sistema complemento

Download Sistema Complemento

Post on 13-Jul-2016

5 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Sistema complemento

TRANSCRIPT

  • SISTEMA COMPLEMENTO

    Principal sistema de defesa inata

  • Pontos chaves:

    Funo na imunidade inata e adquirida;

    So encontrados no soro;

    Ativados por 3 vias:

    2 inatas (via alternativa e lectinas);

    1 adaptativa (via clssica);

  • O que ?

    uma complexa rede de interaes, que interage

    com protenas de reconhecimento, padres,

    proteases, protenas sricas, receptores e

    reguladores do organismo animal;

    composto por protenas de membrana plasmtica e solveis no

    sangue e participam das defesas inatas (natural) e adquiridas

    (memria). Essas protenas reagem entre elas para opsonizar os

    patgenos e induzir uma srie de respostas inflamatrias que

    auxiliam no combate infeco.

  • Vias inatas e adaptativa

    Via inata: Ativadas pelo padro molecular

    associado a patgenos PAMPs;

    Via adaptativa: Clssica: ativada por AC ligados a

    antgenos estranhos;

    C3

    Se liga a MO e

    opsonizam

    Podem abrir

    orifcios

    Estimulam a

    inflamao

  • Funes do SC:

    Proteger contra infeces;

    Regular processos inflamatrios;

    Remover clulas danificadas/alteradas;

    Enviar sinais de perigo = regular atividade imune

    adaptativa;

  • SC envolvido com:

    Remoo de imunocomplexos;

    Angiognese;

    Mobilizao de clulas tronco;

    Regenerao tecidual;

    Metabolismo de lipdeos;

    Atividade inapropriada = DOENA AUTO IMUNE

  • Como ativado?

    Protenas do SC fazem com que molculas se ligem covalentemente superfcie de MO = DESTRUINDO-OS;

    Ativados por PAMPs na superfcie do MO;

    Ps ativao:

    SC produz mltiplas molculas efetoras;

    Protenas chave gerada C3b;

    Objetivo montar um complexo terminal;

  • Ativao ocorre por 3 mecanismos

    Via alternativa;

    Via das lectinas;

    Via clssica;

    Diretamente por carboidratos dos

    MO = imunidade inata

    Evolutivamente + recente: ativada

    por AC ligados a superfcie de um

    MO

  • Protenas do SC: + de 30

    Algumas livres no soro, outras na superfcie celular;

    5 a 10 % das protenas do soro;

    Sintetizadas em mltiplos locais;

    C3, C6, C8 e B = fgado;

    C2, C3, C4, C5, B, D, P, I = macrfagos

  • Via alternativa: + antiga

    SC interage com a parede dos MOs;

    Protenas + importante = C3 = Aumenta [] no soro;

    Sintetizada pelas clulas hepticas e macrfagos;

    Quando se liga ao MO = marca para morrer;

    cido silico ajuda (MO no tem);

    Responsvel por 80 a 90% de toda ativao da

    cascata do sistema complemento;

  • Via alternativa

    C3: C3a e C3b;

    C3b (se liga irreversivelmente a carboidratos do MO);

    C3b (expe stios de ligao para ptnas FATOR H);

    Fator I (protease que degrada C3b = bloqueia a atv;

    em indivduos saudveis C3b destrudo = ricos em

    cido silico);

    MO no tem cido silico, C3b se deposita (fator H

    no pode se ligar, fator I inativado = ligao C3b

    persiste);

    C3b = expe ligaes para outras ptnas do SC!!!!

  • Protenas: FATOR B, D e P

    C3b = FATOR B = complexo C3bB = clivado por uma

    protease FATOR D = Ba e Bb (libera Ba e deixa aderido a

    superfcie do MO o C3bBb (chamado de C3 convertase

    da via alternativa = tb gera mais C3b) (instvel 5 min);

    C3bBb = se liga a FATOR P (properdina); C3bBbP (30 min);

    Esse processo chamado de ala de amplificao, pois o

    C3bBbP gera grandes quantidade de C3b, e C3b gera mais

    C3bBbP;

    Maior a [] de C3b ligadas irreversivelmente ao MO !

  • VIA DA LECTINA = INATA = PAMPs

    So molculas de reconhecimento de padres

    solveis que reconhecem carboidratos microbianos;

    Lectina ligante da manose MBL e as ficolinas (se

    ligam a bactrias, fungos, protozorios e vrus; No

    se liga a clulas de mamferos);

    LECTINA = MO = ativa PROTEASES = ativam SC;

    Proteases: MASP-2 (serina protease srica), age em

    C4 (C4a e C4b);

  • C4b se liga a MO + C2 (clivada pela MASP-2 em C2 a e C2b) = C4b2a (protease); principal 1 pode gerar 200 C3b;

    C4b2a quebra C3 (C3a e C3b) = C4b2a3b

    C4b2a3b: uma C3/C5 convertase (C5a e C5b) da via da lectina e tb da via clssica;

    https://www.youtube.com/watch?v=u-oC721_wWA&feature=iv&src_vid=7dWLqNDYQd0&annotation_id=annotation_267206

  • Interessante

    A via MBL-MASP-2 tem 300 milhes de anos!

  • VIA CLSSICA

    Ativada por grupos e molculas de AC na superfcie de um MO estranho = RESPOSTA IMUNE ADPTATIVA!

    Resposta de ativao: 7 a 10 dias (tempo da produo de AC);

    1x ativado muito eficaz!

    AC + ANTGENOS

    = expe stios ativos da regio Fc

    Complexo protico C1 (C1q, C1r e C1s);

    C1q: se liga a clulas apoptticas, necrticas,

    protenas da matriz extracelular, pentraxinas, CRP,

    amilide, prons e DNA

  • C1 pode ser ativado diretamente por vrus e bactrias: E. coli, Klebsiella pneumoniae, protena C reativa e pentraxinas;

    C1s ativado cliva C4 (C4a e C4b) e C2 (C2a e C2b) = C4b2a = C3 (C3a e C3b) = C4b2a3b = ativa C5 (leva a formao do complexo terminal do complemento = morte do MO)

    C4b2a3b uma C3/C5 convertase (C5a e C5b) da via da lectina e tb da via clssica

  • https://www.youtube.com/watch?v=knoXg8DWA-

    Q&feature=iv&src_vid=7dWLqNDYQd0&annotati

    on_id=annotation_387716

  • C5 (C5a e C5b);

    C5a/C3a: importante efeito pr-inflamatrio;

    C5b/C3b: expes stios que podem se ligar a C6 e C7 = formam multicomplexos = C5b67 = insere na parede do MO = liga-se C8 = 12 a 18 molculas de C9 se agregam = C5b678 = COMPLEXO TERMINAL DO COMPLEMENTO (TCC) ou COMPLEXO DE ATAQUE A MEMBRANA (MAC);

    TCC/MAC: orifcios = MORTE = LISE OSMTICA/OPSONIZAO

  • https://www.youtube.com/watch?v=9qdUoQxeuzw

    &feature=iv&src_vid=knoXg8DWA-

    Q&annotation_id=annotation_366581

  • https://www.youtube.com/watch?v=VUjhLPY6khY