SÉRIE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA Ergonomia Anexo II - NR 17 ERGONOMIA Anexo II – NR 17 (Teleatendimento)

Download SÉRIE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA Ergonomia Anexo II - NR 17 ERGONOMIA Anexo II – NR 17 (Teleatendimento)

Post on 18-Apr-2015

156 views

Category:

Documents

10 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • SRIE SADE E QUALIDADE DE VIDA Ergonomia Anexo II - NR 17 ERGONOMIA Anexo II NR 17 (Teleatendimento)
  • Slide 2
  • 17.1 Esta Norma Regulamentadora visa estabelecer parmetros que permitam a adaptao das condies de trabalho s caractersticas psicofisiolgicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um mximo de CONFORTO, SEGURANA e DESEMPENHO EFICIENTE. Norma Regulamentadora 17 Ergonomia
  • Slide 3
  • Conforme NR17: 17.3 Mobilirio dos postos de trabalho 17.4 Equipamentos dos postos de trabalho 17.5 Condies ambientais de trabalho. Melhoria do posto de trabalho condizente tarefa executada e caractersticas fsicas do usurio. Espao adequado para livre movimentao do operador e colocao da cadeira, a fim de permitir a alternncia da postura. Realizar atividade fsica (alongamentos, caminhadas...). Para as atividades em que devam ser realizadas de p, devem ser colocados assentos para descanso em locais em que possam ser utilizados por todos os trabalhadores durante as pausas (17.3.5). Norma Regulamentadora 17 Norma Regulamentadora 17
  • Slide 4
  • 17.6 - Melhorias na Organizao do trabalho como: -Previso de pessoas para apoio ou substituio, quando necessrio -Respeito jornada de trabalho e perodos de descanso - Previso de pausas durante a jornada de trabalho - Redimensionamento da equipe de trabalho -Organizao do trabalho que favorea: respeito s pausas, s jornada de trabalho da categoria, adequao de metas, etc. Norma Regulamentadora 17 Norma Regulamentadora 17
  • Slide 5
  • Teleatendimento/telemarketing Entende-se como trabalho de teleatendimento/telemarketing aquele cuja comunicao com interlocutores clientes e usurios realizada distncia por intermdio da voz e/ou mensagens eletrnicas, com a utilizao simultnea de equipamentos de audio/escuta e fala telefnica e sistemas informatizados ou manuais de processamento de dados.
  • Slide 6
  • O que diz o Anexo II da NR-17? Capacitao: obrigatrio o treinamento sobre os riscos da atividade e medidas de preveno. Deve ter: No mnimo, quatro horas (4) na admisso. Reciclagem a cada 6 meses. Palestras sobre: Ergonomia Geral (Ergonomista) Sade vocal e auditiva (Fonoaudilogo (a) DORT, sade da Viso e Sade mental (Mdico(a) /Enfermeiro (a))
  • Slide 7
  • Destaques do Anexo II Produtividade: Os sistemas de monitoramento no podem ser usados para acelerao do trabalho e, quando existirem, devem apenas estar disponveis para consulta dos operadores. Banheiro: Os operadores podem sair de postos a qualquer momento para satisfazer suas necessidades fisiolgicas, sem repercusso sobre avaliaes e remuneraes. Pausas: Para jornadas de 6h, alm do intervalo de 20 minutos para alimentao e repouso, devem ser concedidas duas pausas de 10 minutos contnuos. Para jornada de 4h, deve ser concedida uma pausa de 10 minutos.
  • Slide 8
  • Destaques do Anexo II Ambiente: deve existir local para lanche, ambiente adequado para descanso durante as pausas e armrios individuais com chave. Head sets: os conjuntos de microfone e fone de ouvido devem ser individuais e permitir o controle de volume e a alternncia entre orelhas. Cada posio de atendimento pode ter um nico head set, desde que as partes que permitem qualquer espcie de contgio ou risco sade sejam de uso individual.
  • Slide 9
  • Destaques do Anexo II Ar condicionado: como preveno "Sndrome do Edifcio Doente" obrigatrio o controle dos sistemas de climatizao, conforme normas do Ministrio da Sade e da ANVISA. A temperatura no ambiente pode variar entre 20C e 23C. PPDs: os mobilirios devem ser adaptados para atender as necessidades de portadores de necessidades especiais, assim como o acesso s instalaes, aos sanitrios e a outros equipamentos. A portaria, que aprova o Anexo II da NR-17, a de n 09/2007, tendo a mesma sido publicada no Dirio Oficial da Unio em 02 de abril de 2007.
  • Slide 10
  • Curiosidade Dia 10 de maro de 1876, foi considerada a data histrica do nascimento do telefone. Primeiro telefone: Criado por Alexander Graham Bell.
  • Slide 11
  • Curiosidade Primeiro telefone do Brasil (1877)
  • Slide 12
  • Curiosidade Era das telefonistas (inicio do sec. XX) - As telefonistas atendiam os assinantes com a seguinte frase: nmero por favor...
  • Slide 13
  • ERGONOMIA Em sua atividade de trabalho o ser humano interage com os diversos componentes do sistema de trabalho: com os equipamentos, instrumentos e mobilirios, formando interfaces sensoriais, energticas e posturais, com a organizao e o ambiente formando interfaces ambientais, cognitivas e organizacionais.
  • Slide 14
  • -Para jornadas de 6h, alm do intervalo de 20 minutos para alimentao e repouso, devem ser concedidas duas pausas de 10 minutos contnuos. -Para jornada de 4h, deve ser concedida uma pausa de 10 minutos. Pausas
  • Slide 15
  • Pausas Pausas para recuperao da fadiga fsica e mental.
  • Slide 16
  • Posturas corporais incmodas Uso de Fora excessiva Repetio de movimentos Fatrores de Riscos Biomecnicos
  • Slide 17
  • Mesas de trabalho: deve ter espao suficiente para acomodar as ferramentas de trabalho, necessrias tarefa e permitir posturas confortveis ao usurio. Cadeiras: estofadas, ter bordas arredondadas, cinco ps de apoio com rodzios, regulagens para a posio do contorno e altura do assento permitindo o correto apoio dos ps no cho.
  • Slide 18
  • Idade Gnero (Masculino, feminino) Estado Civil Escolaridade Atividade Fsica Estilo de Vida (tabagismo, sedentarismo, etc) Antropometria (medidas do corpo humano) Aspectos psicossociais: percepo de sobrecarga, trabalhos montonos, etc. Fatores de Riscos Pessoais
  • Slide 19
  • Define-se LER (Leso por Esforo Repetitivo) ou DORT (Distrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) como sndrome relacionada ao trabalho, que resulta da sobrecarga e falta de tempo de recuperao do sistema osteomuscular. O desenvolvimento das LER/DORT multicausal e os fatores de risco so diversos: - gestos, posturas e movimentos usados durante o trabalho -repetio de movimentos do mesmo grupo muscular -ritmo do trabalho -fora usada nos movimentos -vibrao e -temperatura. LER/DORT LER/DORT
  • Slide 20
  • Alguns sinais: Fadiga muscular Dores Formigamentos Fisgadas Sensao de peso e cansao no membro afetado Choques Perda da fora e do reflexo Inchao, avermelhamento da pele e dormncia. LER/DORT LER/DORT
  • Slide 21
  • Fatores ligados ao ambiente fsico da tarefa - Sobrecarga muscular esttica e dinmica (posturas foradas) - Mobilirio e equipamentos inadequados - Rudo, Conforto trmico, iluminao, vibrao, etc. Fatores ligados organizao do trabalho - Ritmo e presso de trabalho excessivo - Excesso de jornada - Ausncia de pausas. LER/DORT LER/DORT
  • Slide 22
  • Trabalho Esttico O trabalho esttico causa reduo de sangue nos msculos que: no recebem energia e oxignio utilizam suas prprias reservas h dificuldade de eliminao do cido ltico Resultado: fadiga muscular.
  • Slide 23
  • Trabalho Dinmico Os msculos recebem de 10 a 20 vezes mais sangue do que quando estticos. Resultado: mais sangue para o msculo acar para gerar energia oxignio eliminao de resduos.
  • Slide 24
  • Postura das Mos Manter o pulso na posio neutra, ou seja, mo no prolongamento do brao. Postura Neutra
  • Slide 25
  • Braos/Cotovelos Esta postura causa cansao e tenso nos ombros.
  • Slide 26
  • Cabea/Pescoo Cabea/Pescoo A cabea em flexo ou extenso mais de 20, sobrecarrega o pescoo e propicia desconfortos.
  • Slide 27
  • Coluna Vertebral Coluna Vertebral O tronco em flexo ou extenso mais de 20 sobrecarrega a coluna.
  • Slide 28
  • Coluna -Toro de tronco Coluna - Toro de tronco As posturas torcidas sobrecarregam os discos intervertebrais.
  • Slide 29
  • Alcances Pegar objetos que esto longe do corpo ou acima dos ombros, sobrecarregam a coluna.
  • Slide 30
  • Espao para pernas Sob a mesa/bancada de trabalho deve haver espao para ps e pernas, que permita a mudana de postura.
  • Slide 31
  • Quinas vivas Quinas vivas nas bordas frontais da mesa propiciam compresso dos tecidos moles dos antebraos, diminuindo a circulao sangunea.
  • Slide 32
  • Ler e digitar Os textos para consulta e digitao frequente devem ficar na zona de conforto, para evitar desvios da cabea.
  • Slide 33
  • Altura Posto de trabalho Altura Posto de trabalho Quando o posto de trabalho utilizado por mais de uma pessoa, deve haver condies de regulagens.
  • Slide 34
  • Postura de trabalho sentada Postura de trabalho sentada - Ps no cho ou em suportes - Costas apoiada no encosto da cadeira, principalmente a regio lombar - ngulo perna e coxa = ou + de 90. - ngulo do brao e antebrao = ou + de 90. - Cabea e coluna alinhadas. No se adapta a pessoa ao posto e sim, o posto para a pessoa, respeitando suas caractersticas fsicas.
  • Slide 35
  • Recomendaes Gerais Evitar posturas e movimentos crticos Alternar postura sempre Regular o posto de trabalho conforme sua estatura Adotar pausas para descanso e recuperao da fadiga muscular Evitar levantamento de cargas a partir do solo
  • Slide 36
  • Conforto no Ambiente - Temperatura 20 a 23oC - Iluminao a partir de 500 Lux - Reflexos - Rudo de 65 dB(A)
  • Slide 37
  • Mesa Tampo com bordas arredondadas para evitar compresses mecnicas nos antebraos (contato) Revestimento com material no reflexvel e de cor clara rea til que permita distribuio dos materiais mais utilizados na rea proximal, e os menos utilizados na rea distal Espao suficiente para acomodao do teclado, mouse e apoio dos antebraos Espao suficiente sob a mesa para acomodao das pernas.
  • Slide 38
  • Cadeira Giratria com 05 ps e rodzios Com regulagens de altura no encosto e assento Assento estofado com borda anterior arredondada Boa sustentao para possibilitar condies ideais de movimentao Dimenses adequadas para o uso de pelo menos, 90% dos usurios. Se houver braos, devem ser com regulagem
  • Slide 39
  • Monitor de vdeo Posicionar o monitor de frente para o operador Manter a linha de viso um pouco abaixo da margem superior do monitor A distncia entre o monitor e o operador deve ser equivalente extenso do brao Eliminar os reflexos da iluminao ou de outras fontes como: janelas, pisos e outros.
  • Slide 40
  • Reviso: Conscientizao corporal atravs de exerccios fsicos Apoiar os ps no cho ou em suporte especfico Manter os pulsos na posio neutra Manter cabea e pescoo na posio neutra Manter ombros relaxados Manter braos junto ao corpo Manter a regio lombar apoiada Usar suporte para leitura de documentos Fazer pausas.
  • Slide 41
  • Escutar o corpo Fazer exerccios de alongamento para recuperao da fadiga muscular
  • Slide 42
  • Sade da Viso
  • Slide 43
  • Como funciona o olho humano? A Viso Humana Como funciona o olho humano? A viso um processo biolgico que permite que se perceba o mundo ao seu redor atravs da percepo e interpretao de imagens. atravs da viso que o ser humano capaz de processar e interpretar, em fraes de segundos, inmeros estmulos e imensa quantidade de informaes de luz.
  • Slide 44
  • Viso Humana A Viso Humana Viso A luz atravessa a crnea e penetra por dentro do globo ocular atravs do cristalino. A ris regula a entrada de luz que atravessa a pupila e o cristalino. A retina recebe estes estmulos de luz e os converte em estmulos nervosos que so transmitidos ao crebro atravs do nervo ptico. O movimento de piscar dos olhos responsvel pela distribuio de lgrima na superfcie ocular e contribui para manter a integridade da crnea e conjuntiva. O filme lacrimal protege a superfcie do olho de fatores ambientais e minimiza os danos causados pela exposio da crnea.
  • Slide 45
  • O que causa o uso demasiado do computador? A rotina pode levar ao desconforto visual, cansao nos olhos induzida por condies e sndrome do olho seco funcional, que interferem diretamente na sua qualidade de vida e produtividade. A ausncia do piscar ou uma diminuio da sua frequncia pode levar a ruptura do filme lacrimal e causar desconforto, cansao visual, sensao de ardor, lacrimejamento excessivo, vontade de manter os olhos fechados, a dor, fotofobia, queratite, alteraes visuais e diminuir na capacidade de viso. Obs. Piscamos normalmente 20 vezes por minuto. Em frente ao computador, somente 6 a 7 vezes.
  • Slide 46
  • Viso turva, Viso dupla, Desconforto visual, Sensao de queimao, Sensao de areia, Filme lacrimal transtornos retrobulbar e dor periorbitria, Hiperemia conjuntival, Desconforto lente de contato. Alteraes mais frequentes relatadas: Obs. No h evidncias que o uso prolongado de computador cause danos permanentes a viso, porm a mudana de rotina associado ao desconforto muscular e ocular pode causar diversos prejuzos a sade como os j mencionados.
  • Slide 47
  • O limite superior do monitor de vdeo deve estar posicionado bem em frente aos olhos do usurio, a uma distncia de pelo menos 40 centmetros, para se evitar problemas de vista. ( mais ou menos a distncia do comprimento do seu brao estendido, entre voc e a tela do computador). O tempo de consulta de documentos para digitao deve ser o menor possvel, de modo a evitar movimentos desnecessrios do pescoo. Evitar iluminaes inadequadas tais como: iluminao direta ao operador, baixa iluminao no ambiente de trabalho, monitor em condies que aumente o reflexo sobre a tela (de costas ou de frente para janelas). O que fazer para prevenir os sintomas?
  • Slide 48
  • Mantenha a tela de seu computador sempre limpa, sem marcas de dedos e outras sujeiras. Regular a tela: -Com mais contraste do que intensidade luminosa. -Frequncia de 75 Hz ou mais. O que fazer para prevenir os sintomas?
  • Slide 49
  • Sobre a sade mental e seus problemas
  • Slide 50
  • O que sade mental? Sade mental significa encontrar um equilbrio em todos os aspectos da sua vida fisicamente, mentalmente, emocionalmente e espiritualmente. a capacidade de gozar a vida e lidar com os desafios que encaramos todos os dias mesmo que isso envolva fazer escolhas e tomar decises, adaptar-se e lutar em situaes difceis ou falar sobre seus desejos e necessidades.
  • Slide 51
  • O que sade mental? importante encontrar equilbrio na sua vida de tempos em tempos e numa variedade de situaes. natural sentir-se desequilibrado de vez em quando como, por exemplo, triste, preocupado, assustado ou desconfiado
  • Slide 52
  • O que contribui para os problemas de sade mental? Alguns fatores que podem influenciar: passando por um divrcio ou separao lidando com a mo...

Recommended

View more >