s1 - atividades - leitura e interpreta§£o de enunciadosanthonio

Download S1 - Atividades - Leitura e Interpreta§£o de Enunciadosanthonio

Post on 16-Nov-2015

49 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

exercicios

TRANSCRIPT

Destaque da questo seguinte os verbos de comando e transcreva do material terico (aquele que voc precisou ler para resolver estas questes) o que eles significam.

ATENO: voc no precisar responder s questes A e B. Dever analisar o que pede a questo a partir da identificao e transcrio de seus verbos de comando.

A) Primeira questo para anlise:

Destaque da questo os verbos de comando

Transcreva a expresso que retomada pelos pronomes alguns e outros no seguinte fragmento:

Segundo Nelly Carvalho da Universidade Federal de Pernambuco, a linguagem usada nos meios de comunicao responde por uma forte influncia na criatividade cotidiana do falar brasileiro. Os bordes de programas humorsticos, novelas e jornalsticos esto na boca do povo. Alguns so passageiros, marcam uma poca e somem. Outros sobrevivem e so incorporados linguagem coloquial.

B) Segunda questo para anlise:

[Fuvest 2013]

Leia o texto.

Ditadura / Democracia

A diferena entre uma democracia e um pas totalitrio que numa democracia todo mundo reclama, ningum vive satisfeito. Mas se voc perguntar a qualquer cidado de uma ditadura o que acha do seu pas, ele responde sem hesitao: No posso me queixar.

Millr Fernandes, Millr definitivo: a bblia do caos.a) Para produzir o efeito de humor que o caracteriza, esse texto emprega o recurso da ambiguidade? Justifique sua resposta. b) Reescreva a segunda parte do texto (de Mas at queixar), pondo no plural a palavra cidado e fazendo as modificaes necessrias.Resposta da QUESTO 1:

A) Verbos de comando e seus respectivos significados:

B) Verbos de comando e seus respectivos significados:

[Enem 2014]

Em bom portugus

No Brasil, as palavras envelhecem e caem como folhas secas. No somente pela gria que a gente apanhada (alis, no se usa mais a primeira pessoa, tanto do singular como do plural: tudo a gente). A prpria linguagem corrente vai-se renovando e a cada dia uma parte do lxico cai em desuso.

Minha amiga Lila, que vive descobrindo essas coisas, chamou minha ateno para os que falam assim:

Assisti a uma fita de cinema com um artista que representa muito bem.

Os que acharam natural essa frase, cuidado! No saber dizer que viram um filme que trabalha muito bem. E iro ao banho de mar em vez de ir praia, vestido de roupa de banho em vez de biquni, carregando guarda-sol em vez de barraca. Compraro um automvel em vez de comprar um carro, pegaro um defluxo em vez de um resfriado, vo andar no passeio em vez de passear na calada. Viajaro de trem de ferro e apresentaro sua esposa ou sua senhora em vez de apresentar sua mulher.

(SABINO, F. Folha de S. Paulo, 13 abr. 1984)A lngua varia no tempo, no espao e em diferentes classes socioculturais. O texto exemplifica essa caracterstica da lngua, evidenciando que

A) o uso de palavras novas deve ser incentivado em detrimento das antigas.

B) a utilizao de inovaes do lxico percebida na comparao de geraes.

C) o emprego de palavras com sentidos diferentes caracteriza diversidade geogrfica.

D) a pronncia e o vocabulrio so aspectos identificadores da classe social a que pertence o falante.

E) o modo de falar especfico de pessoas de diferentes faixas etrias frequente em todas as regies.Resposta da QUESTO 2:

[Enem 2014]Para atingir o objetivo de recrutar talentos, esse texto publicitrio

A) afirma, com a frase Queremos seu talento exatamente como ele , que qualquer pessoa com talento pode fazer parte da equipe.B) apresenta como estratgia a formao de um perfil por meio de perguntas direcionadas, o que dinamiza a interao texto-leitor.c) utiliza a descrio da empresa como argumento principal, pois atinge diretamente os interessados em informtica.d) usa esteritipo negativo de uma figura conhecida, o nerd, pessoa introspectiva e que gosta de informtica.e) recorre a imagens tecnolgicas ligadas em rede, para simbolizar como a tecnologia interligada.(Scientific American Brasil, ano 11, n. 134, jul. 2013 (adaptado).

Resposta da QUESTO 3:

[Enem 2014]

TEXTO IJoo Guedes, um dos assduos frequentadores do boliche do capito, mudara-se da campanha havia trs anos. Trs anos de pobreza na cidade bastaram na cidade bastaram para o degradar. Ao morrer, no tinha um vintm nos bolsos e fazia dois meses que sara da cadeia, onde estivera preso por roubo de ovelha.

A histria de sua desgraa se confunde com a da maioria dos que povoam a aldeia de Boa Ventura, uma cidadezinha distante, triste e precocemente envelhecida, situada nos confins da fronteira do Brasil com o Uruguai.

MARTINS, C. Porteira fechada Porto Alegre: Movimento, 2001 (fragmento).TEXTO IIComecei a procurar emprego, j topando o que desse e viesse, menos complicao com os homens, mas no tava fcil. Fui na feira, fui nos bancos de sangue, fui nesses lugares que sempre so para descolar algum, fui de porta em porta me oferecendo de faxineiro, mas tava todo mundo escabreado pedindo referncias, e referncias eu s tinha de diretor do presdio.

FONSECA, R. Feliz Ano Novo. So Paulo: Cia das Letras, 1989 (fragmento).A oposio entre campo e cidade esteve entre as temticas tradicionais da literatura brasileira. Nos fragmentos dos dois autores contemporneos, esse embate incorpora um elemento novo: a questo da violncia e do desemprego. As narrativas apresentam confluncia, pois neles o (a)

A) criminalidade algo inerente ao ser humano, que sucumbe as suas manifestaes.

B) meio urbano, especialmente o das grandes cidades, estimula uma vida mais violenta.

C) falta de oportunidades na cidade dialoga com a pobreza do campo rumo criminalidade.

D) xodo rural e a falta de escolaridade so causas da violncia nas grandes cidades

E) complacncia das leis e a inrcia das personagens so estmulos prtica criminosa.Resposta da QUESTO 4:

A) Explicite de que forma a ambiguidade em, pelo menos, dois termos empregados contribui para a construo de sentido do anncio lido.B) Explique a ideia de que a pior escurido a falta de identidade cultural de um povo.C) Justifique o uso da frase a pior escurido a falta de identidade cultural de um povo, no propsito comunicativo do anncio.Cada resposta dever ter ao menos 4 linhas.ATIVIDADE DE EAD (LINGUAGENS)

1 ETAPA

Aluno(a): ______________________________________________ N: ______ Ano/Srie: _______

Professores: Joelson Rocha e Priscila Alves Pereira

Data: 23 /02 / 2015. Valor: _____pontos Nota: _____________

QUESTO 1

Leia este anncio:

Os dois primeiros versos enfatizam uma ideia que ser desconstruda pela leitura integral do poema, caracterizando uma ironia, expressa tambm no ttulo.

Transcreva o verso do texto que, em comparao com os dois primeiros, revela essa ironia.

Em seguida, estabelea a relao entre o verso transcrito e o ttulo.

H pronomes que possuem funo anafrica, isto , retomam elementos anteriormente expressos, construindo a coeso textual.

QUESTO 2:

QUESTO 3:

QUESTO 4:

QUESTO 5: