ritos iniciais liturgia da palavra - ?· a ti, senhor, meu pedido! / volta pra mim, volta pra mim,...

Download RITOS INICIAIS LITURGIA DA PALAVRA - ?· A ti, Senhor, meu pedido! / Volta pra mim, volta pra mim, volta…

Post on 11-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    RITOS INICIAIS

    CANTO DE ABERTURASl 142 (143) (CD Liturgia VII Fx 15 HL3 p.130)

    1

    A ti, Senhor, meu pedido! / Volta pra mim, volta pra mim, volta pra mim, / Senhor, pra mim, o teu ou-vido!1. Senhor, escuta a prece que te fao e o meu pedido! Vem! Me atende, Deus fiel! Eu preciso ser ou-vido. Se vieres nos julgar, todo mun-do est perdido.2. Lembro os dias do passado: os teus feitos que me alentam; eu te estendo as minhas mos, a minhal-ma est sedenta como terra esturri-cada, ressequida e poeirenta.3. Vem, me ensina a fazer sempre, Senhor, tua vontade! Teu Esprito me guia a uma terra conquistada. Vem, renova minha vida, das angs-tias libertada.4. Vem, depressa, meu Senhor! Vem, depressa, me escutar! Meu esprito est fraco, eu j estou para desmaiar. No me escondas o teu rosto, para eu no me arrasar.

    SAUDAO2P. Em nome do Pai e do Filho e do Esprito Santo.T. Amm.P. O Deus da esperana, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa f, pela ao do Esprito San-to, esteja convosco.T. Bendito seja Deus que nos reu-niu no amor de Cristo.

    P. (ou Anim.) Irmos e irms, neste Dia do Senhor, voltemos o olhar e o corao para o Cu, para junto do Pai! L est o nos-so Salvador, imolado e vitorioso no amor, o Cristo Senhor que nos deu tudo e que se ofereceu total-mente por ns! No Altar desta Eucaristia, em torno do qual nos reunimos, Jesus nos associa oferta que Ele fez da sua vida. Se-jamos gratos ao Senhor por este dom, por este Mistrio do qual Ele nos faz tomar parte.

    ATO PENITENCIAL3P. Irmos e irms, Cristo, oferecido uma vez por todas, para tirar os pe-cados da multido, aparecer uma segunda vez, fora do pecado, para salvar aqueles que o esperam. Na esperana de sermos alcanados quando Ele voltar, supliquemos sua misericrdia.

    (Silncio)P. Tende compaixo de ns, Senhor.T. Porque somos pecadores.P. Manifestai, Senhor, a vossa mise-ricrdia.T. E dai-nos a vossa salvao.P. Deus todo-poderoso tenha com-paixo de ns, perdoe os nossos pe-cados e nos conduza vida eterna.T. Amm.

    P. Senhor, tende piedade de ns.T. Senhor, tende piedade de ns.

    P. Cristo, tende piedade de ns.T. Cristo, tende piedade de ns.P. Senhor, tende piedade de ns.T. Senhor, tende piedade de ns.

    GLRIA4Glria a Deus nas alturas, / e paz na terra aos homens por Ele ama-dos. / Senhor Deus, Rei dos cus, Deus Pai todo-poderoso,/ ns vos louvamos, ns vos bendizemos, / ns vos adoramos, ns vos glorifi-camos, / ns vos damos graas por vossa imensa glria. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unignito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vs que tirais o pecado do mundo, tende piedade de ns. / Vs que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa splica. / Vs que estais direita do Pai, tende pieda-de de ns. / S vs sois o Santo, s vs, o Senhor, / s vs o Altssimo, Jesus Cristo, / com o Esprito Santo, na glria de Deus Pai. Amm.

    ORAO5P. Oremos (Silncio): Deus de poder e misericrdia, afastai de ns todo obstculo para que, inteiramente disponveis, nos dediquemos ao vosso servio. Por N.S.J.C.T. Amm.

    LITURGIA DA PALAVRA

    Anim. A Palavra do Senhor o ali-mento da f. Acolhamos esta Pala-vra que transforma nossas vidas e nos aponta um horizonte de espe-rana.

    PRIMEIRA LEITURA(1Rs 17,10-16)

    6

    Leitura do Primeiro Livro dos Reis. Naqueles dias, Elias ps-se a ca-minho e foi para Sarepta. Ao che-gar porta da cidade, viu uma vi-va apanhando lenha. Ele chamou-a e disse: Por favor, traze-me um pouco de gua numa vasilha para

    32 DOMINGO DO TEMPO COMUM

    LT. 1 | N 61 | 11/11/2018ANO 43 | B | VERDE

  • 2

    eu beber. Quando ela ia buscar gua, Elias gritou-lhe: Por favor, traze-me tambm um pedao de po em tua mo. Ela respondeu: Pela vida do Senhor, teu Deus, no tenho po. S tenho um punha-do de farinha numa vasilha e um pouco de azeite na jarra. Eu estava apanhando dois pedaos de lenha, a fim de preparar esse resto para mim e meu filho, para comermos e depois esperar a morte. Elias replicou-lhe: No te preocupes! Vai e faze como disseste. Mas, pri-meiro, prepara-me com isso um pozinho, e traze-o. Depois fars o mesmo para ti e teu filho. Porque assim fala o Senhor, Deus de Israel: A vasilha de farinha no acabar e a jarra de azeite no diminuir, at o dia em que o Senhor enviar a chuva sobre a face da terra. A mulher foi e fez como Elias lhe ti-nha dito. E comeram, ele e ela e sua casa, durante muito tempo. A farinha da vasilha no acabou nem diminuiu o leo da jarra, conforme o que o Senhor tinha dito por inter-mdio de Elias. - Palavra do Senhor.T. Graas a Deus.

    SALMO 145(146)Cantando Salmos e Aclamaes p. 164

    7

    Bendize, minhalma, / bendize ao Senhor.1. O Senhor fiel para sempre, / faz justia aos que so oprimidos; / ele d alimento aos famintos, / o Se-nhor quem liberta os cativos.2. O Senhor abre os olhos aos ce-gos, / o Senhor faz erguer-se o ca-do; / o Senhor ama aquele que justo. / o Senhor quem protege o estrangeiro. 3. Quem ampara a viva e o rfo / mas confunde os caminhos dos maus. O Senhor reinar para sem-pre! * Sio, o teu Deus reinar / para sempre e por todos os sculos!

    SEGUNDA LEITURA (Hb 9,24-28)

    8

    Leitura da Carta aos Hebreus. Cristo no entrou num santurio feito por mo humana, imagem do verdadeiro, mas no prprio cu, a fim de comparecer, agora, na pre-sena de Deus, em nosso favor. 2E no foi para se oferecer a si muitas vezes, como o sumo-sacerdote que, cada ano, entra no Santurio com sangue alheio. Porque, se assim fosse, deveria ter sofrido muitas vezes, desde a fundao do mun-do. Mas foi agora, na plenitude dos

    tempos, que, uma vez por todas, ele se manifestou para destruir o pecado pelo sacrifcio de si mesmo. O destino de todo homem mor-rer uma s vez, e depois vem o jul-gamento. Do mesmo modo, tam-bm Cristo, oferecido uma vez por todas, para tirar os pecados da mul-tido, aparecer uma segunda vez, fora do pecado, para salvar aqueles que o esperam. - Palavra do Senhor.T. Graas a Deus.

    (= Fx 20, CD Liturgia VI)ACLAMAO9

    Aleluia, Aleluia, / Aleluia, Aleluia! (bis)Felizes os pobres em esprito, / por-que deles o Reino dos Cus.

    EVANGELHO(Mc 12,38-44) (longo)

    10P. O Senhor esteja convosco.T. Ele est no meio de ns.P. Proclamao do Evangelho de Je-sus Cristo segundo Marcos.T. Glria a vs, Senhor.P. Naquele tempo, Jesus dizia, no seu ensinamento a uma gran-de multido: Tomai cuidado com os doutores da Lei! Eles gostam de andar com roupas vistosas, de ser cumprimentados nas praas pbli-cas; gostam das primeiras cadei-ras nas sinagogas e dos melhores lugares nos banquetes. Eles de-voram as casas das vivas, fingin-do fazer longas oraes. Por isso eles recebero a pior condenao. Jesus estava sentado no Templo, diante do cofre das esmolas, e ob-servava como a multido deposita-va suas moedas no cofre. Muitos ri-cos depositavam grandes quantias. Ento chegou uma pobre viva que deu duas pequenas moedas, que no valiam quase nada. Jesus chamou os discpulos e disse: Em verdade vos digo, esta pobre viva deu mais do que todos os outros que ofereceram esmolas. Todos deram do que tinham de sobra, enquanto ela, na sua pobreza, ofe-receu tudo aquilo que possua para viver. - Palavra da Salvao.T. Glria a vs, Senhor.

    HOMILIA11

    PROFISSO DE F12Creio em um s Deus, Pai todo-po-deroso, / Criador do cu e da terra; de todas as coisas visveis e invis-

    veis. / Creio em um s Senhor, Jesus Cristo, / Filho Unignito de Deus, / nascido do Pai antes de todos os s-culos: / Deus de Deus, / luz da luz, / Deus verdadeiro de Deus verda-deiro, / gerado, no criado, / con-substancial ao Pai. / Por Ele todas as coisas foram feitas. / E por ns, homens, e para nossa salvao, / desceu dos cus: / e se encarnou pelo Esprito Santo, / no seio da Virgem Maria, / e se fez homem. / Tambm por ns foi crucificado / sob Pncio Pilatos; / padeceu e foi sepultado. / Ressuscitou ao tercei-ro dia, / conforme as Escrituras, / e subiu aos cus, / onde est sentado direita do Pai. / E de novo h de vir, em sua glria, / para julgar os vi-vos e os mortos; / e o seu reino no ter fim. / Creio no Esprito Santo, / Senhor que d a vida, / e procede do Pai e do Filho; / e com o Pai e o Filho adorado e glorificado: / ele que falou pelos profetas. / Creio na Igreja, / una, santa, catlica e apos-tlica. / Professo um s batismo / para remisso dos pecados. / E es-pero a ressurreio dos mortos / e a vida do mundo que h de vir. T. Amm.

    ORAO DOS FIIS13 P. Irmos e irms, Cristo, Sumo e Eterno Sacerdote, nosso inter-cessor. Sentado direita do Pai, Ele suplica por ns. Com confiana, apresentemos nossas preces a Ele, suplicando:T. Acolhei a nossa orao, Senhor!1. Senhor, sabemos que sois fiel para sempre e fazeis justia aos que so oprimidos; concedei vos-sa Igreja ser casa e abrigo para os pobres, abandonados e oprimidos deste mundo. 2. Senhor, a pobre viva, na sua pobreza, ofereceu tudo aquilo que possua para viver; que cada um de ns cresa na oferta de si mesmo, sem reservas, em favor dos irmos e irms.3. Senhor, Vs erguestes o cado; que a nossa comunidade seja um sinal da misericrdia e do perdo e testemunha de dilogo e de recon-ciliao.4. Senhor, h orao que agrada a Deus e orao que puro fingimen-to; que ao rezarmos, nossos lbios e corao estejam unidos para que a nossa orao d frutos de amor e de caridade.

  • 3

    (Oraes da comunidade)P. Vs que sois Deus, com o Pai, e o Esprito Santo.T. Amm.

    APRESENTAO DAS OFERENDAS

    14

    Bendito seja o nome do Senhor / agora e sempre e por toda a eter-nidade!1. Pelo po que de sua bondade re-cebemos, / fruto da terra e do nos-so trabalho!2. Pelo vinho que de seu amor ns recebemos, / fruto da videira edo nosso trabalho!3. Pelo alimento corporal que s criaturas Ele d, / o po de cada dia que sustenta nosso corpo!4. Pelo alimento espiritual que a seus filhos Ele d, / sua Palavra eseu Corpo que sustentam nossa alma!

    ORAO SOBRE AS OFERENDAS

    15

    P. Lanai, Deus, sobre o nosso sacrifcio um olhar de perdo