secretaria municipal de educa†ƒo programa de ... s©culo xixâ€‌,...

Download SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCA‡ƒO PROGRAMA DE ... s©culo XIXâ€‌, presente na obra: O espetculo

Post on 20-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL

PDE- 2010 NCLEO REGIONAL DE EDUCAO DE CASCAVEL

JANETE BIF AGUIAR

DISCRIMINAO TNICO-RACIAL E SOCIAL DENTRO DA ESCOLA: COMO SUPER-LA?

MARECHAL CNDIDO RONDON - PR2012

JANETE BIF AGUIAR

DISCRIMINAO TNICO-RACIAL E SOCIAL DENTRO DA ESCOLA: COMO SUPER-LA?

Artigo final do Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), promovido pela Secretaria de Estado de Educao SEED, sob orientao da professora Selma Martins Duarte, do Colegiado do Curso de Histria, da UNIOESTE, Campus de Marechal Cndido Rondon.

MARECHAL CNDIDO RONDON PR2012

DISCRIMINAO TNICO-RACIAL E SOCIAL DENTRO DA ESCOLA: COMO SUPER-LA?

Autora: Janete Bif Aguiar1Orientadora: Selma Martins Duarte2

ResumoEste artigo o resultado do trabalho final do curso desenvolvido no Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), ofertado pelo governo do Estado do Paran, junto UNIOESTE. O trabalho teve como objetivo analisar os conflitos tnico-sociais entre os estudantes das oitavas sries (9os anos) do Colgio Estadual Lindoeste - PR. Essa problemtica surgiu da percepo de que nessas turmas existia discriminao e no aceitao, por parte de alguns alunos, em relao a outros. Desta forma, grupos foram constitudos na sala de aula e observava-se que algumas alunas, negras, eram excludas pelos colegas, e assim, se isolavam da turma. Diante do exposto, o desafio foi desenvolver entrevistas orais com a comunidade escolar, alm de analisar o contexto em que estavam inseridos, para compreender estes conflitos no mbito da escola. Na implementao pedaggica foram desenvolvidas, junto com os alunos, reflexes sobre a coleta de dados, bem como, anlises de fragmentos de textos sobre as teorias raciais e a histria do racismo no Brasil, com objetivo de promover a superao dos preconceitos tnico-raciais e sociais e o respeito s diversidades tnicas. O embasamento terico que orienta esse trabalho provm das discusses da Lei 10.639/2003, bem como, das Diretrizes Curriculares do Estado do Paran ao propor a necessidade do estudo da Histria da frica e da cultura afro-brasileira. Conclui-se que as atividades realizadas, atravs da investigao histrica da situao de brancos e negros no Brasil e as suas relaes de poder implcitas, auxiliaram-me a explicitar as formas de preconceitos, question-las, e verificar os grupos que esto por trs desses preconceitos, possibilitando, assim, a leitura crtica e autocrtica sobre o racismo. Essas aes definiram-se como um incio da superao dessa realidade imposta, pois preciso considerar que mudana de comportamentos e demais aes so concretizadas em longo prazo. Faz-se, portanto, indispensvel um trabalho de reconhecimento das diferenas, um entendimento do outro, uma necessidade de desenvolvimento de novas metodologias de ensino de histria afro-brasileira, tendo em vista que a discriminao tnico-racial e social est presente no cotidiano escolar e nas atitudes da sociedade em geral, sendo fundamental redirecionar o olhar sobre a histria, e assim, romper com o eurocentrismo.

Palavras-chave: Discriminao tnico-racial. Aluno. Escola.

1 Professora de Histria no Colgio Estadual Lindoeste-PR e professora PDE.2 Professora do Colegiado do Curso de Histria, da Universidade Estadual do Oeste do Paran - UNIOESTE.

3

Abstract

This article is the result of the final work of course developed in Educational Development Program (PDE), offered by the Parans State Government with the UNIOESTE. The work aimed to analyze the ethnic social conflicts among students from eighth grade (9th year) of the Colgio Estadual Lindoeste-PR. This problematic arose from the perception that in these classes existed discrimination, and non-acceptance, on the part of some students in relation other students. In this way, groups were formed in the classroom, and noted that some students, black, were excluded by colleagues and so they were isolated the class. On the exposed, the challenge was to develop oral interviews with the school community, in addition to analyzing the context in which they were inserted, to understand these conflicts in the school. In the pedagogical implementation were developed, with students, reflections about the information collection, as well as, textss fragments analyses about the racial theories and the racism history in Brazil, with the aim of promoting the overcoming of ethnic-racial and social prejudices and respect for ethnic diversity. The theoretical foundation that guides this work comes from discussions of law 10.639/2003, as well as, of the Paran State curriculum guidelines to propose the need for study of the Africa history and Afro-Brazilian culture. It is concluded that the activities carried out, through historical research of the situation of whites and blacks in Brazil and their implicit power relationships, helped me to clarify the prejudices forms, question them, and verify the groups that are behind these prejudices, enabling like this the critical reading and self-critical about racism These actions were defined as a beginning of the overcoming of this reality imposed because is necessary to consider that behaviors changing and other actions are implemented in the long term. It is therefore, necessary a work for the recognition of differences, understanding of the other, a necessity of development of new teaching methodologies of Afro-Brazilian History, considering that the ethnic-racial and social discrimination is present in school daily and in the attitudes of society in General, being essential redirect the look about the story, and so break with Eurocentrism.

Key words: Ethnic and racial discrimination. Student. School.

1. Introduo

O presente trabalho resulta da anlise da implementao pedaggica feita no

Colgio Estadual de Lindoeste. Consiste em uma das atividades exigidas pelo Programa

de Desenvolvimento Educacional (PDE), promovido pelo governo do estado do Paran

junto Universidade Estadual do Oeste do Paran UNIOESTE. As reflexes foram

embasadas a partir do disposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educao

das Relaes tnico-raciais, e nas discusses sobre a necessidade de historicizar a

cultura afro-brasileira nas salas de aulas.

O objetivo do trabalho pedaggico foi analisar os conflitos tnico-sociais,

focalizando as relaes de incluso e excluso entre os alunos das oitavas sries do

Colgio Estadual Lindoeste-Pr. Props-se, juntamente com os alunos, uma anlise do

tratamento dado pela comunidade escolar em relao aos negros e s classes pobres

4

(com menor poder aquisitivo). A partir dessa reflexo, os alunos deram sugestes para

agirmos na busca da superao dos preconceitos, estimulando o respeito a todos os

seres humanos e valorizao da cultura Africana e de seus descendentes, para que os

alunos negros pudessem sentir-se respeitados e pertencentes ao grupo em que esto

inseridos, dentro e fora da escola.

Como afirma Cavalleiro,

O silncio que atravessa os conflitos tnicos na sociedade o mesmo que sustenta o preconceito e a discriminao no interior da escola. Como aos negros esto reservados, na sociedade, papel e lugar inferiores, pode-se afirmar que essa linguagem o condiciona ao fracasso, submisso e ao medo, visto que parte das experincias vividas na escola marcada por humilhaes (CAVALLEIRO, 2000, p.98 e 99).

Ressalta-se que so comuns nas escolas, casos de discriminao racial e social

entre os alunos. No entanto, como abordou Cavalleiro, na citao acima, essas relaes

so atravessadas por silenciamentos e preconceitos, ora implcitos e ora explcitos. Essa

dificuldade em visualizar variadas formas de violncias torna mais complexa sua proble-

matizao e superao, por isso foi um desafio trabalhar esse tema.

O percurso escolhido foi o de primeiro dar visibilidade aos preconceitos, levar os

alunos a um reconhecimento sobre suas aes ao identificar suas posturas diante das di-

ferenas tnicas e sociais. Posteriormente os estudantes apontaram possibilidades de

ao para tentar reverter a situao de intolerncia presente entre eles, no sentido de no

s perceber as diferenas, mas aprender a respeit-las. Corroborando com Cerri: (...)

necessrio que a escola resgate a identidade dos afro-brasileiros. Negar qualquer etnia,

alm de esconder uma parte da histria, leva os indivduos sua negao (2007, p. 35).

No se pode negar que indispensvel um trabalho pedaggico como forma de

reconhecimento da cultura afro-brasileira, utilizando novas metodologias de ensino. Neste

sentido, faz-se necessrio, em vez de abordar apenas as formas de preconceitos,

trabalhar a diversidade tnica juntamente aos alunos.

Assim, este projeto teve como objetivo desenvolver uma proposta para o ensino de

histria afrodescendente, aprofundando o conhecimento dos alunos sobre essas prticas,

numa perspectiva histrica, atravs de atividades em sala de aula, com materiais

bibliogrficos, revistas, textos, filmes, msicas que propiciam uma reflexo, buscando a

superao dos preconceitos. Oportunizando, portanto, um maior conhecimento e tambm

5

uma reflexo crtica sobre o pertencimento tnico e social, pois, a histria da populao

negra tem sido negligenciada nos currculos bsicos da educao.

2. Desenvolvimento

Por que existe discriminao? Por que a escola e a sociedade so permead