secretaria executiva subsecretaria de planejamento e orçamento ?· •planejamento orienta a...

Download Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento ?· •Planejamento orienta a ação…

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Ministrio da SadeSecretaria Executiva

    Subsecretaria de Planejamento e Oramento

    EQUIDADE E SUS

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Um pacto pela sade no BrasilCabem, pelo menos, duas perguntas em um pas onde a figura do cidado to esquecida.

    Quantos habitantes, no Brasil, so cidados?

    Quantos nem sequer sabem que o so?

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Deixado ao quase exclusivo jogo do mercado, o espao vivido consagra desigualdades e injustias e termina por ser, em sua maior parte, um espao sem cidados.Olhando o mapa do pas, fcil constatar extensas reas vazias de hospitais, postos de sade, escolas secundrias e primrias, informao geral e especializada, enfim, reas desprovidas de servios essenciais vida social e vida individual. O mesmo, alis, se verifica quando observamos as plantas das cidades em cujas periferias, apesar de uma certa densidade demogrfica, tais servios esto igualmente ausentes. como se as pessoas nem l estivessem.

    SANTOS, Milton. O espao do Cidado.

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    EQUIDADE

    Pessoas diferentes tendo acesso a recursos de sade suficientes para suas necessidades

    NECESSIDADE Conceito determinado culturalmente e variado e relacionado as atividades do cotidiano

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Elementos de desigualdades no SUS

    Distribuio espacial da oferta de RH e de capacidade instalada

    Acesso e utilizao dos servios

    Qualidade da ateno

    Condies de vida e de sade da populao

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Premissas do PlanejamentoConcepo parte da premissa de que o desenvolvimento, principalmente o social e o regional, no espontneo.

    Mercado sozinho, sem uma presena do Estado, acentua as disparidades sociais e regionais.

    Estado o principal instrumento para combater as disparidades sociais e regionais

    UM BRASIL DE TODOSPPA 2004 - 2007

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    UM BRASIL DE TODOSPPA 2004 - 2007

    PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZOPlanejamento um meio para atingir o Desenvolvimento

    Planejamento um instrumento de coordenao e sintonia da ao governamental (racionalizao e maximizao dos recursos pblicos)

    Planejamento orienta a ao de governo em direo a determinados objetivos

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Gesto do Plano Plurianual

    Gesto Estratgica

    do Plano

    GestoOperacional

    do Plano

    Estratgiade

    Desenvolvimento

    Megaobjetivose

    Desafios

    Programas

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Incluso social e desconcentrao da renda,

    integrados com vigoroso crescimento do emprego

    e da renda, ambientalmente sustentvel e redutor

    das desigualdades regionais, dinamizado pelo

    mercado de consumo de massa e viabilizado pela

    expanso competitiva das atividades superadoras

    da vulnerabilidade externa.

    Estratgia de desenvolvimento de longo prazo

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    1. INCLUSO SOCIAL E REDUO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

    2. CRESCIMENTO COM GERAO DE EMPREGO E RENDA, AMBIENTALMENTESUSTENTVEL E REDUTOR DAS DESIGUALDADES REGIONAIS

    3. PROMOO E EXPANSO DA CIDADANIA E FORTALECIMENTO DA DEMOCRACIA

    PLANO PLURIANUAL PLANO PLURIANUAL PPA PPA 2004 2004 20072007MEGA OBJETIVOSMEGA OBJETIVOS

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    OBJETIVO GERAL DO PPA SADEOBJETIVO GERAL DO PPA SADE

    Promover o cumprimento do direito constitucional

    sade, visando a reduo do risco de agravos e o

    acesso universal e igualitrio s aes para a sua

    promoo, proteo e recuperao, assegurando a

    equidade na ateno, aprimorando os mecanismos de

    financiamento, diminuindo as desigualdades

    regionais e promovendo servios de qualidade,

    oportunos e humanizados

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    PPA Plano Nacionalde Sade

    Polticasem execuo

    PACTO

    SistemaNacional

    dePlanejamento

    e Gesto

    Revisodo

    Financiamento

    Investimentos

    Indicadores

    Definio daResponsabilizao

    Sanitaria

    Regionalizao

    SMS

    SES

    PlanosMunicipais

    PlanosEstaduais

    EficciaEficinciaEfetividade

    Avaliao

    PlanosRegionais

    XII Conferncia Nacional de

    Sade

    Agenda estratgica

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Reduo das Desigualdades

    Reduo de Riscos/Agravos

    Ampliao ao Acesso/Qualificao/Humanizao

    Reforma do Modelo de Ateno

    Aprimoramento dos Mecanismos de Gesto / Financiamento e Controle Social

    Eixos do Plano Nacional de Sade

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    INICIATIVAS PRIORITINICIATIVAS PRIORITRIAS DO GOVERNORIAS DO GOVERNO

    1. Farmcia Popular 2. Qualificao da ateno para a sade no SUS3. Sade Bucal 4. Sade Mental 5. Sade da Mulher 6. Controle da Hansenase e Tuberculose 7. Transplantes8. Servio Civil Profissional em Sade9. Saneamento Bsico 10. Garantia de maior suficincia do SUS na produo

    de Imunobiolgicos e Frmacos e Hemoderivados11. Sade indgena

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    1. Monitoramento, avaliao e controle das aes de sade e dos recursos financeiros transferidos no mbito do SUS

    2. Regulamentao da EC 29

    3. Aprovao do Plano Nacional de Sade

    4. Qualificao da gesto e regionalizao no SUS

    5. Aprimoramento da regulao da sade suplementar

    INICIATIVAS PRIORITINICIATIVAS PRIORITRIAS DO GOVERNORIAS DO GOVERNO-- carcarter polter poltico institucional tico institucional --

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Desigualdadesna Gesto

    DesigualdadesDesigualdadesna Gestona Gesto

    DesigualdadesepidemiolgicasDesigualdadesDesigualdadesepidemiolgicasepidemiolgicas

    SITUAO DE

    SADE

    SITUAO DESITUAO DE

    SADESADE

    ACESSO DESIGUAL EDE BAIXA QUALIDADEACESSO DESIGUAL EACESSO DESIGUAL EDE BAIXA QUALIDADEDE BAIXA QUALIDADE

    DiversidadesdemogrficasDiversidadesDiversidadesdemogrficasdemogrficas

    Desigualdadesna Ateno

    DesigualdadesDesigualdadesna Atenona Ateno

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    ... Por mais perfeito que seja um plano, em qualquer atividade, ele nunca vai ser executado da forma que gostaramos. Ele deve servir como guia de conduta, e no como uma regra inflexvel a ser cumprida. (Amyr Klink)

    Uma trilha, jamais um trilho. ( Srgio Almeida)Exatamente, um plano jamais pode ser um trilho, no h possibilidade. (Amyr Klink)

    Gesto de sonhos riscos e oportunidades.

    Entrevista de Amyr Klink a Srgio Almeida 2000.

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Alguns aspectos contidos na anlise situacional

    Perfil socioeconmico e demogrfico

    Condies de sade da populao

    Organizao e funcionamento do SUS

    Desigualdade e Diversidade

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    DistribuiDistribuio da populao da populao e dos munico e dos municpios brasileiros pios brasileiros por faixa populacional.por faixa populacional.

    Populao 2003 Municpios Faixa (por habitante)

    Pop total Dist. % n Dist. %

    At 10.000 14.008.250 7,92 2.681 48,22

    De 10.000 a 20.000 19.212.149 10,86 1.341 24,12

    De 20.000 a 50.000 29.733.362 16,81 990 17,81

    De 50.000 a 100.000 21.674.649 12,25 309 5,56

    De 100.000 a 1.000.000 55.574.057 31,42 225 4,05

    Mais de 1.000.000 36.668.970 20,73 14 0,25

    Total 176.871.437 100,00 5.560 100,00

    Fonte: IBGE - estimativa populacional 2003

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Densidade populacionalDensidade populacional

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Crescimento populacionalCrescimento populacional

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    ndice de envelhecimentondice de envelhecimentoNNmero de pessoas com 60 anos e mais de idademero de pessoas com 60 anos e mais de idade

    por 100 pessoas menores de 15 anos de idadepor 100 pessoas menores de 15 anos de idadePerPerodo: 1991 e 2002odo: 1991 e 2002

    Fonte: IBGE/Pesquisa Nacional por Amostragem de Domiclios - PNAD, Censos, Contagem

    populacional e projees demogrficas preliminares.

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    ndice de envelhecimentoN de pessoas com 60 anos e mais de idade por

    100 pessoas menores de 15 anos de idadePerodo: 1991 e 2002

    0,00

    10,00

    20,00

    30,00

    40,00

    50,00

    60,00

    1991 32,50 29,70 22,30 25,10 20,50 23,90 20,40 19,30 21,30 19,90 16,50 22,10 17,30 16,20 16,70 15,90 17,30 13,50 13,70 11,50 11,50 11,80 9,40 10,80 8,50 9,60 8,60

    2002 54,60 45,80 37,50 37,20 33,70 33,50 32,60 32,20 31,10 29,50 29,40 28,80 28,40 28,20 27,90 26,90 24,30 24,00 23,20 21,10 20,10 20,10 17,90 16,80 13,40 13,00 12,80

    RJ RS M G SP PR PB SC ES PE CE M S RN BA PI GO AL SE TO M A M T PA DF RO AC RR AM AP

    VOLTAR

  • MS/

    SE/S

    POM

    S/SE

    /SPO

    Mortalidade proporcional por grupos de causasMortalidade proporcional por grupos de causas% de bitos por UF e grupo de causas% de bitos por UF e grupo de causas

    Perodo: 2001Perodo: 2001

    UFDoenas

    infecciosas e parasitrias

    NeoplasiasDoenas do

    aparelho circulatrio

    Doenas do aparelho

    respiratrio

    Afeces originadas no perodo perinatal

    Causas externas

    Demais causas

    definidasT

Recommended

View more >