetir o mesmo.

    2. Escritas diferenciadas - com letras, com controle de quantidade e de qualidade (dentro de cada palavra ela no repete o mesmo grafema).(diferenciao intrafigural).

  • Ainda com hiptese pr-silbica sem relao com o som das palavras..Escritas com diferenciao interfigural

    A criana j no aceita que se possa escrever a mesma sequncia de grafias para palavras diferentes. Assim, escreve se preocupando em diferenciar os escritos entre si:

    brigadeiro JALRIH bolo HIJRMrefrigerante MAIRHpastel HRIMAbala RNLHA

  • At que, por meio de mediaes/intervenes pedaggicas, a criana consegue perceber

    o que a escrita representa: a relao entre a escrita e o som das palavras.

    Ela passa a ter outra ideia sobre como se escreve. Ela passa a escrever pensando no som das palavras.

    E presta ateno ao som das slabas, que so mais aparentes.

  • Hiptese silbica: essa hiptese marcada pela percepo da relao existente entre a fala e a escrita. Em alguns momentos a letra associada slaba escolhida de forma aleatria, quando s a percepo da correspondncia quantitativa (silbico sem valor sonoro representa s a quantidade de slabas).

  • Hiptese Silbica:Mais tarde, COM MEDIAOES, a criana j relaciona cada slaba pronunciada a uma vogal ou consoante pertencente palavra (escrita silbica com valor sonoro preocupao com a qualidade dos sons).

  • Fase com escritas silbico-alfabticas: fase de transio (no uma hiptese) entre a hiptese silbica e a hiptese alfabtica. Nessa fase as crianas fazem o acrscimo de algumas letras ao representar uma mesma slaba, pois percebem que nem sempre uma nica letra pode dar conta de notar/grafar os diferentes sons que j percebe que existem dentro de uma slaba ora percebe, ora, no.

  • Hiptese Alfabtica: nessa fase, dependendo das mediaes, a criana consegue perceber que, para escrever a palavra, ela precisa analisar os sons que compem cada slaba e representar cada um descobrem que as slabas podem ser formadas por mais de um nico som e que cada um precisa ser representado por uma ou mais letras. Ela conseguiu entender como nossa escrita funciona como se faz para representar os sons das palavras. Que preciso grafar/representar cada som menorzinho que h nas slabas os FONEMAS.

  • O que a apropriao do SEA envolve?:

    Leal e Morais (2010) e Morais (2012) elaboraram uma lista das propriedades do SEA que o aprendiz tem que construir, apresentados na pgina 10 do caderno da unidade 3 ano 1, 2013 (obs.: essa lista est em todos os cadernos da unidade 3).Como alfabetizadores, se conhecemos tais propriedades, podemos criar situaes e tarefas desafiadoras, que ajudem a criana a dominar cada um das 10 propriedades listadas.

  • Entender como o Sistema de Escrita Alfabtica (SEA) funciona se faz necessrio, dentre outras coisas, descobrir que: ( Caderno 01, ano 01, 2013, p.21)

    Se escreve comletras, que no podem ser inventadas, que tm um repertrio finito e que so diferentes de nmeros e outros smbolos;As letras tm formatos fixos e pequenas variaes produzem mudanas na identidade das mesmas (p, q, b, d), embora uma letra assuma formatos variados (P, p, P, p);A ordem das letras definidora da palavra e, juntas, configuram-na, e uma letra pode se repetir no interior deuma palavra e em diferentes palavras;Nem todas as letras podem vir juntas de outras e nem todas podem ocupar certas posies no interior das palavras;e) As letras notama pauta sonora e no as caractersticas fsicas ou funcionais dos referentes que substituem;f) Todas as slabas do portugus contm uma vogal;g) As slabas podem variar quanto s combinaes entreconsoantes, vogaise semivogais (CV, CCV, CVSv, CSvV, V, CCVCC...), mas a estrutura predominante a CV (consoante-vogal); h) as letras notam segmentos sonoros menores que as slabas orais que pronunciamos;i) As letras tm valores sonoros fixos, apesar de muitas terem maisde um valor sonoro e certos sons poderem ser notados com maisde uma letra. (p. 35-36)

  • O percurso que as crianas vivem, para poder compreender o SEA depende das mediaes, das situaes de ensino, de ajuda e desafio que tm em suas vidas.

    preciso criar situaes em que as crianas possam experimentar escrever como pensam que se escreve, ao mesmo tempo em que preciso question-las para que digam porque esto escrevendo dessa forma.

    Dessa forma, poderemos diagnosticar em que nvel de compreenso do nosso sistema alfabtico cada menino ou menina se encontra e poderemos ajuda-los a avanar.

  • Anlise de escritas de crianas em processo de alfabetizaoReconhecer os conhecimentos que os alunos j construram ou no sobre a escrita alfabtica.

    Refletir acerca das possibilidades de interveno didtica junto ao aluno visando sua compreenso sobre o SEA.

    Planejar situaes didticas que impulsione a r

Recommended

View more >