sigilo bancário

Download Sigilo bancário

Post on 12-Oct-2015

37 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    NDICE

    Introduo .6

    Objectivo ...7

    Metodologia e Mtodo . 7

    1. Fundamentao do Sigilo Bancrio....... 9

    1.1 Teoria Contratualista 10

    1.2 Teoria Consuetudinria 11

    1.3 O Direito Reserva da Intimidade da Vida Privada .11

    1.4 Teoria do Segredo Profissional 13

    1.5 Teoria da Responsabilidade Civil .15

    1.6 Teoria da Boa F ...16

    1.7 Teoria Legal...16

    2. Enquadramento Histrico17

    2.1 Antiguidade...17

    2.2 Idade Mdia...19

    2.3 Fase Capitalista..20

    2.4 Pleno SC. XX...21

    3. O Sigilo Bancrio em Portugal e a Sua Evoluo22

    3.1 Noo de Segredo Bancrio...22

    3.2 Titulares de Direito.25

    3.3 Sujeitos de Dever27

    3.4 Objecto...28

    3.5 Tribunal Constitucional e a Tutela da Privacidade: Acrdo do Tribunal

    Constitucional...29

    4. Sigilo Bancrio no Direito Comparado32

    4.1 Modelo Anglo-Saxnico32

    4.2 Modelo Continental Europeu.34

    4.2.1 Frana..34

    4.2.2 Itlia.35

    4.2.3 Alemanha.36

  • 2

    4.2.4 Blgica e Luxemburgo36

    4.2.5 Modelo Suo..36

    4.2.6 Lbano..37

    4.2.7 Unio Europeia38

    5. Branqueamento de Capitais..39

    5.1 Conceito..39

    5.2 Dever de Identificao42

    5.3 Dever de Recusa.42

    5.4 Dever de Conservao43

    5.5 Dever de Exame.43

    5.6 Dever de Comunicao/ Dever de Segredo44

    5.7 Dever de Absteno44

    5.8 Dever de Colaborao /Dever de Controlo44

    5.9 Colocao...45

    5.10 Diversificao...45

    5.11 Integrao.45

    6. A violao do Sigilo Bancrio .46

    6.1 O Sigilo Bancrio e a Tutela Constitucional..46

    6.2 A Derrogao do Sigilo Bancrio como Restrio dos Direitos Fundamentais.47

    6.3 Princpio da Proporcionalidade e a Derrogao do Segredo Bancrio..49

    7. Sigilo Bancrio e o Direito Fiscal51

    7.1 Antigo Regime...51

    7.2 Novo Regime..52

    8. O Sigilo Bancrio e o Direito Penal.56

    8.1 Tipicidade...56

    8.2 Ilicitude...56

    8.3 Culpabilidade..57

    9. Sigilo Bancrio e o Direito Processual Civil59

    10. Parasos Fiscais...63

  • 3

    10.1 Caractersticas Gerais dos Parasos Fiscais..63

    10.1.1 Impostos Baixos ou Inexistentes...63

    10.1.2 Estabilidade Poltica .63

    10.1.3 Segredo Bancrio..63

    10.1.4 Controlo Cambial..64

    10.1.5 Acordos de Dupla Tributao64

    10.1.6 Constituio de Sociedades...64

    10.1.7 Diversidade de Produtos Fiscais64

    10.1.8 Logstica ...64

    10.2 Medidas de Combate aos Parasos Fiscais..65

    10.3 Direito Portugus.66

    11. Aplicao de Questionrio O que o senso comum parece saber sobre sigilo bancrio69

    Concluso.79

    Referncias Bibliogrficas...81

    Anexos..................................................................................................................................84

  • 4

    INDCE DE GRFICOS

    Grfico I - Gnero . ...69

    Grfico II - Habilitaes literrias ....69

    Grfico III - Idade ...70

    Grfico IV - Quadro resumo de todos os indivduos .....70

    Grfico V Questo 1. Conhece o conceito sigilo/segredo bancrio ? .....71

    Grfico VI Questo 2. Considera essencial a existncia do sigilo/segredo bancrio como

    forma de proteger as informaes privadas dos clientes? ...72

    Grfico VII Questo 3. Concorda com o facto de todos os trabalhadores na rea da banca

    terem acesso s informaes dos clientes? ...73

    Grfico VIII Questo 4. Quem pode aceder directamente s contas do cliente sem o seu

    consentimento e sem autorizao judicial? ....74

    Grfico IX Questo 5. Concorda com o princpio do significado segredo bancrio .76

  • 5

    LISTA DE ABREVIATURAS

    Ac Acrdo

    AR Assembleia da Repblica

    AT Administrao Tributria

    BP Banco de Portugal

    CE - Comunidade Europeia

    CC Cdigo Civil

    CPA Cdigo do Procedimento Administrativo

    CPTA Cdigo de Processo nos Tribunais Administrativos

    CPPT Cdigo de Procedimento e Processo Tributrio

    CP Cdigo Penal

    CRP Constituio da Repblica Portuguesa

    DL Decreto-Lei

    DGI Direco Geral dos Impostos

    DR Dirio da Repblica

    GAFI Grupo Aco Financeira

    IRC Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas

    IRS Imposto sobre os Rendimento das Pessoas Singulares

    LB Lei bancria

    LGT Lei Geral Tributria

    OCDE Organizao de Cooperao e Desenvolvimento Econmico

    RGIT Regime Geral das Infraces Tributrias

    TC Tribunal Constitucional

    WEB World Wide Web

  • 6

    INTRODUO

    A questo sigilo bancrio estimula algumas divergncias tanto na doutrina como na

    jurisprudncia. O simples mencionar do conceito sigilo provoca reaces pela parte dos

    defensores dos direitos fundamentais como aqueles que defendem o levantamento do sigilo

    por qualquer razo.

    A relevncia do tema escolhido prende-se com o desenvolvimento da globalizao, o

    incremento das actividades comerciais e de servios na sociedade actual onde se

    desenvolveu a necessidade de criar relaes econmicas e sociais.

    O incremento das actividades comerciais e de servios, na sociedade moderna desenvolveu

    a necessidade de criar diversas relaes econmicas e sociais. Este novo enredo de relaes

    que se domina globalizao, levou abertura de novas fronteiras, modificou costumes,

    criou novos mercados, novas tecnologias e novas transaces comerciais obrigando a

    repensar todo o sistema capitalista, contribuindo para uma nova ideia individualizada de

    lucro.

    Com a abertura de novos mercados e um novo sistema baseado no capitalismo associado

    aos pases desenvolvidos, cresce a situao de pobreza nos pases perifricos com

    consequncias de desigualdade enormes, desde uma deficincia a nvel de educao, de

    sade, e com o aumento da criminalidade acrescendo, deste modo, a uma desigualdade

    social entre as populaes.

    Com efeito, a globalizao proporciona para alm dos aspectos positivos, vrios negativos,

    levando a que o capitalismo financeiro sofresse um processo de adaptao face a todas

    estas inovaes. A circulao de dinheiro, quer material quer virtual criou um misto de

    instabilidade e insegurana comprometendo os investimentos feitos em pases perifricos,

    levando as economias dos pases pudessem sofrer oscilaes.

    Neste contexto de globalizao, onde se gera fluxos de informao, de dinheiros e outros

    bens ilcitos indispensvel que a proteco dos indivduos seja assegurada, mais

    especificamente o sigilo bancrio, de forma a minimizar os riscos da actual configurao

    mundial.

    Neste sentido, e dada a discusso a que este assunto se prope, torna-se necessrio saber o

    que decorre da sua necessidade e o seu impacto na sociedade. Assim, atravs da utilizao

  • 7

    de um questionrio para anlise, pretende-se demonstrar o conhecimento que os cidados

    tm sobre o assunto com a finalidade de identificar novos factores que possam ser

    utilizados para um aumento do interesse do tema para os cidados e, como consequncia,

    para o poder poltico.

    OBJECTIVO

    O objectivo deste estudo examinar o princpio do sigilo bancrio luz do direito

    portugus tanto a nvel constitucional como a nvel fiscal, passando por outras vertentes

    como o caso do direito penal, identificando os seus problemas e as implicaes da sua

    quebra dentro dos limites impostos pela lei e no que respeita aos direitos fundamentais.

    METODOLOGIA E MTODO

    A pesquisa realizada, quanto aos objectivos propostos, foi do tipo descritivo sobre o tema

    sigilo bancrio, a fundamentao e a compatibilidade com os direitos fundamentais.

    Quanto aos procedimentos foi a nvel bibliogrfico possibilitando uma anlise histrica

    evolutiva e a sua panormica no direito comparado. A nvel prtico foi realizado um

    questionrio para retirar as concluses sobre o conhecimento que os cidados tm do tema.

    De seguida, dado o fundamento do sigilo bancrio bem como a sua vertente histrica.

    Aps, aborda-se a questo do sigilo bancrio e a sua evoluo em Portugal, bem como uma

    anlise do segredo no direito comparado.

    Em prosseguimento trata-se do tema de branqueamento de capitais uma vez que se assiste

    a uma evoluo normativa a nvel comunitrio que tem como finalidade a degradao do

    segredo bancrio na prossecuo de actividades criminais, bem como tributrias.

    Passa-se a uma abordagem constitucional, fiscal, penal e de responsabilidade civil sobre a

    violao do sigilo bancrio.

    A considerar o tema dos parasos fiscais que contribuem para o segredo bancrio e em

    consequncia utilizado em actividades consideradas ilegtimas, como o caso das

    actividades criminais e evaso fiscal dentro da actividade bancria.

  • 8

    Por ltimo, faz-se uma anlise a um questionrio realizado sobre o que os cidados sabem

    e pensam do sigilo bancrio, procurando oferecer uma viso actual do segredo e como se

    encontra o assunto.

    As fontes de pesquisa utilizadas foram a Constituio da Repblica Portuguesa, Cdigo

    Civil, Cdigo Penal, Lei Geral Tributria, outras legislaes especficas, livros da doutrina,

    acrdos dos tribunais, revistas especializadas, artigos, internet entre outros.

  • 9

    1. FUNDAMENTAO DO SIGILO BANCRIO

    Sigilo/Segredo bancrio um tema com imensas teorias e que cada vez mais se assiste a

    discusses doutrinrias para melhor disciplinar em matria legal.

    Numa nova cultura de informao e comunicao, onde cada vez mais

    os m

Recommended

View more >