Sequência didática margarida friorenta

Download Sequência didática margarida friorenta

Post on 19-Jun-2015

2.259 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Alm de alfabetizar letras e numerais faz se necessrio alfabetizar as emoes, porque o indivduo um todo.

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. SEQUNCIA DIDTICA Gnero : Literatura Temas: Boa ao, bondade, amizade, carinho, caridade, respeito, afeto, amor s plantas, a dinmica da natureza. Turma a que se destina: 2 ano e 3 Durao da atividade: 2 semanas ou mais Objetivos: Estabelecer a importncia da linguagem visual na comunicao; Despertar e estimular no aluno as virtudes do amor, da justia e da caridade, levando-os compreenso de que as pessoas, afinal, no sobrevivem sem elas; Perceber atravs das atividades vivenciadas a importncia da afetividade sincera na vida de cada ser humano. Incentivar a prtica de leitura de livros de literatura infantil. Desenvolver a linguagem oral, atravs da exposio de ideias sobre a histria. Desenvolver a coordenao motora fina, atravs da confeco de flores de papel e material alternativo (copo descartvel) e dobraduas. Estimular o reconhecimento de atitudes de amizade, companheirismo, afetividade e solidariedade, conquistados atravs de gestos simples. Compreender a sequncia lgica dos fatos relacionados histriae em nmeros. Estar inserido no processo de alfabetizao e letramento. Desenvolver o senso tico. Demonstrar que todo ser vivo, precisa de cuidados especiais e carinho para viver. Identificar seres vivos e no vivos; Experienciar o processo da germinao da semente; Observar que o tempo e a temperatura muda de trs em trs meses e identificar cada uma das estaes do ano; Avaliao: Durante o desenvolvimento do projeto o professor ter a oportunidade de: Avaliar se os alunos compreenderam a sequncia dos fatos ocorridos na histria. Analisar a coerncia, coeso e evoluo da escrita do aluno ao reproduzir o final da histria. Observar a participao das crianas durante o trabalho em grupo. </li></ul> <p> 2. Registrar as dificuldades ortogrficas apresentadas pelos alunos ao produzirem palavras. Perceber os sentimentos expostos pelos alunos para que sejam trabalhados posteriormente. Referncias: Outras referrencias para a estratgia: *ALMEIDA,Fernanda Lopes.A Margarida Friorenta.So Paulo:tica,2007 SISTEMATIZAO METACOGNITIVA E METALINGUSTICA: Ateli das Letras Apresentar o Livro; Contar a histria com personagens (margarida, borboleta, cachorro, boneca e caixa da sapato; Passar a histria no datashow; Interpretao oral da histria; Identificar no texto o que : seres vivos (cachorro, planta, menina, borboleta) no vivos (boneca, caixa, roupas) Sentimentos (amizade, compaixo, ajuda, solidariedade, recompensa) Oralidade sobre valores; fatores climticos (frio, calor, dia e noite) Estaes do ano-vestir a Margarida de acordo com cada estao; Plantio, observao e registro da germinao em garrafas pet; Representao de expresses faciais de diversos sentimentos; 3. Escrever caractersticas nas ptalas e colocar na gua com msica de fundo; Amigo oculto; Sequncia da histria; Histria em quadrinhos; Produo textual; Liste o que voc colou para compor seu quarto; Ateli das Artes Msica: A Margarida; Harmonizao: Msica sons da natureza; Brincadeira de roda: A Margarida; Dobradura da Margarida; Desenho livre sobre a Histria; Escolher uma prenda para o colega e depois informa-se que pra si prprio e no para o amigo; Organizar o jardim da amizade; Criar personagens com folhas secas; Confeccionar a Margarida com revista; Confeccionar a Borboleta no rolo de papel higienico, dobradura ou celofani; Ateli dos Nmeros Nmero de pginas do livro; Por que os algarismos so representados por esses sinais grficos? Confeco da Margarida comprando ptalas (Sistema monetrio questionar sobre dinheiro, escambo, banco...) Situaes matemticas com sementes, margaridas, ptalas, biscoitos, palitos, borboletas, cachorro (patas); Numerais pares (asas, caixa de sapatos, ) 4. Montar jogo da velha (com caixas) Monte o seu quarto (utilizando encartes) e colagens como voc gostaria que ele fosse; SEQUNCIA DIDTICA A professora dever apresentar o livro "A Margarida Friorenta s crianas explorando bem a capa e o ttulo do livro atravs de perguntas como: O que esto vendo? O que acham que vai acontecer nessa histria? Quem sabe o que significa a palavra friorenta? Explicar que vamos descobrir as respostas durante a leitura do livro. ' Deixar que as crianas manuseiem o livro livremente interagindo com as gravuras e o texto. -Contar a histria utilizando recursos adaptados: uma margarida, uma borboleta de nylon amarelo, uma boneca, cachorro de pelcia, caixa de sapato. Em seguida, a professora dever fazer a leitura do livro ou apresentar no datashow para a turma. A MARGARIDA FRIORENTA 5. Era uma vez uma Margarida num jardim. Quando ficou de noite, a Margarida comeou a tremer. A, passou a Borboleta Azul. A Borboleta parou de voar. - Por que voc est tremendo? 6. - Frio! - Oh! horrvel ficar com frio! E logo numa noite to escura! A Margarida deu uma espiada na noite. E se encolheu nas suas folhas. A Borboleta teve uma ideia: - Espere um pouco! E voou para o quarto da Ana Maria. _ Psiu! Acorde! - An! voc, Borboleta? Como vai? - Eu vou bem. Mas a Margarida vai mal. - O que que ela tem? - Frio, coitada! - Ento j sei o remdio. trazer a Margarida pro meu quarto! - Vou trazer j! A Borboleta pediu ao cachorro Moleque: - Voc leva esse vaso pro quarto da Ana Maria? Moleque era muito inteligente. E levou o vaso muito bem. 7. Ana Maria abriu a porta para eles. E deu um biscoito ao moleque. A Margarida ficou na mesa de cabeceira. Ana Maria se deitou. Mas ouviu um barulhinho. Era o vaso balanando. A Margarida estava tremendo. - Que isso? - Frio! -Ainda? Ento j sei! Vou arranjar um casaquinho pra voc. Ana Maria tirou o casaquinho da boneca. Porque a boneca no estava com frio nenhum. E vestiu o casaquinho na Margarida. - Agora voc est bem. Durma e sonhe com os anjos. Mas quem sonhou com os anjos foi Ana Maria. A Margarida continuou a tremer. Ana Maria acordou com o barulhinho. - Outra vez? Ento j sei. Vou arranjar uma casa pra voc! E Ana Maria arranjou uma casa para a Margarida. Mas quando ia adormecendo ouviu outro barulhinho. Era a Margarida tremendo. 8. Ento Ana Maria descobriu tudo. Foi l e deu um beijo na Margarida. A Margarida parou de tremer. E dormiram muito bem a noite toda. No dia seguinte Ana Maria disse para a Borboleta Azul: _ Sabe, Borboleta? O frio da Margarida no era frio de casaco no! E a Borboleta respondeu: _ Ah! Entendi! Autora: Fernanda Lopes de Almeida -Indagar, ao final da histria, de que frio a margarida padecia; -Iniciar um dilogo propondo a ideia de que, nem tudo na vida resolvido com coisas materiais (casaco, cachecol, casinha), e que de vez em quando podemos sentir falta de coisas imateriais (ateno, carinho, amor, reconhecimento, afeto, companhia); -Solicitar ao aluno que abrace o coleguinha ao lado, num gesto de carinho e ateno; -Realizar o "Jogo da Crueldade" (pede-se que cada criana diga uma prenda para algum do grupo realizar e a prof. escreve, e ento diz-se que houve um engano com as regras, pois quem dever realizar a tarefa quem a props.); -Discutir o que podemos aprender com esse jogo: "No fazer aos outros o que no queremos que nos faam" (ou "Fazer aos outros o que gostaramos que fizessem por ns); -Intensificar o dilogo sobre o tema caridade. -Depois disso, desenhar um corao ou uma margarida gigante num papel pardo e escrver coisas boas dentro e coisa no boas fora. 9. NAS TAMPINHAS MARGARIDAS E BORBOLETAS 10. Aps contar a histria Margarida Friorenta, o professor apresenta s crianas todos os materiais e vai questionando o que poderiam fazer com todos aqueles objetos. Inicia-se o jogo, distribuindo-se um miolo e um palito de picol (que servir de caule) para cada criana. O professor explica que a flor ser composta de 5,6,7 ptalas e, ento, pede para que cada criana pegue cinco, seis... moedas que serviro para comprar as ptalas no decorrer do jogo. Na sua vez, cada criana joga o dado, trocando uma moeda por uma ptala, conforme a indicao do dado da quantidade, at ter o nmero suficiente de ptalas para formar a flor. A flor tambm pode ter uma ptala de cada cor. O aluno ir colar seu material em uma folha, ou numa caixinha, ou num fundo de pet, formando a Margarida Friorenta da histria. Pode ser feito um questionamento final para o grupo. Quantas moedas tinham no incio? 11. O objetivo que a criana estabelea a relao nmero de ptalas/nmero de moedas. As flores confeccionadas podero formar um painel intitulado: Jardim do corao. Confeccionar a Margarida Materiais: Ptalas de florescompradas pelas crianas em papel em 6 cores diferentes ou no; miolos (circulos de papel amarelo) moedas de plstico dados palitos de picol para o caule MSICA: A MARGARIDA (melodia de Ciranda Cirandinha) Usando nas meninas as flores que a escola j tem para cantar; A linda margarida Estava morrendo de frio Ganhou roupa e casinha Mesmo assim, no sorriu A menina Ana Maria Logo, logo descobriu Deu um beijo na florzinha Que contente ento sorriu! PARA BRINCAR: Margarida (usar flores que a escola tem feita) (A Margarida fica no centro da roda e outra, fora da roda, canta:) Onde est a Margarida? Ol, ol, ol Onde est a Margarida? Ol, seus cavalheiros (Todos da roda cantam:) Ela est em seu castelo Ol, ol, ol Ela est em seu castelo 12. Ol, seus cavalheiros (A menina do lado de fora canta:) Eu queria v-la Ol, ol, ol Eu queria v-la Ol, seus cavalheiros (Todos da roda:) Mas o muro muito alto Ol, ol, ol Mas o muro muito alto Ol, seus cavalheiros A menina de fora tira algum da roda e canta:) Tirando uma pedra Ol, ol, ol Tirando uma pedra (bola de papel) Ol, seus cavalheiros (Todos da roda:) Uma pedra no faz falta Ol, ol, ol Uma pedra no faz falta Ol, seus cavalheiros A menina de fora vai tirando um por um da roda e, a cada "pedra" retirada, as crianas da roda cantam: "...duas pedras no faz falta, trs pedras...", at sair a ltima. Quando ficar s a Margarida, todos cantam:) Harmonizao: msica (sons da natureza) CD Conversar sobre as percepes ( o que sentiu) durante a harmonizao. Dobradura da Margarida Canto Grupal: Msicas que falem de amor, amizade. 1. Em sala, os alunos recebem uma flor (recortar antes se as crianas forem muito pequenas). 2. Realiza-se um sorteio (tipo amigo oculto). 3.Eles devero escrever ou desenhar uma mensagem de afeto, elogio, carinho, ... 13. 4. Dobra as ptadas da flor sobrepondo uma sobre a outra at fechar toda a flor. 5. Revela-se o amigo oculto, num clima de amizade e descontrao. 6. Em seguida os alunos colocam a flor na gua, suavemente, sem mergulhar e a flor se abre revelando a mensagem. 7. Os alunos podem pregar a flor numa folha e fazer desenhos, colar no mural, etc. Fazer a avaliao da atividade, comentando os valores envolvidos, os sentimentos e percepes dos alunos com vistas a mudanas de atitudes. EXPRESSANDO SENTIMENTOS Desenhe voc nas diversas formas de expressar sentimentos como: FELIZ TRISTE ASSUSTA DO ZANGAD O SRIO PREOCUPA DO PENSATI VO CANTAN DO 14. SONOLEN TO GRIPADO MENTIND O SONHAN DO GRITAND O ADMIRAN DO XINGAND O OBSERVAN DO Por que representamos os numerais de 1 a 9 desta forma? Veja como eram escritos os algarismos na sua forma primitiva e constate! a quantidade de ngulos que o algarismo possui: E o mais interessante e inteligente de todos o 0 = 0 ngulos. Nunca tarde para aprender. Vamos vestir a Margarida com diversas peas de roupa de acordo com as estaes do ano: Coloque em ordem os aconteciementos da histria numerando os quadrinhos de 1 a 4: ( )Ana Maria deu um beijo na Margarida. ( )Ana Maria arranjou uma casa para Margarida. ( )O cachorro levou o vaso da Margarida para casa de Ana Maria. ( )Ana Maria deu um casaquinho para a Margarida. Produo textual: A Margarida estava com frio... conte com suas palavras como o problema da Maragarida foi resolvido: 15. .............................................................................................................................................. .............................................................................................................................................. .......................................... Muito interessante, as crianas podem ilustrar as pginas do livrinho de vrias formas, basta soltar a imaginao... Onde est a Margarida, ol...ol... ol... 16. Sugiro tambm o uso da musiquinha: "Apareceu a Margarida". " O livro edificante vacina a mente infantil contra o mal" 17. (Andr Luiz) "Quando voc ensina, transmite. Quando voc educa, disciplina. Mas, quando voc evangeliza, SALVA." Amlia Rodrigues </p>