seminário mensal do departamento pessoal 11 de fevereiro de ?· art. 32-a. o contribuinte que...

Download Seminário Mensal do Departamento Pessoal 11 de Fevereiro de ?· Art. 32-A. O contribuinte que deixar…

Post on 09-Jul-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Seminrio Mensal do

    Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

    Apresentao: rica Nakamura Fbio Momberg Graziela Garcia

  • Simples Nacional Formas de

    recolhimento da contribuio

    previdenciria

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • So consideradas MEs e EPPs a sociedade empresria, a sociedade simples

    e o empresrio a que se refere o art. 966 da Lei n 10.406/2002 (Cdigo Civil),

    devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro

    Civil de Pessoas Jurdicas, conforme o caso observadas as excluses legais,

    desde que:

    a) no caso das MEs, o empresrio, a pessoa jurdica, ou a ela equiparada,

    aufira, em cada ano-calendrio, receita bruta igual ou inferior a R$ 360.000,00;

    b) no caso das EPPs, o empresrio, a pessoa jurdica, ou a ela equiparada,

    aufira, em cada ano-calendrio, receita bruta superior a R$ 360.000,00 e igual

    ou inferior a R$ 3.600.000,00.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • TRABALHISTA

    As MEs e as EPPs so dispensadas do cumprimento das seguintes obrigaes

    trabalhistas e previdencirias:

    a) afixar Quadro de Trabalho em suas dependncias;

    b) anotar as frias dos empregados nos respectivos livros ou fichas de registro;

    c) empregar e matricular seus aprendizes nos cursos dos Servios Nacionais

    de Aprendizagem;

    e) possuir o livro intitulado "Inspeo do Trabalho" ;

    f) comunicar ao Ministrio do Trabalho e Emprego (MTE) a concesso de frias

    coletivas .

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • FOLHA DE PAGAMENTO

    A microempresa e a empresa de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional

    devero elaborar folha de pagamento mensal, nos termos do inciso III do art. 47 da

    Instruo Normativa RFB n 971/2009 , destacando a remunerao dos trabalhadores

    que se dediquem:

    I - exclusivamente a atividade enquadrada nos anexos I a III e V (*) da Lei

    Complementar n 123/2006;

    II - exclusivamente a atividade enquadrada no anexo IV da Lei Complementar

    n 123/2006; e

    III - ao exerccio concomitante de atividades, ou seja, aquele realizado por trabalhador

    cuja mo de obra empregada de forma simultnea em atividade enquadrada nos

    anexos IV em conjunto com outra atividade enquadrada em um dos anexos de I a III e V

    (*) , da Lei Complementar n 123/2006.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ANEXO I / II / III / V E VI

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ANEXO I / II / III / V E VI

  • ANEXO I / II / III / V E VI

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ANEXO IV

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ANEXO I / II / III / V E VI

  • IN RFB n 925/2009

    Art. 4 Para fatos geradores de contribuies previdencirias ocorridos a partir

    de 1 de janeiro de 2009, as ME e as EPP optantes pelo Simples Nacional que

    exeram atividades tributadas exclusivamente na forma do anexo IV da

    Resoluo CGSN n 51, de 2008 , devem prestar no SEFIP as seguintes

    informaes:

    I - no campo "SIMPLES", "no optante"; e

    II - no campo "Outras Entidades", "0000".

    1 Na gerao do arquivo a ser utilizado para importao da folha de

    pagamento dever ser informado "2100" no campo "Cd. Pagamento GPS".

    2 As contribuies devem ser recolhidas em GPS com os cdigos de pagamento e valores apurados pelo SEFIP.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ATIVIDADE SIMULTNEA

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • Art. 5 Para fatos geradores de contribuies previdencirias ocorridos a partir de 1 de

    janeiro de 2009, as ME e as EPP optantes pelo Simples Nacional que exeram

    atividades tributadas na forma dos anexos I a III e V, simultaneamente com atividades

    tributadas na forma do anexo IV da Resoluo CGSN n 51, de 2008 , observadas, com

    relao ao anexo V , exclusivamente as tabelas cujos efeitos vigoram a partir de 1 de

    janeiro de 2009, devero indicar "optante" no campo "SIMPLES" do SEFIP.

    1 Na gerao do arquivo a ser utilizado para importao da folha de pagamento

    dever ser informado "2003" no campo "Cod.

    Pagamento GPS" e "0000" no campo "Outras entidades":

    2 Na hiptese deste artigo, o sujeito passivo dever preencher a GPS com os valores

    efetivamente devidos, utilizando os cdigos "2003", para recolhimento das contribuies

    incidentes sobre folha de pagamento; "2011", para recolhimento das contribuies

    incidentes sobre aquisio de produto rural de produtor rural pessoa fsica; e "2020",

    para recolhimento das contribuies incidentes sobre a contratao de transportador

    rodovirio autnomo, devendo desconsiderar a GPS emitida pelo SEFIP.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • ME optante pelo Simples Nacional tenha um trabalhador e que este exera atividades

    concomitantes no anexo IV e no anexo III de acordo com a LC n 123/2006 e que aufira

    remunerao mensal de R$ 2.000,00, temos:

    a) contribuies previdencirias patronais devidas com atividades simultneas R$ 60,00

    (3% de RAT sobre R$ 2.000,00) + R$ 400,00 (20% de R$ 2.000,00).

    b) valor da receita bruta auferida nas atividades enquadradas no anexo IV = R$

    4.000,00;

    c) valor da receita bruta total auferida pela empresa = R$ 10.000,00;

    d) quociente = 0,4 (R$ 4.000,00 R$ 10.000,00), o qual corresponde diviso do valor

    da receita bruta auferida nas atividades enquadradas no Anexo IV da LC n 123/2006,

    pelo valor da receita bruta total auferida pela empresa;

    e) valor proporcional da contribuio devida pela empresa apurado mediante a

    multiplicao do valor da contribuio previdenciria sobre a remunerao do

    trabalhador com atividades simultneas, pelo quociente descrito e apurado na letra d =

    R$ 24,00 (R$ 60,00 x 0,4) + R$ 160,00 (R$ 400,00 x 0,4)

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • GFIP/SEFIP Optantes pelo Simples Nacional enquadradas no cdigo 736 do

    FPAS (Corretoras de Seguros)

    Ato Declaratrio Executivo da Coordenao-Geral de Arrecadao e Cobrana n

    3/2015 dispe sobre os procedimentos a serem observados para o preenchimento da

    Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Servio e Informaes

    Previdncia Social (GFIP) pelas empresas que concomitantemente sejam optantes pelo

    Regime Especial Unificado de Arrecadao de Tributos e Contribuies devidos pelas

    Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), enquadradas no

    cdigo 736 do Fundo de Previdncia e Assistncia Social (FPAS), e que no sejam

    tributadas na forma do Anexo IV da Lei Complementar n 123, de 14 de dezembro de

    2006.

    De acordo com o ato, as empresas que concomitantemente sejam optantes pelo

    Simples Nacional, enquadradas no cdigo 736 do FPAS, e que no sejam tributadas na

    forma do Anexo IV da Lei Complementar n 123/2006, devero, quando do

    preenchimento da GFIP, utilizar o FPAS 515.

    O FPAS 515 dever ser utilizado para permitir a informao de opo pelo Simples

    Nacional enquanto o SEFIP no estiver atualizado.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • RETENO PREVIDENCIRIA

    As MEs e EPPs optantes pelo Simples Nacional que prestarem servios

    mediante cesso de mo de obra ou empreitada no esto sujeitas reteno

    previdenciria referida no art. 31 da Lei n 8.212/1991 , sobre o valor bruto da

    nota fiscal, da fatura ou do recibo de prestao de servios emitidos,

    excetuada:

    - a ME ou a EPP tributada na forma do Anexo IV da Lei Complementar n

    123/2006 , alterada pela Lei Complementar n 139/2011 , para os fatos

    geradores ocorridos a partir de 1.01.2009.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • SIMPLES NACIONAL DESONERAO DA FOLHA DE PAGAMENTO

    De acordo com o art. 19 da IN RFB n 1.436/2013, a empresa que seja

    optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadao de Tributos e

    Contribuies devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

    (Simples Nacional) estar sujeita regra da desonerao da folha de

    pagamento, desde que:

    I - esteja sujeita, mesmo que parcialmente, contribuio previdenciria

    incidente sobre a folha de pagamento, na forma prevista no 5-C do art. 18

    da Lei Complementar n 123/2006 (Anexo IV); e

    II - sua atividade principal, assim considerada aquela de maior receita auferida

    ou esperada, esteja enquadrada nos grupos 412, 421, 422, 429, 431, 432,

    433 ou 439 da CNAE 2.0.

    Seminrio Mensal do Departamento Pessoal

    11 de Fevereiro de 2015

  • A Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP) que exera,

    concomitantemente, atividade enquadrada no Anexo IV em conjunto com

    outra atividade enquadrada em um dos Anexos I a III e V, da Lei

    Complementar n 123/2006, contribuir na forma prevista:

    I na desonerao da fola de pagamento, com relao base de clculo

    referente parcela da receita bruta auferida nas atividades enquadradas no

    Anexo IV da Lei Complementar n 123/2006, alquota de 2% (dois por

    cento); e

    II - nos Anexos I a III e V da Lei Co

Recommended

View more >