Salário e remuneração

Download Salário e remuneração

Post on 06-Jun-2015

3.912 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. SALRIOSALRIOREMUNERAOREMUNERAOALBERTO EMILIANO DE OLIVEIRA NETOProcurador do Trabalho PRT 9Mestre em Direito do Trabalho pela PUC/SPalbertoemiliano@uol.com.br@albertoemiliano</li></ul><p> 2. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)salrio mnimopiso salarial proporcional extenso e complexidade do trabalhoirredutibilidade do salrio, salvo odisposto em conveno ou acordocoletivogarantia de salrio, nunca inferior aomnimo, para os que percebemremunerao varivel 3. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)remunerao do trabalho noturnosuperior do diurnoproteo do salrio na forma da lei,constituindo crime sua reteno dolosaparticipao nos lucros, ou resultados,desvinculada da remuneraosalrio-famlia pago em razo dodependente do trabalhador de baixarenda nos termos da lei 4. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)repouso semanal remunerado,preferencialmente aos domingosremunerao do servio extraordinriosuperior, no mnimo, em cinqenta porcento do normalgozo de frias anuais remuneradas com,pelo menos, um tero a mais do que osalrio normal 5. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)licena gestante, sem prejuzo doemprego e do salrio, com a durao decento e vinte diaslicena-paternidade, nos termos fixadosem leiadicional de remunerao para asatividades penosas, insalubres ouperigosas, na forma da leiAposentadoria 6. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)assistncia gratuita aos filhos edependentes desde o nascimento at 5(cinco) anos de idade em creches e pr-escolas Creche (CLT, artigo 389, 1) Auxlio crechereconhecimento das convenes eacordos coletivos de trabalho 7. Garantias constitucionais (CF, artigoGarantias constitucionais (CF, artigo7)7)proibio de diferena de salrios, deexerccio de funes e de critrio deadmisso por motivo de sexo, idade, cor ouestado civilproibio de qualquer discriminao notocante a salrio e critrios de admisso dotrabalhador portador de deficinciaigualdade de direitos entre o trabalhadorcom vnculo empregatcio permanente e otrabalhador avulso. 8. REMUNERAOREMUNERAOCompreendem-se na remunerao doempregado, para todos os efeitos legais,alm do salrio devido e pagodiretamente pelo empregador, comocontraprestao do servio, as gorjetasque receber (CLT, artigo 457).Remunerao = salrio + gorjeta 9. GORJETAGORJETAConsidera-se gorjeta no s aimportncia espontaneamente dada pelocliente ao empregado, como tambmaquela que for cobrada pela empresa aocliente, como adicional nas contas, aqualquer ttulo, e destinada a distribuioaos empregados (CLT, artigo 457, 3). 10. GORJETAGORJETADiferencia-se da gratificao, pois no pagapelo empregador, mas sim por terceiro.Integram o clculo de frias e 13.Incide sobre o FGTSNo integra dsr, aviso prvio (salrio doms da resciso), adicional noturno (salriomnimo), adicional periculosidade (salriocontratual), adicional por trabalhoextraordinrio (hora normal). 11. GORJETAGORJETASmula N 354 do TSTGORJETAS. NATUREZA JURDICA.REPERCUSSES (mantida) - Res. 121/2003, DJ19, 20 e 21.11.2003 As gorjetas, cobradas peloempregador na nota de servio ou oferecidasespontaneamente pelos clientes, integram aremunerao do empregado, no servindo debase de clculo para as parcelas de aviso-prvio,adicional noturno, horas extras e repousosemanal remunerado. 12. GUELTASGUELTASTRT-PR-26-04-2013 As "gueltas"consistem em valores recebidos porbalconistas/vendedores, empregados delojas revendedoras, diretamente dofabricante como incentivo pelapreferncia venda de seus produtos,devendo integrar a remunerao doobreiro caso haja o seu pagamentohabitual, por se tratar de parcelaadimplida em virtude do trabalho 13. GueltasGueltasdesenvolvido junto empregadora, com asua anuncia tcita ou expressa, semelhana do que ocorre com asgorjetas (art. 457, CLT). Comprovada ahabitualidade em que era paga, devida aintegrao. Deciso que se mantm. (TRT-PR-18108-2011-006-09-00-9-ACO-14659-2013 - 6A. TURMA -Relator: SRGIO MURILO RODRIGUES LEMOS - Publicado noDEJT em 26-04-2013) 14. SALRIOSALRIOIntegram o salrio no s a importnciafixa estipulada, como tambm ascomisses, percentagens, gratificaesajustadas, dirias para viagens e abonospagos pelo empregador (CLT, artigo 457, 1). 15. Comisses e percentagensComisses e percentagensO pagamento de comisses epercentagens s exigveldepois de ultimada atransao a que se referem. 16. Comisses e percentagensComisses e percentagensNas transaes realizadas porprestaes sucessivas, exigvelo pagamento das percentagens ecomisses que lhes disseremrespeito proporcionalmente respectiva liquidao. 17. Comisses e percentagensComisses e percentagensA cessao das relaes detrabalho no prejudica apercepo das comisses epercentagens devidas (CLT,artigo 466, caput e 1 e2). 18. ComissesComissesSmula n 340do TST.COMISSIONISTA. HORASEXTRAS (nova redao) - Res.121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Oempregado, sujeito a controle de horrio,remunerado base de comisses, temdireito ao adicional de, no mnimo, 50%(cinqenta por cento) pelo trabalho emhoras extras, 19. ComissesComissescalculado sobre o valor-hora dascomisses recebidas no ms,considerando-se como divisor o nmerode horas efetivamente trabalhadas. 20. comissescomissesOJ n. 397. SDI 1. COMISSIONISTAMISTO. HORAS EXTRAS. BASEDE CLCULO. APLICAO DASMULA N. 340 DOTST.(DEJTdivulgado em 02, 03 e04.08.2010)O empregado que receberemunerao mista, ou seja, uma partefixa e outra varivel, tem direitoahorasextras pelo trabalho em sobrejornada. 21. ComissesComissesEm relao parte fixa, so devidas ashoras simples acrescidas do adicional dehoras extras. Em relao parte varivel, devido somente o adicional de horasextras, aplicando-se hiptese o dispostona Smula n. 340 do TST. 22. ComissesComissesTRT-PR-26-04-2013. Empregadocomissionista puro tem direito aopagamento apenas do adicional das horasextras, inclusive as intervalares, bemcomo deve ser adotado como divisor onmero de horas efetivamentetrabalhadas durante o ms, na forma daSmula 340 do E. TST. (TRT-PR-02745-2011-658-09-00-1-ACO-14976-2013 - 6A. TURMA Relator: FRANCISCO ROBERTOERMEL Publicado no DEJT em 26-04-2013) 23. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasGratificao de funo: ajustada para oscargos de maior responsabilidade.Jornada bancrios. Gratificao no inferior a 1/3 do salrio docargo efetivo para as funes de direo,gerncia, fiscalizao, chefia e equivalentes, ououtros cargos de confiana (CLT, artigo 224 , 2). 24. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasAs gratificaes habituais, inclusive a denatal, consideram-se tacitamenteconvencionadas, integrando o salrio(STF, smula 207). 25. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasNo clculo da indenizao pordespedida injusta, incluem-se osadicionais, ou gratificaes, que,pela habitualidade, se tenhamincorporado ao salrio (STF,smula 459). 26. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 115 do TSTHORAS EXTRAS. GRATIFICAESSEMESTRAIS (nova redao) - Res.121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Ovalor das horas extras habituais integra aremunerao do trabalhador para oclculo das gratificaes semestrais. 27. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 152 do TSTGRATIFICAO. AJUSTE TCITO(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e21.11.2003. O fato de constar do recibode pagamento de gratificao o carter deliberalidade no basta, por si s, paraexcluir a existncia de ajuste tcito (ex-Prejulgado n 25). 28. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 203 do TSTGRATIFICAO POR TEMPO DESERVIO. NATUREZA SALARIAL(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e21.11.2003. A gratificao por tempo deservio integra o salrio para todos osefeitos legais. 29. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 253 do TSTGRATIFICAO SEMESTRAL.REPERCUSSES (nova redao) - Res.121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Agratificao semestral no repercute noclculo das horas extras, das frias e doaviso prvio, ainda que indenizados.Repercute, contudo, pelo seu duodcimona indenizao por antigidade e nagratificao natalina. 30. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 202 do TSTGRATIFICAO POR TEMPO DE SERVIO.COMPENSAO (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20e 21.11.2003. Existindo, ao mesmo tempo,gratificao por tempo de serviooutorgada pelo empregador e outra damesma natureza prevista em acordocoletivo, conveno coletiva ou sentenanormativa, o empregado tem direito areceber, exclusivamente, a que lhe sejamais benfica. 31. Gratificaes ajustadasGratificaes ajustadasSmula N 225 do TSTREPOUSO SEMANAL. CLCULO.GRATIFICAES POR TEMPO DESERVIO E PRODUTIVIDADE (mantida)- Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003.As gratificaes por tempo de servio eprodutividade, pagas mensalmente, norepercutem no clculo do repousosemanal remunerado. 32. ABONOSABONOSAntecipao salarial.Integra o salrio, salvo nas hipteses deabono de frias (CLT, artigo 144) eplanos econmicos (Lei n. 8.178/91).Abono em acordo ou convenocoletiva. Pode o sindicato profissionalacordar o afastamento da naturezasalarial? 33. ABONOSABONOSOJ 346 (SDI 1). ABONO PREVISTO EM NORMACOLETIVA. NATUREZA INDENIZATRIA. CONCESSO APENASAOS EMPREGADOS EM ATIVIDADE. EXTENSO AOS INATIVOS.IMPOSSIBILIDADE (DJ 25.04.2007) A deciso queestende aos inativos a concesso deabono de natureza jurdica indenizatria,previsto em norma coletiva apenas paraos empregados em atividade, a ser pagode uma nica vez, e confere naturezasalarial parcela, afronta o art. 7, XXVI,da CF/88. 34. ABONOSABONOSXXVI - reconhecimento dasconvenes e acordoscoletivos de trabalho; 35. Ajudas de Custo e DiriasAjudas de Custo e DiriasNo se incluem nos salrios asajudas de custo, assim como asdirias para viagem que noexcedam de 50% (cinquenta porcento) do salrio percebido peloempregado (CLT, artigo 457, 2). 36. Ajudas de Custo e DiriasAjudas de Custo e DiriasA ajuda de custo verbaindenizatria destinada acompensar as despesas dotrabalhador com viagem a servioe na mudana de um local paraoutro. 37. Ajudas de custo e diriasAjudas de custo e diriasNo h a limitao dos 50% dosalrio.O empregador tambm poderindenizar os gastos doempregado com viagem,hospedagem e alimentao. 38. Ajudas de Custo e DiriasAjudas de Custo e DiriasSmula N 101 do TSTDIRIAS DE VIAGEM. SALRIO (incorporada a OrientaoJurispru-dencial n 292 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e25.04.2005. Integram o salrio, pelo seu valortotal e para efeitos indenizatrios, asdirias de viagem que excedam a 50%(cinqenta por cento) do salrio doempregado, enquanto perdurarem asviagens. (primeira parte - ex-Smula n 101 - RA 65/1980, DJ 18.06.1980; segunda parte - ex-OJ n 292da SBDI-1 - inserida em 11.08.2003) 39. Ajudas de Custo e DiriasAjudas de Custo e DiriasSmula N 318 do TSTDIRIAS. BASE DE CLCULO PARA SUA INTEGRAO NO SALRIO(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Tratando-sede empregado mensalista, a integrao dasdirias no salrio deve ser feita tomando-sepor base o salrio mensal por ele percebidoe no o valor do dia de salrio, somentesendo devida a referida integrao quando ovalor das dirias, no ms, for superior metade do salrio mensal. 40. SALRIO COMPLESSIVOSALRIO COMPLESSIVOSmula N 91 do TSTSALRIO COMPLESSIVO (mantida) -Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003Nula a clusula contratual que fixadeterminada importncia ou percentagempara atender englobadamente vriosdireitos legais ou contratuais dotrabalhador. 41. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURAAlm do pagamento emdinheiro, compreende-seno salrio, para todos osefeitos legais, a alimentao,habitao, vesturio ououtras prestaes "innatura" 42. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURAque a empresa, por fora docontrato ou do costume,fornecer habitualmente aoempregado. Em caso algum serpermitido o pagamento com bebidasalcolicas ou drogas nocivas (CLT,artigo 458). 43. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURAA habitao e a alimentaofornecidas como salrio-utilidadedevero atender aos fins a que sedestinam e no podero exceder,respectivamente, a 25% (vinte ecinco por cento) e 20% (vinte porcento) do salrio-contratual (CLT,artigo 458, 3). 44. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURATratando-se de habitao coletiva, ovalor do salrio-utilidade a elacorrespondente ser obtido mediante adiviso do justo valor da habitao pelonmero de co-habitantes, vedada, emqualquer hiptese, a utilizao da mesmaunidade residencial por mais de umafamlia (CLT, artigo 458, 4). 45. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURAOs valores atribudos sprestaes "in natura" deveroser justos e razoveis, nopodendo exceder, em cada caso,os dos percentuais das parcelascomponentes do salrio-mnimo(CLT, artigos 81, 82 e 458, 1). 46. SALARIOSALARIO IN NATURAIN NATURAArt. 2o-A. vedado aoempregador domstico efetuardescontos no salrio doempregado por fornecimento dealimentao, vesturio, higieneou moradia. (Lei n. 5.859/72) 47. SALRIOSALRIO IN NATURAIN NATURA 2o As despesas referidasnocaputdeste artigo no tmnatureza salarial nem seincorporam remuneraopara quaisquer efeitos. (Lei n.5.859/72) 48. OUTRAS VERBASOUTRAS VERBASSero consideradas comosalrio as seguintes utilidadesconcedidas pelo empregador (CLT,artigo 458, 2, I a VI):vesturios, equipamentos eoutros acessrios fornecidos aosempregados e utilizados no local detrabalho, para a prestao doservio; 49. Outras verbasOutras verbasEpi salrio? Podeser descontado dosalrio doempregado? 50. OUTRAS VERBASOUTRAS VERBASA empresa obrigada a fornecer aosempregados, gratuitamente, equipamentode proteo individual adequado ao riscoe em perfeito estado de conservao efuncionamento, sempre que as medidasde ordem geral no ofeream completaproteo contra os riscos de acidentes edanos sade dos empregados (CLT,artigo 166). 51. OUTRAS VERBASOUTRAS VERBASeducao, em estabelecimento deensino prprio ou de terceiros,compreendendo os valores relativos amatrcula, mensalidade, anuidade, livros ematerial didtico;transporte destinado ao deslocamentopara o trabalho e retorno, em percursoservido ou no por transporte pblico; 52. OUTRAS VERBASOUTRAS VERBASassistncia mdica, hospitalar eodontolgica, prestada diretamente oumediante seguro-sade;seguros de vida e de acidentes pessoais;previdncia privada. 53. Periodicidade e prazoPeriodicidade e prazoO pagamento do salrio no deve serestipulado por perodo superior a umms, salvo no que concerne a comisses,percentagens e gratificaes.At o quinto dia til do ms subsequenteao vencido para o pagamento mensal(CLT, artigo 459, caput e 1). 54. FORMA DE PAGAMENTOFORMA DE PAGAMENTOA prestao, em espcie, do salrio serpaga em moeda corrente do Pas, sobpena de ser considerado como no feito.Dever ainda ser efetuado contra recibo,assinado pelo empregado; em se tratandode analfabeto, mediante sua impressodigital, ou, no sendo esta possvel, a seurogo (CLT, artigo 463, caput e Pargrafonico, e 464). 55. FORMA DE PAGAMENTOFORMA DE PAGAMENTOTer fora de recibo o comprovante dedepsito em conta bancria, aberta paraesse fim em nome de cada empregado,com o consentimento deste, emestabelecimento de crdito prximo ao...</p>