santa casa informa - edição 01

Download Santa Casa Informa - edição 01

Post on 31-Mar-2016

229 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Mural da Santa Casa de Caridade de Formiga: projeto gráfico e diagramação.

TRANSCRIPT

  • Gisele Alves Cunha apresenta seus documentos no ato do atendimento

    A nova medida uma exigncia do Governo Federalpara reforar a fiscalizao e a segurana

    Apresentao de documentos ser obrigatria na recepo

    No dia 02 de Fevereiro deste ano foi publicada no site da Receita Federal a alterao na Instruo Normativa RFB n 985, de 22 de dezembro de 2009, que institui a Declarao de Servios Mdicos e de Sade (Dmed) que dever conter informaes de pagamentos rece-bidos por prestadoras e operadoras de servios de sade. Agora todo paciente em qualquer hospital pblico ou particular ter que apre-sentar sua documentao no ato do atendimento.

    Na Santa Casa de Formiga o procedimento j est sendo feito desde o incio do ms. Qualquer pessoa/paciente que precisar dos

    SantaCasainforma Informativo da Santa Casa de Caridade de Formiga

    Edio 11 Ano 1Fevereiro e Maro/2011

    Visita aberta:uma iniciativa que deu certo

    Pginas 4 e 6

    Conhea nosso site. Acesse: www.santacasaformiga.org.br

    Novos aparelhos foram adquiri-dos para o atendimento aos pacientes em reabilitao.

    Santa Casa investe em novo espao de fisioterapia

    Pgina 5

    A iniciativa facilitar a identifi-cao dos pacientes no Centro Cirrgico e na internao, desde a entrada at a sada.

    Identificao por pulseiras

    Pgina 5

    Santa Casa recebe comisso ava-liadora do projeto de Acreditao em ONA no ms de maro.

    Contagem regressiva

    Pgina 5

    Foi aprovado em Fevereiro, pela Vigilncia Sanitria o pro-jeto para a Construo da UTI Unidade de Terapia Intensiva da Santa Casa para beneficiar cerca de 250 mil pessoas sendo do municpio de Formiga e regio. A construo ter 10 leitos.

    Cerca de 3 anos vem sendo desenvolvido este projeto da construo da UTI e recebe adequaes de acordo com as exigncias da Vigilncia Sanitria.

    Para a aquisio dos equi-pamentos a instituio receber uma verba de R$ 1,2 milho, do Governo Federal atravs do Deputado Jaiminho Martins.

    Vigilncia Sanitria aprova projeto UTI na Santa Casaservios da instituio dever apre-

    sentar documento oficial com foto, como Carteira de Identidade ou de Motorista, e CPF. A medida tam-bm faz parte dos procedimentos de segurana do projeto de Acreditao em ONA, o qual a instituio vem buscando a aprovao.

    A Coordenadora do Atendi-mento, Danusa Rabelo Ferreira Fontes, ressalta que o novo procedi-mento no atendimento da Santa Casa pode e muito contribuir para a segu-rana e acolhimento dos pacientes. Ser muito bom, porque resguarda a segurana tanto do paciente quanto da Santa Casa e seus profissionais da sade, comenta a Coordenadora.

  • 2 Santa Casa Informa Fev-Mar/2011

    Editorial Dr. Geraldo Couto | Provedor da Santa Casa

    Com o passar do tempo, as organizaes tiveram que adaptar s exigncias de um mercado globalizado e dinmico. Tais exigncias envolvem conceitos de eficincia e eficcia, otimiza-o de recursos, qualidade entre outros. Ao se tratar de organiza-es ligadas sade as exigncias no poderiam ser diferentes, e isto, leva ao desenvolvimento de programas que visem o melhor atendimento das necessidades

    Acreditao hospitalar como forma de atender com qualidade

    Memorial

    No dia 1 de janeiro deste, a Santa Casa de Formiga completou 118 anos de fundao. A primeira solenidade oficial de funcionamento do hospital ocorreu em 1893. Nesta data, o prdio foi inaugurado depois de ter passado por algumas reformas e acrscimos, inclusive a construo de uma capela.

    O doadorEm 1892, o formiguense

    Francisco Domingos Gontijo, ao se mudar para o Rio de Janeiro, enviou uma carta ao Major Antnio Toms Barbosa Machado autori-zando, atravs de procurao, que se passasse a escritura de sua casa em doao para a Santa Casa de Misericrdia de Formiga.

    A casa doada se localizava na Rua Municipal, atual Dr. Teixeira Soares, onde, hoje, funciona a Santa Casa de Caridade de Formiga.

    O incio do nosso hospital

    ExpedientePublicao externa, produzida pela Assessoria de Comunicao da Santa Casa de Caridade de Formiga - Comit Editorial: Irmos Benfeitores; Mesa Administrativa; Diretoria Administrativa; Assessorias; Diretoria Clnica; Diretoria Tcnica; Comit Gestor; Equipe Multiprofissional e Comit Operacional da Santa Casa de Caridade de Formiga - E-mail: comunicacao@santacasaformiga.org.br - Telefone: (37) 3329-1300 - ramal: 1376 - Jornalista responsvel: Bernadete Seixas Reg.MT 11.274/MG - bereseixas@hotmail.com - Projeto grfico e diagramao: Tales Tagliaferri - http://talestagliaferri.blogspot.com - (37) 9923-0907 - Fotografia: Assessoria de Comunicao da Santa Casa de Caridade de Formiga - Tiragem: 1.000 exemplares - Impresso: Empresa Jornalstica e de Programao Midiaminas Ltda. - (37) 3322-1331 - Sugestes: comunicacao@santacasaformiga.org.br

    sociais. neste embasamento que

    toda a equipe de funcionrios, corpo clnico e parceiros da Santa Casa de Formiga esto empen-hados desde meados de 2009 at os dias de hoje, em um dos programas mais eficazes para a melhoria contnua da qualidade na assistncia mdico-hospitalar e, conseqentemente, na pro-teo da sade da populao: a Acreditao em ONA.

    Sabemos que todos os resul-tados j alcanados se do pelo esforo de uma equipe envolvida

    com a qualidade e que ultrapassa barreiras para atender s metas de melhoria dos procedimentos e de processos que devem ser executados com toda habilidade, presteza e segurana.

    Ento, neste pouco tempo, menos de seis semanas, deve-mos nos esforar ao mximo para a avaliao e conseqente-mente, a aprovao do projeto de Acreditao dentro da Santa Casa de Formiga. Sabemos ainda que um resultado positivo, quem ser o mais beneficiado, sem dvida, seremos todos ns.

  • Fev-Mar/2011 Santa Casa Informa 3

    Sua Sade

    As micoses so infeces fn-gicas provocadas pela penetrao de fungos no organismo, quando o sistema imunolgico est fragilizado. Normalmente ocorre em perodos quentes e midos, pois a partir desses momentos os fungos buscam regies quentes e midas para se instalarem e se reproduzirem.

    A doena se manifesta nas mos, ps, couro cabeludo, virilha, pescoo, em volta dos rgos genitais e nas mucosas. A micose pode ser superficial, quando se manifesta superficialmente sobre plos ou unhas, utilizando a queratina para se alimentar; ou pro-funda, quando se manifesta na pele e nas regies subcutneas podendo permanecer estritamente na pele ou se espalhar pela corrente sangunea.

    A micose pode ser provocada pela utilizao de vesturios imper-meveis, leses cutneas, doenas metablicas, baixa quantidade de vitaminas no organismo, ingesto excessiva de antibiticos ou anticon-

    Proteja-se da micose

    Fonte: www.saudeeducacao.com.br

    Calor e umidade: eis o ambiente ideal para a proliferao de fungos, microorganismos que podem se alojar na pele e nas unhas, causando infeces incmodas e resistentes. Aprenda a barrar esses hspedes indesejveis durante o vero, poca em que eles deitam e rolam

    cepcionais, obesidade e outras. Os sintomas da micose so manchas na pele que posteriormente formam leses midas que aps um perodo secam tornando-se speras.

    O tratamento para a micose consiste em associar medicamentos tpicos e orais, porm os mesmos devem ser utilizados num longo perodo, pois os fungos so difceis de

    combater e aparentam ter sido trata-dos enquanto ainda permanecem na pele. Para prevenir a micose, aconse-lha-se andar sempre calado, manter as regies ntimas sempre secas, uti-lizar toalha particular, no ficar com roupas molhadas por muito tempo, utilizar somente peas ntimas de algodo e esterilizar objetos cortantes.

  • 4 Santa Casa Informa Fev-Mar/2011

    O Hospital

    No dia 16 de fevereiro com-pletou trs meses que a Santa Casa de Formiga implantou o sistema de Visita Aberta para todos os pacientes internados. Esta uma nova medida que beneficia o pro-cesso de reabilitao dos pacientes. A instituio um dos poucos hospitais do SUS Sistema nico de Sade de Minas Gerais, que trabalha com o dispositivo de humanizao, igua-lando o tratamento disponibilizado aos clientes do sistema particular.

    A Visita Aberta funciona da seguinte forma: o paciente inter-nado tem direito a uma pessoa junto ao seu leito, ou seja, agora todos podero receber familiares e ami-gos entre os horrios de 8h00 e 20h00. Os pacientes da Enfermaria de Cuidados Intermedirios (ECI) tero o horrio reduzido a dois turnos de quinze minutos ao dia e a troca de visitantes ser feita den-tro desse horrio, sendo permitido apenas um visitante por vez, isto porque se trata de um ambiente mais delicado.

    Para a enfermeira Karla Carrio, a nova medida um marco e j apresenta bons resultados. um marco principalmente para os nossos

    Visita aberta:completa trs meses de funcionamento

    Todos os dias de 08h00 s 20h00. Direito a um visitante por vez. Enfermaria de Cuidados Intermedirios (ECI) so disponibilizadas dois horrios: 10h15 as 10h30 e 20h15 as 20h30. Evite trazer crianas no ambiente hospitalar, pois as mesmas ainda no desenvolveram comportamentos de proteo para este tipo de local. proibido deixar crianas aos cuida-dos dos recepcionistas. No est previsto pernoite, alimenta-o, higiene pessoal, garagem e outros servios para visitantes.

    Veja como proceder na Visita Aberta

    clientes, pois o contato dirio com seus familiares propicia um conforto e uma melhora significativa fazendo com que sua recuperao seja mais rpida. Tambm temos pacientes que esto em fase terminal e per-cebemos que essas visitas os ajudam confortando o momento que esto passando, afirma a enfermeira.

    A psicloga da instituio, Luciane Saporetti, observa que um dos principais fatores que contribuem para a melhora dos pacientes a atitude motivadora de quem visita. O acompanhante deve ser presena salutar para o doente, motivadora, positiva, participativa no tratamento, buscando auxiliar o doente de forma que este me